Duas liturgias, duas Igrejas: Missa Cantada e Adoração versus Missa Carnaval.

Com informações do Distrito Alemão da FSSPX – Vejam aqui um resumo da celebração da Missa Cantada antes da exposição do Santíssimo por ocasião das 40 horas de Oração (21 de fevereiro de 2012).

Esse vídeo mostra o que a igreja sempre fez no tempo de carnaval: adoração e expiação pelos pecados do mundo.

Muito pelo contrário, está a prática da “Igreja conciliar”, para usarmos a expressão do Cardeal Benelli, de não apenas abandonar a adoração, mas sim de celebrar o carnaval na Igreja!

O sítio do Distrito Alemão da FSSPX coloca lado a lado o Sacrifício da Missa celebrado pela Fraternidade de São Pio X em Stuttgart e a Missa Carnaval de Ochsenhausen (dois dias antes).

[Nota: Não é necessário entender alemão. As imagens falam por si mesmas]

Gravado na igreja da Fraternidade em Stuttgart-Feuerbach, em 21 de fevereiro de 2012:

Dois dias antes aconteceu isso na igreja do Mosteiro de São Jorge em Ochsenhausen (Oberschwaben):

22 Comentários to “Duas liturgias, duas Igrejas: Missa Cantada e Adoração versus Missa Carnaval.”

  1. Cuidado com o telhado de vidro.
    Tem tradicional por aí que adora esse negócio de tamborzinho, cornetinha, fantasia, brasão e frescuras do ramo.

  2. Não compreendi a comparação. Não mesmo!

    Eu passei o carnaval numa cidadezinha do interior de Minas (Piranga, o fim do mundo propriamente dito, embora muito simpática) que é famosa na sua região pelo Carnaval. O Padre de lá, que é um EXCELENTE e PIEDOSÍSSIMO padre. apesar de ser lotado de cacoetes de TL (herança do seminário onde ele se formou, o da Arq. de Mariana) rezou a Santa Missa (forma ordinária, como é de se esperar) de manhã e de noite na cidade (durante o dia ficou o tempo todo na zona rural atendendo aos fiéis que não estavam na parte urbana) e, entre uma missa e outra, teve adoração do santíssimo, lotada é bom frisar, com grande piedade e fervor, piedade que eu nunca vi entre os tradicionalistas (e sem maluquices “carismáticas”), e não falo isso por falar! O Padre, uma hora antes da Santa Missa da noite, ficava atendendo confissões (filas bem cheias).

    Fiquei surpresíssimo e muito grato.

    Sei que existe inúmeros exemplos como o meu. Eu prefiro a forma extraordinária da Missa e toda as coisas que vêm junto com a Tradição. Mas temos que ser sinceros perante nós mesmos e perante Deus: Tradicionalista tem que parar com essa FRESCURA (quase blasfema) de achar que só ele é católico e só ele faz certo. A Igreja de Cristo (que é a Santa Madre Igreja Católica Apostólica Romana) não é propriedade particular da FSSPX ou dos tradicionalistas que fizeram acordo (pausa aqui para rasgar minhas vestes por indignação em relação aos últimos).

  3. Mons. Gherardini, em seu livro sobre o Vaticano II, diz que sua intenção não é ser contrário, inimigo do Concílio, mas buscar uma hermenêutica da continuidade. Bem, em certos momentos ele próprio diz não saber como a Igreja chegou no ponto em que está e como seria possível, dentro da Tradição, unir ‘as duas Igrejas’ (pré e pós- conciliar). E eu concordo com ele. Não há ‘duas Igrejas’ (quando usamos o pré e o pós é por pura dificuldade linguística), por isso deve-se preservar a unidade da única e verdadeira Igreja.

    Telhado de vidro? Isso parece sumamente com o argumento modernista: ‘Quem é você para julgar? Não somos todos pecadores?’ Sim, todos temos nossos pecados e devemos prestar contas deles a Deus e arrependermo-nos deles ante nosso confessor. Mas negar a nudez do rei, pelas péssimas condições da vestimenta própria, não me parece lá o mais adequado.

