CNBB [Conferência Nacional de Bananas do Brasil] faz acordo com Marta Suplicy sobre projeto de lei que criminaliza a homofobia.

O Globo | Brasília – Num acerto com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a senadora Marta Suplicy (PT-SP) flexibilizou seu substitutivo do projeto de lei que criminaliza a homofobia, permitindo que em templos padres e pastores possam continuar pregando em missas e cultos contra a homossexualidade. Mesmo com as alterações, a relatora do projeto não conseguiu acordo com os segmentos evangélicos na Casa. Ainda assim, ela vai tentar na quarta aprovar a proposta na Comissão de Direitos Humanos (CDH) e, depois, no plenário, para que seja enviado à Câmara. Lá, o texto poderá ser alterado ou gerar um novo projeto, saindo de sua responsabilidade.

Há uma grande cobrança da comunidade LGBT para que o projeto ande, mas, sem acordo, está parado desde o inicio do ano no Senado.

– Se conseguirmos aprovar, nada está certo que vamos conseguir, damos um passo avante. Daí encaminhamos para Câmara, onde poderão aprimorar ou propor um novo projeto com mais avanços. Se formos esperar um consenso sobre o projeto original que é de 2001, aqui não teria condição de passar. Vamos ver o que conseguimos aprovar para fazer o projeto andar. Senão vou ficar aqui oito anos e no final vou dizer que não conseguimos aprovar nada – disse Marta Suplicy.

Depois de fazer o acordo com a CNBB, Marta tentou convencer o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) de que um artigo incluído no projeto retirava a possibilidade de punição a pastores em suas pregações contra homossexuais. O novo texto diz que o disposto na lei não se aplica à manifestação “pacífica de pensamento decorrente de fé e da moral fundada na liberdade de consciência , de crença e de religião”.

– Eu disse para o Crivella: fizemos um acordo com a CNBB e vocês vão ficar do lado do Bolsonaro? – contou Marta, em referência ao deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), conhecido por sua oposição às propostas de intesse à comunidade LGBT.

Mas Crivella não se sensibilizou. Disse que o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), tentou um acordo em torno de outro projeto, chamado de Lei do Sexismo, que coibia qualquer intolerância contra heterossexuais, homossexuais e bissexuais, mas Marta Suplicy não aceitou.

– Não podemos concordar em condicionar a liberdade de expressão religiosa ao termo “pacífica”. O que é pacífico para a lei, para ela e para você? Nossos pastores falam com muita veemência em suas pregações. E as penas são pesadas. Dependendo da interpretação, podem pegar até três anos de prisão – disse Crivella.

Renan Calheiros confirmou que dificilmente o substitutivo de Marta Suplicy será aprovado na CDH.

– Tem algumas pessoas aí organizando resistências – disse Renan, citando Crivella e o senador Magno Malta (PTB-ES).

Sem acordo com os senadores da bancada evangélica, Marta Suplicy também enfrentou a oposição da Frente Parlamentar pela Cidadania LGBT, que se articula para derrubar as modificações feitas para agradar à Igreja. A frente se reuniu nesta terça-feira e reclamou de não ter sido chamada para discutir as concessões feitas no projeto. O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) levantou dúvidas sobre o motivo da pressa em votar um texto “inócuo” às vésperas da II Conferência Nacional LGBT.

“Compactuando com o entendimento de que o substitutivo não contempla os diversos segmentos do movimento homossexual, um dos representantes do setorial LGBT do PSOL presentes lembrou aos presentes do documento tirado na Conferência de São Paulo – base eleitoral da senadora – em que o movimento se afirma contrário a qualquer substitutivo que não contemple as demandas históricas do movimento”, diz texto de nota divulgado pela frente LGBT.

– Nós não queremos esse texto, mas também não queremos que os conservadores vençam essa batalha. Queremos apresentar um voto em separado que devolva as características originais do projeto. Na hipótese de uma votação contrária e do projeto ser enterrado na votação, vamos montar uma estratégia para garantir que o projeto continue tramitando – disse Wyllys.

