Por que é tão difícil converter os ortodoxos?

“Você já se perguntou por que é tão difícil converter os ortodoxos à Igreja Católica? Certamente, há problemas teológicos e doutrinais a superar, mas também não há nada a mais?”.

Missa “presidida” em março de 2011 pelo senhor bispo auxiliar Dom Gabino Zavala, por ocasião do Congresso para Educação Religiosa da arquidiocese de Los Angeles.

Tags:

35 Comentários to “Por que é tão difícil converter os ortodoxos?”

  1. Está tudo muito dificil para a Igreja Católica. Inacreditavel o estado das coisas; a Santa Igreja mais parece o Brasil de hoje em que nada de bom emplaca com força. É uma situação muito triste.

  2. Os ortodoxos têm um grande zelo pela liturgia.

    Já tantos padres e bispos católicos, não todos é claro, estranhamente tem uma concepção tão erronêa de liturgia!

  3. Este video me vez aumentar ainda mais a aversão a deforma da missa, ao modernismo e a destruição perpetrada em nossa Igreja pelo CV2.

  4. É uma tristeza muito grande. O descaso pela Sagrada Liturgia é uma chaga aberta no coração da Santa Igreja.

    Rezemos, rezemos, rezemos. E também denunciemos os abusos e os sacrilégios.

    Que a Virgem Santíssima tenha misericórdia destes filhos que fazem da Santa Missa um show de muito mal gosto.

  5. Vejam que eles teoricamente estariam mais perto de retornar a Grei e não retornam, ainda mais com essa bagunça litúrgica.

  6. Os ortodoxos. E os sedevacantistas, e os sedeprivacionistas, e os… Mas todos precisam se converter.

    Belo vídeo dos redentoristas de Papa Stronsay!

  7. A Igreja Católica precisa REERGUER-SE antes de tentar cooptá-los, e aos judeus, e aos ortodoxos sob qualquer demoninação, e aos infindos grêmios protestantes, e a todos os outros que virão antes do fim. Mas só poderá se levantar-se quando os padres todos tomarem jeito, visto que alguns ainda não foram sequer convertidos.

    Surge, pois, um problema: como conciliar essa melhora com o final, que parece (podem rir-se) próximo? Algo do Céu deverá se manifestar, sem ser esperado, alguns vão tomar como divino, outros como fato cietífico perfeitamente explicável. Talvez, o medo os faça ler os sinais já há muito evidentes! Não temos muito tempo pra esperar — ajeitemos logo a vida. Cuidemos.

  8. apesar de tudo me parece que a liturgia de rito oriental não tem rubricas, nem é tão precisada quando a roma, mas mesmo assim eles matem uma linha constante nos ritos.

  9. Alguém saberia explicar o sentido do Sinal da Cruz? Existe algum documento/orientação de como ele deve ser feito pelos fiéis?

  10. Eu estou convencido que o Papa Bento XVI tem total conhecimento do fracasso que se tornou essa nova missa de Bugnini , mas ele não pode logicamente dizer isso abertamente e condenar esse rito pois isso não seria prudente . É melhor um cisma silencioso do que escandaloso , mas com a Missa Tridentina paulatinamente as coisas dentro da Igreja entrará no eixo .

    Quanto mais eu leio sobre a Missa Tridentina , (pois faz pouquíssimo tempo qe conhecí a tradição,) mas eu percebo que essa missa de paulo VI se afastou muito do sentido sacrifical que é a missa. Eles conseguiram em pouco tempo dessacralizar quase que completamente a liturgia .

    A renovação carismática tem uma parcela muito grande de culpa nesse processo de destruição da lituriga pois transformaram a missa numa festa num show com suas palmas gritos danças e invencionices. Na verdade a RCC nasceu da histeria pentecostal pois isso suas missas nada lembra a Missa Catolica que é a renovacao incruenta do sacrificio de Jesus no calvario feito pelo mesmo cristo na pessoa do sacerdote .

    Quem conheçe a Missa Tridentina e sua teologia totalmente voltada para o sacrificio de Jesus e suas orações milenares e toda a beleza da liturgia não deixa mais de frequentá-la .
    Não frequento mais as missas novas , não digo para não frequentarem apenas digo para conhecerem a Missa Gregoriana e sua teologia e estudar … só isso é suficiente para a pessoa naturalmente se afastar da missa nova ..

    A Verdade vos Libertará”. (João 8:32).

