Carta de fiel a Dom Luiz Gonzaga Bergonzini: A vitória da Igreja virá pela oração.

Excelência reverendíssima, Dom Luiz Gonzaga Bergonzini,

laudetur Iesus Christus!

Que alegria imensa para nós, católicos, ver que a voz do episcopado ainda não se calou, pois temos poucos, porém valentes Bispos decididos a dar tudo, inclusive a própria vida, do que calar diante da iniquidade reinante neste país. Certamente é uma honra ser afrontado, humilhado e até ameaçado quando se recebe isso justamente daqueles que são declaradamente inimigos de Cristo e do Evangelho. Cumpre-se em Sua Excelência e em outros Bispos aquelas consoladoras palavras de Nosso Senhor no Evangelho, alentando para a perseguição que necessariamente seus filhos devem passar. Pois o mundo nos odeia porque odiou a Cristo primeiro.

Tenho visto católicos em todo o país esforçando-se incansavelmente pela difusão e pelo conhecimento da sua carta, publicada nosite da Diocese de Guarulhos, como também do “Apelo a todos os brasileiros e brasileiras“. Em minha cidade, pude despretensiosamente distribuir algumas centenas panfletos, que espero terem elucidado os seus leitores, desde agora e por todas as eleições vindouras.

Entretanto, desde que eu comecei a me empenhar no combate em defesa da vida, estive muito consciente de como poderíamos efetivamente triunfar contra o plano maligno que existe nesta eleição. Com efeito, não há panfleto, apelo, carta, manifesto ou declaração que resolva a nossa questão, pois a crise que passamos é de causa sobrenatural, é uma crise de Fé e de valores. É notório que o povo, hoje, tornou-se materialista, porque mesmo acreditando em Deus, age como se apenas houvesse a vida da terra, de modo a só se ocupar com o acúmulo de bens materiais. Esta mesma mentalidade doentia, fruto do pecado, é que tem dado grande apoio à candidatura de Dilma Rousseff, porque um povo materialista quer eleger não os candidatos comprometidos com os valores da ética e da lei natural, mas aqueles que mais prometem prosperidade material. Vivemos, portanto, numa espécie de ateísmo prático.

A sociedade brasileira quer eleger Dilma porque vive na escravidão do pecado, na cobiça do mundo, e já não pode mais compreender o anúncio de Jesus, que nos promete mais do que um pão que se estraga, mas um Pão de Vida Eterna, que é a nossa participação na Sua Vida divina no Céu. Numa crise de Fé e de valores como a que enfrentamos hoje, os fatos e argumentos não convencem, porque a cegueira espiritual impede a devida apreciação da verdade e a sua incondicional adesão. Devemos, portanto, buscar os remédios que o próprio Cristo nos dá para vencer a pobreza e a cegueira espirituais, isto é, a Sua graça, esta sim capaz do que as forças humanas não podem. Pois se Deus é a nossa Causa Primeira, aquele que se dirige a ela submete a seu favor todas as causas segundas. Nosso Senhor pede, seja na aparição do Seu Sagrado Coração a Santa Margarida Maria de Alacoque, seja nas aparições de Sua Santíssima Mãe, que os homens não deixem jamais de se recomendar na oração, meio simples porém infalível, no qual a pobre criatura confia a Deus onipotente aquilo que não está ao alcance de suas capacidades.

Portanto, Excelência, rogo-vos, não deixemos de impetrar a Deus a vitória da Santa Igreja contra os seus inimigos, pois se reduzirmos a nossa batalha apenas a um mero propagandismo, jamais venceremos. Nosso Senhor mesmo já nos alertava de que os filhos deste mundo são mais espertos do que os filhos da luz. E nós já obtivemos uma prova cabal disso na recente impugnação dos panfletos que o PT conseguiu por meio de justiça humana.

Deixemos de confiar nos meios humanos, nas instâncias e órgãos públicos, na justiça dos homens. Peço-vos, Excelência, que o Sr., em comunhão com todos os Bispos e Padres que mantém compromisso autêntico com a Palavra de Deus, que promovam uma Vigília de adoração e reparação diante do Santíssimo Sacramento, que possa, se possível, pernoitar no revesamento dos muitos movimentos e grupos católicos atualmente existentes, no maior número de paróquias e capelas onde isto se faça possível, fazendo um apelo a todas as Dioceses, mesmo naquelas onde o seu Bispo nada manifestou sobre a eleição. Deixo apenas a sugestão, a qual me foi dada por uma senhora católica que recebeu este pensamento durante a sua oração. Não importa o dia, o tempo, os locais onde isto se faça possível. Mas que saibamos apelar antes de tudo à graça, pois um povo que reza, ou melhor, uma nação que reza, obtém a paz. Basta nos lembrarmos do apelo que Nossa Senhora faz do Rosário, o qual foi dado como remédio desde a batalha contra os cátaros até as Guerras Mundiais que abalaram a face da terra no século XX. Para tanto, que esta Vigília, diante de Jesus Sacramentado, seja feita em união e mediação com Nossa Senhora, por meio de quem todas as nossas pobres orações são atendidas por Deus. Neste sentido, nada mais recomendável do que fazer as Vigílias Brasil afora pela Oração do Terço.

