Unidade na diversidade?

Fonte: Pale Ideas

Para quem ainda não sabe, toda semana é celebrada uma Missa católica que é chamada “gay friendly Mass”, no bairro de Soho em Londres, Inglaterra. Trata-se, como eles dizem, de uma “Missa” aberta e acolhedora para com os homossexuais.

No vídeo do YouTube se pode perceber um distinto senhor com peruca e vestido de mulher que lê as orações dos fieis. Note (mais do que óbvia) a bandeira arco-íris.

Tudo isso ocorre com as bençãos do Arcebispo Vincent Nichols.

Diante desse fato nojento, uma pergunta não quer calar: ao invés de obrigar a FSSPX a assinar um Preâmbulo doutrinal sobre alguns pontos controvertidos do Concílio (pastoral) Vaticano II, não seria melhor fazer com que todos os “católicos” daquela igreja de Londres, incluído o sacerdote, e porque não também o Arcebispo Nichols, assinem um Preâmbulo doutrinal no qual se reafirme a doutrina católica de condenação do pecado de sodomia?

via Bregwin (Giorgio Roversi) 04/02/12
Tradução: Giulia d’Amore di Ugento

Tags:

28 Comentários to “Unidade na diversidade?”

  1. A primavera conciliar é bem florida, não?

  2. “Estou admirado por estardes a abandonar tão depressa aquele que vos chamou por meio da graça de Cristo, para aceitardes outro Evangelho. Na realidade, porém, não existe outro Evangelho. Há somente pessoas que semeiam confusão entre vós e querem deturpar o Evangelho de Cristo.” Gl 1, 6 e 7

  3. Nojento é a palavra certa…
    E a pergunta sobre a FSSPX é bastante pertinente… porque quem esta certo tem que se dobrar para agradar os “heresiarcas” ? (observem que o sentido da palavra aqui é limitado)
    O que dizer a respeito ? porque o Vaticano não se pronuncia sobre isso e sobre tantas heresias ?
    Existe algo mais anticristão no ultimo século do que a cúpula do Vaticano ?
    Satã nem precisa trabalhar contra a igreja de Cristo nossos cardeais, bispos , padres e fieis atuais o fazem … e por muitas vezes até mesmo aqueles que ocupam o trono de Pedro o tem feito com maestria.
    Que o Espirito Santo nos Salve que os católicos de verdade gozem de especial proteção contra a “igreja católica”

  4. Que eu saiba, essa missa tem aprovação de Roma. Aliás, em Roma há , ou a menos havia até alguns anos atrás, a missa gay na paróquia Santa Maria della Luce, em Trasteveri.
    Há algo de podre no Reino da Dinamarca e alhures.
    joão

  5. Infelizmente, esse sacrilégio ocorre desde 2007…

  6. Não existe o pecado de Sodomia, porque não é pecado ser cidadão de uma cidade, no caso, Sodoma. Assim como não é pecado ser paulistano, fortalezense. Se todos os habitantes de sodoma fosse gays, como é que eles teriam filhos? Ah só era hetero na cidade LoT? Por certo que não porque a cidade era numerosa. Havia sim o pecado de sexo entre homens e o estupro que os homens da cidade queria fezar com os anjos; mas havia também ladrões, assassinos, prostitutas, mentirosos, porque se Deus houvesse destruído a pequena Sodama SÓ PELO pecado da homossexualidade estaria sendo injusto hoje, já que há mil vezes mais homossexuais em São Francisco,EUA, No Rio de Janeiro e Deus não faz nada a Estas cidades. Sodoma foi destruída porque nela NÃO HAVIA MAIS NENHUM JUSTO. Observe que os anjos ja chegam a cidade para destruí-la e para salvar Lo e a familia antes de os homens da cidade desejarem conhece-los no sentido sexual, e não por causa desta ação.

