PT e Dilma são o pai e a mãe das mentiras e da corrupção.

Por Dom Luiz Gonzaga Bergonzini

No dia 22 de outubro de 2010, escrevemos que “O PT é o Partido da Mentira e da Morte” .  Escrevemos isso porque o PT mentiu no TSE para obter a apreensão dos documentos, apelidados pejorativamente de “panfletos”, que são legítimos, legais e verdadeiros, e porque o PT defende o assassinato de crianças inocentes, no útero de suas mães, através da a liberação do aborto.

Como fizemos em 2006 e 2008, antes das eleições presidenciais de 2010,  escrevemos um documento denominado  “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”, publicado em 01.07.2010, para orientar o voto dos fiéis de Guarulhos contra os candidatos contrários aos princípios cristãos, entre eles a candidata à presidência Dilma Rousseff, favorável à liberação do aborto.

Posteriormente, a seção regional de São Paulo da CNBB, denominada CNBB-Regional Sul-1, que representa e compreende as 41 Dioceses do estado de São Paulo, produziu o documento denominado “Apelo a Todos os Brasileiros e Brasileiras”, assinado por três Bispos, no qual orientou o voto contra os candidatos partidários da liberação do aborto. A CNBB-Regional Sul-1 liberou a impressão do documento para todas as Dioceses, pastorais e organizações que defendem os princípios cristãos, para que o distribuíssem a quem quisessem.

A candidata Dilma Rousseff e seu grupo político pediram,  ao Tribunal Superior Eleitoral, a apreensão dos documentos – “panfletos” – impressos, que ainda estavam na gráfica, sob duas alegações mentirosas: que o documento era falso e que havia crime contra o PT e contra a candidata Dilma, porque o documento dizia que o PT sempre defendeu a liberação do aborto.

A propagação contínua da mentira pelo PT e seus aliados nas eleições de 2010 – os partidos comunistas seguem a máxima do líder propagandista de Hitler, Joseph Goebbels, segundo a qual  “uma mentira dita cem vezes torna-se verdade”,  foi tão forte que até utilizou o Bispo de Jales, Dom Demétrio Valentini, para conceder entrevista a jornal de Guarulhos e dizer que nós tínhamos cometido “crime eleitoral”.

Provamos, no TSE, que o documento assinado pelos três Bispos é verdadeiro e provamos que o PT e a candidata Dilma defendem, sim, a liberação do aborto. E o Ministério Público Federal garantiu que não praticamos crime eleitoral e pediu a devolução do material para a Diocese de Guarulhos.  O TSE mandou a Polícia Federal devolver o material apreendido.  A documentação está todinha em nosso blog, http://www.domluizbergonzini.com.br. A Igreja Católica tem o direito legítimo de defender o Evangelho e seus princípios, em qualquer época.

Naquele momento e de repente,  a candidata Dilma Rousseff, para enganar os católicos e cristãos, se declarou “devota” de Nossa Senhora Aparecida e até foi ao Santuário da Padroeira do Brasil.  Se católica ou cristã fosse, ela deveria ter promovido uma missa antes de sua posse como presidente.  Quem é católico, não precisa se envergonhar de sê-lo.

Se devota de Nossa Senhora Aparecida fosse, teria, como todos os devotos têm, uma imagem da Mãe de Jesus Cristo em seu gabinete de trabalho. Em vez disso, no seu primeiro dia de trabalho, ela mandou retirar Jesus Cristo Crucificado e a Bíblia do seu gabinete.

Aguardamos, ansiosamente, que ela comparecesse em Aparecida, no dia 12 de outubro de 2011, para demonstrar sua devoção a Nossa Senhora Aparecida e mostrar para todos os brasileiros e para o mundo que ela não havia enganado os cristãos brasileiros para obter votos em 2010. E que, pelo menos, confessasse e comungasse.  Porém, nada disso aconteceu.

