João Paulo II será beatificado em 1º de maio de 2011.

(Oblatvs) O Papa Bento XVI recebeu em audiência o Prefeito da Congregação para a Causa dos Santos e, no curso da mesma, autorizou-o a promulgar o Decreto relativo a um milagre atribuído à intercessão do Venerável Servo de Deus João Paulo II (Karol Wojtyła).Com a promulgação deste Decreto, nada mais falta para a Beatificação do Papa João Paulo II.

Não obstante o costume introduzido pelo atual Pontífice, ele próprio presidirá a Beatificação de seu predecessor na Praça de São Pedro em 1º de maio de 2011, II Domingo de Páscoa.

34 Comentários to “João Paulo II será beatificado em 1º de maio de 2011.”

  1. 2011 realmente entrou de pé esquerdo…

  2. E o venerável antecessor Pio XII?…
    Pode-se fazer “justiça” a um servo de Deus tão midiático, mas pode-se fazer justiça também a outro servus servorum dei que foi tão paradigmático?…
    Veremos.

  3. Creio que será mais uma beatificação midiática, do sentimentalismo promulgado pelo pobre papa: velhinho, doente e aberto as diversas culturas e religiões.
    Quem merece a beatificação para mim não é Karol Wojtyla, mas Eugênio Pacelli…

  4. https://fratresinunum.com/2010/01/25/o-milagre-de-pio-xii-e-o-papel-de-joao-paulo-ii/

    “Recordar é Viver” ou “A Fé não são `Bons Sentimentos´”

  5. Ué, mas se houve o milagre mesmo o que se há de fazer?
    entendo que tem outros na fila, eu mesmo sonho em estar vivo pra ver Pio XII e Leão XIII beatificados e quiçá canonizados.

  6. Lassance, a nota da Congregacao para a Causa dos Santos diz que o processo recebeu uma dispensa do prazo de 5 anos para sua abertura por conta da grande fama de santidade de JPII ainda em vida!

    O milagre reconhecido é justamente o do link que vc cita, que outrora teria sido descartado. Fica, portanto, a impressão de que “forçaram” o reconhecimento do milagre, assim como se tem a impressão de que todo esse processo é inteiramente “forçado” para atender a uma agenda, a da beatificação do mito, do grande propulsor dos abusos de toda espécie. Por um lado, se reconhece que prevalece nas últimas décadas a tal “ruptura”. Condena-se o relativismo e sua ditadura, fala-se de redescobrir o sagrado, lamenta-se os abusos litúrgicos e alguns falam de “reforma da reforma”. Todavia, é beatificado o grande defensor de pe. Maciel, o Papa de Assis, que será reeditada, o Papa das missas-show, o Papa-pop que melhor do que ninguém propagou a agenda da hermenêutica da ruptura!

  7. Garcia, você falou pouco, mas falou bonito: a forçação-de-barra sentimentalista popular midiática é tudo!
    Pode-se dizer que eram “os mais belos ideais”, mas sabemos que eles são insufucientes para se produzir belos e bons resultados.
    È preciso um ícone, um símbolo, um farol das idéias aggiornadas e atualizantes para se ostentar como modelo de conduta, salvando a modernidade e inspirando àqueles que querem retomar a mofina e ultrapassada Tradição: a figura do Papa JP-II se presta muito bem para isso…

  8. João Paulo II jamais poderia ser beatificado noutros tempos. Não sei da sua santidade pessoal, mas ele tentou de todos os modos possíveis dividir a Igreja Católica.
    Paz aos mortos!
    Mas sem canonização!

  9. Vergonha. João Paulo II escandalizou muita gente com o encontro de Assis, com a excomunhão de D. Lefevbre e com o irenismo de beijar alcorão etc.

    Que farsa, que absurdo!

  10. Ai Jesus, conserva minha fé!

  11. Cui bono?

  12. Teologicamente falando, as beatificaçãoes feitas a partir do Vaticano II são altamente duvidosas. A Fraternidade Sacerdotal São Pio X tem um belo estudo sobre isto. Quanto a mim, jamais terei devoção a estes santos do modernismo, como Escrivá, João XXIII, Madre Teresa de Calcutá, Joaão Paulo II e cia limitada.

  13. Os comentários do Garcia me parecem muito pertinentes. É muita rapidez para um processo de canonização. Embora ele tenha sido um papa com inúmeros méritos (o amor incondicional à Virgem Maria, a defesa incansável da vida humana, a luta contra o comunismo e o sofrimento longo na velhice enfrentado com coragem e humildade), os fatos contrários à Tradição nos deixam perplexos com essa pressa toda de beatificação.

    Ai, Taizé! Agora é que os encontros ecumênicos vão bombar por toda parte.

