Celebrando Assis em Arras com o Alcorão no Altar.

Por Rorate-Caeli | Tradução: Fratres in Unum.com

Na Igreja de São Salvador (Saint-Sauveur), na Diocese de Arras (Pas-de-Calais, France), foi realizada uma “vigília de orações Interreligiosas” em 26 de outubro de 2011, para celebrar o 25º aniversário do primeiro encontro interreligioso de Assis.

Ícones, um livro de orações – e o Alcorão no centro da mesa/altar.
A procissão das “oferendas inter-religiosas”.

(A propósito, por que todas as procissões são ad orientem? Isso é tão reacionário! As procissões não deveriam ser versus populum, com os participantes caminhando para trás?)

6 Comentários to “Celebrando Assis em Arras com o Alcorão no Altar.”

  1. Quando chegará o dia em que alguém, com acesso ao Palácio Apostólico, entregará nas mãos do Papa um dossiê com todos esse abusos?

    Por mais que o Bento XVI tenha procurado não promover o sincretismo, gostaria de ver a expressão dele ao ver os resultados de Assis pelo mundo…

  2. Israel, eu acredito que ele já saiba, não é possível!!! Oo Será que não?

  3. Ah, falta-lhes muito para ser uma legítima celebração ecumênica…
    Já “participei” de uma “missa inculturada”, infelizmente era a “celebração da páscoa da ressurreição” (antigamente conhecida com o supersticioso nome de Missa de Sétimo dia) do avô de uns amigos meus, por esse motivo, entendam-me, por favor, tive que ir a tal “celebração”!
    Nessa “celebração festiva pela ressurreição”, o “celebrante” entrava em meio a toques de atabaques e, no ofertório, em meio aos frutos da terra, tais como abóboras, mandiocas e até um porrete de pilão, um grupo tocava músicas africanas e havia danças ao redor da “mesa da celebração” e o “celebrante” jogava pipocas para cima, num ritual consagrado ao falso deus obaluaê, do candomblé…

    Realmente ecumênica a “celebração”, bem ao gosto do CVII…

    Bem, podemos oferecer para os próximos ofertórios uma estátua do exú zé pilintra… afinal isso é ecumenismo: um verdadeiro balaio de gatos, bem ao gosto de seu pai-mentor: Lúcifer!

    Ó Coração Eucarístico de Jesus: por amor ao Imaculado e Doloroso Coração de Maria, livrai nossa Igreja do mal da apostasia!

  4. Não se relaciona a “Assis”, mas ao espírito do CVII à “luz” da CNBB: em minha paróqia, uma missa jamais é igual à outra, pois o criativo celebrante sempre tem novidades…

    No último domingo, o Evangelho foi lido em coro. O padre lia um versículo, um lado da assembléia lia o outro, depois só os homens, o seguinte só as mulheres… e ele comandando o que parecia um espetáculo lastimável e bataro de auditório. Para completar, nao rezou o Credo, mudou várias vezes o
    texto litúrgico, fazendo acréscimos e reduções à sua vontade.
    Quanto à música, tivemos dois forrós pesados, um xote e três frevos rasgados, com som altíssimo, baterista entusiasmado, guitarras alteradas e grande parte da assembléia e os “ministros ” balançando-se,de braços erguidos e o indicador apontando para o alto, como um verdadeiro bloco carnavalesco!

    Valha-nos Deus!!!

  5. “Peregrinos da paz”

    N aceito a teoria molusca: eu n sabia. O papa sabe … talvez João XXIII fosse sem noção devido a comunicação, mas hoje? Pessoa quebra um copo no Japão, nem recolheu os cacos corre no facebook e twitter: quebrei um copo.

  6. Corão no altar eu já vim um: Foi lá na capelinha das crianças, no Colégio Catarinense em Florianópolis… Vi no segundo dia de aula dos meus filhos naquele colégio, e na hora pensei: “Meu Deus, onde eu fui me meter?” e, pior: “onde fui botar meus filhos?”

    Eu tirava o livro do altar e colocava num canto, mas ele devia ter perninhas invisíveis, pois no dia seguinte estava no altar de novo. Foi assim por muitos dias seguidos até que eu desisti e não entrei mais na capela.