Carta do Revmo. Pe. Anderson Batista da Silva ao Papa Bento XVI sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2010.

Apresentamos a corajosa carta enviada ao Santo Padre, o Papa Bento XVI, em dezembro de 2009, pelo reverendíssimo Padre Anderson Batista, da Arquidiocese de Niterói, sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2010. Padre Anderson completa hoje cinco anos de sacerdócio. Que Nosso Senhor Jesus Cristo, Sumo Sacerdote, recompense este valoroso padre por seu amor à Santa Igreja e às almas.

* * *



Niterói, 12 de dezembro de 2009.

Festa de Nossa Senhora de Guadalupe,

Imperatriz das Américas

Beatíssimo Pai,

Como último dos vossos filhos, apresento-me genuflexo ante Vossa Santidade, em submissão total ao vosso magistério e a vossa pessoa. Em nome próprio e de vários fiéis perplexos que me procuraram, envio a V.S. esta tão premente carta.

Acompanhamos, como filhos indignos da Igreja, vossas palavras e ações que nos acalentam e confortam, nos confirmam na fé e nos entusiasmam na nova evangelização que o mundo atual tanto necessita.

Com muita alegria ouvimos vossas palavras na Missa do Início do vosso Ministério Petrino, pedindo a todos os cristãos que rezássemos por V. S. para que não temesse diante dos lobos e fugisse[1]. Desde aquele instante, Santo Padre, nós e muitos no mundo inteiro, rezamos e oferecemos sacrifícios nesta tão importante intenção. Os lobos existem! Foi a impressão que nos ficou gravada. Mais ainda, eles estão tão perto de nós que poderiam, se fosse possível, ferir o Pastor Universal da Igreja. Mas acreditamos nas promessas de Nosso Senhor: “As portas do inferno não prevalecerão contra Ela”(Mt 16,18).

Continue lendo…

28 Comentários to “Carta do Revmo. Pe. Anderson Batista da Silva ao Papa Bento XVI sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2010.”

  1. Padre Anderson é um heroi nacional.

  2. E de pensar que padres que honram sua batina como esse são em geral desprezados pelos seus confrades! Eles sim é que deveriam ser nomeados bispos!

    Quando levantaram a excomunhão de Dom Williamson, criticaram a Santa Sé por não saber usar o Google. A Secretaria de Estado fez um mea culpa e disse que usaria mais a internet para se informar…

    Seria ótimo se a cúria em geral usasse realmente outros meios que não as indicações do núncio apostólico e da CNBB. Mas para isso é preciso coragem…

  3. Grande coragem do Pe., melhor ainda apoiado por seu Bispo, que acabou de participar da visita “ad limina”.
    Basta saber se ela chegará às mãos do Papa
    Sei que a situação atual é completamente diversa da de Paulo VI; mas, D. Castro Mayer, por ocasião da entrada em vigor do “Novus ordus”, escreveu a este mesmo Papa, pedindo autorização para continuar usando, em sua Diocese, o Rito Antigo.
    Nunca chegou resposta, apesar de ele ter sido notificado que a carta havia chegado a seu destino…
    Estranho…
    Chegou ao seu destino e Paulo VI não respondeu???
    E mais, nesta carta D. Antônio detalha pormenorizadamente os motivos do pedido; não foi por questão de capricho ou de gosto.
    O que sabemos é que D. Antônio ficou até 1981 como titular de Campos e nunca recebeu resposta.
    Tomara Deus que o mesmo não aconteça com o Pe. Anderson.
    Por que o Pe. não mandou esta carta para ser entregue, pessoalmente, por D. Alano?

  4. Ainda acho que o ideal seria ir a Roma liderado por um sacerdote que, levando dossiês ao Santo Papa, mostraria os escândalos da CNBB e dos movimentos pentecostais carismáticos.

    O momento é esse!

    Não tem mais como ficar só mandando cartas. Não vai adiantar!

    Os movimentos mais aberrantes que são aprovados hoje por Roma, consegue isso porquê eles estão indo ao Vaticano.

    Façamos o mesmo.

  5. Meus trechos favoritos foram:

    “Nesta tentação de ver no Evangelho um evangelho puramente terrestre, parece ter caído a Campanha da Fraternidade ao longo dos anos.”

    “Porém, nós nos sentimos defraudados e desiludidos, quando se deixa de falar de certas verdades fundamentais da fé, como do pecado, da graça, da vida
    teologal e dos novíssimos4 fazendo nossas comunidades eclesiais caírem insensivelmente na uto-secularização.”

    Essas frases resumem muito bem TODAS as Campanhas da Fraternidade.

    E o pior é que os fiéis são obrigados a seguir aqueles livretos chatos das Paulinas. A Via Sacra tradicional, que é tão linda sem os “molhos” e “ketchups” da CF é totalmente desconhecida dos fiéis.

