Pela superação da exclusão do verdadeiro catolicismo no Brasil.

Brasília, 1º set (Rádio Vaticano) – A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil divulgou uma carta de apoio ao Grito dos Excluídos, que nós publicamos abaixo.

Irmãos e Irmãs!

A Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz – CNBB manifesta seu apoio ao Grito dos Excluídos Nacional, que se realiza em todos os Estados do nosso País, por ocasião das comemorações do dia da independência do Brasil.

O Grito dos Excluídos é um espaço democrático de mobilização popular nacional na Semana da Pátria, buscando construir um projeto popular para o Brasil. Neste ano tem como tema: Pela vida grita a terra… Por Direitos, todos nós!

Com os excluídos este evento pretende mobilizar pessoas, comunidades, Igrejas, religiões e sociedade para assumir o protagonismo na construção de alternativas que tragam a eles esperança e perspectivas de vida para as comunidades locais; promover a pluralidade e igualdade de direitos, bem como o respeito nas relações de gênero, raça e etnia; denunciar todas as formas de injustiça que, em nosso país, causam a destruição e a precarização da vida do povo e do Planeta.

Diante de situações de exclusão, Jesus defende os direitos dos fracos e o direito a uma vida digna para todo o ser humano. O compromisso com esta causa nos compromete no esforço de superação da exclusão em nosso país, participando da construção de uma sociedade justa, solidária e de cuidado da vida do planeta e do ser humana.

Dom Guilherme Werlang
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para
O Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz

* * *

Eis uma parcela dos católicos brasileiros totalmente excluída pela CNBB. Se neste ano o tema do grito é “Pela vida grita a terra… Por Direitos, todos nós!”, estes aí bradam por seus direitos há décadas. Mais precisamente, desde 1965. Quem sabe a partir deste ano a CNBB não os nota? O brasileiro é sempre otimista… Afinal, o Grito deste ano quer “promover a pluralidade e igualdade de direitos” para a “construção de alternativas que tragam a eles [excluídos] esperança”. O que lhes traria esperança? O amor a Deus e a primazia das realidades celestes, a solidez doutrinal e moral, o zelo litúrgico… São tantas as reivindicações! Mas, como diz o comunicado, “diante de situações de exclusão, Jesus defende os direitos dos fracos“. Nossos bispos poderiam começar o dever de casa eliminando a exclusão, levada a cabo por eles mesmos, da Santa Missa Latino-Gregoriana. Já disse alguém — não muito considerado pelos bispos brasileiros, paciência! — que “aquilo que para as gerações anteriores era sagrado, permanece sagrado e grande também para nós, e não pode ser de improviso totalmente proibido ou mesmo prejudicial”…

Rezemos para que nossos bispos realmente se empenhem “no esforço de superação da exclusão em nosso país“. A começar pela superação da exclusão do verdadeiro catolicismo.

Tags:

21 Comentários to “Pela superação da exclusão do verdadeiro catolicismo no Brasil.”

  1. Ferreti, ontem por motivo de pressa eu deixei de lhe enviar o link da notícia da Rádio Vaticano!
    O link é este, caso queira adicioná-lo:

    http://www.radiovaticana.org/bra/Articolo.asp?c=516963

  2. “promover a pluralidade e igualdade de direitos, bem como o respeito nas relações de gênero” (genero?)

    texto horrível recheado de chavões execráveis da novilíngua.

    Meu Deus do Céu… Gênero?

    o 3°, o 4º e 5° sexo também?

    esses bispos cairam nesse engodo de Gênero ou estão promovendo esse engodo?

    entre os excluídos não estão os militantes Gays?
    não estão os defensores do aborto?
    não estão os pecadores que escolheram a heresia como sua fé?

    entre os excluídos não estão os excomungados de todos os naipes?

    não estão os defensores da legalização das drogas e os invasores de terra?

    dá-lhe CNBB…

  3. Esse pequena nota da CN do B é tão cheia de ideologias e doutrinas perniciosas e condenadas pela Santa Madre Igreja que fica difícil saber por onde começar. No entanto, tenho reparado na insistência desse clero marxista da TL em aclamar aos quatro ventos a ideologia perserva de gênero, que não tem nada a ver a fisiologia do ser humano, e, portanto, com a realidade, mas é construída (inventada) a partir do conceito gramatical de gênero feminino, masculino e neutro. Mas nós sabemos que o ser humano foi criado por Deus homem e mulher: não existe o meio termo (notem o absurdo de dizer que alguém é de um “terceiro sexo”).

    O Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz publicou um texto muito interessante sobre os erros gritantes dessa ideologia de gênero. O texto é este:

    A linguagem de gênero

    http://www.providaanapolis.org.br/linggene.htm

  4. De nada, Ferreti!

    É sempre um prazer colaborar com seu site!

  5. Só Deus pode dar jeito nisso!

  6. Verdadeiramente aqueles de querem a Missa de sempre são excluídos. E principalmente pelos bispos que fazem esse grito de caráter marxista, mas que não tem coerência com os princípios que pregam. Dom Lefebvre pedia a esses que se deixasse fazer a “experiência” da Tradição. A resposta desses é de conhecimento geral! Que Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, nos conceda a Missa de sempre em cada paróquia, para maior honra e glória do Seu Filho Amado!

  7. Caro amigo Alex,

    meu comentário sobre o 3°, 4° e 5° sexo, foi apenas irônico…

    abraços.