23 Responses to “CNBB [Conferência Nacional de Bananas do Brasil] faz acordo com Marta Suplicy sobre projeto de lei que criminaliza a homofobia.”

  1. Quem diria: Crivella, da IURD de Edir Macedo, uma seita que é inimiga declarada da Igreja de NSJC, sendo mais católico que os “bispos” da tal CNBdoB.
    Quer dizer que para os “nossos pastores”, uma pequena concessão já basta para dar o seu aval a todo o resto do diabólico PL122. Isto é o mesmo que calar a voz diante da proteção escancarada – ou promoção mesmo – deste pecado terrível da sodomia que leva milhares de almas à perdição eterna. Agora esses depravados poderão alegar que terão a “chancela da omissão” da CNBdoB. Sem dúvida um incentivo a mais. Que tempos!

  2. “CNBB faz acordo com Marta Suplicy”…

    Que acordo pode haver entre Cristo e Belial?

    Well, só se a tal CNBB não for de Cristo…

  3. Já tô até vendo as próximas Campanhas da Fraternidade da satânista CNBB:

    “Ser gay é de Deus, também na Saude Pública.”;

    “Deus ama os gays e também o Saneamento Básico.”

    “Gays e MST, filhos de Deus.”

    “Surpreendente e intrigante… Algo de muito ruim deve vir por aí… Geralmente quando a CNBB dá uma dentro ela dá 100 fora… e 100 foras de alta periculosidade.”

    https://fratresinunum.com/2011/11/30/enfim-cnbb-trata-de-algum-assunto-relacionado-a-fe-catolica/#comments

    Moisés Gomes, acertou na mosca.

  4. Não me lembro de alguma vez ter ouvido num sermão o padre falar que o ato homossexual é pecado.É raro se ouvir falar com todas as letras em pecado,quanto mais num pecado que é politicamente incorreto falar.Talvez dai venha o motivo deste acordo da CNBB com a deputada.Como se dissessem assim: Pra nós tudo bem,não falamos em pecado mesmo.

    No fim do primeira frase diz “contra a homossexualidade”. Há que se fazer uma correção,pelo menos da parte católica.Não é pecado ser homossexual,pecado é o ato homossexual. Do jeito que colocaram dá a entender que ser homossexual é pecado.Pecado é praticar o ato homossexual,como o é o divórcio,o ato de adultério,etc…Mais uma distorção da midia,como sempre,contra a religião.

    Agora,dá parte destes pastores,não sei dizer o que eles pregam nos seus cultos,se fazem uma pregação genérica contra o homossexual,sem diferenciar a pessoa do ato.Se for assim,isso é um pecado de falta de caridade sem tamanho.Além do que dá armas para o poderoso grupo de adversários: movimento LGBT,governo,midia,esquerdistas em geral,classe artística,ongs,etc…

    Fiquem com Deus.

    Flavio.

  5. Meus Deus, que gente podre, asquerosas mesmo. E que não venha nenhum dos puxa-sacos falar que se tem que ter respeito por fulano ou sicrano. Não dá pra se ter respeito com essa gente não. São uma verdadeira horda de comunistas, bolchevistas, revolucionários infiltrados dentro da igreja.
    Deveriam ser todos enviados pra Cuba pra viverem no paraíso soviético que eles tanto amam e tentam implantar em nosso país.

    Que Nossa Senhora rogue por nós, pq está cada vez mais dificil…

  6. Como condenar um pecado que infesta, lamentavelmente, nossas sacristias?

    “Os sacerdotes, ministros de meu Filho, os sacerdotes, por causa da sua vida má, pelas suas irreverências e pela sua impiedade ao celebrar os santos mistérios, pelo amor ao dinheiro, o amor às honras e aos prazeres, os sacerdotes converteram-se em cloacas de impureza. Sim, os sacerdotes provocam a vingança e a vingança pende sobre suas cabeças”. Nossa Senhora em la Salete

  7. A estranha atitude da CNBB me lembrou agora um lamentável discurso do Papa Paulo VI ao final do Vaticano II onde ele repete literalmente as palavras do condenado herege Lamennais:

    “A Igreja não pede mais do que a liberdade”.

