Das profundezas.

Os 33 mineiros que ficaram presos por quase 70 dias em uma mina chilena de ouro e cobre estão todos vivos e seguros. Eles foram resgatados nesta quarta-feira, 13 de outubro, dia de Nossa Senhora de Fátima. Porém, há mais…

Por Robert Moynihan, informando de RomaInside The Vatican
=====================================

De profúndis clamávi ad te, Dómine” (“Das profundezas, clamo a ti, Senhor“). —Salmo 129, conhecido como o Salmo “De Profundis” (“Das profundezas”), das duas primeiras palavras em latim.

=====================================

O Mistério da Oração e Redenção

A prosa não é suficiente para descrever o que acaba de acontecer no Chile. É necessário poesia – como a poesia dos Salmos.

Trinta e três mineiros, presos em uma caverna a centenas de metros abaixo da superfície da terra em 5 de agosto, 69 dias atrás, começaram a ser trazidos à superfície ontem, um por um.

Tudo Perdido, Tudo encontrado

No início, pensava-se que eles estavam todos perdidos, uma vez que não havia contato com eles de jeito algum. Nem um som. Silêncio.

Em seguida, depois de 17 dias, eles foram todos encontrados vivos e seguros em uma caverna no subsolo. Mas ainda se pensava que a operação de resgate levaria muitos meses, talvez até a época do Natal, e que os homens, confinados em um espaço tão reduzido, poderiam ficar todos malucos antes que pudessem ser libertados.

E agora, em um feito de engenharia digno de todo elogio, eles foram trazidos à superfície seguros e com o juízo perfeito.

E o mundo inteiro foi capaz de assistir o desdobramento desse drama.

Um presente do Papa

Porém, há um aspecto pouco conhecido nessa história surpreendente, e esse é um aspecto relacionado ao Papa Bento XVI e ao Rosário.

O rosário, a oração par excellence de Nossa Senhora, por causa de sua forma tradicional, contém 150 Ave-Marias e 15 mistérios gozosos, dolorosos e gloriosos – o mesmo número do Livro de Salmos.

Bento XVI ofereceu orações públicas pelos mineiros em diversas ocasiões, mas ele também decidiu enviar a cada um dos mineiros um presente especial: um rosário que ele mesmo havia abençoado.

Os rosários foram levados aos mineiros pessoalmente pelo Cardeal Francisco Javier Errazuriz de Santiago, Chile.

Fala-se que, para sobreviver, os mineiros organizaram a sua vida de maneira disciplinada, mesmo criando uma pequena capela no canto de sua caverna. De acordo com um relatório, a reza do Terço se tornou parte do ritual diário dos mineiros presos.

(Aqui um vídeo com Reportagens de Roma que descreve este presente dos rosários:  http://www.youtube.com/watch?v=aH5azcuEL_Y&feature=channel)

E agora, em 13 de outubro – o aniversário da última aparição da Virgem Maria aos três pastorinhos em Fátima, Portugal – os mineiros estão seguros.

A Oração em Westminster

13 de outubro também é o dia em que celebramos Santo Eduardo o Confessor, no Reino Unido.

A perfuração para libertar os mineiros começou em 17 de setembro.

O papa estava em Londres naquele dia, o segundo dia de sua viagem à Escócia e à Inglaterra.

Na cerimônia religiosa em 17 de setembro, na Abadia de Westminster, o Papa Bento e o Arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, rezaram diante do túmulo de Santo Eduardo Confessor.

Em 13 de outubro, dia da festa de Santo Eduardo, os mineiros estão libertados.

Um Sinal de Redenção

Em uma Missa no Chile, que começou logo após a meia noite de 13 de outubro, quando o primeiro mineiro foi sendo conduzido à superfície, o Bispo Auxiliar de Santiago Cristian Contreras Villarroel, falando na capela El Sagrario perto da Catedral Metropolitana de Santiago, disse que as vidas dos 33 mineiros deveriam ser vistas como um sinal da necessidade que todas as pessoas têm de redenção.

E o bispo ecoou as palavras do Salmo 129, onde este diz, “Se levares em conta, Senhor, as culpas, quem poderá subsistir?”

“Não há santo sem um passado, nem pecador sem um futuro,” disse o bispo.

Das profundezas, clamo a ti, Senhor

O versículo mais poderoso em todos os salmos – indubitavelmente o supremo monumento poético dos judeus e dos cristãos, tradição cultural religiosa – é este: “Das profundezas, clamo a ti, Senhor.”

As palavras resumem toda a tristeza de uma humanidade frágil, mortais fadados à derrota inevitável pelo poder do pecado e da morte.

As palavras poderiam ter sido ditas por Jonas na barriga da baleia, por Jó da pilha de cinzas em seus sofrimentos, por Davi cercado de inimigos que buscavam sua vida, por Jesus quando ele foi elevado, a toda a aparência externa totalmente impotente, na cruz, depois descido, flácido e frio, em seu túmulo.

O Salmo 129 é parte da liturgia de Vésperas para os defuntos, e expressa a esperança daquele que caiu na sombra e escuridão, e daquele que foi vencido pela morte, e que ainda assim será salvo e virá novamente à luz.

