Mais de 300 padres austríacos se unem à iniciativa ‘Conclamação à Desobediência’. Schönborn está chocado!

Catholic Culture – Tradução: Fratres in Unum.com | Mais de 300 dos 4.200 padres da Áustria pediram para tomar parte na Aufruf zum Ungehorsam (Conclamação à Desobediência), uma iniciativa lançada em junho.

A Conclamação à Desobediência cita “a recusa romana de uma reforma da Igreja que já deveria ser feita há muito tempo e a inação dos bispos”. Os padres que apóiam o documento pedem:

  • oração pela reforma da Igreja em cada celebração litúrgica, uma vez que “na presença de Deus há liberdade de discurso”;
  • que não se negue  a Santa Eucaristia a “crentes de boa fé,” incluindo cristãos não católicos e àqueles que recasaram fora da Igreja;
  • que se evite oferecer Missa mais de duas vezes no domingo e domingos e dias santos e que se evite fazer uso de visitas a padres – realizando em vez disso uma “auto-designada” Liturgia da Palavra;
  • que se descreva a tal Liturgia da Palavra com a distribuição da Santa Comunhão como uma “celebração Eucarística sem Sacerdote”; “assim, cumprimos a obrigação dominical em tempos de escassez de sacerdotes” ;
  • que se “ignore” as normas canônicas que restringem a pregação da homilia ao clero para opor-se a fusões de paróquias, insistindo, em vez disso, que cada paróquia tem o seu próprio líder individual, “seja homem ou mulher”;
  • que se “use cada oportunidade de falar abertamente a favor da admissão dos casados e das mulheres ao sacerdócio”.

“A conclamação aberta à desobediência me chocou”, disse o Cardeal Christoph Schönborn, de Viena, em uma carta de 7 de julho, observando que muitos profissionais “teriam perdido seus cargos há muito tempo” se reivindicassem desobediência. Lembrando os padres que eles prometeram livremente obediência ao seu bispo na ordenação, ele indagou: “Posso contar com vocês?”

“A obediência cristã é uma escola de liberdade,” acrescentou o cardeal. “Ela se trata da tradução concreta na vida do que rezamos em cada Pai–Nosso, quando pedimos ao Pai que Sua vontade seja feita no Céu e na terra… Essa disposição é concretizada em obediência religiosa ao Papa e bispos.”

Aquele que verdadeiramente em consciência acredita que precisa desobedecer a hierarquia, e que “‘Roma está na trilha errada [e] contradiz gravemente a vontade de Deus”, conseqüentemente “não mais deve trilhar o caminho a Igreja Católica Romana. Creio e espero, entretanto, que esse caso extremo não ocorra aqui”.

“Aquele que desiste do princípio da obediência dissolve a unidade”, continuou o cardeal, ao prometer que se encontraria com os líderes da iniciativa e apontar as suas “incoerências,” como, por exemplo, “Eucaristia sem sacerdotes.”

O sítio da iniciativa na Internet está registrado em nome do Padre Hans Bensdorf, que até 2000 era o pároco da Igreja do Rosário em Hetzendroft, na Arquidiocese de Viena [ndr: o fato de seus mentores serem da arquidiocese do próprio Cardeal Schönborn não surpreende: a iniciativa é liderada pelo ex-vigário geral do purpurado, monsenhor Helmut Schüller]. Um vídeo no youtube, carregado em 2009, mostra um trecho da Missa em comemoração ao 35º aniversário de ordenação sacerdotal do padre Bensdorf [veja abaixo], de acordo com a descrição do vídeo. Tensões entre o papado e os segmentos da Igreja na Áustria não são novidade, conforme testemunhado pelo advento do jesephinismo no século XVIII, o movimento fin-de-siécle Los Von Rom (Livre de Roma)  e desentendimentos entre o Vaticano e o Cardeal Theodor Innitzer em faze ao Nazi Anschluss.

* * *

Em comunicado de hoje, os porta-vozes da arquidiocese de Viena informam que o Cardeal Schonborn pretende se reunir com os líderes da iniciativa no final de agosto ou mais provavelmente em setembro.

24 Comentários to “Mais de 300 padres austríacos se unem à iniciativa ‘Conclamação à Desobediência’. Schönborn está chocado!”

  1. Os rebeldes já são declarados!

    Por querer seguir o ridículo Concílio Vaticano II, a Santa Sé vai pagar um preço caríssimo por isso.

    Agora não tem mais como escapar, pois isso que os satânistas da Austria estão fazendo, vai influenciar os “plenas conhumão” dentro da Igreja Católica.

    Bento XVI não terá opção: Ou condena definitivamente o Concílio Vaticano II ou vai pagar caro por isso, pois o cisma virá com o sem uma “hermeneltica da continuidade” ou outras baboseiras.

