Decotando o desleixo.

Folha de S. Paulo – domingo – 3.4.11 – Caderno Ilustrada

O padre Michelino faz campanha contra o uso de roupas inapropriadas ou escandalosas na tradicional igreja Nossa Senhora do Brasil, em SP O padre Michelino Roberto, da igreja Nossa Senhora do Brasil, na avenida Brasil, uma das mais requintadas de São Paulo, está em uma feroz campanha pelos bons modos de seus fiéis. Ele está incomodado com pessoas que vão de bermuda e chinelo às missas, falam ao celular e, nos casamentos, exibem busto e costas em decotes exuberantes.

“Estou, sim, numa campanha, tentando formar a consciência dos fiéis para se vestirem bem, de forma adequada a uma cerimônia sagrada. Já me senti constrangido de ver no altar pessoas usando decotes excessivamente ousados”, diz ele.

Nos casamentos, o negócio “pega pesado”, segundo o religioso. “Porque aí entra a ditadura da moda, a ditadura da malhação, em que a pessoa, para valer alguma coisa, tem que ter um corpo vistoso. A gente impôs algumas regras e temos pedido aos noivos que conversem com seus padrinhos e convidados para virem vestidos de forma que respeite a virtude do pudor”, diz o padre à repórter Thais Bilenky.

No Vaticano, lembra Michelino, seguranças impedem que pessoas vestidas com regatas ou bermudas entrem nos templos. “O brasileiro já é, culturalmente, mais desleixado. Ele vê a igreja como uma extensão da casa dele, cê tá entendendo? Ele tem um tal nível de familiaridade que acaba vindo de uma forma inadequada.”

Há alguns dias, Michelino estava organizando um evento no Jockey Club de SP e um de seus funcionários foi impedido de entrar no restaurante local porque estava de bermuda. “Caiu a ficha! Eu estava pegando leve na igreja”, lembra o padre.

Muitos fiéis têm ido às missas de sábado e de domingo de bermuda, chinelo de dedo e camiseta. “Você percebe que o cara depois vai para o clube numa boa.” A paróquia fica no Jardim Paulista, perto dos clubes Pinheiros, Paulistano e Harmonia. “Olha, o verão tá chegando. Cuidado com o modo como você vem vestido [à igreja]”, repete o pároco durante as celebrações.

6 Comentários to “Decotando o desleixo.”

  1. Eta padre porreta, sô. Antigamente mulher usava véu na igreja. Havia absoluto recato para receber a comunhão. Hoje as mulheres vão seminuas e homens vão de camiseta regata, com aquele tufo de cabelo
    no sovaco. É a Igreja moderna. Tudo é válido. Tudo é permitido. Até sincretismo religioso pode, em nome do “ecumenismo” de uma via só.

  2. Parabéns ao padre Michelino.

    Certos homens e mulheres vão bem vestidos a bares de esquina e festinhas e no entanto vão a missa com roupas de banho,como se a casa de Deus fosse um clube de campo!

  3. Que evento o padre Michelino estava organizando no Joquei Club de São Paulo?

  4. gostei muito da posição do padre quanto ao desleixo no vestir dentro da Igreja assim como ninguém pode entra num tribunal de justiça e no fórum sem trajes adeguado a Igreja não foge regra para às celebrações os trajes
    também deve estar adequado. parabens ao padre por esta iniciativa e parabens também a Folha de São Paulo por publicarem tal notícia,

  5. Parabéns ao Padre Michelino !

    Que outros tomem a mesma atitude.

  6. Parabéns ao Padre Michelino!!

    Isso deveria (melhor seria dizer deve) ser feito em todas as igrejas do mundo.
    E mais: Não disse o Apóstolo ´E os que temos por menos nobres membros do corpo, a esses cobrimos com mais decoro; e os que em nós são menos honestos, os recatamos com maior decência´, na 1a. aos Coríntios, cap. 12, vers. 22 ?
    Há 10 anos, mais ou menos, li num jornal de Curitiba as palavras de um reverendo (não sei se católico ou protestante): Se a roupa não serve para ir à igreja, não serve para ir a lugar nenhum.
    É isto mesmo! Pois, também afirma um dos livros do Antigo Testamento (li-o há muito tempo, mas não retive em qual está escrito), mas ficou-me a frase: ´A beleza da mulher é para seu marido.´ É isto. Se é para o marido dela, não é para ninguém mais.
    E por que é que estamos assistindo a esse paroxismo de ´sexolatria´, com todas as suas consequencias nefastas? É porque a moda imoral tomou conta, difundindo essa nova idolatria, a ´sexolatria´. De um predicado, de uma função reprodutiva dentro dos sagrados liames do matrimônio cristão, com todas as regras sabiamente ditadas pela Igreja Católica, quando exacerbado e extrapolado dessa função dá em idolatria… a serviço de satanás e contra o Criador.