    Doutrina condenada por Gregório XVI e Pio IX.

  8. Mas que belo tiro no pé! Além de tal projeto ser escandaloso, a CNBB APOIA UMA LEI QUE ABRE O PRECEDENTE DE QUE O DISCURSO RELIGIOSO SEJA RESTRITO AOS TEMPLOS!!!

  9. Uiiiiiiiiiiiiiiiiii…

    Claro, amiguinhos… A CNB do B deve apoiar todos os movimentos da pacha mamma, ah, termo “aggiornado” e inculturado das coisas da terra, antigamente, quando ainda existia Igreja Católica, era chamado de imanência…

    Depois a gente fala que essa gente é sucessora do Apóstolo JUDAS ISCARIOTES tem pessoas que acham “uma violência”!

    O que pensar dessa gente da CNB do B?

    Credo! Tudo de mal que imagino, eles conseguem ir muito mais além… São os expert’s do mal, da abominação…

    O pai deles (CNB do B), Satanás, deve estar muito, muito feliz com “sua cria diabólica”… O inferno não existe, bispos de mitra penosa e doutrina duvidosa, hereges anglicanos , desculpe-me “irmãos separados” bispos gays dando “cursos”, acordo com Marta “Suplício”, “abertura ao movimento GLBT”, bem, o que mais precisa? Um sacrifício humano numa catedral em honra a Baal?

    Nossa, o profeta Jeremias já tinha visto essa gente, talvez por isso nunca “curtem” esse “tal profeta”…

    A essa gente que D. Rifan “rifou” a sua grei? Foi a essa gente que se “alinharam”?

    Isso é um dos “frutos” da “primavera conciliar”… Daqui a pouco tempo termos casamentos gays nos templos deles, na “igreja oficial”…

    Uiiiiiiiiiii… Que lindo!

    Ao invés das antiquadas saudações como “Venha anós o Vosso Reino”, “Ave Maria Puríssima”, todas superadas e cheirando a mofo, todas substituídas pela “aggiornada” e inculturada expressão de fé da CNB do B:

    “Tá boa, santa?”

    Ui..ui..ui…

    Desculpem-me, amigos, sei que este é um espaço sério, mas essa “igreja oficial da CNB do B”, definitivamente não é nem séria, nem Cristã…

    Uiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii…

  10. O tal Projeto de Lei 122 ficou pior na emenda que no soneto. O acordo entre a Conferência Nacional das Bestas do Brasil e a proferidora do célebre Relaxa e goza! deu-se porque as Bestas viram vantagem na atenuação das restrições às pregações religiosas — como se as mesmas Bestas ainda proferissem pregações “religiosas”…

    O adendo de dona Marta não contribui com a “liberdade religiosa”, mas com a teatralização da religião, visto que os ministros religiosos poderão pregar no templo MAS os fiéis não poderão empregar a prédica na sociedade. O padre fala, mas os fiéis não podem realizar. Deus, mais uma vez, é Relegado a um setor, cada vez mais recôndito e esquecido.

    O papai, a mamãe e o filhinho ouvem domingo na Missa o padre dizer que homossexualismo é pecado. Dito o amém, saem daquele lugar mágico e irreal que é o templo e retornam à sociedade. Na segunda o filho chega em casa abraçado ao namorado. Se a mãe ou o pai decidirem levar em conta o que ouviram do padre, a sociedade os punirá, pois esse posicionamento retrógrado é permitido somente nos limites do templo religioso! O adendo à Lei torna o culto religioso uma peça teatral semanal.
    E a Senibebê engoliu…

    A política quis agradar a Igreja, e conseguiu!
    A política quis enganar a Igreja, e conseguiu!
    Foi-se o tempo dos prelados de têmpera, desconfiados das artimanhas do saeculum, que não se agradavam com qualquer esmola e muito menos se enganavam com qualquer lisonja secular!

