Lefebvrianos, a resposta positiva chegou.

O superior da Fraternidade São Pio X subscreveu o preâmbulo doutrinal proposto pela Santa Sé, embora com algumas leve mudanças.

Andrea Tornielli – Cidade do Vaticano | Tradução: Giulia d’Amore.

A resposta da Fraternidade São Pio X chegou ao Vaticano e é positiva: de acordo com as indiscrições recolhidas por Vatican Insider, o superior dos lefebvrianos, o bispo Bernard Fellay, teria assinado o preâmbulo doutrinal que a Santa Sé havia proposto em setembro passado, como condição para chegar à plena comunhão e ao enquadramento canônico.

Um confirmação oficial da resposta positiva deverá chegar nas próximas horas. Pelo que se sabe, o texto do preâmbulo enviado por Fellay propõe algumas alterações não substanciais em relação à versão entregue pelas autoridades vaticanas: como se lembrarão, a mesma Comissão Ecclesia Dei não quis tornar público o documento (duas páginas, bastante densas), justamente porque havia a possibilidade de introduzir eventuais pequenas alterações, que não mudariam o sentido.

Em essência, o preâmbulo contém a “professio fidei,” a profissão de fé exigida por aqueles que assumem um ofício eclesiástico. Então, estabelece que deve ser dado “um religioso obséquio da vontade e da inteligência” aos ensinamentos que o Papa e o colégio dos bispos “propõem, quando exercem o seu magistério autêntico”, mesmo que não sejam proclamados e definidos em modo dogmático, como no caso da maioria dos documentos do Magistério. A Santa Sé tem repetidamente dito aos seus interlocutores da Fraternidade São Pio X que assinar o preâmbulo doutrinal não significaria colocar um fim à “legítima discussão, ao estudo e à explicação teológica das expressões ou declarações individuais constantes dos documentos do Concílio Vaticano II”.

Agora, o texto do preâmbulo com as alterações propostas por Fellay, e por ele assinado como superior da Fraternidade São Pio X, será submetido a Bento XVI, que, no dia seguinte ao octogésimo quinto aniversário e na véspera do sétimo aniversário da eleição, recebe uma resposta positiva dos lefebvrianos. Uma resposta muito aguardada e desejada por ele, que, nas próximas semanas, colocará fim à ferida aberta em 1988, com as ordenações episcopais ilegítimas celebradas pelo arcebispo Marcel Lefebvre.

Não está excluído que a resposta de Fellay seja examinada pelos cardeais da Congregação para a Doutrina da Fé, na próxima reunião da “Feria quarta”, que deverá ser realizada na primeira metade de maio. Enquanto a acomodação canônica deverá demorar mais algumas semanas: a proposta mais provável é a de instituir uma “prelazia pessoal”, figura judicial introduzida no Código de Direito Canónico em 1983 e até agora só utilizada pela Opus Dei. O prelado depende diretamente da Santa Sé. A Fraternidade São Pio X continuará a celebrar a Missa segundo o Missal antigo, e a formar os seus padres em seus seminários.

57 Responses to “Lefebvrianos, a resposta positiva chegou.”

  1. Deus, proteja a obra de Dom Lefebvre. Não somos lefebvrianos, porque somos o que sempre nascemos pra ser: – católicos, apostólicos, romanos.

  2. Meu Deus, que este não seja o fim da FSSPX e de todos os seus ideais. Misericórdia, Senhor!

  3. Lefebvriana sim e com muita honra. Não há uma vírgula sequer que oponha Monsenhor Lefebvre à Igreja.

  4. Deus seja louvado! As cruzadas de Rosários foram eficacíssimas.

    Agora que os progressistas sejam chamados a Roma para assinarem preâmbulos doutrinais também.

  5. É preciso aguardar mais um pouco, antes de choros convulsivos ou foguetes molhados. Convém esperar a manifestação oficial das partes; se confirmada a “resposta positiva”, convém ler os termos dela. D. Fellay é um bispo prudente.

  6. Louvado seja Deus ! Com certeza teremos uma interpretação do CVII segundo a Tradição ! Que a Virgem abençoe Dom Fellay!