  8. “É melhor sofrer as injustiças, do que fazer-las”

  9. Amigos,

    São Paulo profetizou a Apóstasia do Clero.Estou em paz.As profecias se cumprem.

    Em Cristo,

  10. Meu caro amigo Lúcio, não me referia a você, mas aos defensores da ideologia de gênero!

    Quando eu escrevi o meu comentário, o Ferreti ainda não tinha publicado o seu comentário!

    Fique tranqüilo! Eu sei que você não defende uma loucura dessas! ;)

  11. A propósito da apostasia do clero, há uma interessante visão de uma beata chamada Elizabeth Canori Mora e que foi publicada no blog A Aparição de La Salette e suas Profecias. Cito este trecho (vale a pena a leitura do artigo todo!):

    “Tão graves ameaças talvez pudessem parecer exageradas nos tempos da Bem-aventurada Elizabeth, em que, malgrado o avanço da Revolução anticristã, encontravam-se na Igreja numerosos santos e almas de virtude insigne.

    Assim, tais palavras parecem ditadas mais para este nosso triste início do século XXI. Quem, a rigor, sem auxílio de luzes proféticas, poderia imaginar que a crise na Igreja chegaria ao ponto que atingiu em nossos dias?

    À vista disto, compreende-se que Deus tenha querido manifestar especialmente Sua cólera e indignação à Bem-aventurada Elizabeth. Mas, infelizmente, tudo indica que, como em Fátima, a mensagem divina transmitida pela Bem-aventurada não foi levada devidamente em consideração.”

    http://aparicaodelasalette.blogspot.com/2011/08/antevisoes-dos-castigos-vaticinados-em.html

  12. Ainda tem gente que não gosta quando chamo esses bispos progressistas de “raposas” mitradas. Não querendo aqui ser injusto com o animalzinho, mas tratando do seu comportamento irracional. Para sua sobrevivência, as raposas no nosso julgamento racional são “matreiras,” “espertas,” e “ladinas.” Os bispos da C N B B (Curral Nacional dos Bichos do Brasil) são sim racionais e para sobreviverem agem com comportamentos aparentemente irracionais, não buscando na Igreja nem em na Fé o “alimento” para que possam ter o comportamento e a atitude de verdadeiros Bispos da santa Igreja de Deus. Então, mesmo esses bispos sendo racionais agem como animais irracionais, buscando “alimento” onde é mais fácil e mais prazeroso, sem se preocuparem com o mal que este alimento possa provocar a si e aos demais membros do seu grupo. Temos animais irracionais mais inteligentes do que esses bispos desta tal CNBB, pois alguns animais especialmente lideres de matilhas, ao contrário desses bispos rejeitam o alimento envenenado, mesmo prazeroso não comendo nem permitindo que o seu grupo social se alimente e morra. “Raposas” mitradas progressistas racionais pelo amor de Deus aprendam um pouco com essas raposas irracionais, (sem mitra) e não permitam mais nem aos senhores nem aos seus “rebanhos” comerem com prazer desse “alimento” envenenado do qual se tem nutrido a Igreja do Brasil. A que ponto chegamos!

  13. Gostei muito do seu texto… quisera Deus que os Bispos lessem isso e fizessem algo pelos católicos, de fato!

  14. Referências a:
    – Igreja: 0
    – Maria: 0
    – Cristo: 0
    – Santidade: 0
    – Oração: 0
    – Alma: 0
    – Salvação: 0
    – Jesus: 1

    Bem, pelo menos lembraram-se de falar de Jesus. Acho que foi mesmo para não ficarem mal.
    Quando um documento elaborado por bispos católicos sai assim…

  15. Quase tudo que venha da CNBB não merece respeito.
    Não tenho nenhuma identificação com a ideologia dominante e muito
    menos com textos de assessores e bispos marxistas.

    A CNBB há décadas está acabando com a Igreja no Brasil.
    Como de fato está no texto:
    Excluindo o catolicismo verdadeiro da Igreja.

  16. ” mobilizar pessoas, comunidades, Igrejas, religiões e sociedade para assumir o protagonismo na construção de alternativas que tragam a eles esperança e perspectivas de vida para as comunidades locais; promover a pluralidade e igualdade de direitos,”

    Apertando a tecla SAP:
    “Mobilizar” no processo ecumênico significa aceitar qualquer coisa, mas
    qualquer coisa mesmo ( daí a promoção da pluralidade ) que coloque esta vida material acima da vida sobrenatural. Significa principalmente se rebelar contra a natureza criada e principalmente contra Quem a criou.

  17. está do jeito que o diabo gosta: até genero tem.
    será que Dom Fernando Saburido vai de novo? lmbram-se das fotos no “DEUS LO VULT”?

  18. “Estamos agora em face do maior confronto histórico pelo qual a humanidade já passou… Estamos agora encarando o confronto final entre a Igreja e a anti-Igreja, entre o Evangelho e o anti-Evangelho. Este confronto está dentro dos planos da divina Providência.”

    (Palavras ditas por Karol Wojtyla, arcebispo de Cracóvia, em 1969, nos EUA para o 41° congresso Eucarístico Nacional, na Filadélfia.)

  19. Esses que falam em respeito ao pluralismo e em tolerância só não toleram a verdade

  20. Relações de gênero? Na marxista marcha dos excluidos? A CNB do B está dando medo. Só falta ela convidar os grupos GLBT para participar, porque essa “relação de gêneros” passa a impressão de adesão ao movimento da homofobia e de apoio às idéias malucas da Marta Suplicio.