    A Senibebê, mais uma vez, estende suas mãozinhas macias ao comunismo, para a glória e engrandecimento de Satanás, para a humilhação da Igreja de Jesus Cristo e para a perdição de muitas almas.

    Os nossos Chapeuzinhos Vermelhos (os que usam solidéu) dão mais um passo em direção à Casa da Vovó, onde lhes aguarda o Lobo!

    Não duvido que haja mal-intencionados na Senibebê, mas tenho certeza que são poucos. A maioria dos Bispos brasileiros são ILUDIDOS, burros e loucos!

  11. Gente, estou aterrorizado, devemos agarrar os nossos terços e oferecer nossas orações e súplicas à Deus e à Santíssima Virgem. As promessas de La Sallete e Fátima são atuais.

  12. Há males que vem pra bem…

    Quem diria que estaríamos dependendo dos “evangélicos” para defender um assunto de interesse católico, quando nem os Bispos do Brasil o querem defender.

    Que tempos, minha gente, que tempos!

  13. Mais uma vez a CNBB acaba com o pouco de credibilidade que ainda restara, onde vamos parar com essa instituição pseudocristã? O que será que o Vaticano pensará sobre o assunto? Devemos mais uma vez, iniciar uma série de protestos contra a CNBB.

  14. Caro Jorge, que espécie de “acordo” é essse entre a CNBB e esse projeto dos infernos?
    A CNBB tem poder pra falar em nome de todos os católicos?
    O que a CNBB espera com esse “acordo”? Que vergonha.

  15. Não se faz acordo com o Demônio!…
    O que esses bocós pensam? Acham que vão aggiornar a proposta para algo mais, digamos, palatável, tolerante? Nunca!
    O Demônio não faz concessões, mas cria uma maior permissividade com um discruso menos beligerante e mais malicioso.
    ai de nós…

  16. Desculpem, eu citei o Jorge, mas ele é de outro blog, Deus lo Vult.

  17. Assistam a gravação da aula ao vivo com o Padre Paulo Ricardo a respeito da PL122 – A lei da mordaça gay que aconteceu ontem a noite. Recomendo.

  18. .
    Calma lá !!
    .
    A CNBB está desmentindo esse “acordo”.
    .
    http://www.cnbb.org.br/site/imprensa/noticias/8262-nota-de-esclarecimento-sobre-projeto-de-criminalizacao-da-homofobia
    .
    Penso também que está faltando uma nota mais precisa.
    Menos mal, por enquanto.

  19. Há alguns dias levei uma paulada nesse site por preferir que, pelo menos, alguém levasse o nome de Jesus aos pagãos já que a Igreja Católica não quer fazer “proselitismo”. Talvez tenha errado, sim…….
    Mas quando vejo o tipo de acordo de acordo que teria feito a CNBB com Marta Suplicy (valha-nos Deus!) só com a adição da palavra “pacífico” – os evangélicos inteligentemente observaram que até um discurso mais contundente pode ser considerado “ofensivo”, dependendo, é claro, da má-vontade de algum gayzista em entender – fico pensando, de novo, que já que a Igreja Católica não defende especificamente esse ponto da Lei da Deus, quem sabe não devemos agradecer aos protestantes por defenderem especificamente esse ponto da Lei de Deus?
    Alguém já ouviu em algum sermão um Padre atacar o homossexualismo?

  20. Alguém já ouviu em algum sermão um Padre atacar o homossexualismo?
    Quem faz gol contra é frangueiro…

  21. Será por que, a CMBB não cumpre com precisão seu dever de pastor?
    Será que eles tem medo desta tal de Marta ….?
    JOELSON RIBEIRO RAMOS.

Trackbacks