  14. Ai Jesus, conserva minha fé![2]

  15. Essas beatificações só agradam a modernistas em liberais eaqueles católicos pouco ou quase nada esclarecidos .

  16. Pedro,
    Não quero que me interprete mal, mas vejamos… Por que não esperar mais tempo?
    A beatificação do Papa JP2 é uma vitória para os progressistas, que o tem como santo. Não me veja como inimigo do antigo papa, mas a Igreja sempre foi prudente em canonizações. Além disso, o reinado dele foi controverso… Daí a necessidade de mais tempo para analisarmos suas atitudes.

    Se Deus é eterno e não tem pressa, porque acelerar uma beatificação?

    Questão de cautela, compreende?

    Abraços do amigo de sempre,

    Carlos Magno

  17. luis martins

    mas ate a madre tereza???

  18. PAPA PIO XII – SANTO SÚBITO!

  19. Só faltava essa!

  20. O Concílio Vaticano II ganhará um padroeiro! Finalmente um “santo” alinhado com seus ideais…

    Já se disse que o Papa Bento dá um passo em direção à Tradição e dois ao contrário dela. Acho modéstia demais: beatificando um ecumenista, nomeando um protestante para um cargo proeminente e convocando hereges, cismáticos e feiticeiros para um swing religioso em Assis… Sua Santidade engata uma ré de dois kilômetros contra a Tradição.

    Não sou sedevacantista. Sou apenas um amargurado.

  21. Essas canonizações e beatificações feitas pelos Papas padecem do mesmo vício de intenção de seu magistério liberal.

    No caso específico o próprio conceito de santidade não é o mesmo; mas deriva dos princípios da Nova Evangelização. O que Bento XVI vai fazer não é a mesma coisa que se fazia antigamente.

    Artigos e trabalhos publicados sobre o assunto

    http://www.capela.org.br/Crise/canoniza.htm

    http://www.capela.org.br/Crise/canoniza2.htm

    Aí se vê mais um motivo que mostra como é ilusório o tal do acordo prático. Podem conceder a missa tridentina exclusiva: mas qdo incluírem os “santos” modernistas ou liberais ? Vão comemorar no Missal ?

    Bento XVI prometeu fazer isso no Motu Proprio

  22. Caro Bruno tem mais:

    Não julgamento do estado de necessidade alegado pela FSSPX;
    Motu Propio Quattuor Abhinc Annos – Indulto concedido a Missa Tridentina, nunca proibida;
    Recepção do selo de Shiva na fronte;
    Reunião em Fátima para revelar “todo” segredo de Fátima;
    Afirmação de que o inferno não é um lugar, mas um “estado de espírito”;
    Proteção ao Padre Marcial Maciel dos Legionários de Cristo.

    Neste último caso, foi publicado no Frates In Unum:

    “Sob circunstâncias normais, o domínio do Papa Bento XVI da literatura alemã pode não parecer uma forma óbvia de preparação para o papado. Neste momento, porém, parece ser assim, porque Bento XVI e seus admiradores enfrentam uma escolha tirada diretamente do Fausto de Goethe: [b]a fim de salvar a reputação de Bento XVI na crise dos abusos sexuais, eles são obrigados a rever a atuação de João Paulo II”.[/b] João Paulo II e Marcial Maciel. A ação de Bento XVI. https://fratresinunum.com/2010/05/18/joao-paulo-ii-e-marcial-maciel-a-acao-de-bento-xvi/

    Sobretudo a beatificação de JPII, significará a beatificação da teologia do péssimo Urs Von Balthasar, “O pai da apostasia ecumênica”.

  23. Nossa, se até Madre Teresa de Calcutá entra na “listra negra” de alguns aqui, tachada como “santa do Modernismo”….rsrsrsrs

    A situação é mais séria do que imaginamos…

  24. Já mandei dois comentários que não foram aceitos … e não sei por que, já que particularmente acho que eram mais inteligentes do que esses comentários sem pé nem cabeça que publicam neste blog. Me pergunto … vai ai mais uma das minhas perguntas … será que vocês amam mesmo a Igreja? Pelo visto não .. já que vivem criticando negativamente o Santo Padre e os demais bispos da Igreja. Reafirmo aquilo que disse no meu primeiro comentário (que não foi aceito) …. alguns comentários que postam aqui são de fato repugnantes e lestimáveis, permeados por um fanatismo exagerado, e que com toda certeza atentam contra a autoridade do Romano Pontifice.
    Os verdadeiros perseguidores da Igreja não são aqueles que estão fora dela .. mas sim os que estão dentro …. EM NOME DE UMA TRADIÇÃO (que daquilo que li por aqui não é nada sã) SE VÊEM NO DIREITO DE CRITICAR A TUDO E A TODOS.
    Mais misericórdia … meus irmãos. Rezemos uns pelos outros.

