Foto da semana.

Sua Eminência Reverendíssima, Dom Raymond Cardeal Leo Burke, prefeito da Assinatura Apostólica, usando o Galero Romano e a Capa Magna por ocasião da cerimônia em que recebeu o Prêmio Internacional "Nulla Veritas sine Traditione". Créditos: O Atanasiano.

Sua Eminência Reverendíssima, Dom Raymond Cardeal Leo Burke, prefeito da Assinatura Apostólica, usando o Galero Romano e a Capa Magna por ocasião da cerimônia em que recebeu o Prêmio Internacional "Nulla Veritas sine Traditione". Créditos: O Atanasiano.

27 Comentários to “Foto da semana.”

  1. Esse sim é um verdadeiro defensor da Tradição.

  2. Todos os dias eu rezo para que o Cardeal Burke seja o próximo Papa…esse sim é homem para enfrentar essa corja progressista que aí está! Querem deixar a Igreja, pois que deixem!

  3. Sei que estamos na quaresma, mas isso merece um forte GLOÓRIA IN EXCELSIS DEO!!!!!!
    Tremam modernistas!

  4. Gostei. Chamo a atenção para o otimismo que nos gera uma foto assim. A foto da semana não precisa ser catastrófica, está provado. Mas convém ressaltar que a essência do atual “movimento” pela Tradição católica não está na veste externa. Dom Hélder Câmara, por exemplo, não andava sem sua “tradicional” batina. E não adiantaria Dom Hélder estar sempre com todos os paramentos e acessórios para ser Tradicional. Não é o caso do purpurado acima, um exemplo a imitar.

  5. Celso Farias, eu gostaria que Dom Malcolm Ranjith fosse o próximo Papa.

    Mas não fomos nós que decidimos não é mesmo. Deixemos que o Espírito Santo escolha o melhor para o bem da Santa Madre Igreja.

    No geral: Temos que continuar rezando para que o próximo Papa seja o da restauração.

  6. que há de tão espetacular nessa foto?
    se usar roupas pomposas for a “tradição”..então…
    pra que serve esta vestimenta???
    em que usar um chapeu demode pode santificar alguem ou anunciar o evangelho???

  7. FENOMENAL!!!

  8. Calma pessoal!
    O próximo Papa é bom que seja aquele que ajude na restauração mas o Bento XVI está aí ainda. Não adianta olharmos o Papa como técnico de time de futebol, não deu resultado, então troca!
    Entendi que estão apenas comentando…mas vamos rezar pelo Bento XVI porque Deus pode operar um milagre a qualquer momento. Bento XVI é modernista sim, mas talvez nem o momento da Igreja aguente um Papa “da Tradição” mesmo…só Deus sabe o que faz, o que permite…

  9. Maria Isabel,

    O espetacular da foto é além da pessoa do Cardeal Buker as vestimentas eclesiásticas que ele está usando.

    A título de conhecimento: A capa magna é um amplo manto de até 24 metros. Os bispos usam-na em seu território nas ocasiões mais importantes junto com vestes corais. Ela é presa sob a murça e sua parte posterior é segurada por um acólito que recebe o nome de caudatário. A capa magna é símbolo significativo de solenidade e jurisdição.
    FONTE: SALVEM A LITURGIA

    Afirmo, prezada Maria Izabel, que o exterior deve refletir o interior das pessoas… Padres e Bispos com vestes impróprias por fora demonstram o vazio de dentro…

    E você? Tem se vestido de forma apropriada para uma dama?

    Boa semana!

  10. Viva! A Tradição Católica e a Igreja estão salvas! Todos estamos salvos!

    Dom Burke usa o Galero Romano!!!

    Ah pelo amor de Deus, gente…
    Acordem!

    A Igreja Oficial está cada vez pior…

  11. Se fosse o Espírito Santo que escolhesse os Papas, eles seriam eleitos sempre na primeira votação.
    Além disso, creio que, nesse caso, alguns papas não teriam sido eleitos…

  12. Calmaí pessoal! Nem oito nem oitenta. Os bispos, cardeais e o Papa quando usam suas vestimentas protocolares, ou são cercados de reverências externas, não é pela SUA pessoa, mas a quem eles representam. Quando falamos Palácio Episcopal, é porque ali está um sucessor dos Apóstolos.

    A cantilena da simplicidade externa foi a porta de entrada para o despojamento, beirando a vulgaridade hoje presente na Liturgia.

