3 comentários sobre “Considerações sobre o “Ordo Missae” de Paulo VI.

  1. É certíssimo, segundo testemunhos insuspeitos, que a obra teve como mentor intelectual, Dom Antonio de Castro Mayer.
    É uma pena que não tenha sidio publicada no Brasil, e somente na França, onde era considerada um dos melhores trabalhos sobre o assunto.
    Devo acrescentar que hoje on trabalho de Arnaldo V. X. da Silveira deve ser complementado com a leitura do livro “O Problema da Reforma Litúrgica: Missa de Paulo VI e Vaticano II”, de autoria da FSSPX, onde o problema do mistério pascal é abordado.
    Ambos são de indispensável leitura.

    Curtir

  2. Esta obra tão bem embazada, apesar de esquecida, tem sua atualidade comprovada, haja vista os testemunhos atuais de vários bispos e sacerdotes de que o Novus Ordo é, em geral, fraco, e não expõe com clareza os dogmas eucarísticos conforme a Tradição e definidos dogmaticamente no Concílio de Trento. Sem julgar as intenções, conclui-se que foi composto para favorecer, ou, pelo menos, contemporizar, com a heresia protestante.

    Curtir

Os comentários estão desativados.