  2. À moda dos rabis, deveríamos rasgar nossas roupas, nos cobrir de cinzas, jejuar e bradar ao escândalo e à blasfêmia!

    O que faz sofrer mais, no entanto, e a reação da Igreja, nossa Mãe.

  3. Uma pessoa de bom senso diria: não são mais católicos.
    Um neoconservador apegado ao direito será forçado a dizer: são padres em plena comunhão. Afinal de contas, cismáticos somos nós que não constamos no direito…

    Quem está dentro, na verdade está fora
    Quem está fora, na verdade está dentro.

    E ninguém faz NADA em relação a isso.
    O cardeal está chocado???? Oooooooh.

  4. Concordo com a seguinte oração, ao final de cada Missa, pela reforma da Igreja, principalmente da Liturgia:

    “Sancte Michael Archangele, defende nos in praelio, contra nequitias et insidias diaboli esto praesidium: Imperet illi Deus, supplices deprecamur, tuque, Princeps militiae caelestis, satanam aliosque spiritus malignos, qui ad perditionem animarum pervagantur in mundo, divina virtute in infernum detrude. Amen.”

    https://fratresinunum.com/2009/09/29/sancte-michael-archangele-defende-nos-in-praelio/

  5. ótima notícia! assim eles se desviam de roma, talvez incentivem outros hereges a seguirem o mesmo caminho e force a aproximação do vaticano com os tradicionalista, os catolicos de verdade!!!

  6. Por este andar, teremos de fazer uma cruzada perpétua pelos sacerdotes!

    Onde iremos parar, Santo Deus?!

    São Pedro e São Paulo, defendei a Santa Igreja! Francisco e Jacinta, convertei os pecadores e dai força ao Santo Padre para suportar estes insanos!

  7. Desculpem o comentário (talvez ridículo), mas… eu sei que a oração a São Miguel Arcanjo foi escrita para ser rezada especificamente pelo sacerdote no final da Santa Missa.

    Como hoje em dia, os padres “modernos” não rezam habitualmente essa oração, não deveríamos – ou poderíamos – nós rezá-la muito frequentemente para assim tentar evitar a perda de mais almas e haver mais vozes a pedir a derrota dos espíritos malignos que vagueiam pelo mundo? Após cada Terço, após cada Missa, em cada visita ao Santíssimo, cada um de nós criar o hábito de recitar essa oração a São Miguel?

    O mundo vai de mal a pior. A Igreja sofre investidas do Inimigo a toda a hora.

  8. Queira Deus que todos os hereges na Igreja façam uma declaração de desobediência como essa! Facilita muito o trabalho de quem defende a Verdade Eterna e imutável.

  9. Mas n é esse cardeal ‘chocado’ que fez o tal catecismo para os jovens com aberrações, há alguns meses e falou que a Igreja tem que se abrir a temas polêmicos?

    Aqui em São José dos Campos, para ser sincera, algumas das reivindicações desses padres FRUTOS DA PRIMAVERA DO CVII – dá-lhe plena comunhão!-, e padres até os quinto dos inferno (que se vire o capeta, que eu acho que tá com medo! kkk) já acontece, viu!
    O ‘chocado’ cardeal, poderia estar numas das novelas da globo: Frutos da primavera conciliar sob a hermenêutica da continuidade. Os plena comunhão iriam assistir, com cerveja e uns tragos.
    Impossibilitada no momento de rasgar minhas roupas, foi muito caro montar uns looks modestos, talvez me descabele quando o trem descarrilar em assis 3….

  10. Bruno Luís Santana ,

    É equivocada sua idéia de uma corrente “neo-conservadora”. Explico-me:

    Primeiro, OFICIALMENTE o CVII não apóia essas iniciativas infelizes. Não discutirei isso mais porque como SIMPLES LEIGO CATÓLICO eu só discuto o que é oficial. No caso a hermeneutica da continuidade.

    Ou seja, a posição coerente é a de se aceitar o CVII na medida que ele pede esta aceitação. O que estes padres fazem é exatamente o contrário. Rejeitam o CVII e aceitam qualquer coisa diferente. Daí os pedidos violentos de reforma. MESMO DEPOIS DO CVII.

    Segundo. Dizer que Roma considera esses padres como estando em comunhão, repita-se: A Igreja os considera hereges materiais. Se existe contumácia, ai sim a classificicação é a de herege formal, e ai, meu caro, a comunhão pode não existir caso se caia em alguns dos critérios de excomunhão latae sententiae ou haja uma excomunhão formal.

    E por último, OFICIALMENTE a FSSPX está em comunhão com a Igreja, apesar da oposição ferrenha das correntes modernistas.

  11. O problema não é o Vaticano II. O problema é a interpretação errada que dão a ele. Interpretação contrária ao do Magistério do Sumo Pontífice.