  13. Israel TL: “Se fosse o Espírito Santo que escolhesse os Papas, eles seriam eleitos sempre na primeira votação”

    Se Israel TL entendesse de doutrina católica não teria dito esta bobagem.

    “O Espírito Santo guia a eleição do Papa, não no sentido de que inspire diretamente os Cardeais, (o que é só possível), mas sim de que permite que seja eleito um bom candidato, como uma graça para Igreja e para o povo fiel. Mas também, por vezes, permite ser eleito um péssimo candidato, para castigo dos fiéis. O Espírito Santo se aproveita da bondade ou da malicia humana, para premiar ou castigar a humanidade, permitindo a eleição de um Papa santo ou sábio, ou a eleição de um cardeal péssimo.”
    (Orlando FEDELI, ‘Há um Cardeal Excomungado. Seria ele um brasileiro?’. Em: http://www.montfort.org.br/index.php?secao=veritas&subsecao=igreja&artigo=cardeal_excomungado&lang=bra)

    “A eleição do Papa é guiada pela Providência, mas isso não quer dizer que a eleição seja infalível e que o eleito é o desejado por Deus. O Papa é eleito pelos Cardeais, depois de grandes discussões e arranjos, porque em toda eleição humana é assim. Deus permite que seja eleito um Papa santo para bem da Igreja, como permite a eleição de um Papa mau, para castigo do povo, quando esse povo merece castigo.”
    (Orlando FEDELI, ‘João XXIII herege?’. Em: http://www.montfort.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=papa&artigo=20050818195832&lang=bra)

  14. Dou os parabéns a Sua Eminência…
    Louvado sejas , Senhor!

  15. João Magro em 11:33 am

    IRREFUTÁVEL !

  16. Israel TL,

    O comentário que você fez, foi guiado pelo Espirito Santo, nem um pouco, só um pouco, ou totalmente? Voce saberia ao menos dizê-lo? Se um pouco talvez tivesse escrito mais, se totalmente talvez não tivesse nem feito seu comentário. Eu não sei.

    O ponto é que pode ser que o Espirito Santo esteja iluminando o cardeal durante a escolha, mas o cardeal, por ser pecador, não abra tanto os ouvidos para tal ajuda. Perfeitamente normal.

    Por isso, pode ser que o Espirito Santo tenha inspirado para que um Papa bom fosse escolhido. Os cardeais ignorando, podem ter escolhido um outro ruim, mas não qualquer ruim dentre os candidatos ruins, mas sim um ruim especifico. Ora, esta escolha pode ter sido novamente influenciada pelo Espirito Santo, justamente porque Deus pode punir o povo com maus governantes. Assim como há o bom candidato na medida certa dos méritos de um povo há um candidadto ruim especifico para cada povo, tudo numa medida que somente Deus sabe…

    Por isso sua consequência-causa não parece ser tão clara e óbvia…

  17. Pode haver até uma refutação:

    “Ué, mas se o povo está ruim, não há porque se eleger um Papa bom, Deus vai querer punir…”

    Pois é, veja no caso de Nossa Senhora de Fátima. Em suas mensagens se diz claramente que todos sofrerão muito, todos pereceram A NÃO SER QUE sejam feitas algumas coisas, algumas condições sejam cumpridas. Um castigo pode dar lugar a benção dependendo da penitência de um povo, dependendo de seu reconhecimento dos erros. Da mesma forma, Deus está sempre preparado pra tudo: Para nos perdoar, para nos dar um bom governante, uma péssimo governante, para salvar o bom ladrão como para arrasar um cidade inteira com catastrofe natural. Deus pode mudar suas ações de acordo com o comportamento do povo, inclusive de cardeais.

    Uma situação bem hipotética: Se todos os cardeais hoje resolvessem apoiar 100% o Santo Padre, e os cardeais ruins (maçons ou comunistas) resolvessem realmente se comportar como católicos, reconhecendo os erros etc, e se isso ainda se espalhasse para os Bispos. Eu não posso pensar diferente, de que Deus encheria a Igreja de bençãos por isso.

