Alois de Liechtenstein anuncia que vetará a lei do aborto mesmo se ela for aprovada em referendo.

O príncipe anunciou a medida solenemente no dia da Assunção, e alega, sobretudo, o extermínio de crianças com deficiências.

Alois de Liechtenstein.
Alois de Liechtenstein.

Por Religión en Libertad – Tradução: Fratres in Unum | Em 15 de agosto se celebra em Liechtenstein, país majoritariamente católico, não somente o dia da Assunção da Virgem, mas também a sua festa nacional.

E este dia foi o momento escolhido pelo príncipe herdeiro Alois para anunciar, na capital Vaduz, que se a legalização do aborto for aprovada em referendo em 18 de setembro, ele se oporá à lei e não a assinará, impedindo sua entrada em vigor.

Embora não seja formalmente o chefe de Estado, cargo desempenhado por seu pai, Hans Adam II, este  transferiu à  Alois em 2004 as competências correspondentes, entre elas a sanção das leis.

Alois, de 43 anos e católico praticante, destacou entre as razões de sua oposição “a problemática dos abortos de crianças deficientes“, um autêntico extermínio nos países onde o aborto é legal. Em Liechtenstein o aborto não é aprovado em nenhum caso, sendo punido com  um ano de prisão, inclusive se este se realizar no exterior.

Em junho o parlamento foi consultado a respeito, porém, somente 7 dos 25 deputados votaram a favor. A consulta se realiza, sem dúvida, por iniciativa popular, e prevê uma despenalização até a duodécima semana.

8 comentários sobre “Alois de Liechtenstein anuncia que vetará a lei do aborto mesmo se ela for aprovada em referendo.

  1. Deus, Papa, Rei. Trono e Altar.
    Se a humanidade tem futuro, este será monarquico.
    A república e a democracia nascidas da Revolução Francesa, são verdadeiros flagelos, só merecidos pelos nossos pecados. E o mais triste é que o Vaticano II ligou a Igreja a esses regimes espúrios.
    Como monarquista, regozijo-me com a notícia.
    Vida longa a Sua Alteza Sereníssima o principe católico Alois de Liechtenstein.
    João

    Curtir

  2. Autoridade católica praticante é rara. Esse príncipe é uma esperança renovada e um exemplo a ser seguido. Aqui, no nosso Brasil, me digam quando e quem foi o dirigente (presidente, creio que nossos imperadores eram maçons) católico praticante que ocupou o governo federal? Nosso governo, quando não é ateu e/ou maçon, é comunista e ladrão, como agora e a vida não tem valor porque, se não cuidava melhor desse povo sofrido, sem eira nem beira.

    Curtir

  3. O fato é que os Lichtenstein, junto com os Saxe-Coburgo-Gotha da Bélgica e os Bourbon-Parma de Luxemburgo são as únicas boas famílias reais católicas reinantes. Detalhe: Alois é casado com SAR Sophie da Baviera, herdeira do trono Jacobita inglês – E, portanto superior aos infames Windsor. Que Deus proteja este príncipe – Um dos poucos bons entre muitos que nada valem!

    Curtir

  4. Liechtenstein.

    Tão pequeno aos olhos do mundo e tão Grande aos Olhos de Deus.

    Que Deus os proteja e os conserve na Fé.

    Curtir

  5. cuanto me hubiese gustado que Colombia hubiera podido alcanzar a ser un imperio monárquico. el imperio refleja la estructura del cielo. un buen imperio podría liberar a nuestro mundo de la perdición.

    Curtir

Os comentários estão desativados.