O povo brasileiro está enredado por mentiras. Já vimos acima o caso da apreensão ilegal dos documentos da Igreja, nas eleições de 2010. No caso das mortes maternas dizem, mentirosa e preconceituosamente, que as mulheres morrem por serem negras ou pobres; na verdade elas morrem pela precariedade do SUS e do sistema de  saúde  que lhes é oferecido (Brasil recebe condenação inédita da ONU por morte materna).

A mentira gera ou tenta esconder a corrupção e interesses escusos. Lula apresentou Dilma como “gerentona”  do governo, que sabia de tudo e conhecia todos os ministros.  Nunca antes na história deste país houve tantos ministros, nomeados pelo presidente da república, afastados por denúncias de corrupção (AQUI).

O povo brasileiro está tentando lutar contra as mentiras e a corrupção. Os brasileiros  somente conseguirão combatê-las se começarem, como digo sempre, a “dar nomes aos bois”, ou dar os nomes dos pais e da mães das mentiras e da corrupção.

Lembram-se como antigamente davam nomes aos bois?  Era assim: Fora Ditadura, Fora Collor,  Fora FHC, e tantos outros “foras”.  Agora, os brasileiros precisam fazer o mesmo. No caso do governo federal, os nomes do pai e da mãe das mentiras e da corrupção, ou maracutaias, como diziam antigamente, ou malfeitos, como dizem agora, são o PT e Dilma.  No caso dos governos estaduais, os nomes são os dos governadores. E no caso dos governos municipais, os nomes são os dos prefeitos.

As pessoas estão com medo de dar os nomes dos responsáveis. Não tenham medo de dizer:  Fora PT,  Fora Dilma, Fora (Fulano de Tal),  seja governador, prefeito, deputado, vereador, enfim,  fora todos os que consomem até 69 bilhões de reais em atos de corrupção,  sugados dos impostos pagos com muito sacrifício pelos brasileiros.  Fora os que querem afastar o povo dos princípios morais cristãos e  mantê-lo sem educação, sem segurança e, principalmente,  sem atendimento de saúde suficiente para garantir uma vida digna para cada brasileiro – a vida é uma dádiva divina-, desde o momento da fecundação até a morte natural na velhice.

“NÃO LEVANTARÁS FALSO TESTEMUNHO CONTRA TEU PRÓXIMO”.(Ex 20,16) é o mandamento.  Levantar falso testemunho é mentir, como mentiram na época das eleições e continuam mentindo.

Chega de mentiras! Chega de corrupção!

Não tenham medo!  Vamos, juntos, restaurar os princípios morais cristãos e Mudar o Brasil.

22.11.2011

Dom Luiz Bergonzini
Bispo Diocesano de Guarulhos

27 Comentários to “PT e Dilma são o pai e a mãe das mentiras e da corrupção.”

  1. Essa deveria ser sempre a linguagem de um Bispo ao tratar de temas públicos.Infelizmente os Bispos e Padres do Brasil ( em grande número) seguem a doutrina do Pai da mentira e mudam ou omitem a verdade sempre que lhe aprouver.O rabo preso deles com os poderes terrenos é imenso.

    Deus é soberano e Justo juiz.Ele está no controle de tudo isso.O Salmo 2 nos ensina: “E Deus ri deles”.Sim, Deus ri dos mentirosos, dos covardes, dos que traem sua consciência.Nada, absolutamente nada será escondido para que no tempo certo não seja revelado.

    “Ai de vós fariseus hipócritas…”- Assim diz o Senhor.

    Em Cristo,

  2. E bispo que nega dogma é o quê???

  3. A luta contra o pt é linda, mas n dá pra detonar o pt e um dogma da Igreja junto.
    http://pt-br.justin.tv/institutoplinio/b/288490754%5D

  4. Meu Deus, enfim um Bispo Católico que fala como tal! Isso Excelência, coragem! Eia! Pelos direitos de Deus e da Santa Madre Igreja! Nosso Senhor pedirá conta desses “bispos” (com “b” minúsculo mesmo) que não tem coragem de levantar sua voz contra a corrupção dos costumes… Deus seja sempre bendito!

  5. “PT e Dilma são o pai e a mãe das mentiras e da corrupção.