    Parabéns, Padre Anderson. Sua carta está excelente!

  6. Parabéns pela iniciativa ,Pe. Anderson.

    A Igreja precisa urgentemente livrar-se dessas
    CFs com temáticas equivocadas e de todo ranço
    que a TL injetou.

    E , principalmente, livrar-se dos Bispos esquerdistas.
    Pois, enquanto ele continuarem agindo dentro da Igreja, sempre criarão obstáculos e introduzirão erros.

  7. É bom ele já escrever a do próximo ano – que também é de lascar.
    Vão aproveitar os cartazes de Avatar…..

  8. Magda essa nota é louca. Não tem sentido dizer que Dom Aldo foi vítima de uma filmagem à revelia de sua vontade, pois que no vídeo ele claramente posou para uma gravação.

    O vídeo não pode ser acusado de denigrir a imagem dele pois justamente ele está dizendo o que pensa. Um bispo da idade dele nao é um ingenuozinho para pensar que uma filmagem (em que ele lê um longo texto que segura nas mãos, portanto elaborado cuidadosamente) com aquele conteúdo não seria disseminada.

    Vamos rezar para que isso seja um boato, pois até agora Dom Aldo e Dom Bergonzoni são os nossos heróis solitários.

  9. Adorei o comment da Tamara. E apóio!

  10. Se o que o bispo disse é o que ensina a Santa Igreja não há razão alguma para insinuar que a filmagem foi feita à revelia.

  11. Visitei o site da arquidiocese e não tem nada referente a este nota. É boato.

  12. Um Estado laico acaba por inverter os papéis: o Estado acaba sendo igreja ou religião e a Igreja acaba sendo leiga ou “anacrônica” para o Estado.
    É o que estamos vivendo. O Estado acaba se acreditando como inventor da nova moral (por ele ditada como a única “ética” possível) e acaba dando-se o direito até de matar seletivamente e de interferir nos outros cultos, substituindo-se, enquanto se faz no maior dos ídolos, na adoração ao verdadeiro Deus.
    O ecumenismo detona com o poder da Verdade. Ele retira a Verdade da Pessoa divina revelada e a destribui entre os homens com os seus “achismos”. É o clímax do culto ao relativismo que o papa tanto combate, mas que depois vai saciá-lo na ponta que é este extremo de sua manifestação. O ecumenismo, criado entre os protestantes para conter a torre de babel própria e localizada entre eles após o Concílio de Trento (como observou São Pio X no seu catecismo maior), é falsa vitória de Lutero sobre Cristo e Sua Igreja. “Ecumenismo” para a Verdade é apenas o respeito que evita qualquer agressão física ou anti-cristã (sempre ineficaz e pecaminosa), para que se ouça quem pede a razão de nossa esperança, e sempre para convidá-lo à conversão imprescindível, pois “um coração contrito e humilhado Deus não despreza”, porém, “o Senhor rejeita e dispersa os orgulhosos”.
    Os concílios ecumênicos citados por São Pio X sempre foram um “chamado à Verdade e à conversão”. Sempre foram um socorro da Igreja aos confusos e aos inocentes.
    Já o missal novo foi a maior traição à Herança de Cristo trazida pelos apóstolos às nações, sobretudo, porque escondeu nossa possibilidade, depois de perdoados para tamanha dignidade, de nos unirmos ao Sacrifício de Cristo e, assim, podermos participar de Sua glória, porquanto isto sempre rejeitaram os protestantes como possível. O missal novo escondeu-nos da Cruz. Escondeu a Cruz e escondeu-nos da Cruz, para retirar a eficácia da Cruz para cada época, principalmente, para esta nossa época que se fixa apenas nos prazeres. “Quem não vence o prazer, não vence a dor”, então, a modernidade não poderia buscar outra coisa para evitar toda dor (e renúncia) e viver intensamente apenas o prazer de modo ilimitado que nem aceita até uma mínima restrição vinda dos filhos e muito menos de Deus. Aí, que a algazarra tomou conta das missas novas. Se São Pio X mostra muito bem no seu catecismo as horríveis (e muitíssimo lógicas e verdadeiras) consequências do pecado, desde o pecado original (o qual também estava incluído entre as negações prioritárias da modernidade), imagine só o quanto terão de pagar aqueles que tramaram contra a principal e eterna ferramenta de Deus para apagar os nossos pecados. Pois, continuamos pecando após nosso batismo e Cristo continua salvando até que vença tudo na sua volta. Ai deles, porque são os maiores desgraçados entre todos.

  13. Somos muito felizes de termos o Pe. Anderson conosco. E, felizmente, ele não é o único de nossa arquiocese.

    Parabéns, Pe. Anderson!!