  18. perceram = perecerão

  19. A título de PURA E MERA CURIOSIDADE, a “profecia” de São Malaquias Abade (eu disse “curiosidade”) afirma que depois do “penúltimo” papa, identificado em Bento XVI, “Glória da Oliveira”, o último seria um estrangeiro (vindo de longe) que, por seu apego à Fé católica romana (e seu desprezo pelas “fés regionais” que surgiram do Concílio) seria chamado “Petrus Romanus”, e seria morto justamente por batalhar pela Fé romana. Ao meu ver, as suspeitas dessa “profecia” tão em moda hoje recaem sobre o norte-americano Raymond Leo Burke, o espanhol Cañizares Llovera, dom Malcolm Ranjith, do Sri Lanka ou mesmo o cardeal Zen, do Taiwan (que celebra exclusivamente a Missa gregoriana). Mas só Deus sabe!

  20. Desculpem, reconheço que sou imensamente menos sábio do que qualquer um de vós. E agradeço muito por terem a caridade para me corrigir.

    No entanto, o que eu quis dizer exatamente foi que o Espírito Santo não escolhe diretamente os papas. É óbvio que ele guia as obras da Igreja, especialmente em se tratando da eleição de um Papa.

    Como estava no texto de João Magro copiado da Montfort, “nem sempre o eleito é desejado por Deus”.
    Portanto, ainda que o Espírito Santo permita ou guie os cardeais a escolher um Papa diferente do desejado por Deus, não é ele que o escolhe diretamente, como foi minha intenção colocar através do meu comentário (que talvez tenha sido inspirado pelo Espírito Santo para que uma boa alma viesse e me corrigisse, e eu aprendesse).

    E se um Papa mau é eleito para castigo do povo, então temos que pensar antes em sermos melhores para merecer um Papa bom, e só depois criticarmos tanto o Santo Padre.

    Que a Virgem Santa vos abençoe a todos!

  21. Caro Pedro Pelogia, se juntarmos a profecia de São Malaquias, o sonho de Dom Bosco e o 3º segredo de Fátima, podemos ter uma visão ampliada de ambas.

    No sonho de Dom Bosco, um Papa desata a grande nau das duas colunas. A divisa que a profecia de São Malaquias da a João XXIII é “Pastor et Nauta”.

    No 3º segredo se vê um Bispo vestido de branco, saindo da cidade em ruínas. Já na profecia de São Malaquias, Roma será arruínada no pontificado de “Petrvs Romanvs”. Se a profecia de São Malaquias é verdadeira, o próximo Papa, será o Papa de Fátima.

    Gostei da interpretação para o Petrvs Romanvs. Curiosamente, o estrangeiro pode ter o mesmo significado que a brancura, no segredo de Fátima. Neste sentido, poderia ser até mesmo um Bispo da FSSPX. Isto pode ser considerado absurdo, mas o que é impossível para os homens, não é impossível para Deus. Claro que são conjecturas, mas que existe uma certa harmônia entre o sonho, a profecia e o segredo, isto existe.

    Fique com Deus.

    Abraço

  22. Mas Pedro, segunda a “profecia” de São Malaquias–que não é de autoria dele–, o Papa cognominado como “Petrus Romanus” seria o último. Logo após viria o fim do mundo.

    Li muito sobre essa profecia, porque antes de me converter de uma Fé medíocre e mal orientada para a Fé de sempre eu tinha esperança de que ela fosse autêntica. Mas não me recordo de que “Petrus Romanus” fosse um Papa de ilibada ortodoxia, e ainda por cima mártir. E até me soa ruim esse nome, pois nenhum Papa se deu o nome de ‘Pedro’ por respeito e humildade para com aquele que sucede. Então eu tinha a impressão de que a profecia indica ser um anti-Papa ou o Papa que iria apresentar o Anticristo ao mundo.

    De qualquer modo, sabemos que a profecia é falsa, mas não deixam de ser curiosas estas especulações.

  23. Bem, como dizem os populares: “O povo tem os governantes que merecem”.

    Quanto às vestes do Cardeal Burke, trazem alguma alegria se considerarmos a trajetória do mesmo cardeal, sua ascendência, a confiança que a Santa Sé deposita no mesmo, e a sua inegável simpatia por grupos conservadores ou tradicionalistas. Quando ele era arcebispo de São Luis, lembro que uma vez vi uma foto dele num congresso da TFP americana, e o mesmo é amicíssimo do Instituto Cristo Rei.

