Grandes funerais na corte!

Por Francesco Colafemmina | Tradução: Fratres in Unum.com

Bertone comenta partida de futebol para televisão italiana.

Bertone comenta partida de futebol para televisão italiana.

Muitos de vocês viram na noite passada o programa de TV “Os Intocáveis”, comandado na La7 por Gianluigi Nuzzi. Tema da transmissão: a remoção de Monsenhor Carlo Maria Viganó, ex-secretário do Governatorato do Estado da Cidade do Vaticano, pelo Cardeal Bertone e seus acolitos. Infelizmente para o Cardeal, e, ah!, para o Santo Padre, para defender a Santa Sé da acusação de ser uma espécie de pequena corte de mistérios, cheia de falsidades, inveja e chantagens, foi convidado ao estúdio o inculpável Professor Vian [ndr: editor chefe do L’Osservatore Romano]. Um homem de cultura, equilibrado, um professor e um jornalista do mais alto perfil que, no entanto, não tem uma grande familiaridade com o meio televisivo. Resultado: o escândalo não pode ser contido. Então podemos muito bem falar sobre isso. Comecemos de trás para frente…

No início de setembro de 2011, surgiu a notícia publicada inicialmente em Panorama sobre um “corvo no Vaticano”. Um misterioso autor anônimo de uma missiva cáustica contra o Cardeal Bertone. A carta começa com uma citação de São João Bosco: “Grandes funerais na corte!”. A citação dizia respeito a um “sonho ameaçador” do santo, que previu, em 1854, enquanto se discutia a abolição das ordens religiosas, mortes na família de Vittorio Emanuele II.

Apenas os fantasiosos leitores de Dan Brown poderiam imaginar, em setembro último, que por trás da citação havia uma atemorizante ameaça de morte ao Secretário de Estado. Na verdade, alguém preparava uma vingança e a explosão da “gangue” bertoniana no Vaticano.

Este alguém era próximo de Carlo Maria Viganò, Monsenhor do ferro, nomeado em julho de 2009 secretário do Governatorado e, posteriormente, “deposto” com uma carta de Bertone, de 13 de agosto de 2011, para Washington (EUA), como núncio apostólico.

Mas já havia sinais desta deposição desde, ao menos, o início de 2011. Em 5 de fevereiro, apareceu em “Il Giornale” um artigo praticamente anônimo que falava do desejo de Viganò de substituir o serviço de inteligência do Vaticano “interna”, confiado a “uma pessoa decente”, por um serviço a ser confiado a uma empresa externa. A pessoa decente seria o aretino Domenico Giani, e o Arcebispo vilão, Mons. Viganò: “Se teme pela segurança, pela confidencialidade; não agradam as iniciativas de quem está interessado em mudar um sistema que por anos tem funcionado e servido fielmente aqueles a quem, exclusivamente, deve responder. A inteligência do Vaticano é cuidada por um homem decente, que sabe muito bem quem são os seus superiores, mas a pressão exercida por um arcebispo para substituir o trabalho interno por  uma central de segurança de uma empresa externa está se tornando insustentável. Quem é este arcebispo de olhar sinistro, que lança a perturbação no santo condomínio? O nome é coberto pelo sigilo. Quem será?”.

O nome é o de Viganò, censurado pela acusação de ser um nepotista, por causa da presença no Vaticano de seu sobrinho, Carlo Maria Polvani. O artigo concluía: “O fato é que alguém do Palácio Apostólico, apaixonado por futebol, em algum momento intervirá para chamar o jogador com as palavras de um famoso treinador. É de se imaginar que o aviso será: ‘zeru tituli’ [ndr: “nenhum título”, referência à provocação feita por José Mourinho em 2009, então técnico da Internazionale de Milão, aos rivais Milan e Juventus. A frase ficou famosa pelo erro de pronúncia do técnico português; o correto seria zero titoli]. Em suma, mesmo no Vaticano, vale ainda a competência, princípio imperativo, especialmente em um ambiente em que o sigilo construiu a própria inviolabilidade”.

