Queimando a língua.

Na verdade, além deste duplo valor do voto nesta eleição, ele tem uma terceira tarefa: reprovar de vez o intento de instrumentalizar a religião para fins eleitorais. Este também é um expediente que precisa ser extirpado do processo eleitoral brasileiro. É urgente rasgar as máscaras de muitos fariseus, que utilizam causas e posições religiosas para fins eleitorais, pretendendo-se detentores de poderes sagrados para manipular a consciência dos eleitores. Está mais do que na hora de abolir de vez este procedimento que já está ultrapassado há séculos”

Palavras de Dom Demétrio Valentini, bispo de Jales, em artigo publicado três dias antes do discurso do Papa Bento XVI aos bispos do regional Nordeste V.

10 Comentários to “Queimando a língua.”

  1. Hahahahahahhahahaha

    Cômico. Pedro e Judas na mesma foto.

  2. O bispos ainda diz:

    “e o feitiço pode se virar contra o feiticeiro.”.

    Quem poderia ser a vítima das suas prórpias palavras?

  3. Por enquanto é só a língua mas, se continuar assim (tomara que se arrependa) vai passar o resto da eternidade se queimando.

  4. Essa besta chamada Dom Demétrio Valentini já reservou seu lugar no esgoto. Já foi descarga abaixo!

  5. Pede pra sair Dom Demétrio!

    Pede pra sair!!!

  6. O gigante gentil e o anão raivoso…

  7. Eu não acredito que um Bispo possa ver o que está acontecendo a oito anos no País,e vendo a bandalheira no governo e achar que o mesmo tem que continuar no poder. Afinal quem os Sr acha que vai comandar Ele ou Ela.

    Me perdoe

  8. E assim que esse pleito terminar, Dom Demétrio ouvirá um pouco da sua própria pregação…

    Será ainda melhor se a virada 45 acontecer, como parece!!!

    Viva a Senhora Aparecida!!!

  9. Graças a Deus temos um Pai e não padrasto, que nos Deus um representante sensato como o PAPA, Quanto ao Dom Demétrio Valentini respondera a Deus pela a sua atitude anticristã e que Deus tenha misericordia da sua alma….

  10. “É urgente rasgar as máscaras de muitos fariseus, que utilizam causas e posições religiosas para fins eleitorais, pretendendo-se detentores de poderes sagrados para manipular a consciência dos eleitores”.

    É triste, é deplorável, é repugnante ler uma afirmação dessa vinda de D. Valentini…
    Meu Deus, quem mais usou a velha máquina da dona cnbb para promover o PT?
    Quem mais usou das Paróquias para fazer panfletagem para o Lula?
    Quem tem um cargo numa das comissões de Lula em Brasília?
    D. Suíno, D. Casaldáliga. D. Mauro Moreli, D. Valdir Calheiros, D. Adriano Hipólito (falecido), D. Moacir Grechy, D. José Maria Pires, vulgo D. Zumbi, por suas “missas” macumbíferas, Cardeal Arns, D. Ervin Krautler, D. Eugênio Rixem, D. Luis Demétrio Valentini, etccccccccc, sempre misturaram seu ofício de apascentar os fiéis, segundo o mandato recebido da Igreja, com o fazer politicagem barata e festiva pela vitória do marxismo, na idéia fixa, mórbida e deformada da defesa dos pobres, dos excluídos.
    É sobejo conhecido o que esses senhores fizeram com a Igreja do Brasil. Basta olhar o rombo, o furo, a desgraça que eles, tacitamente, quando não ativamente, promoveram na Igreja Católica em nome dos pobres. Como bem foi afirmado certa feita, a Igreja optou pelos pobres e os pobres optaram pelas seitas…
    Parece que esses senhores descobriram a pólvora na decadente e horrível década de 70.
    Esqueceram-se de quantas religiosas abraçaram realmente o carisma de seus fundadores e deram a vida nos hospitais, nos asilos, nos leprosários; esqueceram-se de quantos padres percorriam quilômetros no lombo de burros e de búfalos fazendo a desobriga, dormindo, muitas vezes, quando ocorria algum acidente, no mato. Não havia essa centena de “ministérios” que há hoje que, em muitos casos, é uma desculpa esfarrapada e mentirosa para deixar o padre de papo pro ar, assistindo a televisão.
    Pois é D. Valentini, o Sr. tem razão. Quando os Bispos e os padres não trocavam por nada, por nada desse mundo, a razão de sua existência que é a CELEBRAÇÃO DA SANTA MISSA, quando as madames “religiosas” e os srs. “religiosos” não se metiam a fazer politicagem barata na máquina burocrática da dona CNBB; quando não passavam os Domingos nas casas de praia, havia vocações, os conventos eram procurados pelas (os) jovens. Hoje, por elas/eles terem traído seus carismas, por terem se tornado assessores (as) e não assessorarem nem a própria vida, as Congregações estão morrendo a míngua, muitas já fecharam centenas de casas, alugaram para hotéis, passaram para Colégios e Universidades por não terem vocações!
    Ninguém, em sã consciência, afirma que a Igreja era um paraíso antes dessa invasão impetuosa e infernal da “teologia” da maldição; claro que não; sempre houve, e sempre haverá problemas, pois a Igreja é formada por nós, filhos de Adão. Porém, antes da politização contínua do Episcopado nascido sob Paulo VI, antes do envenenamento mortal da vida religiosa e Seminários, antes da decadência intelectual horrível do clero brasileiro, a Igreja era UNA sim, não uniforme, mas UNA.
    Não se preocupe D. Valentini, seu “emprego” em Brasília, parece, que está seguro… Porém, por favor, não seja contraditório, não seja tão parcial pela sua patotinha decadente e barulhenta em extinção…
    Para completar a cena, o Sr. poderia estar beijando, de joelhos, o anel do Papa!!!