    Será que ele diria que muitos padres, bispos e cardeais são pai e mãe das mentiras e da corrupção do clero?

  6. Nossa Senhora…. Excetuando certos 4 Bispos, faz tempo que não vejo — acho que nunca vi na vida! — um Bispo falando duro desse jeito. Parabéns a Dom Bergonzini, e que Nosso Senhor o proteja, porque Dilma, PT e CNBB não vão gostar nada nada dessa linguagem clara, direta e verdadeira — um jeito “já esquecido” de usar as palavras.

  7. fora pt fora psdb fora direita e fora esquerda estes nomes tem origem na revolução francesa anti católica ao extremo…..

    é excomungado imediatamente quem é comunista ou apoia partidos comunistas. Isto vale pra partidos com o pp, o pr e o pmdb q estão na base aliada ?

    fora fhc fora fmi
    fora lula fora pco e pcb
    VIVA CRISTO (pena q dom luiz não falou que o Serra autorizou o pndh2 abortista com dinheiro publico o panfleto tinha q deixar isto claro tb não acham ?)

  8. Ana Maria Nunes resumiu o que ia dizer.

    Sem mais.

  9. Cara Ana Maria, pelo menos essa culpa, (respaldar abortista, como fazem tantos dos seus “irmãos no episcopado”), Dom Bergonzini não vai carregar.

  10. Que as palavras de dom Luiz caiam como semente em terra fértil em todos aqueles que o lerem.
    E rezemos para que o mundo tenha bispos mais firmes no trato com as questões tão caras à nossa fé.

  11. Caríssima senhora Prado, ele n respalda abortista, mas mata – aborta portanto -, almas ao dizer que há salvação fora da Igreja, logo, cai no aborto do mesmo jeito, abortando almas. Nunca, jamais um Católico pode achar que seja menos grave um bispo negar dogma, pra cima de mim só o alzheimer para me fazer esquecer isso.

  12. Uma manifestação oportuna, no entanto, Dilma está fazendo a lição de casa de sua cartilha comunistóide debilóide. Não se espere nada além disso.
    Por que ela se converteria e viraria de uma hora para outra um novo Garcia Moreno?
    Por acaso os senhores bispos (com poucas exceções) que compõe a CNBB são convertidos?
    Que tal um artigo declarando também que a CNBB é a matriz do PT e o vigário é Dom Demétrio Valentini?
    À propósito Dom Bergonzini, só para lembrar:
    Fora da Igreja, não há salvação!!!

  13. Salve Maria!
    Como ex defensor da descreça denominada comunismo/socialismo defendida pelo PT produzi o seguinte texto: http://linobatista.blogspot.com/2011/05/politica-no-brasil-alguem-duvida-que.html.

    A todos a paz de N.S. Jesus Cristo,
    Lino Batista

  14. Do que adianta se meter em política e ao mesmo tempo atacar a Tradição com um texto porco igual a esse em http://www.domluizbergonzini.com.br/2011/08/o-modernismo-e-os-tradicionalistas.html ? Não vejo diferença nenhuma entre as posições desse clero anti-PT e o site liberal Midia Sem Máscara do Astrólogo Olavo de Carvalho. Era melhor ficar calado.

  15. Excelente texto! Como Dom Bergonzini não vi outro igual. Ele realmente foi o único a falar com todas as letras contra o PT. Os demais se limitaram a falar nas entrelinhas, contando com o fato dos católicos assolados de modernismo fossem bom entendedores.

