“Conhecemos bem, venerável irmão, terem sido estes anos distinguidos pela sólida doutrina, pelo conhecimento preciso da disciplina eclesiástica…”

O Papa e o Cardeal José Policarpo.
O Papa e o Cardeal José Policarpo.

Lisboa, 15 ago 2011 (Ecclesia) – Bento XVI dirigiu uma mensagem ao cardeal-patriarca de Lisboa, assinalando os 50 anos de ordenação sacerdotal de D. José Policarpo que hoje se celebram e deixando elogios à sua ação na Igreja e na sociedade portuguesas.

“Conhecemos bem, venerável irmão, terem sido estes anos distinguidos pela sólida doutrina, pelo conhecimento preciso da disciplina eclesiástica, pelo intenso labor na ilustre Sé de Lisboa. Nela começara a manifestar-se os recursos, largamente difundidos, das tuas virtudes sacerdotais e episcopais”, refere a missiva, lida esta tarde no Mosteiro dos Jerónimos, durante uma missa evocativa do aniversário, enviada à Agência ECCLESIA.

Bento XVI acrescenta que “tais recursos foram também oportunamente transmitidos a todo o país, enquanto presidente da Conferência Episcopal Portuguesa”.

“Desde o momento em que o nosso antecessor, venerável servo de Deus Paulo VI, te quis bispo auxiliar de Lisboa [1978], agiste com múltiplas forças para que esta comunidade fruísse de benefícios mais abundantes, e depois recebeste-a, primeiro como coadjutor [1997] e mais tarde para a governares de pleno direito [1998], pois o beato João Paulo II julgou-te seres aí mais útil como dispensador das riquezas de Cristo e fiel ministro da Igreja”, assinala o Papa.

Nem queremos omitir o que costumas fazer nos Dicastérios Romanos, relatado justamente no Colégio dos Cardeais”, acrescenta.

A mensagem alude à “feliz recordação” da ordenação sacerdotal de D. José Policarpo: “Pedimos principalmente ao próprio Divino Pastor que seja para ti remunerador generoso dos teus méritos e igualmente sustentáculo do teu trabalho”.

“Nós na verdade, com o maior afeto e relação fraterna, damos-te em primeiro lugar a ti, venerável irmão, a bênção apostólica e a estendemos para que seja comunicada a toda a tua comunidade”, conclui Bento XVI.

O cardeal José Policarpo celebrou hoje os seus 50 anos de padre numa missa que conta com a presença de mais de 2000 jovens que a diocese leva às Jornadas Mundiais da Juventude em Madrid.

A eucaristia, no Mosteiro dos Jerónimos, é considerada o ponto alto das comemorações do jubileu sacerdotal do patriarca de Lisboa, de 75 anos de idade, que se iniciaram em março deste ano.

José da Cruz Policarpo nasceu a 26 de fevereiro de 1936 em Alvorninha, Caldas da Rainha, território do distrito de Leiria e patriarcado de Lisboa.

Padre desde 15 de agosto de 1961, foi ordenado bispo em 1978 e é patriarca de Lisboa desde 1998, após a morte de D. António Ribeiro.

D. José Policarpo foi criado cardeal por João Paulo II em 2001 e participou no conclave de abril de 2005 que elegeu Bento XVI.

* * *

Nota do editor – “Pedimos principalmente ao próprio Divino Pastor que seja para ti remunerador generoso dos teus méritos”: rezamos vivamente para que Sua Eminência não seja remunerado pelo Divino Pastor, que também será para cada um de nós Supremo Juiz, por suas declarações doutrinais nada sólidas acerca da ordenação de mulheres.

11 comentários sobre ““Conhecemos bem, venerável irmão, terem sido estes anos distinguidos pela sólida doutrina, pelo conhecimento preciso da disciplina eclesiástica…”

  1. Pela cara marota e risonha de Sua Santidade na foto, poderia-se dizer que esta mensagem é uma grande ironia…

    Curtir

  2. “Conhecemos bem, venerável irmão, terem sido estes anos distinguidos pela sólida doutrina, pelo conhecimento preciso da disciplina eclesiástica, pelo intenso labor na ilustre Sé de Lisboa.

    Pelas palavras acima chega-se a conclusão que Bento XVI é um pastor cambaleante; oscila para os lados, anda sem firmeza.

    Curtir

  3. Camuflam tanto as coisas que o “Santo Padre não deve saber de nada”.
    Não estranhemos também que esses textos de homenagens sejam redigidos por acessores.. O Santo Padre somente os firma!

    Curtir

  4. Considerando as recentes declarações de D. Policarpo acerca da ordenação de mulheres, a única dedução possível é que Bento XVI estava sendo finamente irônico.

    Curtir

  5. Cristão sofre. O Vaticano chama D. Policarpo à atenção por causa de a sua doutrina não ser sólida. Agora, é o Papa que elogia a solidez da doutrina dfe D. Policarpo. Isto já depois das declarações policarpianas. Se isto não é a quadratura do círculo, não sei o que seja. Equívoco de algum assessor do Papa ou será que já nem no Vaticano as coisas são levadas a sério?

    Curtir

Os comentários estão desativados.