  11. Penso que o grande entrave ao retorno dos ortodoxos à Igreja Católica seja a balburdia na liturgia atual.
    Eles jamais hão de compactuar com uma missa celebrada nos moldes de uma RCC.
    E a missa promovida pelos carismáticos a cada ano que passa se assemelha e muito a um show mundano para jovens descolados…
    Jovens alegres, coloridos e barulhentos.
    É a missa “Restart”…
    Meu Deus!
    E nosso Bento XVI que a exemplo de JPII, tanto investe no ecumenismo, bem que poderia investir no retorno dos ortodoxos.
    Esses ao menos, tem respeito pelo sagrado.
    Olegario.

  12. Fernando ,tem e muitas! até mais que nosso Rito, só procurar ver mais divinas liturgias que vai notar isto.

  13. Hummmm…será que o problema litúrgico tem tanto peso assim nessa questão específica? Não aconteceria com os ortodoxos a mesma coisa que já acontece com as igrejas orientais que obedecem Roma, como os melkitas e outros, que mantém os seus ritos próprios?

  14. Sao todos cismáticos, um lado declarado e outro, no armário !

  15. Everybody clap your hands!!!!!!

    Poxa! Por que parou,parou por quê?
    O bispo estava entrando num balanço legal, eu queria ver o resto.

    Oh Yeah!!!!

  16. Não venho defender os abusos litúrgicos dos carismáticos, que são abomináveis. Mas o fato é que a deturpação do sentido sacrifical da missa e o completo desrespeito pela liturgia romana começou antes com o pessoal da TL e, antes deles, com os modernistas pós-CVII .

    O pessoal da RCC cresceu conhecendo apenas o tipo de missa da TL, celebrada de qualquer jeito. O que fizeram foi continuar com essa missa (onde podem ser inseridas novidades, e daí inseriram a oração em línguas e outras coisas do movimento no meio), e trouxeram de volta elementos plenamente católicos, como a presença real de Cristo na Eucaristia e a substituição dos cantos marxistas da TL. É claro que aí inseriram os seus cantos, mais católicos que os da TL, porém em sua maioria inapropriados para a liturgia.

    O problema da RCC é que como ela atrai muito o povão, levou o alcance desses erros muito mais longe. Mas que a deturpação já havia começado bem antes, isso já havia. Quem sabe a coisa estaria muito pior se a TL não tivesse sido freada pelo movimento carismático. Vai saber…

  17. Rá! Viva a plena comunhão da primavera conciliar da hermenêutica da continuidade.

  18. Concordo que a maioria das nossas missas são celebradas com uma liturgia muito pobre, e que os ortodoxos em geral valorizam muito suas cerimônias.

    Mas não acho justo comparar o melhor que eles têm (celebração de Sexta-feira Santa) com o pior que nós temos (aquilo que está no vídeo). Perderemos sempre.

    Apesar disso, a mensagem do vídeo é bem propícia para a situação atual.

  19. O diácono me lembra aqueles famosos vídeos dos pastores “Street-fighter”…

  20. Também penso que não é a liturgia o entrave para a conversão dos “ortodoxos”.

    Eles já teriam retornados à Igreja muito tempo atrás e poderiam manter o seu rito, liturgia,etc.

    O lado positivo é que o Cardeal Mahony já saiu de L.A.
    Aguardemos….

  21. Por fim, The book is on the table.

  22. Shake your body, yeah!!!!
    Shake your body, yeah!!!!
    (everybody)
    Shake your body, yeah!!!!
    Shake your body, yeah!!!!
    (everybody)
    Oh yeah!!!!!

  23. “Deixe libertar a franga que existe dentro de você!” – Eis aí a Gnose Carismática.

    Contrário à Gnose Carismática é:
    “Se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me.”(Mt 16, 24).

    O Concílio Vaticano II definiu que a Tradição da Igreja progride (cf. Dei Verbum, n.8), logo aquilo que regride ou que é decadente só pode ser ruptura com a Tradição da Igreja. Ora, quem não percebe que a decadência dessas celebrações carismáticas, como de Los Angeles, é evidente?
    É claro que aquilo que está contrário ao Senhor não pode está em conformidade com a Sua Igreja.

  24. Israel, a questão é que o “melhor que eles têm” é para eles algo ordinário… enquanto que o nosso melhor é extraordinário…

  25. Roberto

    É tão difícil quanto converter os islâmicos, pelo simples fato de que é muito difícil converter seguidores dessas heresias.

    Só Deus tem esse poder: haverá o momento certo em que Deus fará surgir lírios no meio do lodo, como certa vez fez para destruir o manequeísmo com São Pedro de Verona.

    São Pedro de Verona, rogai por nós e pelos hereges.