    Ana, ao dizer que “não católicos podem se salvar”, parece-me que não se pode afirmar categoricamente que ele tenha negado o dogma, no sentido de que ele pode ter pensando nos casos de ‘ignorância invencível’ e nos ‘meios extraordinários’ de salvação. Mas deve-se ter em mente que tal salvação se faz através da Igreja, e sempre por ela, no qual aquele que ignora invencivelmente faz parte de sua alma, embora esteja distante de seu corpo.O que ele pensou ao falar essa frase desnecessária e ambígua [dita ao abordar outro assunto bem diferente, provavelmente, na onda do ecumenicamente correto] não sabemos, mas também não podemos acusá-lo de uma heresia formal, visto que a possibilidade de heresia material ou mero erro está contemplada pela Teologia. Os critérios da Igreja para declarar alguém como herege formal são muito cuidadosos. Assim, seguindo a lei natural inscrita nos corações, querendo fazer o que é reto e ignorando invencivelmente a Revelação de Cristo, pessoas que nem mesmo conheceram a fé católica PODEM (um verbo que indica possibilidade e não certeza) chegar à salvação. O que não significa dizer que fora da Igreja há salvação. Ele faria bem se não tivesse feito essas afirmações ecumênicas e fosse mais preciso, mas temos que admitir que está apenas repetindo a lengalenga ecumênica do catecismo novo.

  16. Prezada Dona Ana Maria Nunes, Salva Maria!

    Espero que tudo esteja bem com a senhora e os seus.

    Costumo apreciar muitíssimo seus comentários aqui, mas desta vez não resisto em fazer o papel de “advogado do diabo”:

    É verdade que, naquela ocasião, o Revmo. Luiz Bergonzini se expressou com lacunas (para dizer o mínimo!) com respeito ao dogma “Fora da Igreja Não Há Salvação”, que não admite absolutamente nenhuma exceção, bem como sobre outros pontos graves de doutrina (a Sra. certamente se recorda do interessante comentário do blogue http://intribulationepatientes.wordpress.com/2011/06/27/ ).

    A afirmação de Bergonzini, porém, que serviu de base para a senhora e o Prof. Angueth acusarem-no de negar o dogma Extra Ecclesiam nulla salus: “A gente não pode dizer que só se salvam aqueles que são católicos” (aos 16 min. do vídeo), embora possivelmente mal sonante dadas as circunstâncias, de fato não equivale a negação do dogma de que fora da Igreja não há absolutamente nenhuma salvação:

    Pois a Igreja ensina que o acatólico de boa fé pode, em certos casos, estar ordenado para a Igreja “in voto” (por desejo) e assim, mediante as virtudes teologais (fé, esperança e caridade), salvar-se; e essa maneira de estar invisivelmente, inverificavelmente ordenado à Igreja não faz de alguém um católico.

    Nesse caso, costuma-se dizer que alguém assim se salvaria não mediante sua religião falsa, mas apesar dela.

    Poder-se-ia até chamar essa pessoa de “católico in voto (por desejo)”, mas de fato (in rem) não se trata de um católico, ou seja de um membro em ato da comunhão visível da Igreja Católica, muito embora essa pessoa hipotética tenha fé sobrenatural explícita quanto aos artigos de fé essenciais para a salvação.

    Concluo, porém, compartilhando em tudo o mais de sua santa indignação com tantos católicos conservadores de hoje que parecem dispostos a engolir todo o tipo de modernismo doutrinário desde que acompanhado de alguma defesa da lei natural.

    Atenciosamente,
    Em JMJ,
    Felipe Coelho

  17. Parabéns Dom Luiz!
    Meu Deus, como tem gente ignorante! Estão pegando trechos isolados de discursos de Dom Luiz e tirando conclusões estapafúrdias, como fazem os hereges protestantes ao citar a Bíblia! Não conseguem sequer dar valor aos poucos bons clérigos existentes. Para eles, só presta quem é do seu círculo!

  18. É uma pena que esse bispo já esteja aposentando… Deus há de levantar nesse país mais bispos como este com coragem de falar a verdade e não se esconder. Que a Virgem Maria proteja Dom Bergonzini!
    Alex do http://www.catolicosconservadores.wordpress.com

  19. Parabéns D. Bergonzini !!!

  20. Muito louvável a atitude de Dom Luiz Gonzaga. Certamente vai causar murmurações em muitos de seus colegas na CNBB.

    Não entendi a pergunta da Ana Maria. Dom Luiz nega algum dogma ? Alguém poderia me exclarecer ? Muito Obrigado.

