Errata: nota de esclarecimento sobre o SEDAC.

[Atualização – 6 de março de 2012, às 20:55] Embora não altere em nada os pontos expostos em nosso artigo original, visando evitar constrangimentos ao SEDAC, excluímos as referências à entidade e nos retratamos por divulgar um email que imaginamos ser da instituição.  Não quisemos apresentar, evidentemente, o SEDAC como um informante oficial, mas apenas relatar de onde provieram os dados que expusemos.

Encaminhamos também ao senhor diretor do SEDAC, Padre Edson Sestari, o questionamento sobre as medidas que a entidade tomará contra membros de seu corpo docente que causaram escândalo e perplexidade ao povo católico através de sua carta aberta caluniosa e infamante. Se não uma retratação por empregá-los, ao menos medidas contundentes a respeito. Infelizmente não obtivemos resposta.