  26. A questão da conversão dos Ortodoxos vai bem mais além do Rito, porém é óbvio que a Missa Nova, digo bem mais precisamente essa missa nova (que não segue as rúbricas) esquisita e indiferente a presença de Deus ajuda muito.

    E essa ajuda da não conversão, não se estende só aos ortodoxos, se estende também as pessoas comuns, que usam seu intelecto de forma bem racional, e apesar de desejarem a conversão e o retorno para casa não ousariam adentrar uma igreja que mantém um rito esdruxulo, com “ministérios de música” cantando canções romanticas disfarçadas de religiosas e no palco (pulpito?) um sacerdote mandando todos levantarem as mãos e louvarem ao senhor…. baterem palmas como se estivessem num jardim de infancia.

    Afinal, o que uma pessoa de reta intenção, inteligente, desejosa da conversão, querendo sinceramente conhecer a fé católica iria fazer numa missa tipo Pe. Marcelo Rossi?

    Num tal de mexe a cadeira, bate palma, dá três pulinhos e coisas do tipo?

    é muita imbencilidade para um cérebro em perfeito estado de saúde mental.

    qualquer pessoa com um mínimo de bom senso, ou muita falta de piedade, passa longe na hora.

  27. Amigos(as),

    Acho que depois de assistir o vídeo, ouso dizer com certo sarcasmo que o título do tópico deveria ser: “Porque raios d`água os ortodoxos se converteriam a essa Igreja?????”

    Em Cristo,

  28. Marco
    julho 13, 2011 às 8:37 am

    Israel, a questão é que o “melhor que eles têm” é para eles algo ordinário… enquanto que o nosso melhor é extraordinário…( 2 )

  29. Não vou comentar. Sairia um sem-fim de amargura das minhas palavras…

  30. Se forem analizar somente a questão LITÙRGICA:

    “Porque raios d`água os ortodoxos se converteriam a essa Igreja?????” (2x)

    desgraçadamente é isto mesmo…

    Olegario

  31. Marco (e Ana Nunes):

    Você(s) tem razão.

    Infelizmente, a realidade é essa mesma.

    Abraços

  32. do jeito que nós estamos queira Deus que eles nunca se convertam ao catolicismo pós conciliar!
    vendo a deles vejo que o nosso paradigma litúrgico está no subsolo.

  33. Clauber,

    Não conheço documentos, mas o prof. Orlando Fedeli escreveu sobre essa questão certa vez:

    “Os ortodoxos fazem o sinal da cruz da direita para a esquerda, e com três dedos unidos. Isto significa que a cruz, primeiramente, visa os bem-aventurados, que estarão à direita de Cristo (foi o que ouvi certa vez), enquanto os três dedos unidos signficam as três pessoas da Santíssima Trindade numa só substância. Nós, latinos, fazemos o sinal da cruz da esquerda para a direita, para representar a conversão. Ambos são símbolos válidos.”

    http://www.montfort.org.br/old/index.php?secao=cartas&subsecao=doutrina&artigo=20050118221224&lang=bra

  34. Concordo plenamente com o Heitor…

    “Porque raios d`água os ortodoxos se converteriam a essa Igreja?????” e poderia acrescentar várias e várias coisas(…)

  35. Não precisava tanto: bastaria comparar o rito milenar de São João Crisóstomo seguido pelos ortodoxos com qualquer celebração “limpinha” da liturgia de Paulo VI para se constatar a inferioridade litúrgica disto em relação àquilo. E o mais impressionante e amargurante é que os cismáticos orientais são os mais ecumenicamente amados e desejados pelos “católicos” modernistas, tidos como “cristãos originais” que foram capazes de CONSERVAR AS TRADIÇÕES (!!!) dos primeiros séculos, vistos como a Igreja mística que não se maculou com inquisição, “venda” de indulgências e escravidão de negros. Os “católicos” modernistas exaltam hipocritamente a tradição litúrgica e a mística oriental, mas fazem um verdadeiro derruba na ocidental.
    O desmazelo litúrgico sempre indica desmazelo doutrinário, mas o zelo litúrgico nem sempre indica zelo doutrinário, ao contrário do que pensam os neoconservadores. Os ortodoxos também têm seus dilemas modernos, não tão graves quanto os nossos, evidentemente. Entre eles há ecumênicos (bem poucos), inovadores e, de modo impressionante, também há TRADICIONALISTAS entre eles, destaque para a Russian Orthodox Church Outside Russia (ROCOR), um dos doze cismas do Patriarcado de Moscou. O Patriarca de Constantinopla atual é envolvido com o Greenpeace e com campanhas ambientalistas, coisa que atrai a aversão dos ortodoxos mais conservadores.