Aqui está o texto do Salmo 129, primeiro em latim, depois em português, que parece expressar a oração dos mineiros, capturados na escuridão sob 700 metros de rocha por 70 dias:

De profúndis clamávi ad te, Dómine: Dómine, exáudi vocem meam:
Fiant aures tuæ intendéntes: in vocem deprecatiónis meæ.
Si iniquitátes observáveris, Dómine: Dómine, quis sustinébit?
Quia apud te propitiátio est: et propter legem tuam sustínui te, Dómine.
Sustínuit ánima mea in verbo ejus: sperávit ánima mea in Dómino.
A custódia matutína usque ad noctem: speret Israël in Dómino.
Quia apud Dóminum misericórdia: et copiósa apud eum redémptio.
Et ipse rédimet Israël: ex ómnibus iniquitátibus ejus.
Réquiem ætérnam dona eis, Dómine.
Et lux perpétua lúceat eis.

Das profundezas, clamo a ti, Senhor:
Senhor, escuta minha voz;
teus ouvidos estejam atentos
à voz da minha súplica!
Se levares em conta, Senhor, as culpas, quem poderá subsistir?
Mas contigo será o perdão, pelo que és reverenciado.
Aguardo o Senhor,
aguardo com toda a minha alma e espero na sua palavra.
Minha alma espera no Senhor,
mais que as sentinelas pela aurora,
bem mais que as sentinelas pela aurora
Israel, põe tua esperança no Senhor,
pois no Senhor há misericórdia
e junto dele, copiosa redenção.
É ele que redime Israel
de todas as suas iniqüidades.

=====================================

A Pedra Rolou
Em frente do mundo todo, nesse dia 13 de outubro, para esses mineiros, e para todos nós também que somos testemunhas, a pedra rolou.

=====================================

Em sua saudação em espanhol aos milhares de fiéis reunidos na Praça de São Pedro para a Audiência Geral, o Papa Bento XVI encomendou à beata Angela de Foligno “com esperança aos mineiros da região de Atacama no Chile”, cujo resgate se iniciou às 00:11 desta quarta-feira (hora do Chile) com a saída de Florencio Ávalos.

7 Responses to “Das profundezas.”

  1. Prezado Ferretti,
    Salve Maria!

    Há também o fato de uma borboleta branca ter aparecido 500m abaixo da terra dentro da mina. Esta borboleta acabou atraindo a atençao de 2 mineradores que não estavam junto dos 31. A atenção provocada acabou evitando que os 2 mineradores não ficassem no local da explosão e pudessem se juntar aos 31 e, consequentemente, se salvar. Uma borboleta branca lá embaixo bem no momento da explosão… e que justamente impediu que 2 deles morressem.

  2. A camisa deles já demonstra grande fé: gracias, Señor!

    Deus seja louvado por tê-los guardado para nos avivar a esperança nesse mundo que só sabe destruir o pouco que resta dela.

  3. Detalhe: o nome da mina era SAN JOSÉ.

  4. Agradecemos e louvamos ao Senhor por esta dádiva preciosa do êxito do salvamento desses mineiros…
    Como a tecnoliga avançada e claro, também dádiva do Altíssimo, uma participação ínfima na sua Onipotência, pode ser e é, útil ao homem quando bem usada…
    Que a Virgem Mãe de Guadalupe os ampare e os defenda sempre de toda adversidade!

  5. O papa Bento XVI acompanhou com grande interesse a situação dos 33 mineiros chilenos que permaneceram 70 dias presos a 700 m de profundidade, guardou uma bandeira assinada por todos eles e rezou diariamente por seu resgate. A informação foi dada neste sábado pelo porta-voz da Santa Sé, o jesuíta Federico Lombardi, que afirmou que o resgate dos mineiros é “uma grande festa”, que mostra o valor da vida.
    “Há dias, no final de uma audiência, um jovem chileno entregou ao papa uma bandeira do país com as assinaturas dos 33 mineiros. Bento XVI a colocou em seu quarto, lembrando a cada dia desses homens em suas preces até o momento de seu resgate”, disse Lombardi. O jesuíta ressaltou, além disso, que o resgate dos 33 mineiros “é uma grande festa” e que é “muito bonito que o mundo todo tenha acompanhado com interesse a extraordinária ação realizada para salvar vidas humanas”.
    Lombardi acrescentou que, assim como celebra o resgate, a Igreja também lembra os inúmeros mineiros que, em diversas partes do mundo, “tiveram ou terão” uma sorte diferente devido a desgraças “ou a condições inseguras de trabalho”. Em várias ocasiões, nos 70 dias em que os mineiros estiveram presos, o papa expressou sua solidariedade. Em 7 de outubro, durante a apresentação das credenciais do novo embaixador chileno perante a Santa Sé, disse que leva o Chile dentro de seu coração e rezava pelos mineiros.
    No mesmo dia recebeu a bandeira assinada, durante a audiência que concedeu aos participantes do Congresso Mundial da Imprensa Católica, das mãos do diretor de Comunicações e Imprensa da Conferência Episcopal do Chile, Jaime Coiro.

    http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI4738099-EI16934,00-Bento+XVI+guardou+bandeira+assinada+por+mineiros+do+Chile.html

  6. A verdade é que o grupo de mineiros ficou sob forte influência de um mineiro protestante que se tornou o líder espiritual do grupo.
    Basta observar que poucos mineiros no momento do resgate deram sinais visíveis de catolicidade em seus agradecimentos a Deus.

Trackbacks