Eis que chega, então, o esportivo Bertone, que alerta Viganò e o manda embora… Mas quando a carta do “Corvo” chega em setembro, quem é chamado para investigar? Exatamente Domenico Giani, então ex-oficial da Sisde [ndr: Servizio per le Informazioni e la Sicurezza Democratica – o serviço de inteligência italiano]. Toda essa história nos mostra, então, um sistema feito de chantagens indiretas, de “dossiês”, de informações reservadas e cartas anônimas, que ameaça implodir. E o problema é que esse sistema coincide com o centro espiritual do catolicismo.

Sigamos em frente. No programa de ontem, foram mostradas inquietantes cartas escritas por Mons. Viganò ao Pontífice e ao Secretário de Estado. Espalhar estas cartas através da mídia certamente não é um método ortodoxo para comunicar seu desconforto. Assemelha-se mais a um  “acerto de contas”, mas não se diz que por trás do acerto de contas há um benefício em potencial para a Santa Sé e para o catolicismo. Porque é evidente que estas cartas foram difundidas hoje, há poucas semanas do anúncio do Consistório blindado pelo Cardeal Bertone. Constituem, assim, a abertura de uma verdadeira e própria guerra para o próximo conclave, na qual fica claro quem poderia sucumbir, mas não a face do potencial vencedor.

Esta guerra, no entanto, se estendeu por uma frente muito mais ampla do que podemos imaginar. E esta frente atinge o poder laico da Maçonaria, o poder das finanças, o poder da política (na verdade, muito reduzida em comparação com o passado). Monsenhor Viganò cita entre os artífices da conspiração para desacreditá-lo primeiro e, em seguida, destitui-lo, um tal de Marco Simeon. Menino prodígio ligado a Bertone e elevado às honras das manchetes em 2011 por seus contatos com o suposto chefe da [loja maçônica] P4, Luigi Bisignani. Simeon chamaria  Bisignani ao telefone de  “coach” (treinador). Mas já em 2010, como parte de outras escutas telefônicas para a gestão de contratos do G8 em La Maddalena, essa figura do “coach” aparece em uma comunicação entre Simeon e um terceiro. O objeto da discussão entre Simeon e Bisignani era um artigo do Espresso dedicado ao tráfego relacionado ao G8. E todos recordam que pelo escândalo dos contratos do G8 foi preso Angelo Balducci, então cavaleiro de Sua Santidade  e visitador frequente de Mons. Camaldo, cerimoniário do Papa, mais conhecido por um apelido irreverente que traz à mente o filme “Uma cilada para Roger Rabbit”. Camaldo, como apurou há alguns anos o procurador Woodcock,  estava envolvido em uma transação financeira para a compra de uma casa que pertenceu a Sophia Loren com o objetivo de torná-la a sede de uma associação maçônica. Camaldo está ainda entre os cerimoniários do do Papa.

Desses fatos surge a imagem de um Vaticano que não se ocupa em nada de religião, que não promove a fé, mas vive de chantagens, ludíbrios, corrupção e, às vezes, depravação. Surge a imagem de um Papa que não governa ou é colocado em condições de não governar. Surge a imagem de um Secretário de Estado onipotente que alimenta carreirismos e assuntos privados à sombra da cúpula. Esta é a imagem de uma hierarquia repugnante. E não importa se hoje quase nenhum jornal, mesmo aqueles online, falam do assunto, só porque foi dado o toque de recolher. Seria preferível se perguntar por que os jornais italianos, sempre prontos a falar mal da Igreja, hoje não estão interessados em um escândalo tão descarado. Saber que o Vaticano organiza um presépio na Praça de São Pedro pelo custo exorbitante de 550 mil euros é uma notícia fantástica! Da mesma forma como saber que o Vaticano, em 2009, perdeu 2 milhões e meio de dólares em uma única transação financeira equivocada… E estes dados estão contidos na carta do Monsenhor Viganò ao Papa.

Seria perverso e inútil defender o indefensável. Lançar o coro habitual sobre padres que são antes de tudo homens. A fumaça de Satanás realmente tem se infiltrado no Vaticano e, embora ainda existam muitos padres, bispos e cardeais dignos e talvez santos, eles estão sobrecarregados pela lamacenta crosta de interesses e privilégios que sufoca qualquer vislumbre de espiritualidade. Neste ponto, como simples católico, só posso esperar que os grandes funerais metafóricos se tornem reais. Que o escândalos façam uma faxina nos laços entre Igreja e poderes maçônicos. Muitos se escandalizarão, alguns perderão a fé, mas se não forem cortados os ramos secos e doentes, toda a planta acabará morrendo.