  7. Olha, reconheço que o Concílio Vaticano II trouxe muita coisa boa para a Igreja, abriu algumas exceções úteis em raros “flashs (como não uso do hábito em um calor de 45ºC, por exemplo), permitiu a língua regional (embora eu defenda com unhas e dentes o Latim) como nos primórdios (onde se usava o Grego, o Hebraico…), tornou a Missa mais participativa aos fiéis (isso não diz respeito aos “pseudo-sacerdotes” leigos, mas sim às leituras, às respostas à Liturgia Eucarística)… mas vejo que tudo só piorou a situação, o povo aproveitou das oportunidades… O Concílio foi muito ingênuo, acolheu demais, e a sociedade introduziu o secular no sagrado. Se defendia que a batina poderia ser removida em algumas situações (que de fato, creio que esse foi o propósito, como no exemplo acima), o povo entendeu que não era mais pra usar; se defendia que o idioma poderia ser “mais acessível” ao povo em algumas “partes”, o povo entendeu que era para falar o “véio portugueis de qualqué jeito, falow?”; se defendia que deveríamos ser “mais ecumênicos” e menos “fanáticos”, o povo entendeu que era pra colocar o Buda sobre o Altar, e dizer que “todas as religiões são boas”; também se interpreta que Missa é um show e não sacrifício, que ver Jesus na cruz é “maneiro”, e que o Gregoriano pode ser substituído pelo “funk pancadão”, porque Gregoriano é coisa de vovó careta e rabuja, e que ao “sentir o carisma” do “batidão” podemos pular, bater palma e descer até ao chã com o Rei David . Sério, não quero em hipótese nenhuma ser um “anti-papa” (no sentido “contra”), sedevacantista ou coisa do gênero, também não quero me rotular como tradicional, conservador, anti missa-nova, ou qualquer outro esteriótipo que “reine” aquilo que o Santo Padre não ordena; mas tenho um imenso desejo que a Igreja Santa e Católica, de verdade, desperte e remova esses “parasitas” que sugam seu sangue. Não sou o papa, e por isso não posso me atrever; não quer de forma nenhuma ser o Judas da situação, quero estar seguro na Kepha que é Pedro, mas “acho” (infelizmente), que se não se pode abolir o Concílio e refaze-lo, que se faça então um novo, sem perder a validade do antigo, reforçando as teses, e dando a ela maiores detalhes, privando essas “alegorias” e gnoses introduzidas, restaurando a tradição, e dando a ela uma “modernidade” coerente, ou em melhores palavras, dando à Igreja uma “flexibilidade” correta e madura, e não uma modificação cambaleante e errantes. Mas enfim, eu não sou ninguém que possa dar algum palpite, mas sou sim um alguém que tem boas intenções. Só sei que podemos rezar para o caso, aliás, “as portas do inferno não prevalecerão”… “bebe tu mesmo teu veneno, satanás”, porque depois do calvário vem a ressurreição. Gloria Patri, et Filio, et Spiritui Sancto,: Sicut erat in principio, et nunc, et semper, et in saecula saeculorum. Amen.

  8. Ahhh e claro, enquanto à inculturação gay, é uma prova do que falei. Não se deve confundir respeito (à pessoa) com adesão. Extremamente ridículo, tomara que chegue aos olhos do papa.

  9. O Alex disse:
    Extremamente ridículo, tomara que chegue aos olhos do papa.
    Será que alguém realmente cre que ainda não chegou aos olhos do papa ?
    Não duvide amigo , ele já sabe … o porque nada faz … ai já é outra história.

  10. Se todos os habitantes de sodoma fosse gays, como é que eles teriam filhos?
    Bissexualidade!!!!!!!!!!!!!

    Existem muitos justos entre os muçulmanos que matam cristãos no oriente médio, por isso Deus n faz nada contra eles; ah ao menos eles n suportam sodomia, significado que existe só no dicionário. Legal!

  11. Se essa missa ocorre é porque o Bispo local a autorizou. O bispo tem esse poder dentro de sua diocese. Os bispos tem poder inclusive (se assim o desejarem) de permitir que um Padre ou Bispo da FSSPX sem qualquer jurisdição canônica celebre em qualquer igeja ou santuário da Diocese, mesmo na catedral. Agora dizer que essa Missa tem algo a ver com o preâmbulo que a Santa Sé deu para a FSSPX assinar e assim entrar em comunhão oficial com a Igreja é completamente absurdo. Não tem nada a ver uma coisa com outra. A Igreja critica a FSSPX devido a suas posturas radicais e posições extremistas, especialmente com relação ao Vaticano II. A doutrina católica não condena o homosexual e sim a prática homosexual. A doutrina caólica diz que o homosexual deve ser acolhido e respeitado pela Igreja. Vejo com gande simpatia essa atitude, pois se queremos ganhar um homosexual para Cristo devemos tratá-lo com respeito de modo que ele seja acolhido pela Igreja e deixe a prática do homosexualismo. Agora se os discriminarmos e s excluirmos da Igreja , discriminando-os estaremos prejudicando esses nossos irmãos que são vítimas de grande preconceioto na sociedade. Só Deus pode julgar e com certeza Cristo ama os homosexuais, pois também derramou seu sangue por eles.