  7. Claro, Ferretti, tem razão. Lembrei-me de um artigo do Padre João Batista ao escrever isto.
    Era este aqui, já tem uns 3 anos mas não perdeu em nada sua atualidade:

    https://fratresinunum.com/2009/03/04/franciscanos-dominicanos-e-lefebvrianos-pe-joao-batista/

  8. Um pouco (ou muito) off-topic… Qual a probabilidade de Dom Fellay ser criado cardeal?

  9. Os fundamentalistas do spes já começaram a se desesperar. Quereriam eles que Roma abjurasse de todos os seus erros para aí sim a SSPX regularizar a sua situação. A rádio cristiandad também deve estar de cabelos em pés, assim como seus papagaios no Brasil.

    Devemos, ainda mais nessa hora, confiar na SSPX, seja qual for a sua decisão. Dizer que a situação atual é a mesma do que a de 25 anos é de uma tamanha desonestidade. Por certo a tradição não voltará ao seio da Igreja por uma abjuração formal do Papa de seus erros, mas sim através de uma série de fatores que irão convergir para que tal retorno ocorra gradativamente. Do contrário haveria um cisma sem precedentes na história da Igreja.

    Avançar e conquistar. Esse deve ser o lema.

  10. Fratres,

    Eu sei que a alcunha não é fruto de vocês. Conheço o trabalho e o propósito do blog!

  11. Não é hora de lamentações, ou de ficar pensando que a FSSPX “se rendeu” à aceitação equívoca do Vaticano II. Quem tem de rasgar as vestes são os modernistas, que sempre levantaram o dedo em riste para apontar Dom Fellay e os padres da Fraternidade como “excomungados”.
    E agora, que farão os Boff, carismáticos e toda a patota que tem tomado a Igreja de assalto há cerca de cinquenta anos? Como será daqui para a frente? Cenas de próximos capítulos…
    Pelo momento presente, entoemos o Te Deum… ;)

  12. Louvado seja NOSSO SENHOR JESUS CRISTO !!

  13. Em se confirmando, ótima notícia para a Igreja.

  14. Tomara que seja verdade, uma excelente notícia! Andrea Tornielli geralmente acerta!

  15. Os “plenas” vão aumentar….

  16. Deus seja louvado !

    e

    Viva o Papa !

  17. Maravilha! Deo gratias!
    Bem-vindos, plenas ;)

    Que a FSSPX dê muitos frutos no seio da mãe Igreja!

  18. Pelo momento presente, entoemos o Te Deum… ;)²

  19. FSSPX, sempre católica. E por isso, amante do Papado. Parabéns pela coragem, Dom Fellay. Parabéns, Santo Padre. Que o senhor dê agora toda a segurança à FSSPX, ela que deu um voto de confiança no senhor. E que os hipócritas que sempre reprovaram duramente a FSSPX (e que agora a curte no Facebook, que publica fotos de Dom Lefebvre, como acaba de fazer a Una Voce ou o Salvem a Liturgia) aprendam com D. Fellay o que é trabalhar pela Igreja, pela reconciliação, pelo amor a Deus e à Sua Santa Esposa. Todos esses, por hombridade, deveriam fazer a sua parte e pedir perdão a estes irmãos por tantos e tantos anos caluniados, difamados. Obrigado FSSPX! Obrigado por tudo. Obrigado Dom Lefebvre pelas sagrações episcopais. Obrigado por resistir. Obrigado por serem fiéis. Verdadeiros predestinados!

  20. Para alegres e tristes, realizados e insatisfeitos:

    Revanchismos, ironias, estrebuchos, rasgamento de vestes, ofensas, profecias assombrosas, adulação por parte de quem sempre desrespeitou e difamou a FSSPX… AQUI NÃO!

  21. Te DEUM laudámus… Eu já entoei o meu. E tenho confiança na Ssma. Virgem que essa é uma nota verdadeira! Sempre rezei por isso! E esse é o melhor presente de aniversárioS (no plural porque são dois) que o Santo Padre poderia receber de nós, que o amamos e rezamos muito por essa causa; da FSSPX, que num profundo gesto de humildade e respeito ao Doce Cristo na terra quis aceitar o seu chamado; da Virgem Maria, que sempre assiste à Santa Igreja, posto que é, de fato, sua Mãe; de DEUS, que quis conceder essa graça ao Santo Padre exatamente quando ele declara, em Homilia de sua Santa Missa de aniversário, sentir entrar na parte final de sua vida.