  12. Este cardeal de Viena não é favorável às maluquices?

  13. Gostaria de recomendar aos demais irmãos em Cristo este artigo, que ajuda bastante a compreender a crise da Igreja.

    http://aparicaodelasalette.blogspot.com/2011/07/o-pranto-de-nossa-senhora-sobre-o-mundo.html

    Destaco estes trechos:

    “O trabalho do demônio infiltrará até mesmo na Igreja, de tal forma que veremos cardeais se opondo a cardeais, bispos contra outros bispos. Os padres que me veneram serão objeto de escárnio por parte dos seus confrades, as igrejas e os altares serão saqueados, a Igreja estará cheia daqueles que aceitam compromissos e o demônio pressionará muitos padres e almas consagradas para deixarem o serviço do Senhor.

    “O demônio será especialmente implacável contra as almas consagradas ao Senhor. A lembrança da perda de tantas almas é a causa de minha tristeza. Se os pecados crescerem em número e gravidade, não haverá mais perdão para eles.

    O link vídeo recomendado no artigo é este:

    http://www.gloria.tv/?media=170778

  14. O Cardeal Schoborn ficou chocado!!!!!
    Deve ter ficado tão chocado quando Caifás rasgou suas próprias vestes quando Nosso Senhor afirmou ser o Filho de Deus.
    Deve ter ficado tão chocado, quanto aquele que sugeriu o nome “Ecclesia Dei aflicta” (Igreja de Deus aflita) para o documento que excomungou Dom Lefebvre e Dom Mayer.
    Lágrimas de crocodilo.
    Quanta hipocrisia.

  15. Cadê os de plena comunhão de Plantão? não dizem nada. Continuo perguntando qual outra causa para crise? e o silêncio continua com os omissos. Bem disse a Ana Maria: Osires, e eles vão fazer gol contra.

  16. Seria bom ressaltar que 90% dos fiéis nem sabem do CVII e que a Igreja está em crise. Alimentados pela maioria dos sacerdotes, vivem numa ALIENAÇÃO que dá pena.

  17. Disse o Senhor: “Por seus frutos os conhecereis”. Disse o Padre Lombardi: “Padres da Fraternidade não gozam de legitimidade bem como suas ações”. Estes “desobedientes” são os que não estão mais velados já escancararam a pouca vergonha, porém a maior preocupação são com os enrustidos. Acabaram com o anátema sit e o resultado não poderia ser outro. Lembra da Carta de São Judas? “O Senhor te repreenda!”

  18. Rezemos pelo Cardeal Schönborn, para que Deus Nosso Senhor dê a ele força e sabedoria para que ele possa defender a Fé e converter estes padres rebeldes.

    Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o Fruto do teu ventre Jesus.

    – Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores agora e na hora de nossa morte. Amém

  19. Caro Alex A. B.,

    Permita-me comentar uma frase sua: “O problema não é o Vaticano II. O problema é a interpretação errada que dão a ele.”

    De fato, muita gente fala e faz coisas que o concílio jamais previu, mas não vamos ser tão ingênuos a ponto de pensar que tudo reside tão somente na “má interpretação”. Lembre-se que a primeira leva de bispos “mal interpretadores” PARTICIPARAM das sessões, LERAM os esquemas, REDIGIRAM os documentos. Eles fizeram o concílio e não apenas ouviram de terceiros. A “má interpretação” se deu logo de início. Então é para se desconfiar que se tanta gente interpretou mal é porque alguma coisa existe nos documentos e nas discussões que deu margem a essa “má interpretação” generalizada. E além da ambigüidade de alguns docs há toda a efervescência antes, durante e depois do evento Concílio.
    Acho que o livro “O Reno se Lança no Tibre” do Pe. Wiltgen pode te ajudar a ver essa agitação toda que ocorreu na redação dos docs conciliares e como já naquela época havia uma multiplicidade de opiniões por parte dos bispos.

  20. Schonborn está pagando pelo que faz…

  21. E se de repente surgir uma acusação contra Schonborn de pedofilia ou de acorbetamento da mesma?

    Te cuida Schonborn! As loucuras que você apoiou e apoia, vão se voltar contra você.

  22. Teresa,

    Muita gente continua ainda fazendo MALABARISMOS para aprovar este concílio. É cada raciocínio.

  23. Schonborn está pagando pelo que faz…
    (2)

    E espero que ele corrija-se e aja, de fato, como Cardeal da Igreja.

  24. Depois de assistir uma palhaçada dessas me deu uma vontade de chorar. Mais ainda quando da notícia sobre a Desobediência. Isso é rebeldia declarada, essas pessoas precisam imediatamente de uma condenação exemplar para que não volte a acontecer.