  25. alguns comentários que postam aqui são de fato repugnantes e lestimáveis, permeados por um fanatismo exagerado,
    Postam sim, mas n é publicado kkk
    e que com toda certeza atentam contra a autoridade do Romano Pontifice.
    Graças a Deus ele n faz uso dela.

  26. Carissimo sr Ferretti!

    Por que nao aceita os meus cometários??

    Parece que vc so da espaço a quem critica ao Papa João Paulo II,QUEM SÃO VCS PARA QUESTIONAR UM PROCESSO DE BEATIFICAÇÃO??

    Pelo amor de Deus parem com comentários bobos e voltem para Igreja,Papa Bento XVI,esta fazendo um maravilhoso trabalho e seu Papado e muito positivo.

    Não sei que Igreja vcs seguem a de ROMA OU A SEM ROMA!!!

    Salve Maria!

    Francisco

    espero que aceite,pois ja envie alguns comentários e não aceitou.

  27. Peço vênia ao leitor Isaac para repetir um tópico que o mesmo comentou, e que vem muito a calhar neste momento, para responder à altura o péssimo comentário de John of God:

    Escândalo Farisaico
    O escândalo farisaico, ensina o catecismo, acontece quando uma palavra ou ação, irrepreensível em si mesma, provoca espanto e escândalo em certas pessoas tendenciosas, as quais fecham os olhos para outros fatos realmente escandalosos.
    O nome vem do procedimento semelhante dos Fariseus, dos quais Jesus disse que “filtravam um mosquito e engoliam um camelo” (Mt. 23,24). Cometiam os maiores crimes e injustiças e se escandalizavam, por exemplo, quando Jesus, para fazer o bem, não observava, como eles queriam, a lei do sábado.
    A história se repete.
    Quantos estão rasgando as suas vestes, a modo dos Fariseus, escandalizados porque Dom Marcel Lefebvre, para continuar com a Tradição da Igreja e fazer frente à heresia reinante, resolveu sagrar bispos realmente católicos!
    Mas não se escandalizaram quando João Paulo II, visitando um templo luterano, elogiou a profunda religiosidade e a herança espiritual de Lutero (17/11/1980)! Nem se escandalizaram quando, acompanhado de vários Cardeais, João Paulo II, num templo luterano em Roma, participou de um oficio herético e recitou uma oração composta por Lutero (11/12/1983)!
    Nem se escandalizaram quando João Paulo II recebeu uma delegação da maçonaria judaica B’nai B’rith, qualificando a recepção de «encontro entre irmãos» (17/4/1984) !
    Nem se escandalizaram quando, na Tailândia, João Paulo II visitou o Patriarca Budista de Vasana Tera, diante do qual ele se inclinou profundamente (12/6/1984)!
    Nem se escandalizaram quando João Paulo II enviou um representante oficial na colocação da pedra fundamental, em Roma, da maior mesquita muçulmana da Europa (11/12/1984)!
    Nem se escandalizaram quando, no Togo, ele assistiu, na “Floresta Santa”, a ritos animistas e participou de ritos satânicos em Kara, em Togoville (8/8/1985)!
    Nem se escandalizaram quando João Paulo II, na Índia, recebeu de uma sacerdotisa hindu,na testa, o sinal de “Tilak” (2/2/1986)!
    Nem se escandalizaram quando João Paulo II visitou a grande Sinagoga de Roma, onde participou da recitação de salmos (10/4/1986)!
    Nem quando João Paulo II convidava os católicos e judeus a prepararem juntos o mundo para a vinda do Messias (!) (24/6/1986)!
    Nem se escandalizaram quando, na Igreja de São Pedro, em Assis, no encontro promovido pelo Vaticano, os bonzos adoraram o Grande Lama, que para eles é a reencarnação de Buda, sentado de costas para o Sacrário, com o Santíssimo, (cf. Avvenire 28/10/1986)!
    Nem quando, no mesmo encontro, na mesma igreja, o ídolo de Buda foi colocado sobre o Tabernáculo do Altar principal e lá foi adorado por eles (cf. Avvenire e Il Mattino 28/10/1986)!
    Nem quando, ainda no encontro de Assis, patrocinado pelo Vaticano, os hindus invocaram os seus deuses sentados em torno do altar da Igreja de Santa Maria Maior (cfr. Il Corriere della Sera, 28/10/1986)!
    Quem, portanto, não sentiu profunda dor no coração ao ver assim o Sangue de Cristo ser pisado e a missão da Igreja ser traída, só hipocritamente poderá “rasgar as vestes” e “atirar pedras” diante da atitude firme e corajosa de Dom Marcel Lefebvre, levado unicamente pelo amor à Santa Igreja de Deus.
    Já dizia São Gregório Magno: “É preferível que aconteça um escândalo que esconder a verdade. Escândalo duplo seria tolerar o erro, cobrir um crime com sua desculpa para não dizer sua cumplicidade!”

  28. Bem, John of God:

    O texto acima foi colocado pelo leitor Isaac. Só que, abaixo do texto se encontrava o nome do autor, que não copiei e colei aqui.

    Chama-se Pe. Fernando Arêas Rifan, atual titular de Cedamusa, e que renegou esse texto, junto a todos os outros. Mas não adianta proceder assim, porque a verdade é gritante demais. Quis a Providência que, prevendo a queda do seu então padre, fizesse o mesmo escrever os mais irrefutáveis argumentos, para que, o próprio autor em seu futuro traidor não conseguisse derrubar as próprias palavras, que o acusam dia após dia.

  29. Concordo em genero, numero e grau com o colega acima.
    Parabens irmão, que Deus lhe abençoee..

  30. É admirável a abnegação de Madre Teresa de Calcutá em atender os doentes e pobres, mas lembrem-nos de que ela seguia os ensinamentos ecumênicos do Concílio Vaticano II: proibia que fossem batizados, em seus hospitais, as crianças em perigo de morte vindas de outras religiões.
    Eis algumas de suas heréticas declarações:
    “Quando encontramos Deus face a face e O recebemos em nossa vida, seremos melhores hindus, melhores católicos, melhores o que quer que sejamos, pois devemos aceitar a Deus da forma como Ele existe em nossa imaginação”
    “Quando se comete um aborto, destruindo uma criança que ainda não nasceu, estamos destruindo Deus.”
    “Não importa a cor, a raça, a nacionalidade ou a religião… Hindus, mulçumanos, judeus, budistas, comunistas, cristãos. Qualquer homem, mulher ou criança é um filho de Deus, do criador, e a imagem de Deus.”
    “Nós nos reunimos para agradecer a Deus pelos 40 anos de belo trabalho das Nações Unidas pelo bem das pessoas. Nenhuma cor, nenhuma religião deve nos separar, somos todos filhos de Deus”
    “Sim [recebemos ajuda de gente de outras religiões], de muçulmanos, hinduístas, budistas e outros. Alguns meses atrás, um grupo de budistas japoneses veio conversar comigo sobre espiritualidade. Eu disse a eles que jejuamos todas as primeiras sextas-feiras do mês e que o dinheiro economizado vai para os pobres. Quanto regressaram ao seu país, os monges pediram às famílias e comunidades budistas que fizessem o mesmo. O dinheiro que recolheram nos permitiu construir o primeiro andar do nosso centro “Shanti Dan” (“Dom de Paz”) para as “jailgirls” (meninas da prisão).”

    {Ela não só aceitava doação de infiéis, mas também de ditadores e milionários criminosos}

    Ela aprovou publicamente o divórcio da Princesa Diana, sua amiga.

    “não devemos ir incomodar ou mudar essas culturas: por que não se deixa um budista viver na sua fé? No fundo, Cristo já salvou a todos!”
    “Nunca procuramos converter ao cristianismo os que acolhemos. De outro lado, com nosso trabalho, damos testemunho da divina Presença. Se os católicos, os protestantes, os budistas ou os agnósticos se tornam com isso seres humanos melhores, simplesmente melhores, estamos satisfeitos”
    “Podemos nos tornar um Hindu melhor, um Muçulmano melhor, um Católico melhor”

    Madre Teresa lembrava que na casa dos moribundos, ao lado do templo de Kali, em Calcutá, cada um recebia os funerais conforme sua fé: o hindu recebe a água do Ganges antes de morrer para ser depois cremado nos gath; o muçulmano recebe funerais muçulmanos. Quem não tem ninguém, tem pelo menos as irmãs que honram o cadáver e choram por ele.
    Por ensejo da inauguração do ParlaMundi, Madre Teresa de Calcutá (1910-1997), Prêmio Nobel da Paz de 1979, felicitou o dirigente da LBV pela iniciativa: “Prezado sr. José de Paiva Netto, confio-lhe as minhas preces por todos. Que as bênçãos de Deus estejam com vocês da Legião da Boa Vontade, e que muitas pessoas conheçam o Amor de Jesus através do Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica e mantenham viva a Boa Nova de Seu Amor no mundo, amando uns aos outros como Ele nos amou. Que Deus os abençoe”.

    PRECISA ESCREVER MAIS???????????????????

  31. Já enviei os motivos em que não considero Madre Teresa um exemplo para os católicos, mas não foi publicado, infelizmente. Leiam mais sobre a vida dela, especialmente sobre suas práticas ecumênicas, e acharão os motivos.