  12. Sobre a inculturação e diálogo, um trecho do livro “O veneno kantiniano” do Padre Guido Mattiussi” que apresenta bem o pensamento modernista:

    “Dogmas mutáveis
    O Ser supremo unido a Humanidade de Cristo não seria jamais dito Verbo do Pai, assim dizem, se a filosofia platônica florescente em Alexandria não tivesse sugerido aquela voz e aquele pensamento. Não se teria distinto a Essência do conceito de Pessoa em Deus, se os gregos não tivessem falado de supostos e de razões genéricas específicas. Assim a transubstanciação se funda sobre a opinião da substância distinta dos acidentes. E a graça foi concebida ao modo de qualidade, a causa dos predicamentos aristotélicos. E a alma foi definida como forma do corpo, exprimindo no melhor modo que podia no medievo a união que faz o homem. Mas todas essas determinações passam e mudam como a doutrina que domina na escola. Quem dos modernos compreende mais estas antiguadas noções? Virá o dia que um Concílio adaptará a religião aos novos tempos, expondo-a segundo as idéias agora aceitadas, como o Concílio de Trento por sua vez a expôs segundo as idéias escolásticas. Assim muitos dizem, e mais despudoradamente que outros, Loisy. Ora tudo isto é intolerável. Porque nós somos obrigados a acreditar por fé divina, qual subesse non potest falsum (como disse o Tridentino), as verdades reveladas por Deus, propostas pela Igreja, como são conteúdos nas distintas asserções do magistério comum ou da suprema autoridade. Quem não afirma as proposições onde constam os cânones do Concílio, não aceitando as palavras ai escritas, ou alterando o significado, cai sobre o anátema, Quem se atreve a dizer: Segundo o presente grau de cultura, convém afirmar uma Essência única em Deus, na qual subsiste três Pessoas; talvez, também irá o progresso filosófico mudar o próprio sentido daqueles termos e mostrará inexata a expressão usada até agora? Se fosse licito dizer assim, a presente asserção seria falsa, e a verdade deveria esperar, mas sempre em vão, pelo tempo futuro…” O veneno kantiniano – Padre Guido Mattiussi

  13. Assistir a uma coisa dessas é terrivelmente entristecedor e doloroso. Olhando aquele crucifixo ao centro do altar senti Nosso Senhor sendo alvejado pelos nossos pecados. É uma profanação! Um sacrilégio! A Santa Igreja condena a sodomia do homossexualismo! Alguns poderiam questionar-nos se estamos julgando ao invés de acolher. Mas na verdade, bem sabemos que Deus condena o pecado, não o pecador. Jesus Cristo acolhe o pecador ARREPENDIDO, não aquele o orgulhoso que pensa estar certo acima de tudo. Dentro da nossa fé devemos compreender que a missão da Igreja não é otimizar sua doutrina com todos, afim de agradar a todos. Pelo contrário, é anunciar a verdade da fé, agrade ou não as pessoas. Nem Nosso Senhor agradou a todos, quem dirá nós, pobres pecadores.
    Meus irmãos, lembremo-nos das vias da Paixão. Jesus ensina-nos a observar tudo e meditar no coração, e no silêncio cumprir nossa missão. Falar quando necessário. Calar quando preciso. Quantos puderem denunciar às autoridades competentes que o façam, os que não o puderem rezem. É imprescindível colaborarmos com Deus, seja pela ação ou pela oração. Já basta de tramar com o demônio pela nossa omissão. Que dirá o inapelável juiz quando todos estiverem perante o tribunal eterno?

  14. Faço uma pergunta: será que realmente essa NOJEIRA, essa blasfêmia, chega aos olhos do Papa???
    É difícil acreditar que sim…
    Alguém pode esclarecer-me?
    E se chega, por que ele não pode fazer nada contra? E o dicastério responsável pela Liturgia que parece-me que o responsável é o cardeal Antonio Cañizares Llovera, um ratzingeriano de primeirra classe, também não pode proibir esses descalabros?

  15. É a missa “Pôneis Malditos”…”Pôneis malditos, vamos para o barro atolar”. A liberdade(como ensina o Mundo, não a verdadeira liberdade, que vem de Deus) que o homem quer, influenciada pelo pai da mentira, é essa, a relativização das coisas, de tudo, e principalmente do Sagrado.