“Vi uma igreja estranha que era construída contra todas as regras… Não havia anjos para cuidar das operações de construção. Naquea igreja não havia nada que viesse do alto… Havia apenas divisão e caos. Trata-se provavelmente de uma igreja de criação humana, que segue a última moda, assim como a nova igreja heterodoxa de Roma, que parece do mesmo tipo…”.

(Profecia da Beata Anna Catarina Emmerich – 12 de setembro de 1820)

27 Comentários to “Grandes funerais na corte!”

  1. Quando estreia o filme?

  2. Há algo de podre no reino de Bento XVI. Acredito que o estado de coisas acima narrado não seja muito diferente nas dioceses brasileiras. Relatórios para desacreditar padres desafetos, desvio de repasse de dinheiro público, fruto de convênios mirabolantes com as três esferas do poder, “apropriação indébita” do dinheiro das esmolas, viagens custeadas com o suor dos pobres, desvios de remessas de doações internacionais, etc., etc., etc., etc. O que se houve é estarrecedor …

  3. Certa vez alguém (não me recordo quem) me contou uma história (ou estória) de um judeu que, vivendo em Roma, havia se convertido ao catolicismo. Indagado sobre o porquê de sua conversão o mesmo respondeu com simplicidade:
    “Depois de tudo que vi por aqui, cheguei à conclusão de que a Igreja só pode ser uma obra divina, do contrário teria sucumbido há muito tempo”.

    Logo que li este artigo recordei o relato acima. Nem sei se ele é verdadeiro, só sei que “sempre” houve na hierarquia indivíduos que abusaram (e abusam!) de sua posição e influência por motivos escusos. Com a invasão da praga do modernismo tudo piorou, pois se antes tais indivíduos eram alguns, hoje parecem ser a maioria. Diante disso os menos esclarecidos podem perder a fé ou buscar falsas “soluções”, mas nós, que confiamos na promessa de Nosso Senhor, permanecemos firmes, sabendo que no fim os Corações de Jesus e Maria Triunfarão!

  4. Vamos começar a cuidar do que ainda pode ser cuidado: Da nossa própria alma!
    Quem sabe um pouco de “estoicismo” para expurgar os efeitos nefastos desse circo de ambições humanas. Somente em Cristo eu posso ser salvo!

  5. sério, descobriram agora que existe politica, intrigas, jogos de poder e etc no vaticano? recomendo uma passada na biblioteca vaticana, setor de arquivos secretos; tem histórias que fariam esta parecer historinha para noviça dormir.

  6. Querer minimizar a força desta notícia pelo simples fato de que sempre houve homens corruptos na Igreja é realmente não querer lidar com a realidade triste em que vivemos, aqui e agora.

    Neste assunto, o passado, embora seja sempre uma lição, tem pouco peso.

    O que está em jogo é uma guerra para um próximo conclave, como bem disse o articulista. Não é um zé-ninguém, mas o próprio Bertone o acusado de ser, no mínimo, conivente com os propósitos maçônicos.

    Por isso, a imprensa faz muito bem em divulgar esse tipo de notícia. Os maus devem ser desmascarados, ter seus planos lançados à luz, denunciados de cima dos telhados.

    Como disse o autor: “Muitos se escandalizarão, alguns perderão a fé, mas se não forem cortados os ramos secos e doentes, toda a planta acabará morrendo”. Sabemos que a Igreja é indefectível, mas nunca o Senhor prometeu que suas estruturas humanas não poderiam simplesmente ruir.

    Não sejamos coniventes e passivos diante dos que querem destruir a Igreja.

  7. Dom Bruno Costa, sua bênção!

    Nem precisa irmos tão longe, quem já se envolveu com as milícias (pastorais) em paróquias já viu muita coisa. Fora isso nas famílias tb tem essas coisas….. se bem que na net só tem membros de famílias santas. kkkkk

  8. É assustador. E o pior é esse medo enorme de ver Bertone papa, tal como o horror de saber que isso é possível.

    Em tempo, pe. Lombardi se pronunciou: http://www.visnews-ita.blogspot.com/2012/01/comunicato-stampa-sul-programma-gli.html

  9. O livro O Derradeiro Combate denuncia quatro nomes que servem ao plano comuna maçom: Sodano, Ratzinger, Bertone, Hoyos.