  22. Se for realmente verdade,e a Santa Sé aprovar da sua parte as “leves mudanças” no preâmbulo – Deus o queira – será a maior conquista dos últimos pontificados. Ad multos annos, Beatissime Pater!

  23. Andrea Tornielli escreveu: “Uma confirmação oficial da resposta positiva deverá chegar nas próximas horas.”

    Não chegou.

    Andrea Tornielli escreveu: “Pelo que se sabe, o texto do preâmbulo enviado por Fellay propõe algumas alterações não substanciais em relação á versão entregue pelas autoridades vaticanas”

    O Pe. Alain Lorans FSSPX disse no dia 12. Abril á agência TMNews.it que a nova resposta de Dom Fellay seria uma “clarificação” que “não modifica a primeira resposta substancialmente”.

    http://paparatzinger5blograffaella.blogspot.it/2012/04/i-lefebvriani-stiamo-comunicando-la.html?m=1

  24. Seu Faber, são quatro horas da manhã em Roma. Espera o Pe. Lombardi acordar! :-)

  25. Se isto escandaliza os modernistas então é porque é a decisão certa.

  26. Meus pêsames aos verdadeiros Tradicionais: clero e fieis da FSSPX.
    Lamento profundamente esta nota positiva em relação ao acordo.

    Deixo aqui meus sentimentos de pesar.

  27. Um pouco (ou muito) off-topic… Qual a probabilidade de Dom Fellay ser criado cardeal?

    Seria mais fácil de responder munido de seu currículo. É mais comum nomear cardeais a doutores. Alguém por acaso o tem?

  28. Nossa , se realmente se confirmar isso, sem dúvida é a melhor notícia dos últimos quarenta anos.
    A Igreja vai ganhar muito com isso porque a divisão nunca é boa para o corpo místico de Jesus e causa sofrimento..
    To muito feliz com essa notícia!
    Bendito seja jesus Cristo Filho de Deus!
    Bendita seja a Igreja Católica Apostólica Romana.

  29. Como sabiamente pontuou Dom Fellay: “O bem da Igreja acima de tudo”. E a Igreja precisa da FSSPX. Precisa de sua espada católica no combate ao câncer modernista. E assim como o médico precisa ir até a região aonde se alojou o câncer, a FSSPX precisa ir até o organismo da Igreja aonde se alojou o câncer do modernismo. E esse organismo fica dentro da Igreja. Dentro do corpo.

    Temer os modernistas? Mas são os pastores que não devem temer. Para salvar a Igreja, devem enfrentar qualquer perigo. Afinal, Nosso Senhor não enviou seus pastores como ovelhas entre ovelhas, mas como ovelhas entre lobos.

    Que comece a batalha!

    Robson.

  30. Obrigado amadíssimos irmãos da FSSPX e bem-vindos como sempre desejámos e orámos. Nem sempre estamos de acordo com o que alguns aqui escrevem, mas a hora é de alegria, de vestir a melhor túnica e na mesa do altar oferecermos a nossa gratidão a Nosso Senhor por mais esta alegria. Bem-haja a todos!

  31. “É preciso aguardar mais um pouco, antes de choros convulsivos ou foguetes molhados. Convém esperar a manifestação oficial das partes; se confirmada a “resposta positiva”, convém ler os termos dela. D. Fellay é um bispo prudente.”

    Renato,

    Seu comentário é quase um milagre em meio ao afobamento praticamente geral. Além de ser muito justo com D. Fellay.

    Não consigo ver um modo mais católico de proceder.

    SM!

  32. Só há uma condição para pertencer à Igreja Católica: Ter o Senhor Jesus e o seu Mandamento do Amor por ÚNICA norma e obedecer ao seu Espírito Santo que, segundo Jesus nos prometeu, estará connosco até ao fim dos tempos.
    Ora, quem não aceitar TODO o Concílio Vaticano II sem discussão alguma, não aceita o Espírito Santo. Quem não aceita o Espírito Santo não COMUNGA da Fé de Jesus. Está, portatnto, EXCOMUNGADO por livre vontade.