  16. Daqui a pouco dirão: “por que legitimar só a prática homossexual através de uma Missa para os gays? Que discriminação é essa?” – “Adúlteros católicos, uni-vos. Reivindicai uma Missa para vós!” E, assim, já se pode começar a pensar em Missas para outros grupos que atentam contra o sacramento do matrimônio e contra o sexto mandamento da Lei de Deus. Missa para os amasiados, para os divorciados que estão em segunda união… adúltera; Missa para os que dão seus “pulinhos” fora do casamento… Missa para os que praticam o amor livre… Todos legitimados em celebrações eucarísticas, como se seus comportamentos não fossem pecados graves e não tivessem nada demais. E com Jesus eucarístico ali, no meio dessas assembléias que glorificam o pecado. Que dizer mais desse autêntico carnaval profanador e diabólico? Assim, se joga logo de uma vez o sexto mandamento da Lei de Deus na lata do lixo.

  17. Maria Beatriz Nogueira
    A doutrina católica condena o pecado e só admite o pecador quando esse esta TOTALMENTE arrependido. Esse papo seu é de “membro da igreja conciliar” e se não te satisfaz a doutrina católica atenha-se a doutrina bíblica (afeminados não herdarão o reino dos céus) … se nenhuma delas te satisfaz pode ainda optar pelas trevas … como o vaticano II o fez … e seja feliz na anti-igreja. Quanto a atitudes excludentes da Igreja … Fica a palavra de Deus:
    “Não se enganem, não herdarão o reino de Deus os imorais, os que adoram ídolos, os adúlteros, os homossexuais, os ladrões, os avarentos, os bêbados, os difamadores, os marginais …” (1 Coríntios 6:9-11)
    “Se um homem se deitar com outro homem, como se fosse com mulher, ambos terão praticado abominação” Levítico 20.13
    Não creio que a palavra ABOMINAÇÃO seja uma palavra includente e não consigo visualizar a cena dessa missa se repetindo entre os Sacerdotes de Israel …
    Agora:
    “SE O FILHO VOS LIBERTAR VERDADEIRAMENTE SEREIS LIVRES” (Lucas 4:18; João 8:36)
    Isso sim … Porém na cena que vimos havia um senhor TRAVESTIDO se dirigindo aos fiéis …. isso não me pareceu arrependimento … mas legitimação… e pura treva.

  18. Caro Marcelo, vou lhe responder sua pergunta de modo muito claro, já ouviu falar da Colegialidade? mais um absurdo inventado por este concílio terrível, então, o Papa sabe, talvez até fale contra, eu disse talvez, só que o que o Papa fala os bispo não tão nem aí, não ha mais obediência, quem toma as decisões neste caso são as assembleias episcopais, como a Cnb do B, basta lembrar do motu Proprio do Papa com relação a Santa Missa Tridentina não conheço nenhum Bispo que tenha lido este documento para os fiéis e se isto acontece com um documento Papal, imagine sobre a opinião do Papa sobre este tipo de sacrilégio. Ou seja os bispos reunidos, ou um deles na sua diocese manda e desmanda e não está nem aí pro Papa entendeu? por isso tanta aberração, tanto absurdo e nada acontece e se acontece é porque Blogs como este denunciam os erros e por conta do barulho que fizemos eles acabam cedendo.

  19. Maria Beatriz Nogueira

    Fala sério né? Acolher tudo bem, mas agora colocar a bandeira do pecado no Ambão e mandar um travesti proclamar a Palavra de Deus não é chamar belzebu de amigo?

    Alexander

    Se ele sabe, ele deve de estar muito inseguro para tomar a devida atitude.

  20. Trinquei de vergonha com o comentário feminino acima.
    Graças a Deus lugar de mulher na missa é no banco e mantendo os filhos de boca calada. E olha, que têm algumas que nem isso consegue.

  21. Caro Darildo, obrigado…

    Não foi a toa que na Lumen Gentium teve que ser acrescida uma Nota Explicativa Prévia , que na realidade ninguém dá a mínima atenção…
    Se detonaram as Constituições Dogmáticas do Concílio, ou melhor, o próprio Concílio, com milhões de interpretações a la vonte modernistas… imagine um adendo no final de um documento…
    Rezemos pela Santa Igreja que navega em mares bravios e turbulentos há anos…

  22. “Deus odeia igualmente o ímpio e a impiedade” (Sab. XIV, 9)

    Como que esse senhor travestido (do vídeo) espera se salvar? Vestido de mulher?
    Deus acolhe aquele homossexual não declarado e que luta contra seu vício contra a natureza,mesmo que lhe cause sofrimento.
    Essa igreja deveria chamar-se “gay friendly Mass to HELL”,