  10. Lucas, este conto do judeu é proveniente do Decameron, de Giovanni Boccaccio. É uma obra cheia de contos profanos, e não sei até onde é recomendável para ser lido por católicos, mas dentre os contos que exploram muito o adultério ou pecados contra a castidade, surge este, que não deixa de ser muito sensato…
    Eis aí a Secretaria de Estado e Monsenhor Bertone em mais um imbróglio… Bem, geralmente fundamentos podres põem todo o edifício abaixo…

  11. Sinceramente, acho o cúmulo da infantilidade esse deslumbramento com o Vaticano, motivador de uma decepção novíssima com os fatos narrados. Homens, são todos pecadores: padres, bispos, monges e papas. A luta de cada um é contra si mesmo. Se não vigiar vai cair. Principalmente os reverendíssimos. Viagens, mesa farta, paparico, cargos, conforto, carros, obras de arte, concertos, shows, roupas e batinas finíssimas. Enquanto isso… ninguém vê a igreja dos que dão a vida pelo outro, dos miseráveis, dos anônimos, dos que renunciam, dos que amam, dos que se entregam por inteiro, dos que lutam pelos injustiçados, dos que não querem aparecer, dos silenciosos, dos verdadeiros cristãos. Tenho vigiado para não me deixar seduzir por essa igreja política, “rica” e “bela”, por essa igreja do mundo. João Batista, entre os homens, sempre foi e será o maior de todos. Vai comer gafanhoto !

  12. “Por isso, a imprensa faz muito bem em divulgar esse tipo de notícia. Os maus devem ser desmascarados, ter seus planos lançados à luz, denunciados de cima dos telhados. ”

    Garcia , você leu o artigo?

    “Esta é a imagem de uma hierarquia repugnante. E não importa se hoje quase nenhum jornal, mesmo aqueles online, falam do assunto, só porque foi dado o toque de recolher. Seria preferível se perguntar por que os jornais italianos, sempre prontos a falar mal da Igreja, hoje não estão interessados em um escândalo tão descarado.”

    Brilhante a perspicácia do autor do artigo!

    A midia tão preocupada com os escândalos dentro da Santa Igreja Católica, estão em silêncio nesse assunto que é prá lá de escândaloso?!

    Não tenha dúvida Garcia: A midia anticatólica mundial trabalha junto desse clero satânico. Eles não irão denunciar aqueles que dentro do Vaticano e junto com eles (a midia), querem destruir a Santa Igreja.

    Por isso o silêncio da imprensa.

  13. Concordo com Pe. Bruno Costa. Mas parece que o autor acha que tudo isso só tem vez após – e por causa de – o Concílio Vaticano II e a fumaça de satanás que entrou por alguma fresta na Igreja e blablablá.

    É claro que o fato de sempre terem existido tais politicagens e outros interesses escusos não justifica ou diminui a gravidade do ocorrido, mas querer culpar o CVII até por isso?! Podem culpá-lo – não concordo, mas vá lá – por muitas coisas, mas cuidado com o exagero na “canonização” da Igreja pré-conciliar…

    [ironia tag] Obrigado mais uma vez Fratres, por contribuir para a fé e para a solução de todos os problemas da Igreja. [/ironia tag]

    Realmente não consigo entender o propósito deste artigo, e em quê ele pode contribuir para qualquer pessoa, e muito menos em como ele pode provocar a diminuição da corrupção no Vaticano, ou seja lá o que for.

    • Caro Rafael,

      Você tem todo o direito de divergir sobre nossos critérios de escolha de matérias a serem publicadas. Mas não espere encontrar num blog jornalístico senão notícias. E notícias relevantes, sejam positivas ou negativas. Aliás, mau jornalismo faz quem só trata de amenidades. O aconselhável, para quem procura esse tipo de site, é visitar Zenit ou ACI.

      Fique tranquilo: não pretendemos “resolver todos os problemas da Igreja”! Só acreditamos que fazer de conta que os inimigos de Deus não existem, ou ainda que, mesmo existindo, devam ser ignorados, não é servir à Igreja.