  33. Pessoalmente não me sinto nemum pouco entusiasmado com essa possibilidade. Não sou profeta, mas não prevejo daí nenhum bem para a Igreja. A FSSPX, na situação em que está tem feito imenso bem às almas. Mais do que ninguém, a Santa Sé sabe disso. Então porque a pressa para mudar essa situação? Por toda a autonimia que for concedida à FSSPX, ela dependerá sempre do Santo Padre. Quem garante que o próximo Papa não seja um modernista que não quer saber da Tradição? Se for, como ficaria a situação da Fraternidade? Quantos no interior da Fraternidade teriam a coragem de se afastarem de novo da hierarquia modernista? Lamento dizer, mas seriam pouquíssimos. De acordo em acordo, vão destruindo a força da Tradição. Que a FSSPX, responda NÃO, pela Maior Glória de Deus e salvação das almas, primeiro dos mesmos e depois dos fiéis.
    Lucas Lima

  34. Alguém sabe se Dom Williamson já se pronunciou a respeito?

  35. Pergunto-me se andam todos distraídos!…

    1 – “Lefebvreianos”.
    Não existem “Lefebvreianos”, visto que Mons. Lefebvre não seguiu nenhuma doutrina própria nem sequer espiritualidade própria, nem fez nada que não estivesse nas obrigações de qualquer católico e que foi a guarda da Fé. Hoje pode ser que haja lefebvriano: os que dizem ser por Mons. Lefebvre e dizem que ainda não estão na Igreja (mesmo que de forma não plena) são sim “lefebvrianos” e eles passaram a existir recentemente já depois de Mons. Lefebvre ter morrido.

    2 – Os Fiéis da Igreja que têm de recorrer à FSSPX.
    Que eu saiba os católicos que são forçados a recorrer aos serviços da FSSPX por Roma ter retirado a Igreja aos católicos não são membros da FSSPX. São católicos cujos Bispos são os diocesanos e recorrem à FSSPX pelo estado de necessidade em que a Igreja se encontra. É uma falta de respeito tratar tais fiéis como se fossem membros da FSSPX, não tendo eles consentido nisso, nem mesmo os estatutos da própria FSSPX previsto tal coisa.

    3 – A FSSPX não se limita a uma estrutura seca.
    Vejo que há comentários onde se toma a questão por um contrato e como se a FSSPX fosse uma associação cultural e não parte da Igreja. Lembro que uma CONDIÇÃO para que a FSSPX exista, e é argumento sobre o qual se funda, é ela ser da Igreja. Por isso a resistência pela Doutrina de sempre da Santa Igreja justifica ultrapassar leis e ordens superiores contrárias à Doutrina que é Lei de Deus. Neste mesmo sentido, um “acordo” feito por Mons. Fellay que contrarie a fundação e a razão da própria FSSPX existir é TOTALMENTE fora da mesma FSSPX. Sabe-se que esta acção para com Roma não teve NENHUMA participação dos outros 3 Bispos e por isso é meramente “legalista” e contraria não só a luta levada sempre como contraria a razão de ser católico. Certamente que os Bispos desta vez irão pronunciar-se… A FSSPX realmente não cabe na acção de Mons. Fellay!!!

    4 – Foi milagre?
    Alguns com estranha euforia comentam que tudo isto é um milagre de Nossa Senhora. Ora, sendo sérios com o significado de “milagre”, temos de dizer que não há milagre:
    – Motu Proprio: pela primeira vez na história um documento relaciona a Missa de sempre com a nova missa, a nova missa é colocada agora oficialmente sobre a Missa de sempre. Onde está o milagre?… Deus pode ter ficado calado, mas isto ser milagre não é!
    – O decreto do levantamento das excomunhões inexistentes: neste momento não há hierarquia alguma que, sem desobedecer, possa dizer publicamente que todos os católicos que se abrigaram nas assas da FSSPSX nunca seguiram Bispos excomungados. Tais Bispos aceitaram um decreto que, deles perante Roma nos consideram então católicos que até ao decreto seguiram Bispos excomungados e por isso fiéis rebeldes em em situação grave. Este foi o milagre de Nossa Senhora, sendo que eu vim de Roma por conversão e agora entregam-me a Roma como se tivesse sido arrastado para o mal?!
    – “o Acordo”: Como pode ser milagre se os dois pontos anteriores continuam a existir? Não é o “o acordo” um assentamento do estado já alterado e muito grave? Não era por milagre que os católicos venciam o medo das falsas excomunhões e das retaliações dos diocesanos porque Cristo os chamava?