  4. A tal missa de carnaval alemã ainda consegue ser mais piedosa e ter menos invencionices que as missas aqui da minha paróquia…

  5. Uma (primeiro vídeo) á a Igreja Católica, Apostólica Romana. O segundo vídeo parece um bando de hereges numa festa de carnaval que não vejo nem como missa.

  6. Deus nos iivre da criatividade de alguns sacerdotes!

  7. Muito belo o vídeo da Missa no distrito da FSSPX, muito belo mesmo, bem que eles podiam disponibilizar o vídeo na íntegra.

  8. Não é preciso ir na Alemanha, em Curitiba tem tudo isso: http://www.gloria.tv/?media=244131

    E, do lado de fora da mesma Igreja (no espírito do concílio): http://www.youtube.com/watch?v=0JA57a2zqIM

  9. Foram até comportados. Eles não viram nada. Mostrem a ele a Missa do Padre Pinto.

  10. correção: “Mostrem a eles…”.

  11. Roberto F. Santana

    Eu que o diga. Você me deu coragem pra falar. Eu não tenho moral nenhuma pra criticar no que diz respeito ao carnaval. Lá pelo início ou meio da minha adolescência, não me lembro se já freqüentava à Tradição ou se vivia como se Deus não existisse, “pulei” o carnaval, apenas uma vez na vida, a noite toda até o amanhecer. Fui com os amigos da rua. E antes que alguém pense o que não deve: não fiquei com nenhuma garota/moça/ou seja o que for, pois era muito retraído. E hoje estou aí no meio da Tradicão firme e forte, porém…

  12. Caro Roberto é impossível não saber qual dos dois vídeos é a verdadeira Igreja Católica, DUVIDO que em alguma Santo Sacrifício realizado pela FSSPX, aconteça uma ABERRAÇÃO dessa.
    É por isso que sempre digo FSSPX a ultima salvação.

  13. No final do segundo vídeo, o editor (do canal no youtube da FSSPX) lembrou justamente de alertar que aquela “Missa-carnaval” contraria o ensinamento do Concílio Vaticano II. A frase citada, tirada da Sacrosanctum Concilium, diz: “Ninguém, mesmo que seja sacerdote, ouse, por sua iniciativa, acrescentar, suprimir ou mudar seja o que for em matéria litúrgica”.

  14. Assim como disse o Gustavo em um comentário anterior, a missa carnaval no mosteiro alemão consegue ter muito mais sacralidade do que a missa do “retiro de carnaval” aqui em minha cidade.

  15. Eu sempre quis participar dessa Devoção das Quarenta Horas.
    Vendo o vídeo com mais atenção, percebi que a Santa Missa é rezada no Altar Principal onde está exposto o Santíssimo (Altar da Exposição), achei que isso não fosse permitido se existe altares laterais, o que é o caso.
    Mais uma dúvida, desta vez para o Rubricarius…

  16. Tudo ainda é muito indefinido. Não há como defender aqueles que estão meio incertos na Igreja, e muito menos aquilo que diz-se estar “certo” na Igreja. Realmente, não sei como um concílio pode produzir frutos podres, e ao mesmo tempo frutos bons. Não sei. Só penso que é demais para a minha cabeça defender qualquer coisa depois de 1960. Parece que o que tradicional foi excomungado, e o que é moderno é errado. Baaah, só sei que nada sei. Que Deus “concerte” tudo! Mas acho mesmo que deve ser uma questão de interpretação.

  17. Deus meu, Deus meu! Não é à toa,que a Mão Santa de Deus se levanta para julgar os povos! Fizeram da Casa DO Senhor, um teatro escandaloso, um circo, onde os próprios sacerdotes, sobem ao púlpito, para darem o que a quem?!………… JESUS, Filho do Deus Vivo e verdadeiro, tende piedade de nós, que tudo esperamos e vós! Convertei os pecadores, abri os olhos aos cegos e os ouvidos aos mudos e ressuscitai os mortos, amém.