  23. Este é o lema dos FOCOLARES: UNIDADE NA DIVERSIDADE.

  24. A Igreja Católica condena a homossexualidade assim como a Sagrada Escritura.
    Chamar para dentro da Igreja, pessoas homossexuais e até mesmo casais homoafetivos é muito bom, uma graça aos olhos de Deus, dos anjos e dos santos. A Igreja é um lugar para todas as pessoas pecadoras, o templo onde se realiza o ofício divino e o Santo Sacrifício é um arauto de esperança a corações despedaçados pelo pecado, um lugar onde o fumo de satanás não entra mas que infelizmente alicia quem está dentro da casa de Deus.
    A Missa é para Deus, e chamar os pecadores a um ofício para Deus eleva as almas. É claro que sem nenhuma aberração e palavras que não conduzam a santidade quem participa dos santos mistérios.
    Não é errado chamar homossexuais a missa e para o seio da Igreja, é um sinal de amor e compaixão é como ser o bom samaritano deste século.
    Errado é fechar os olhos ao pecado e transformar a Igreja em uma organização inclusiva e diversificada para mostrar uma face sorridente a todos que dela comungam. Isto não é ser piedoso, isto é ser como satanás, que influencia ao pecado.
    Deixar transexuais proferirem a leitura da sagrada Escritura e até mesmo servir ao altar do Senhor é uma aberração.
    Uma vez sendo cometedores de um pecado nefasto, não devem tomar funções até estarem arrependidos e de coração livre desse pecado.
    Que deus toque sim no coração dos sacerdotes para chamar os homossexuais para dentro da Igreja, mas que Deus também toque os corações dos sacerdotes para que assumam um papel restaurador em nome de Cristo, livrando as pessoas deste mal terrível.

    In corde Iesu Semper.

    PS: Missa é Missa, não existe missa gay, missa de cura e libertação, missa sertaneja ou afro. Existe Missa Cristã em Rito latino, maronita, melquita, ambrosiano, tridentino.

  25. Ana Maria Nunes disse: “Graças a Deus lugar de mulher na missa é no banco e mantendo os filhos de boca calada.”

    Mas as mulheres não têm culpa nenhuma pela zona que virou a Igreja de Roma. Inclusive, todos os que permitiram a Missa Gay Friendly são homens…

  26. Cara Viviane;

    Admito que os homens tem maior culpa pela crise na Igreja porque ao homem cabe o governo da Igreja e não as mulheres, mas me parece um erro muito grande simplismente dizer que as mulheres não tem culpa nenhuma pela grade crise. Tem sim. A Sra. se esqueceu das centenas de grupos feministas que tanto contribuem para a descristianização do mundo ocidental e conseguiram infiltrar suas ideologias revolucionárias nas cabeças de muitas religiosas e leigas católicas que por sua vez muito atrapalham a missão da Igreja? O que dizer das muitas freiras que são feministas e devotas da teologia da libertação? Isso não é contribuir para a crise na Igreja ?

  27. Viviane
    março 5, 2012 às 9:02 pm

    Ana Maria Nunes disse: “Graças a Deus lugar de mulher na missa é no banco e mantendo os filhos de boca calada.”

    Mas as mulheres não têm culpa nenhuma pela zona que virou a Igreja de Roma. Inclusive, todos os que permitiram a Missa Gay Friendly são homens…

    Estava me referindo ao comentário estúpido feminino logo acima do meu. E dou mesmo graças a Deus que na Igreja o lugar da mulher n é na hierarquia. Mais uma prova disso é seu comentário a minha frase.

    Mas as mulheres não têm culpa nenhuma pela zona que virou a Igreja de Roma. Inclusive, todos os que permitiram a Missa Gay Friendly são homens…

    Zona é a nova igreja.
    As mulheres têm culpa sim senhora, justamente pq numa zona (usando seu termo) é onde elas trabalham.

    Cabe a quem a educação dos filhos? Se um filho (padre, bispo, cardeal, papa) cedeu à zona, é pq uma mãe cedeu antes e algo de errado havia naquela família.

    Se uma mãe n tivesse entrado na zona de usar calça, trabalhar fora para se igualar ao homem entre outras coisas, teriam mais tempo para cuidar dos filhos que mais tarde seriam padres, bispos, cardeais e papa. E mais: as filhas, freiras, n tirariam o hábito.

    A mulher n está no governo da Igreja, e nada contra lacinho cor de rosa e fluflu, DESDE QUE FORMEM B E M os homens (seus filhos) para governarem a Igreja!