    Acho que, em última análise, é uma falta de respeito e são ofensivas a Deus e à inteligência certos comentários fáceis que aqui fizeram alguns.

    As obrigações de um católico são as mesmas ontem e hoje. Mesmo que a FSSPX tivesse realmente apostatado, a Igreja continua enquanto sobrarem católicos na terra.

  36. Caríssimos e amados irmãos, continuemos a rezar para que seja feita a santíssima vontade de Deus. Em breve saberemos qual é. Pelas entranhas de Nosso Senhor Jesus Cristo, nada de divisões entre os fiéis!!!

  37. Rev.mo Pe. Murucci,

    Não encontro nada na dentro da Doutrina ou pensamento católico que estabeleça que os acontecimentos são fruto dos pedidos que fazemos a Deus! Sempre me disseram que, aquilo que Deus der por fruto dos nossos pedidos, não sabemos quando o vai dar nem como o vai dar (a não ser que no-lo revele).

    Diz Vossa Reverência que “em breve saberemos qual é”. Pois permita-me colocar-lhe a questão:
    Se Deus aos filhos que pedem não lhe dá escorpiões, e se muitas pessoas têm chamado aos “escorpiões” “milagres”, que critério de discernimento sobre os acontecimentos futuros terão os sacerdotes que permitem que se confundam “escorpiões” com “milagres”?

    Permita-me ainda perguntar se é certo que está previsto na nossa Santa Religião que Deus pode parecer que se calou aos nossos pedidos?

    Obrigado.
    Com as devidas reverências a sua pessoa.

    Pedro de Oliveira.

  38. Deus, tem canonista demais pra pouco cânone!

    Estou supreso como o número de “exegetas”, “canonistas”, “teólogos”, “liturgistas” na rede falando como intérpretes dos cânones que nunca leram, da exegese que nunca fizeram, da teologia que aprenderam em blogs e da liturgia que nunca conheceram. Como há doutos em rito tridentino da noite pro dia!

    Imploro de novo: – Deus, proteja a obra de Dom Marcel Lefebvre!

    *FRATRES: se meu comentário é inoportuno, não há problema em não publicá-lo, porque não sou do tipo que faz mi-mi-mi. E obrigado pelo trabalho de vocês, que é excelente e muito mal remunerado.

  39. Pensei que a oposição viria dos modernistas, mas tem muito “tradicionalista” (como podemos ver) torcendo contra.

    Que as coisas se encaminhem logo para que a volta da FSSPX seja exitosa.

  40. Aliás, muito legal esse comentário feito no Ecclesia Una:

    “Fazendo uma previsão dos próximos noticiários poderemos ter:

    -Papa readmite ultra-conservadores à Igreja Católica;

    -Depois de retirar excomunhão de bispo negacionista, Papa o readmite na Igreja;

    -Levrevistas que negam o Concílio Vaticano II, que renovou e atualizou a Igreja com o mundo, são readmitidos na Igreja;

    -Teólogo e ex-colega do Papa Bento XVI, Hans Kung pede renúncia do Papa;

    -No seu sétimo ano de pontificado o Papa Bento XVI entra em nova polêmica: readmite bispo negacionista na Igreja;

    Então caros (e raros!) leitores, qual das opções acima vocês acham que mais vão, como se diz aqui no Ceará, virviar nos noticiários?”