      Sua afirmação de que o autor “acha que tudo isso só tem vez após o Concílio”, lamentavelmente, só pode partir de uma impressão proveniente de um preconceito.

      Impressão, pois o articulista em momento algum diz isso. Apenas cita, de passagem, a fumaça de Satanás se infiltrando no Vaticano; daí a associar esta afirmação a uma imputação ao Concílio há uma boa distância. O próprio autor da expressão, Paulo VI, quando citou a tal fumaça, não estava condenando o Concílio. Preconceito, pois o articulista sequer pode ser considerado um “tradicionalista”…

      Talvez o que exista, realmente, é uma boa dose de má-vontade sua para o que acaba publicado no Fratres in Unum. E isso faz com que até textos que sequer falam do Concílio passem a ser interpretados como um ataque a ele.

  14. Caro sr Garcia,
    Salve Maria!

    Não estou minimizando a gravidade da situação, muito pelo contrário, se o sr ler com atenção meu comentário verá que digo que o que se passa nos nossos dias é pior:

    “Com a invasão da praga do modernismo tudo piorou, pois se antes tais indivíduos eram alguns, hoje parecem ser a maioria.”

    Com meu comentário só quis reforçar que não podemos desesperar e que, embora tudo pareça apontar para o contrário, Deus permanece com sua Igreja. Não acho que devemos ser coniventes e passivos, mas penso que as maiores atitudes que podemos tomar são a oração e a mortificação. Isso não reduz nossa responsabilidade de denúncia diante daqueles que, como o sr bem colocou, “querem destruir a Igreja”.

  15. Há um ponto negativo, mas há um positivo neste fato todo na postagem acima.

    Dom Figanó pode ter o mesmo destino tanto de João Paulo I quanto de Pecorelli.

    http://radiocristiandad.wordpress.com/2006/10/06/la-lista-pecorelli-%C2%BFcausa-del-asesinato-del-papa-luciani/

    Hoje fica ainda mais difícil sustentar que isso acima faz parte também de uma mera “teoria de conspiração”. Porque não se trata de uma fonte de um “tradicionalista conspirador”. Mas pela manisfestação da própria verdade, que cada vez mais, com tudo isso que acontece na Igreja, está falando pelas pedras ( cf. Lc 19,40) e, deste modo, ninguém pode contê-la nem agora e muito menos no futuro.

  16. Lucas, o meu comentário não foi dirigido ao seu, mas ao Wagner.

    Renato, falei que a imprensa faz bem em divulgar tendo em vista a divulgação do Fratres, que alguns consideram má. Mas a mídia anticatólica a que vc se refere já noticiou o fato sim, basta ver o post acima deste.

    Para mim, cansa entrar num tópico para ver comentários sobre o assunto e ver gente fazendo biquinho de que o artigo não agradou aos seus ouvidos imaculados.

    Wagner, siga o seu próprio conselho: se o assunto não te interessa e a luta de cada um é contra si mesmo, não perca tempo escrevendo aqui e lutando contra o Fratres. Além de comer gafanhoto, vc poderia ir cuidar de si mesmo!!

  17. Caro Ferreti,
    Salve Maria!

    O artigo é muito profícuo, pois ajuda a entender a extensão da crise na Igreja. Não dá para tapar o sol com a peneira! O amigo está de parabéns.

    Abraço

  18. Caro Bruno Luís,
    Salve Maria!

    Obrigado pelo conselho. No entanto, devo ressaltar que não li e sim alguém me disse a tal história (estória). Importa que o relato, como o sr mesmo constatou, é pertinente (Dado o contexto).

    Abraço

  19. Cara Ana Maria,
    Salve Maria!

    Quem escreveu o livro que a sra citou?! Ele está disponível em pdf?!

    PS.: Aproveito o ensejo para esclarecer que, em outra oportunidade, não me dirigi especificamente à sra. Eu mesmo já “participei” da rcc, pior que isso, desgraçadamente já me envolvi em “pastorais” comprometidas com a “teologia” da enganação. Se a sra buscar o comentário poderá constatar que me incluí ao escrever nós.
    Embora tenhamos certas divergências de opinião, saiba que respeito a sra e que, quando tenho algo a dizer a alguém, digo diretamente e sem rodeios, como a sra deve recordar dos debates que tivemos com alguns “carismáticos” & cia no passado.