  24. Bento XVI trouxe uma moda retrô que é muito bonita, e que claro, é seguida por seus prelados.
    Nostalgia vazia que não tem raiz.
    É como certa vez, ouvi de um padre que rezava uma motu-missa para algumas velhas irmãs:
    “E aí, deu para matar a saudade?”
    Saudade, um canto gregoriano bonito, vestimenta chique, latim para decorar, fumacinha que sobe…
    É um passar de mão na cabeça dos tradicionalistas do tipo “fica quietinho aí que eu tô de olho em você”.
    Isso não resolve nada e só ilude que quer ter esperança, do que adianta um galero, uma capa, se são as mentes, corações e almas que estão ensopadas pelo erro do modernismo.
    Nesses dias, um vermelho de uma capa magna é o vermelho do merthiolate que tenta curar um câncer que já tomou quase todo o corpo da Igreja.É preciso enfiar a faca com precisão e coragem…e sem anestesia.
    Nosso Senhor quando voltar, não vai avisar e também não vai ser aos poucos, não vai ser como uma “longa curva de navio”.
    Vai ser uma guinada violenta e não vai dar tempo de …saudades.

  25. João Magro, a profecia enquanto profecia, não pode ser desprezada. Se é falsa ou não, saberemos quando o próximo Papa assumir o pontificado. Mas não deixa de ser “curioso” que a divisa “De labori solis”, apareça em uma obra de Virgílio, como “Do Eclipse do sol”. Muito mais curioso é que no dia da morte de JPII, houve um Eclipse solar.

    O “Petrvs Romanvs” tem haver com o império romano espiritual de que fala Santo Tomás. Não é propriamente utilizar-se do nome de São Pedro, mas identificar a paixão deste Papa, pela fé romana, como disse o Pedro Pelogia. Não tem absolutamente nada haver com um anti-papa. João XXIII recebeu a divisa de “Pastor et nauta” e interpretaram a divisa pelo fato dele ter sido patriarca de Veneza. Mas foi ele que convocou o evento que soltaria a grande nau das colunas do sonho de Dom Bosco.

    Já São Pio X recebeu a divisa “Ignis Ardens” e não foi assim de fato?

  26. Não é necessário esperar para sabermos se é verdadeira. As indicações dos Papas do passado, bem como as evidências históricas, demonstram que se trata de uma profecia apócrifa, à la Nostra Damus, isto é, estruturada de maneira que permita N interpretações e N coincidências.

    “A chamada “profecia” de São Malaquias é falsa.

    Por ela seria possível conhecer, pelo menos bem aproximadamente, o fim do mundo, coisa que Jesus disse que nenhum homem sabia.

    Depois, é sabido que São Malaquias viveu seus últimos anos no mosteiro de São Bernardo, em Claraval. São Bernardo escreveu a biografia desse santo, e não faz nenhuma referência a essa famosa profecia.

    Sabe-se ainda que ela tem indicações de nomes de papas muito precisamente até o século XV. O último nome bem indicado é o do Papa Piccolomini (Enéas Silvio Picolomini, Pio II) indicado pela expressão “de parvus homine”, sobre o homem pequeno, que, em italiano se diz Piccolomini… Depois desse Papa, as expressões latinas dessa “profecia” se tornam extremamente vagas e gratuitas. Tudo isso indica que se trata de uma falsa profecia.”
    (Orlando FEDELI, ‘Segredos de Fátima’. Em: http://www.montfort.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=outros&artigo=20040806144605&lang=bra

    Ou então veja este bem fundamentado artigo: http://www.digitusdei.com.br/2010/11/profecia-de-sao-malaquias-e-apocrifa.html

  27. Caro João Magro, todas as profecias admitem N interpretações e coincidências e só são compreendidas em caso de cumprimento. Não havendo este cumprimento, ai sim pode se dizer que se tratava de um falso profeta, que fez uma falsa profecia. Portanto, isto não é o suficiente para se desqualificar uma profecia, mas é o bastante para se matar um profeta. Também até onde se sabe, não existe um juízo formal do magistério sobre está profecia.

    Quanto a interpretação do Prof. Orlando, na mesma medida vai a profecia de La Salete:

    “Roma perderá a fé e se tornará a sede do anticristo”.

    No caso do cumprimento disto, se tem um último Papa, até que se resolva a situação. A profecia de São Malaquias poderia indicar isto, não o fim do mundo. Então, teria Nossa Senhora profetizado o fim do mundo e Pio IX teria aceito esta profecia?

    Fique com Deus.

    Abraço

    Gederson

    Outros textos sobre a profecia de São Malaquias:

    http://beatimonoculiinterracaecorum.blogspot.com/2009/10/sao-malaquias-e-os-papas.html

    http://casadesarto.blogspot.com/2009/10/san-malaquias-y-el-ano-2012.html