  14. Sinceramente não tenho fé que estas cartas sejam lidas pelo Santo Padre muito menos entregue a ele.

  15. Implorando as maiores bênçãos de Deus sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2010, aproveito a ocasião para enviar aos meus irmãos e amigos do Brasil cordiais saudações com votos de todo bem em Jesus Cristo, único Salvador de todos!

    Vaticano, 8 de fevereiro de 2010
    Benedictus XVI

    http://www.oecumene.radiovaticana.org/BRA/Articolo.asp?c=357952

  16. Só para estragar a “festa”: Apesar do placet do sr. Bispo à carta mui varonil do Pe. Anderson, porque o prórpio sr. Bispo não elaborou algo semelhante?…
    Um Padre, um “simples” Padre “ousar” levantar uma polêmica nacional e informar o Santo Padre do escândalo pastoral da igrejola paralela da CNBB é demais para um “mísero” Padre, mas é condizente com as responsabilidades de um Bispo.
    É por essas e por outras que Deus provê os pequeninos e humildes de uma coragem que arrebata o caráter, fazendo deles gigantes!!!
    Deus exalta os Seus para lutar na linha-de-frente com aguerrido ímpeto vingador, já que o ultraje modernista clama aos Céus uma atitude combativa de enfrentamento!
    Enquanto isso… trancados em seus gabinetes… há os “generais” “apoiando” as iniciativas corajosas de seus peões…

  17. Sobre a nota explicativa da Arquidiocese de Maceió:
    Oras, bolas! Se o sr. Bispo falou e disse tudo aquilo por que o medo da “instrumentalização” para o bem?!
    Será o “receio” de se ver torpedeado pelos seus emientes pares progressistas?…
    Será o que está sendo “prudente”, negando e proibindo as suas falas na forma pública, pois pode ser “vítima de uma armação para denegrir a sua imagem num momento tão delicado como este período eleitoral” por parte de seus irmãos no episcopado?…
    Será que o sr. Bispo declara que “somente deixa claro que defende a vida em todas as suas instâncias” na forma limitada a um documentário?…
    São essas as minhas dúvidas que me perseguem e não querem calar.

  18. O que eu achei lindo & fofo foi a alusão à CNBB com aquele símbolo graciosamente [des]focado ao fundo…
    É quase subliminar…

  19. URGENTE: já repararam que o GLORIA TV saiu do ar??? Havia, em destaque, vários vídeos contra o PT nesse site…

  20. Amigos, salve Maria.

    Desde cedo não consigo acessar o Gloria TV (http://pt.gloria.tv/).
    Sei que esse canal de vídeos mostra, com destaque, Bispos e Padres denunciando o PT.
    Alguém sabe de algo a respeito?

  21. Rafael, tá normal o acesso ao site.

  22. Não, o site está OK! Acabei de acessar lá.

  23. Li a carta e não entendo porque os bispos que não concordam com esta posição da CNBB, não saem, mas ficam passivos diante de tanto descalabro? Vejo que estamos indo em rota de colizão com um cisma na igreja do Brasil. A situação é péssima. Se Dilma ganhar, vai ficar insustentável. Vejo que muitos bispos aceitam o aborto com um mal menor, entre outros problemas neste país e parecem fazer vista grossa a posição do PT em relação ao seu programa de governo que inclui a cultura da morte. Os bispos que não concordam com a CNBB não podem ficar de braços cruzados. Tem que se manifestarem em grupo e criar uma força viva dentro da CNBB para combater os maus bispos. Mas me veio agora a mente: Bom, a campanha da fraternidade não pode ser publicada sem o aval dos bispos, então todos sabiam e todos concordaram. A carta do padre Anderson é mutio clara, objetiva e incontestável. Não há como contra-argumentar.

    Marcio

  24. Enviem para o email do Bispo Aldo sobre se é verídica esta nota. Já enviei. Mas até o momento não obtive respostas.

    Este é o email: cillopagotto@arquidiocesepb.org.br

  25. Muito boa a carta. Eu também discuti profundamente a CF, mas só agora sei que ela foi CFE. Se o soubesse então, não teria participado.
    A CF foi uma vergonha, como muitas tem sido e tendo por motivo que os católicos usem a Quaresma para pensar sobre um problema concreto, tem servido para irem esvaziando as nossas igrejas.
    O Problema é: obedecer aos bispos, ficando calado de forma amargurada e sendo demolido interiormente, mas dando uma aparencia hipócrita de que tudo está bem, ou não aceitar nada que esteja fora dos canones, sem fazer deboche, mas firmemente contestar, uma, duas, dez vezes. Ser incómodo e mostrar a nossa razão.
    Embora, a segunda alternativa seja muito mais difícil, parece que tem de ser a que há que tomar.