  18. É permitida a “Missa In Coram Sanctissimi Sacramento”, mas ela possui algumas alterações quanto ao rito: a genuflexão ao início e final da missa é feita com os dois joelhos; não se oscula as galhetas; no lavabo o padre desce até o piso e não se toca a sineta.

  19. “Adorei” seu texto, Henrik, o mais sensato. Se a Igreja de Jesus fosse dirigida por pessoas de “cabeça pequena”, não existiríamos mais. Tudo o que é sagrado deve ser respeitado. Mas é preciso respeitar as diversas formas de expressão do sagrado. E isso se dá em cada cultura de forma diferente. Os alemães têm uma cultura diferente da nossa e por isso, não podemos impor que celebrem do mesmo jeito de nós. A Igreja é rica, está em todas as culturas, e por conseguir estar nas diversas culturas, respeitá-las e entendê-las, continua sendo instrumento de Deus na humanidade.
    Os fariseus respeitavam demais o sagrado, mas esqueciam do humano. Desconfio que Jesus não está muito preocupado com o tal “desrespeito” a sua presença numa celebração de carnaval, pior mesmo é vê-lo sofrendo sem futuro, sem comida e sem casa, sentindo o nojo e a exclusão dos que vão para a igreja fazer suas orações e cumprir as rubricas do missal. É melhor fazer carnaval diante do Santíssimo e respeitar a pessoa humana, do que ser “certinho” para os outros verem e viver uma mediocridade religiosa que empobrece a experiência religiosa católica. Isso acaba com o respeito que os jovens e as futuras gerações ainda têm por nós. Talvez seja por isso que cresce o número de ateus por opção. Todos devemos bater no peito e lamentar por isso. E Deus vai nos pedir conta disso um dia!
    Obrigado pelo seu texto mais equilibrado e sensato.

  20. Sinceramente a missa dos tambores está bem longe ainda das piores, quem dera que as aberrações litúrgicas não tivessem passado do que está no vídeo.

  21. Acredito que o que está em questão nos vídeos postados consiste na maneira respeitosa de se adorar a Deus, logo quem crê (quem acredita mesmo) presta um culto digno, e consequentemente ouve e segue os ensinamentos de Cristo, não sendo preciso usar argumentos socialistas para se justificar o absurdo cometido no segundo vídeo. Erro é erro.

  22. «Esse vídeo mostra o que a igreja sempre fez no tempo de carnaval: adoração e expiação pelos pecados do mundo.»

    «O sítio do Distrito Alemão da FSSPX coloca lado a lado o Sacrifício da Missa celebrado pela Fraternidade de São Pio X em Stuttgart e a Missa Carnaval de Ochsenhausen (dois dias antes).»

    Triste VERDADE a que chegámos.
    Uma SANTA MISSA a EXPIAR uma “outra Missa”.

    Vere dignum et justum est.aequum et salutáre: Te Dómine, supplíciter exoráre, ut gregem tuum, pastor aetérne, non déseras: sed per beátos Apóstolos tuos, contínua prottectióne custódias: Ut iísdem rectóribus gubernétur, quos óperis tui vicários eídem contulísti praeésse pastóres.
    Et ídeo cum Angelis et Archángelis, cum Thronis et Dominatiónibus, cumque omni milítia caeléstis exércitus, hymnum glóriae tuae cánimus, sine fine dicéntes:

    Sactus, Sanctus, Sanctus Dóminus Deus Sábaoth.
    Pleni sunt caeli et terra glória tua. Hosánna in excélsis.
    Benedíctus qui venit in nómine Dómini.
    Hosánna in excélsis.

    (Prefácio dos Apóstolos)

    Triste verdade, sim.
    Mas ao mesmo tempo, Alegre-mo-nos.
    Alegre-mo-nos, SIM. Porque a Sã Doutrina continua a ser ensinada nos Seminários da FSSPX.
    Novos Apóstolos se estão formando para o eterno combate entre o Bem e o mal, entre a Verdade e a “inverdade”.

    (Porque Dom Marcel Lefebvre não se calou).