Agradecendo desde já Vossa paternal solicitude, despeço-me, Excelência, rogando a Vossa bênção apostólica, na certeza de que serei ouvido.

X

10 Responses to “Carta de fiel a Dom Luiz Gonzaga Bergonzini: A vitória da Igreja virá pela oração.”

  1. Penso que poderia ser estabelecido um dia da próxima semana para um dia de vigília, de batalha com a “cruz numa mão e o terço na outra” e Deus a frente.

    Espalhar a notícia na blogosfera católica.

  2. Viva o Clero que é Fiel ao Santo Padre…

    Viva o Vigário de CRISTO: Papa Bento XVI

    Salve Regina!!!

  3. Esse é o verdadeiro teste de ortodoxia. Não que estejamos a testar bispos e padres, mas o sobrenatural foi de tal forma expulso da Igreja aqui no Brasil, que quando aparece sugestões como essa que não há, na minha avaliação, como recusar, é que vemos os que estão verdadeiramentes unidos a NSJC e milita pelo triunfo de sua Santa Igreja e pelos valores do Evangelho.

  4. Rezemos o Terço.

  5. Finalmente um Bispo mineiro que não se omite:

    http://www.dioceseoliveira.org.br/index.php?id=13&item=exibePastor

  6. Meu estado, Minas Gerais, diga-se passagem o mais belo da federação *___*

    De joelhos para a maçonaria, desgraça!

    Rafael, depois vou pegar esse link e postar no meu blogue.

  7. Eu também creio que a vitória da Igreja virá pela Oração. Creio também que um ato de fé e adoração público, como a vigília proposta na carta acima acompanhada de orações públicas do Rosário, é mais eficaz do que as orações em privado, ainda que essas sejam essenciais. Pois as eleições são manifestações públicas.
    Desejo fazer lembrar a manifestação pública de fé em 1964 chamado de “Marcha da Família por Deus e a Liberdade” traduzido do livro “Fátima Roma Moscú” do Padre Gérard Mura, tirado do site: http://www.fsspx-brasil.com.br/mjcb/oracao_cruzada_exemploeficacia.php