  21. Peço ao sr. Ferreti conceder mais tempinho, se possível, de desvio deste post.
    E é só para dar meu parecer favorável ao comentário do sr. Felipe Coelho, acima, quando esclareceu que o Bispo em questão não negou o dogma católico.
    Para tentar esclarecer um pouco mais, digo que há uma forte tendência de leigos católicos atuais (influenciados por “gurús” de seitas metidas no seio da Igreja) a sentenciar excomunhões e definir quem é ou quem não é herege, sede-vacantista, etc., com a maior simplicidade do mundo.
    Ora, tais gurus, por razões que nem é preciso explicar, não possuem nenhuma autoridade, ou mesmo um papel de ensinar e definir, o que quer que seja, em matéria de doutrrina, quem está fora ou está dentro, etc..
    Pode-se dizer de outra forma, que tais “gurús” bradam facilmente sua afirmações porque não tem a responsabilidade de um clérigo. E, sabe-se, ao que não é reponsável…é sempre fácil falar!
    Conheci um, para exemplificar, que contava ao “!mais chegados” as confissões que seu alunos lhe faziam.
    Pois, pensava êle, se não tenho a responsabilidade do padre (a obrigação do segredo), então posso contar! Ou seja, cometia uma grande safadeza.
    Já ao clérigo, é sempre dificil condenar, excomungar, definir, etc.,…porque têm responsabilidade! Agem como um pai, ou pastor, diga-se. Têm sempre que pesar Justiça e Caridade…
    Então concluo, dizendo ao amigos leigos que sejam sempre prudentes e humildes ao falar ou escrever contra outrem, especialmente se se tratar de clérigos, pois são também, além de tudo, os amigos mais íntimos (Jo, 12-17) de nosso amado Senhor e Mestre Verdadeiro, Jesus Cristo.
    E que se afastem de “gurús” intrometidos.

    Um abraço, alfredo.

  22. Felipe Coelho, minha família está bem e espero que a sua tb esteja.

    Pois é, sabemos de algumas condições para salvação de não Católicos, mas no caso da fala do bispo essas condições n foram citadas. Só os acostumados a ver pêlo em ovo a viram.

    Fique com Deus, abraço

  23. http://pt-br.justin.tv/institutoplinio/b/288490754

    .. nas outras religiões existem sim sementes da verdade, como não? A gente n pode dizer que só se salvam aqueles que são Católicos. Pessoas n Católicas, pessoas que vivem corretamente, pessoas que praticam caridade, pessoas que são justas essas são as chamadas sementes do Evangelho. Essas também podem se salvar. E vejam bem gente, ás vezes certas pessoas que n são Católicas são verdadeiros exemplos de fidelidade às leis de Deus para nós, na moral, no comportamento. Então é necessário que nós tenhamos essa consciência. O Brasil graças a Deus é um Estado laico….

  24. Concordo plenamente que há gente ignorante e muitos são professores. N fiz interpretação de nada, apenas ouvi o que foi dito pelo bispo e, graça a Deus n faça parte desse quadrado da primavera sem flores!

  25. Cara Ana Maria, só não estou misturando as estações. Não estou louvando o Bispo como o fiel defensor da tradição católica que ele não é. Apenas louvei as palavras dele pelas verdades que elas contêm, ou antes: louvei A PRÓPRIA VERDADE, ainda que tenha vindo de uma boca que nem sempre diz coisas justas. E jamais, JAMAIS, eu disse, diria ou direi que negar um dogma é menos grave que defender o aborto.

  26. Salve Maria, Dona Ana!

    Aqui também tudo vai bem, graças a Deus.

    De fato, a senhora tem razão que (ao contrário do que muitos pensam) é possível cometer heresia até mesmo por omissão.

    Apenas, — sobretudo em se tratando de alguém que se destaca de seus pares pela coragem em condenar a heresia comunista, — parece-me que nesses casos de acusação de heresia somos obrigados quase a procurar pêlo em ovo.

    Mas claro que os tempos são maus, e todo o cuidado é pouco!

    Abraços,
    Em JMJ,
    Felipe Coelho