  41. Eduardo Gregoriano,

    Vejo que concordamos com a mal empregue designação de “lefebvristas”. É verdade que a internet demonstra haverem pessoas que se dizem “tradicionalistas” sem conhecerem a Doutrina nem a Liturgia, pior ainda, há ainda quem estando no meio dela não a veja. Temos o famoso caso de D. Rifan, que tendo estado com “Ele” parece não o ter reconhecido, ou pelo menos esqueceu (e D. Rifan um apologeta daquilo que veio depois a contrariar). Não podemos esquecer os casos contrário como os daquelas pessoas que, não tendo tido nunca oportunidade de estudar a fundo a Doutrina, sempre na sua modesta vida, têm a graça de um Sensus Fidei que lhe permite com facilidade dizer “isto me cheira a coisa errada”. Culpados maiores são aqueles que, como eu, andaram em institutos de formação tanto diocesanos como depois da própria FSSPX, pois Deus nos pedirá contas maiores.

    Também concordo cm vc. em que Deus salve a FSSPX. Por isso eu liberei discretamente uma informação “interna”, discretamente, no meu blogue (e mais não digo).

    Lanço um apelo ao FRATRES IN UNUM: é certo que os critérios, pelos quais se devemos manter ou devemos apagar os comentários, devem ser unicamente católicos. Sendo assim, qualquer católico deve pronunciar-se contra o mau uso de tais critérios caso isso aconteça alguma vez. Ao contrário da opinião de “Eduardo Gregoriano”, sei haver critérios para as acções pela justiça que devemos fazer e manter, e que o poder que Deus nos dá (mesmo que seja gerir um blogue) é como o poder de um rei num pequeno reinado pelo qual Deus pedirá contas. Como sabe, acredito que tal gestão não é um capricho mas sim fruto de um dever e uma responsabilidade.

    Obrigado a todos.

  42. Espero que a FSSPX não não tenha caído no erro de Campos e de outros iludidos que a aderiram à Ecclesia Dei. (Ecclesia Dei afflcita: que nome mais farisáico para o documento da famigerada excomunhão de Dom Lefebvre). E pelos comentários ainda tem muito iludido com a interpretação do famigerado CVII conforme a Tradição.

  43. Victor Picanço,

    É modernismo transformar tudo numa questão de “clubes” (times). Tdodos são supostamente católicos e um acordo só pode ser feito se estiver garantido aquilo que D. Lefebvre avisou: Roma aceitar o Magistério Papal anterior (com a interpretação que sempre teve), e toda a restante Doutrina com a interpretação que sempre teve. Vc. transforma o modernismo num clube “os modernistas” ao mesmo tempo que essa mesma atitude sua é filosoficamente modernista (saberá vc. o que é o modernismo?).

    Enfim… assim vai a “Igreja”.

  44. Calma lá ASCENDENS!

    Só pra te informar : – não te conheço, nunca ouvi falar de você, nunca li seu blog! Se no que eu comentei você sentiu algum “pitaco” qual ao que você é, quanto ao você fala e ao seu blog por mim desconhecido, isso se dá por sua conta!

    Por isso que odeio comentar, ainda que no Fratres!

  45. Puxa, fico muito feliz de saber disso! Ainda que não tenha sido confirmado oficialmente, se isso acontecer mesmo, acho digno crer que é mais um sinal de que o Imaculado Coração de Nossa Senhora de Fátima já está triunfando sobre o modernismo, o comunismo e afins. =D Eu sei que ‘A Fraternidade não é a salvação da Igreja’, mas que ela tem e terá um papel fundamental na luta contra o Mal infiltrado na Igreja, isso é certo. Nossa Senhora de Fátima, rogai pos nós!

  46. Após a invasão da Igreja pelos modernista que triunfaram no Concílio, a primeira coisa a ser feita foi retirar Dom Lefbreve de superior Dos Padres do Espírito Santo por isso que pra mim este acordo ( se é que vai sair), deve ser temido por aqueles que conhecem de fato a problemática deste concílio. Pois os modernistas irão fazer de tudo para calar a Fraternidade, pois foi assim que aconteceu com o IBP e Campos, é só esperar que Nosso Senhor Jesus Cristo tenha Misericórdia. Segue o trecho sobre a retirada do Dom Lefebvre como superior dos Pe. do Espírito Santo:

    Após o Concílio, o Papa exigiu que todas as congregações Religiosas
    fizessem um Capítulo Geral Extraordinário, a fim de adaptar suas constituições ao
    Concílio. Era bem vago, nada fácil e perigoso, muito perigoso. Em 1968, todas as
    Congregações, inclusive a nossa, deveriam reunir esse capítulo. Tendo sido eleito por
    doze anos, isto é, de 1962 a 1974, nada me obrigaria, em 1968 a demitir-me: eu deveria
    permanecer como Superior Geral ainda por seis anos. Porém, deparei-me com uma
    verdadeira revoluçãozinha dentro da congregação: membros do Capítulo Geral,
    principalmente os holandeses, manifestaram seu desejo de que as constituições não
    fossem mais aplicadas, antes mesmo que fossem modificadas, e, que as mudanças
    fossem aprovadas pela Congregação dos Religiosos. Mesmo com esse Capítulo Geral,
    as Congregações deveriam propor a mudança de constituições à Congregação dos 45
    Religiosos, que a aprovaria ou não. Mas, lá, não! Mesmo sem nenhuma autorização da
    Congregação dos religiosos, queriam que o capítulo fosse presidido por um triunvirato.
    Eu, que era o Superior Geral, não presidiria o Capítulo, mesmo considerando que, nas
    constituições, estivesse bem regulado que cabia ao Superior Geral a direção de todos os
    trabalhos do Capítulo Geral.
    Quando soube desse desejo, quis fazer uma votação e, se a votação fosse
    favorável a esse triunvirato, dessa mudança radical no Capítulo Geral, bem… veríamos
    … Resultado: houve uma maioria a favor do triunvirato, impondo, praticamente, a
    eliminação do Superior Geral: seria o triunvirato que conduziria o Capítulo, o qual três
    Padres para dirigir a reforma da Congregação conforme o espírito do Concílio. Senti,
    perfeitamente, que tudo seria bagunçado, completamente mudado, que um espírito novo
    se instalaria na Congregação, espírito que eu não podia admitir, contra o qual lutara no
    Concílio. E pensar que, como fosse ainda o Superior Geral, teria de assinar todos esses
    atos que, no fundo, consagravam a demolição da Congregação, e, que na história da
    Congregação se diria que foi D. LEFEBVRE quem, praticamente, por sua assinatura,
    era o responsável: isso não poderia aceitar.

    A pequena história de minha vida longa vida. Pag 44.

  47. Darildo,

    Já havia lido isso que vc escreveu. Eram filhos do capeta travestido de sacerdotes.

  48. Sim eram Osires , mas será que mudou alguma coisa de fato?

  49. Rezo para que a regularização canônica da FSSPX se concretize. Tudo pelo bem da Santa Igreja!

  50. Caro sr. Pedro de Oliveira do blog “Ascendens”, obrigado pelas correções! Confesso que escrevi sob o impulso de uma grande alegria. Peço desculpas aos caríssimos leitores pelo meu açodamento que ocasionou estes senões.
    Mas continuemos a rezar para que seja feita a santíssima vontade de Deus, porque Nosso Senhor Jesus Cristo disse: “Pedi e recebereis”; “Tudo o que pedirdes a meu Pai em meu nome vos será concedido”. Procuremos rezar com fé, humildade, confiança e perseverança. Procuremos outrossim, sermos sempre gratos a Nosso Senhor Jesus Cristo quando alcançarmos alguma graça que tínhamos pedido. A minha bênção sacerdotal a todos!
    Padre Elcio Murucci

  51. Não entendo saudações de “bem-vindo” a quem nunca deixou de ser católico. Bem vindo a quê, cara-pálida? A plena comunhão da missa coco?

    Deus proteja não só a obra de Dom Lefebvre, mas toda sua Santa Igreja.

  52. Me chamo PEDRO HENRIQUE e quero esclarecer que HÁ OUTRO Pedro Henrique deixando comentários aqui e em outros lugares que estão me causando dor de cabeça. Cada um é responsável por aquilo que diz. Mas saibam que não comento no Fratres desde maio de 2011. Evito inclusive comentar em outros blogs. Quando eu fizer qualquer comentário assinarei como PEDRO CÂNDIDO. Espero que fique claro.

  53. Gostaria de saber se estou banido dos comentários do blogue, pois já são 3, se não me engano, que não foram publicados.

Trackbacks