    Brasil salvo pelo Santo Rosário em 1964
    Em 1964, os comunistas estavam tão seguros de alcançar o poder no Brasil, que o secretário do Partido para a imprensa internacional em Moscou, deu a conhecer, algumas semanas antes, o dia exato no qual a foice e o martelo flamejariam neste país tão imenso e estrategicamente importante. “Todas as posições chaves estavam nas mãos de conhecidos comunistas ou de amigos dos comunistas”, informou Fr. Valério Alberton, SJ, Subdiretor da Federação Nacional de Congregações Marianas do Brasil. “A infiltração afetava também profundamente as faculdades católicas. Inclusive encontravam-se células comunistas nos nossos liceus. Nenhum agrupamento católico escapava desse destino. Era terrível. À última hora organizou-se uma Cruzada do Rosário em escala nacional. Milhões de pessoas suplicavam ao Imaculado Coração de Maria que os salvassem. Uma gigantesca reunião de 600.000 mulheres marchou em 19 de março de 1964 pelo centro de São Paulo rezando o Rosário durante três horas. ‘Mãe de Deus’, exclamavam, ‘preservai-nos do destino e do martírio das mulheres de Cuba, Polônia, Hungria e outras nações escravizadas’. Em outras cidades ocorria algo similar. Goulart, o presidente comunista, escapou em 1º de abril da cidade do Rio de Janeiro, quando viu a grande onda de revolta contra si. Mais tarde fugiu do país, já que, ainda que o exército estivesse fortemente infiltrado, mais da metade dele ficou com o povo. E a sombra vermelha passou de longe pelo Brasil”.[1] Que alegria a do povo pela vitória! “No Rio de Janeiro e outras cidades […] celebrou-se euforicamente [a vitória sobre os comunistas]. Nas ruas do Rio e na praia de Copacabana reinava um ambiente de carnaval[2]. Em São Paulo, onde mais veemente foi a resistência contra Goulart, chovia confetes dos arranha-céus, e centenas de carros tocaram a buzina, realizando um verdadeiro concerto”; […] pois: “Assim foi salvo o Brasil da cubanização e de ser entregue ao comunismo”[3].
    Outros relatórios confirma a intervenção de Nossa Senhora de Fátima em socorro dos devotos do Santo Rosário diante desta grave crise política: “Toda a área estava tomada por uma crise econômica e social, mas a Igreja permaneceu firme. O valoroso Arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal de Barros Câmara, falava a cada semana no rádio para exortar o povo, prevenindo-o de que o governo estava empenhado em levar os vermelhos ao poder. O Cardeal pedia à população do Brasil que rezasse e fizesse penitência, como o pediu Nossa Senhora de Fátima, dizendo-lhes que este era o único caminho para salva o Brasil. [Alguns outros bispos brasileiros fizeram o mesmo]. Os católicos brasileiros atendendo a estas repetidas petições orientaram seus esforços à reza do Santo Rosário. Neste tempo, o governo de Goulart se tinha esquerdizado tanto e encontrava-se tão infiltrado de comunistas, que uma reversão da situação parecia quase impossível. […] Goulart enviou seus camaradas vermelhos para convencer o povo de que sua política era a correta. Seu cunhado, Leonel Brizola, um dos mais poderosos promotores do comunismo no governo, foi enviado a um importante congresso de reforma agrária na região de Belo Horizonte. Ao entrar Brizola na sala onde devia fazer usa da palavra, a encontrou apinhada de gente. Estava tão cheio o auditório que não pôde ser entendido, ensombrado pelos ruídos de Rosários e o murmúrio de 3.000 mulheres que rezavam pela libertação de seu país. Quando saiu, Brizola encontrou as ruas igualmente cheias de brasileiros em oração até onde alcançava a vista. Com raiva, abandonou Belo Horizonte. Em 19 de março, as mulheres de São Paulo bloquearam as largas ruas de seu bairro comercial com a chamada ‘Marcha da Família por Deus e a Liberdade’. Com os devocionários e Rosários em suas mãos, marchava o grande exército de mais de 600.000 pessoas, com passo firme e solene, debaixo de cartazes anti-comunistas. Uma das declarações preparadas pelas mulheres dizia: ‘Mãe de Deus, salva-nos do destino e do martírio das mulheres de Cuba, Polônia, Hungria e outras nações escravizadas’. Os espectadores qualificaram a marcha por São Paulo como ‘a manifestação com mais adesão na história do Brasil’. Nos dias seguintes planejaram-se manifestações similares para algumas outras cidades, capitais de estados [brasileiras]. Os esforços do governo para desanimá-las e as ameaças da polícia, controlada pelos vermelhos, para impedi-las, fracassaram e não puderam deter a cruzada das mulheres. A ajuda adicional dos militares e da Igreja contra o governo pró-vermelho, obrigou finalmente Goulart a fugir para o Uruguai em 1º de abril. A maioria dos funcionários comunistas por ele designados, apressaram-se a sair do país nesse mesmo dia, muitos deles a Cuba. No dia seguinte desta revolução anticomunista sem derramamento de sangue, o povo do Brasil reconheceu o que havia realmente possibilitado essa vitória: o Santo Rosário. As mulheres tinham planejado para 2 de abril, no Rio de Janeiro, outra ‘Marcha da Família por Deus e a Liberdade’. Quando um funcionário do novo governo propôs suspendê-la, sob perigo de atos violentos, as mulheres negaram-se. Uma de suas dirigentes declarou que agora a marcha seria chamada ‘Marcha de Ação de Graças a Deus’. Disse que: ‘Esta marcha vai mostrar ao mundo que esta é uma verdadeira revolução do povo – uma marcha que equivale a uma votação por uma verdadeira democracia'”.[4]
    Também os bispos brasileiros reconheceram no Rosário a arma principal contra os comunistas: “Exatamente isso me disseram os bispos brasileiros: Quem expulsou o comunismo do Brasil? Foram os cristãos, homens e mulheres, quem, com o Rosário nas mãos, saíram à rua e publicamente, em voz alta, o rezaram”.[5]
    (o texto continua no site indicado acima)

  8. Aqui em Minas quem comanda tudo é a maçonatia (Governador e maioria dos deputados) tá tudo dominado.

  9. Já estamos em corrente pelo Brasil rezando o Rosário todos os dias. Continuarei fazendo o Cêrco de Jericó e meu horario é das 9 às 10 da manhã.A oração tudo alcança quando feita com o coração!Deus quer nossa fé e total confiança.Em frente pois!!!!!

Trackbacks

%d blogueiros gostam disto: