O jovem Padre Ratzinger no fim dos anos 40.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fonte: Le Forum Catholique

Tags:

6 Comentários to “O jovem Padre Ratzinger no fim dos anos 40.”

  1. A diferença dele nos anos 40 para hoje, não é somente a dignidade pontíficia…

    Tenho visto ele se posicionando no altar de outra maneira!!!

  2. Sobre o pensamento teológico do Padre Joseph Ratzinger, confiram o artigo publicado no Sim Sim Não Não e reproduzido nesse endereço: http://ipsa-conteret.blogspot.com/2011/02/o-teologo-joseph-ratzinger.html

  3. Os irmãos RATZINGER…

    Estas fotos demonstram o exercício das ordens de Diácono e Sub-Diácono, numa Missa Nova de um provável colega de curso.

    O Diácocno = Georg Ratzinger

    O Sub-Diácono = Ioseph Ratzinger

  4. Belíssimas fotos…. Creio muito bem que o Santo Padre não está nada esquecido destes tempos.

    Oremus pro Pontifice nostro Benedicto

  5. Belo documento histórico.
    Porém, muitíssimo mais importante será documentar a atuação do jovem padre Joseph Razinger no Concílio Vaticano II.
    Nessa ocasião, ele se destacou como um do mais ardentes defensores das inovações conciliares, sustentando posições abertamente contrárias à doutrina católica.
    Posições que manteve e ampliicou em seus muitos livros, e agora em seu pontificado.
    A conduta de Ratzinger durante o Concílio hoje é escamoteada por todos aqueles que defendem a ortodoxia de Bento XVI.
    “Et pour cause”…
    Será que o Fratresinunum tem “hubris” para publicar o Ratzinger do Concilio?

  6. A atuação modernista de Ratzinger defendendo idéias contrárias à doutrina católica é notória, seja como perito no Concílio Vaticano II, seja como Cardeal Presidente da Congregação do Santo Ofício. Nesse último cargo, presidindo também a Pontifícia Comissão Bíblica, escreveu o documento “O Povo Judeu e Suas Sagradas Escrituras na Bíblia Cristã” onde nega a Divindade de Cristo ao afirmar que “A ESPERANÇA MESSIÂNICA DOS JUDEUS NÃO É EM VÃO” (II, a, 5) e que “OS CRISTÃOS PODEM E DEVEM ADMITIR QUE A LEITURA JUDÁICA DA BIBLIA É UMA LEITURA POSSÍVEL” (II, a, 7).

    emilioscherrer@hotmail.com