  20. “Vi uma mulher de uma beleza tal que a mente humana não é capaz de compreender. A sua figura se erguia da terra até o céu. O seu rosto brilhava com um esplendor sublime. O seu olhar era voltado para o céu. Estava vestida com uma veste luminosa e radiante de seda branca e com um manto adornado com pedras preciosas. Mas o seu rosto estava coberto de poeira, o seu vestido, do lado direito, estava rasgado. Também o manto havia perdido a sua beleza singular e os seus sapatos estavam sujos por cima. Com voz alta e lamentosa, a mulher gritou ao céu: ‘Escuta, ó céu: o meu rosto está manchado! Aflige-te, ó terra: o meu vestido está rasgado! Treme, ó abismo: os meus sapatos estão sujos”.

    Santa Hildegarda

    “A verdadeira renovação da comunidade eclesial não se obtém tanto com a mudança de estruturas, mas com um sincero espírito de penitência e um caminho ativo de conversão”.

    Papa Bento XVI

  21. Livro: O Derradeiro Combate do Demônio
    Autor: Pe. Paul Kramer
    .
    Disponível em:
    http://www.devilsfinalbattle.com/port/

  22. “mas cuidado com o exagero na “canonização” da Igreja pré-conciliar…

    Cuidado por que, amigo? Ela não era Santa no pré-concílio? Ou era “menos santa” do que nós supomos, já que na verdade nós é que “exageramos” a sua “canonização”?

  23. Só a título de informação rápida:

    A Obra “Decamerão” de Boccaccio de tão ruim foi colocada no famoso Index dos livros proibidos pela Igreja, é cheia deboches e desprezo contra o clero e as ordens monásticas além do clima erótico e promíscuo de muito dos contos.

  24. Lucas Lima
    janeiro 26, 2012 às 8:52 pm

    Cara Ana Maria,
    Salve Maria!

    Quem escreveu o livro que a sra citou?! Ele está disponível em pdf?!
    Compilado e editado por Padre Paul Kramer e a equipe The Missionary Association
    http://www.devilsfinalbattle.com/port/content.htm

    Do nosso passado lembro, o presente que quero resolver, perdi seu email.

  25. “Perigosíssimos” amigos deste nosso FRATRES;
    Creio que sempre houve e haverá escândalos, porém, como disse nosso Divino Salvador: “escandalos haverão, mas ai de quem os provocar! Seria melhor que atasse uma pedra de moinho ao pescoço e se atirasse nas profundezas do mar…”
    Bem, quanto a acontecer antes ou depois dessa desgraça de concílio, nada a ver!
    Somos CATÓLICOS e já que a igreja conciliar tornou-se “democrática”, todos nós, temos o “direito” de saber o que está ocorrendo! Já que são os Católicos de todo o mundo quem a sustenta!
    É um governatorato, um governículo ou um governo? Not problem! O que se tem que fazer é ser transparente. Nosso Senhor mesmo disse: “aquilo que é feito às escondidas, será gritado por sobre os telhados!”
    Realmente, finanças são muito complexas, porém, faz-se necessário transparência!
    A Ana Maria, sempre sabiamente, disse que nas famílias também existem estes mesmos problemas. Sim, entretanto, a fim de que nada se torne obscuro e digno das páginas policiais, é necessária absoluta transparência.
    Quando se tem transparência, tudo fica mais fácil, mais claro!
    Para que ninguém pense que sou absolutista, creio que essa “democratização da informação” é essencial. Acaba-se com toda a maversação do dinheiro, toda a chance de corrupção, todo o desmando e toda propina que cerca uma instituição obscura.
    Está na hora de acenderem as luzes! Ainda que a Luz seja incômoda e traga consigo a Verdade!
    Agora, tudo isso que eu disse se refere a uma empresa.
    O que é mais cruel, e o que mais dói dentro de uma alma, verdadeiramente CATÓLICA, é o discurso ambíguo, que oculta a realidade… Essa imundície ocorre no coração da Igreja, na Sé de Pedro, junto ao Trono do Vigário de Cristo…
    Muitos ainda preferem a mentira, pomposamente vestida à verdade nua e crua!
    O que o santo Padre deveria fazer?
    Simples, esperar passar essa “nuvem negra”, que tempestuosamente provocou esse “mar de lama”, na qual a Sé de Pedro se vê encalhada, e após a tempestade, fazer um “limpa” geral.
    DEMITA TODOS!!!
    Qualquer um de nós, em nossos negócios na vida secular, como dizia-se antigamente “no mundo” temos essa atitude! Caso um funcionário não esteja bem, chama-se sua atenção, proporciona-se um meio para que ele possa melhorar.
    Agora, cá entre nós, um funcionário faz intrigas, meste-se em confusões, denigre o bom nome de uma empresa? Ponha-se na rua! E meta-se-lhe um Processo por danos morais!
    Afinal, comprometeu o bom nome, a confiança na instituição!
    Amigos, isso ocorre em uma empresa, no mundo material!
    Na Igreja, bem isso é imperdoável!
    Tem-se que tomar posição firme e séria!
    Não a paleativos!
    Isso era “normal” nos tempos da Lucrécia Borgia!
    Há muitas pessoas corretas e sérias na Igreja, ainda que nessa corriola da igreja conciliar.
    Nem todos os conciliaristas são maldosos, bem como nem todos os membros da CNB do B são lobos vorazes, como muito bem o sabemos.
    O que é necessário nessa hora?
    Seriedade, clareza e firmeza de caráter!
    Só isso?
    Não.
    É necessário Fé! Muita Fé, uma vez que nosso Amado Redentor nos disse: “buscai primeiro o Reino de Deus e tudo mais vos será acrescentado!”
    Falta-nos confiança em Nosso Senhor, em Sua Misericórdia, em Sua Divina Providência!
    Conto-lhes uma pequenina história de um rabino asquenazi*. ( *do Norte da Europa)
    “Uma tarde o rabino Jacob tinha o dinheiro exato para comprar duas velas para a cerimônia do Sabath. Ao sair, encontrou-se com um velho conhecido, cristão, que o rabino sabia estar na mais absoluta miséria. O amigo disse ao rabino que ia à botica (farmácia) para mandar aviar uma receita de um fármaco. O rabino percebeu um “golpe de Deus” e sem pestanejar, entregou-lhe o dinheiro, a fim de que o velho amigo, na miséria, pudesse aviar a receita
    Pensou o rabino que Deus lhe daria as velas. Nada disso, nenhuma vela lhe foi dada… E, chegado o Sabath a congregação se reunira e o velho rabino teve de se explicar com os anciãos da comunidade…
    Ele não ganhou as velas de cera, mas conseguiu um emprego para seu velho amigo, que a partir do primeiro pagamento não mais deixou faltar velas na sinagoga”.
    Ao contar essa pequena historinha, que conto sempre a meus filhos e funcionários, vemos duas coisas:
    CARIDADE e CONFIANÇA EM DEUS!
    “Perigosíssimos” amigos, falta ao Vigário de Cristo confiar mais na Divina Providência, colocar a casa em ordem e agir com simpicidade e firmeza!
    Termino com um florilégio de São Francisco de Assis:
    Contam que nosso “Pai” Francisco dizia que o dinheiro tem péssimo odor. Porém, muito mais mau cheiroso é o coração do homem ganancioso… Fede tanto que nem o diabo o quer no inferno, uma vez que vai acabar com o cheirinho de enxofre…
    De toda a ganância, livrai-nos Senhor!
    De todo desejo de poder, livrai-nos Senhor!
    De toda a ambição, livrai-nos Senhor!
    De todo nepotismo, livrai-nos Senhor!
    Ó Senhor, concedei à Vossa Igreja:
    Espírito de Humildade!
    Amor à Pobreza!
    Discrição!
    Simplicidade!
    Contemplando Vossa Santa Pobreza no Presépio!
    Contemplando Vossa Humildade na Santa Cruz!
    O Rei dos reis coroado com uma Coroa de Espinhos!
    Uma cana como Cetro!
    Uma Cruz como Trono!
    Trapos como Túnica!
    Sangue como Manto!
    Malfeitores como companheiros!
    Ó Senhor, por Amor à Vossa Dolorosa Paixão,
    Dai-nos Humildade!
    Livrai-nos da presunção!
    Amém!

  26. Eu tenho o livro em arquivo pdf,caso alguém queira.É um livro impressionante.Leitura obrigatória.

    Fiquem com Deus.

    Flavio.