Nota da CNBB desmente “acordo” com Marta Suplicy. Mas não expressa nenhuma desaprovação…

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

Brasília, 07 de dezembro de 2011

A presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), por fidelidade a Cristo e à Igreja, no firme propósito de ser instrumento da verdade, vem esclarecer que, atendendo à solicitação da senadora Marta Suplicy, a recebeu em audiência, no dia 1º de dezembro de 2011, e ouviu sua apresentação sobre o texto substitutivo para o PL 122/2006.

A presidência da CNBB não fez acordo com a senadora, conforme noticiou parte da imprensa. Na ocasião, fez observações, deu sugestões e se comprometeu com a senadora a continuar acompanhando o desenrolar da discussão sobre o projeto. Reiterou, ainda, a posição da Igreja de combater todo tipo de discriminação e manifestou, por fim, sua fraterna e permanente disposição para o diálogo e colaboração em tudo o que diz respeito ao bem da pessoa humana.

Cardeal Raymundo Damasceno Assis

Arcebispo de Aparecida

Presidente da CNBB

Fonte: CNBB

* * *

Por sua vez, o assessor de imprensa da CNBB, Padre Rafael Vieira, em entrevista à ACI Digital, declarou que os bispos não encontraram no texto “nada que aplaudir, nem nada que repudiar”. “A informação que temos é: a senadora fez uma visita à sede da conferência dos bispos, apresentou o seu texto substitutivo do Projeto de lei e os bispos não encontraram no texto dela nada que fosse merecedor de registro”.

Nada que repudiar?!

O fato, Padre Rafael, é que a tibieza na defesa da moral por parte da CNBB pode facilmente ter feito a senadora (da qual, por seu histórico, não se deve esperar muita honestidade intelectual) interpretar  tal fato como um “acordo” tácito. Afinal, quem cala consente.

Excelências, em nome de vossos propósitos de colaborar “em tudo o que diz respeito ao bem da pessoa humana”: pedi demissão de vossos cargos e ide gozar vossas aposentadorias!

32 Comentários to “Nota da CNBB desmente “acordo” com Marta Suplicy. Mas não expressa nenhuma desaprovação…”

  1. O mesmo discurso pastoso de sempre… Deveriam esclarecer também que o PL-122 cerceia a liberdade religiosa.

  2. “Excelências, em nome de vossos propósitos de colaborar “em tudo o que diz respeito ao bem da pessoa humana”: pedi demissão de vossos cargos e ide gozar vossas aposentadorias!” [2]

  3. “Judas, com um beijo trais o Filho do Homem”

  4. a CNBB como sempre não demonstra está do lado de Nosso Senhor, e como Ele mesmo disse: Quem não está comigo está contra mim.

  5. Errata: “Judas, com um beijo traís o Filho do Homem!”

  6. A Igreja não combate todo tipo de discriminação coisa nenhuma, ela combate as discriminações injustas, as justas, como a não aceitação do casamento homossexual e a apologia à homossexualidade enraizada nas sociedades.

  7. Tb acho que n fizeram acordo algum, imagine, bando de grupo restrito vcs. Respeitem os príncipes, é melhor errar com eles do que sozinho.

  8. ERRATA

    (..) as justas, como a não aceitação do casamento homossexual e a apologia à homossexualidade enraizada nas sociedades, NÃO SÃO OBJETOS DE COMBATE, PELO CONTRÁRIO.

  9. Quem é morno será vomitado.

  10. “Excelências, em nome de vossos propósitos de colaborar “em tudo o que diz respeito ao bem da pessoa humana”: pedi demissão de vossos cargos e ide gozar vossas aposentadorias!” [3]

  11. “Excelências, em nome de vossos propósitos de colaborar “em tudo o que diz respeito ao bem da pessoa humana”: pedi demissão de vossos cargos e ide gozar vossas aposentadorias!” [4]

  12. Senhora Ana Maria,
    Desta vez concordo com a senhora.

  13. Meus amigos, vocês ainda não perceberam que a CNB do B repete as “palavras sábias do Concílio Vaticano II”, com a mesma ambiguidade e a forma dúbia na qual foram redigidos os graaaaandesssss documento do CVII?

    Quando digo aqui que essa gente se mostra, sem sombra de dúvidas, que têm a sucessão do Apóstolo JUDAS ISCARIOTES, alguns leitores deste Blog, se assustam.

    Pergunto a vocês: qual outra barbariadae que essa gente deve fazer para que os “católicos” acordem?

    Estes são os maus pastores que vêem o lobo chegar e devorar as ovelhas e nada fazem… A situação se mostra clara, eles são apóstatas, são piores que os hereges, uma vez que o tal bispo Crivella e o tal Malta são DECLARADAMENTE NÃO CATÓLICOS! Eles, apesar de não professarem a Verdadeira e ÚNICA FÉ, defendem a moral cristã!

    Bem nos ensinou São Pio X que os “piores inimigos da Igreja estão em suas entranhas, em suas veias e não havia lugar onde não tivessem colocado sua mão sacrílega (…)”

    Malditos sejam, maus pastores!
    Os senhores são muito piores que os hereges, pois são covardes! Eles ainda são mais valentes, uma vez que assumiram que não querem fazer parte da Igreja, enquanto os senhores a destroem por dentro, tal como um tumor maligno!

    Devoradores das ofertas das viuvas e dos pobres!

    Raça de víboras!
    Nosso Senhor há de expulsá-los do templo a chibatadas, seus maus pastores!
    Sucessores de JUDAS ISCARIOTES e sumos sacerdotes de Baal!

    Leiam o livro do Profeta Jeremias e vejam o que o Altíssimo lhes diz pela boca do Santo Profeta, seus cegos que conduzem outros cegos!

    Amigos, uma vez mais lhes escrevo: por mais que possa imaginar que a CNB do B possa fazer mal a Igreja, eles se superam: sempre são capazes de fazer muito pior que o mal que imaginamos!

    Cuidado, falsos pastores!
    Suas igrejas se esvaziam, seus dízimos caem e erão de “dividir” as ricas propriedades que os senhores “herdaram” da Igreja, que hoje os senhores estão ademolir!

    Cuidado, falsos pastores!
    Agora, o que restava de moral, se é que havia restado algo, os senhores acabam de lançar no lixo!

    Covardes!
    Ao menos assumam o acordo escuso que fizeram!

    Deus nos livre desses apóstatas malditos!
    E ainda me vem à memória uma outra questão: mas é a essa gente que D. Fellay quer “voltar à plena comunhão”?

    Acreditava que a igreja conciliar seria um circo, porém, agora estão a transformar o circo, com sua opereta bufa, em um verdadeiro jardim zoológico!

    De toda essa apostasia, livrai-nos Senhor!

    De toda a mentira, livrai-nos Senhor!

    De todos os maus pastores, livrai-nos Senhor!

    Volte logo, Jesus! E expulsai esses malditos do Templo!

  14. Correção:

    Cuidado, falsos pastores!
    Suas igrejas se esvaziam, seus dízimos caem e TERÃO de “dividir” as ricas propriedades que os senhores “herdaram” da Igreja, que hoje os senhores estão A DEMOLIR!

  15. Padre Rafael Vieira… declarou que OS BISPOS não encontraram no texto “nada que aplaudir, nem nada que repudiar” [no infernal PLC122 que promove o pecado da sodomia e do lesbianismo e persegue quem a denuncia].
    .
    “Quem não está comigo está contra mim; e quem não ajunta comigo, espalha.”
    (Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo o testemunho de São Mateus, em Mt 12,30)

  16. “Nada que aprovar e/ou repudiar.” Aí eu me questiono, será que a CNBB reconheceu ali algo que ler? E o Motu próprio CNBB, há o que repudiar? Então porque não se-lhe aplica, divulga e fomenta? Bem, perguntar não ofende…

  17. Temos que nos mobilizar!
    O texto divulgado pela CNBB deixa dúvidas no ar. Utilizam artifícios retóricos, sem qualquer objetividade.
    A CNBB tem que se posicionar de forma clara (e rápido). Excelências, os senhores envergonham os católicos:
    “pedi demissão de vossos cargos e ide gozar vossas aposentadorias!”

  18. Dom Damasceno, no entanto, até agora está se saindo um pouco melhor que seu antecessor – sejamos justos. Nunca sairia as palavras “fidelidade” e “Igreja de Cristo” numa mesma frase há dois anos atrás…

  19. Digo e repito: comunistas, marxistas, bolchevistas, usando o manto de piedade e de clérigos. Vão para Cuba viver em seu paraíso soviético.

    Tem hora que a paciência acaba mesmo sabe…

  20. Como sempre, não disse nem que sim nem que não. Passou disso. É do demônio.

    Parafraseando Olavo de Carvalho, cada vez que a CNBB abre a boca a Igreja sai perdendo…

  21. “Excelências, em nome de vossos propósitos de colaborar “em tudo o que diz respeito ao bem da pessoa humana”: pedi demissão de vossos cargos e ide gozar vossas aposentadorias!” [5]

  22. “Excelências, em nome de vossos propósitos de colaborar “em tudo o que diz respeito ao bem da pessoa humana”: pedi demissão de vossos cargos e ide gozar vossas aposentadorias!” [6]

  23. Paulo, concorda pq n entendeu o que eu disse. Sofro com insônia e não de ausência da capacidade cognitiva, .

  24. “A presidência da CNBB não fez acordo com a senadora, conforme noticiou parte da imprensa. Na ocasião, fez observações, deu sugestões e se comprometeu com a senadora a continuar acompanhando o desenrolar da discussão sobre o projeto. Reiterou, ainda, a posição da Igreja de combater todo tipo de discriminação e manifestou, por fim, sua fraterna e permanente disposição para o diálogo e colaboração em tudo o que diz respeito ao bem da pessoa humana.”

    Só esse paragráfo já mostra que hove sim um acordo da satânica CNB do B com a satânica Marta Suplicy.

    A CNB do B será vomitada, pois é morna.

    “Na ocasião, fez observações, deu sugestões…”

    Será que essas sugestões de só nas missas se fazer critica contra o comportamento homossexual foi feita pela CNB do B?

    Começo a achar que sim! Pois todos nós sabemos que os sacerdotes não pregam mais contra o homossexualismo nas nossas igrejas.

    Ficando no silêncio habitual, a CNB do B com o tempo aceitaria de vez a união homossexual, e seria um dos seus porta-vozes.

  25. Eu tinha um comentário a fazer mas prefiro esperar um pouco. A cnbb do B diz… O seu porta-voz diz que não disse. Se vem desse grupo de bispos você pode até acreditar já confiar, nunca! Gente suja!…

  26. A seita católica carismática de Belem respondeu a Nota da CNBB, vejam:

    http://www.igrejacatolicacarismatica.org.br/

    Isto exige da CNBB uma resposta apologética, seja por caridade aos “belenitas” ou pela proteção do rebanho. O representante da seita fundada pelo “patriarca” Emmanuel Millingo (com sé patriarcal em Seul), cometeu uma série de erros na resposta. Será que os Bispos da CNBB vão responder?

    Fiquem com Deus.

  27. O “desmentido” que não desmente

    Paulo Roberto Campos
    http://blogdafamiliacatolica.blogspot.com/

    Afirmei que a notícia do “acordo” entre a CNBB e a senadora Marta Suplicy para a aprovação da “Lei da homofobia”, divulgada pela mídia, exigia — caso não tivesse havido acordo algum — um desmentido “urgente e taxativo” por parte daquele órgão eclesiástico.

    Hoje pela manhã recebi um e-mail de meu amigo Flávio Matihara, encaminhando-me o “esclarecimento” que, à guisa de desmentido, fez a CNBB. Ele se encontra no site da entidade (http://www.cnbb.org.br/site/) e intitula-se: “Nota de esclarecimento sobre projeto de criminalização da homofobia”. Vejam a nota [click na imagem no final] e observem que ela não esclarece por que a CNBB não aproveitou a “audiência, no dia 1º de dezembro de 2011”, para então pedir à senadora que desistisse definitivamente de seu infame “Projeto de Lei 122/2006”, por ser ele tão contrário às Leis de Deus e até mesmo restringir a liberdade religiosa e de expressão.

    Afirma a nota: “A presidência da CNBB não fez acordo com a senadora, conforme noticiou parte da imprensa. Na ocasião, fez observações, deu sugestões e se comprometeu com a senadora a continuar acompanhando o desenrolar da discussão sobre o projeto”. Mas não diz que observações e que sugestões teria feito à senadora petista… No entanto, Marta Suplicy saiu bem contente do encontro, a tal ponto que falou do fechamento de um “acordo” com a CNBB. Sobretudo — o que também causa MUITA ESTRANHEZA — a nota não manifesta NENHUMA REPULSA à aberrante “Lei da homofobia”, como se o projeto fosse um outro qualquer, que não atentasse profundamente contra a moral católica.

    A nota termina manifestando a disposição da Igreja em “combater todo tipo de discriminação”. Ora, para isso não precisa da “Lei da homofobia”. Além de persecutória, seria uma lei completamente inútil, pois nosso Código Penal já protege TODOS os cidadãos contra discriminações, defendendo-os de qualquer agressão.

    Para fundamentar o que afirmo, eis o que, em artigo no “Jornal do Advogado” (edição Março/2011), diz a Dra. Helena Lobo da Costa, advogada e professora de Direito Processual Penal na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo:

    “Ofender a dignidade ou o decoro de outra pessoa, pratica crime de injúria, previsto em nosso Código Penal no artigo 140. Se, na prática de injúria, for empregada violência, configura-se a denominada injúria real, infração com pena mais alta do que a injúria simples… Se for ainda mais grave [uma agressão], consistindo na prática de lesões corporais, aplica-se o artigo 129 do Código Penal… [no caso de] lesão corporal de natureza grave ou de natureza gravíssima… sofrer ferimentos que a impeçam de trabalhar por mais de 30 dias, o agressor ficará sujeito a uma pena de 1 a 5 anos de reclusão. Da mesma forma, se a vítima sofrer perda de alguma função corporal em decorrência dos ferimentos, a pena será de 2 a 8 anos. Também é preciso mencionar que, em todas as hipóteses até aqui mencionadas, o juiz poderá aplicar uma causa de aumento de pena em razão da motivação torpe do agente… [no caso de] homicídio doloso, qualificado por motivo torpe… [pena de 12 a 30 anos de reclusão]. Não é portanto a falta de tipos penais em nossa legislação… Acrescentar novas figuras típicas não apenas seria desnecessário como também acabaria por criar dificuldades interpretativas e espaços de sobreposição de tipos penais que, muitas vezes, resultam em empecilhos à aplicação da lei… A criação de novos tipos penais [“Lei da homofobia”] apenas causará confusão interpretativa e dificuldades na aplicação”.

    Logo, não há qualquer necessidade de uma lei exclusivista para proteger e privilegiar só uma determinada classe — no caso, para conceder privilégios a uma classe de pessoas que praticam uma perversão sexual antinatural, um pecado que — por ser contra a natureza — “brada aos Céus e clama a Deus por vingança”, segundo a enérgica linguagem do Catecismo. Linguagem que está de acordo com o recomendado por Nosso Senhor Jesus Cristo no Evangelho: “Seja a vossa linguagem sim, sim; não não” (Mt. 5,37) — bem diferente da empregada na referida nota…

    Mas deixando de lado o bla-bla-blá da nota da CNBB, continuemos em nossa importante campanha de protesto contra a aprovação da abjeta “lei da homofobia”. Aqueles que ainda não registraram o seu protesto, poderão fazê-lo agora mesmo no seguinte link:

    http://www.ipco.org.br/home/

  28. Gederson;

    Pax tibi!

    Não, caro amigo, a CNB do B não pode responder por três motivos:

    * 1º – Eles também são cristãos e têm o direito de manifestar sua “fé”, uma vez que a Unitatis Reintagratio do graaaaaande Concílio Vaticano II, outorga-lhes esse direito, pois, são irmãos separados.

    * 2º – A CNB do B não tem doutrina, pois isso é coisa do passado, de gente de um “grupo restrito”, pois são opressores e violentamente fanáticos, fundamentalistas, fundamentando-se em doutrianas arcaicas e cheirando a mofo, visto que a Gaudium et Spes e a Mater e Magistra ensina que todos se salvam, até mesmo o Demônio. (Inclisive, este se converteu após o CVII, lendo o Paesbiteorum Ordinis, entrou num feminário, digo casa de deformação, foi ordenado, e depois de várias experiências pastorais, agora foi noemado bispo, e faz parte da Presidência da CNB do B, trabalhando no setor de Liturgia com as irmãs IBusti, Gebara, Silde Coldebella e Myriam Kolling…;

    * 3º – A CNB do B está muito ocupada, preparando a próxima Campanha da Fraternidade:

    “A minoria geme com a mãe Terra: solte sua franga, Gay também é gente!”

    Portanto, desse mal a gente não morre, eles não responderão.
    Acaso respondam, serão tão dúbios e evasivos que para um grupo de membros da CNB do B estarão condenando, para outro, estarão elogiando, tal qual os documentos do graaaaaaaaande CVII.

    Somente vão ficar muito bravos, tal qual a CN se, por acaso, cair a arrecadação. Mas mesmo assim, not problem, my friend, convidarão o Eto, o Mau$enhor$ e aquele escritório que ensinou aos Legionários a assaltar, digo, a pedir ajuda com mais ênfase…

    Igual aos Presidentes da Assembleia, antigamente se chamavam “Padres” (coisa superada), estão sempre ocupados em reuniões em campanhas e em grupos…

    Enquanto eles se ocupam em nada fazer, os lobos atacam o restante das ovelhas… Pior, com a ajuda desses falsos pastores…

    Portanto, Gederson, vamos solicitar a esses velhos senhores que se aposentem logo, ontem, de preferência!

    Abração;

    Felipe Leão.

  29. Palavra de assessor e nada, é a mesma coisa.
    Cadê o pronunciamento oficial da CNBB a respeito do projeto ?

    Como sempre a mornidão e a indiferença.
    Se fosse sérios,ao invés de receber, excomungavam essa abortista e gayzista !

  30. Correto Ferretti, é que estava “pensando” num posicionamento mais
    incisivo da CNBB em relação ao projeto em si.

  31. Gederson, como sabemos a cnbb nunca fui Católica, para calar a seita só usando os 2 mil anos da Igreja e isso a cnbb nega desde que surgiu, então, já que aparece um ‘iluminado plena comunhão da primavera sem flores” e dá a ideia de um acordo com outra seita para calar essa, claro que tudo em plena comunhão como fez o ranjith (a maior decepção para mim em 2011!!!!!) no Siri Lanka.