Arautos do Mercado Imobiliário.

Castelo que era ‘igreja’ pode virar resort em Ubatuba

Novo carisma dos Arautos do Evangelho: atuar no mercado imobiliário, construindo "igrejas" para depois vendê-las como hotéis.

Nova Evangelização e o novo carisma dos Arautos do Evangelho: atuar no mercado imobiliário, construindo “igrejas” para depois vendê-las como hotéis.

Veja – Um castelo em estilo medieval construído em uma das praias mais isoladas de Ubatuba, no litoral norte paulista, tem aguçado a imaginação de pescadores e despertado a ira de ambientalistas. Com quase 9 mil m² de área construída, a propriedade fica ao lado da paradisíaca Praia do Pulso, cercada por Mata Atlântica e mar azul. Mas, para erguer o empreendimento, o grupo católico Arautos do Evangelho não precisou de licença ambiental: o palácio foi classificado como “igreja”, o que livrou os responsáveis pela obra de pedir qualquer autorização à Companhia Ambiental do Estado (Cetesb).

Indignados, moradores da região moveram uma ação civil pública que pedia ao Ministério Público Estadual a demolição do imóvel. Mas o castelo, que estava misteriosamente fechado havia quase um ano, acabou vendido para um grupo do mercado imobiliário americano. Com mais de cem cômodos e torres com guaritas, o lugar está em obras. Ninguém sabe dizer ao certo o que será feito ali.

Na prefeitura de Ubatuba, a obra consta como “ampliação de instalação religiosa” e ainda pertence ao grupo católico. Mas não é isso o que os funcionários dizem. “Aqui é agora uma propriedade particular, não é mais dos padres. No momento adequado, os americanos vão divulgar“, diz o funcionário responsável pela obra, que pediu para não ter o nome divulgado. “Não podemos falar sobre o que vai ser aqui com ninguém.”

Brechas – Outro mistério para os poucos moradores vizinhos e donos de casas de veraneio, todos acostumados a respeitar severas regras impostas pela Polícia Ambiental, é como alguém conseguiu autorização para construir um castelo em um dos pedaços mais preservados de Ubatuba, ao lado da Fazenda Caçandoca. Trata-se de uma região quilombola tombada pelo patrimônio histórico nacional.

O que agora pode até virar um resort ecológico com 20 bangalôs, segundo uma das versões apresentadas por funcionários da obra, nasceu das brechas que existem atualmente na legislação ambiental. Para a construção de igrejas e escolas públicas, não existe a necessidade de autorização prévia de órgãos ambientais do Estado.

Reconhecidos como ordem religiosa pelo Vaticano, os Arautos do Evangelho só tiveram de pedir uma autorização para construção de um templo ao Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico (Condephaat), em 2004. O grupo assinou um termo de responsabilidade com o órgão, assumindo o compromisso de manter intacta a área verde nativa. A Secretaria de Meio Ambiente e a Cetesb não precisaram ser consultadas.

E assim nasceu o castelo, como igreja, apesar de seus enormes portões com 8 metros de altura nunca terem sido abertos a ninguém que não fosse integrante dos Arautos do Evangelho, uma dissidência ultraconservadora da ala Tradição, Família e Propriedade (TFP) da Igreja Católica. Os padres venderam há dois anos o imóvel para os americanos da Sunrise Homes International, um grupo que constrói casas para estudantes em Santa Bárbara, na Califórnia.

Se quiserem fazer um hotel no local que era, na verdade, para ser uma “igreja”, os americanos também não vão precisar consultar os órgãos do governo estadual, pois esse tipo de empreendimento é liberado pela prefeitura de Ubatuba. O zoneamento municipal permite um empreendimento hoteleiro naquela área.

Desde que o castelo foi aberto, em 2005, a Polícia Ambiental nunca constatou nenhuma irregularidade. “Mas eles cortaram muito da mata. Só que todos os guardas sempre fecharam os olhos para o que eles fazem”, acusa o pescador Adilson da Silva, de 32 anos, que leva turistas para passear de escuna a partir da Praia de Maranduba.

Desde que o castelo começou a ser construído, a Cetesb abriu cinco procedimentos para penalizar condôminos da Praia do Pulso, o loteamento bem ao lado do castelo, por infrações cometidas em áreas de preservação. “E, mesmo assim, deixaram erguer um castelo de arquitetura horrorosa no meio da floresta“, reclama a dona de casa Lucinda Cano, de 51 anos, proprietária de um imóvel no local.

15 Comentários to “Arautos do Mercado Imobiliário.”

  1. É uma pena, pois o “Castelo-igreja” é realmente belíssimo ao contrário do que a dona da reportagem falou. Se usado com lisura seria um baluarte da glória da Igreja nos tempos atuais. No caso de virar hotel mesmo, só temos a lamentar e a dizer que Mons. Clá meteu os pés pelas mãos.

  2. Esse é o tal castelo que as “mas linguas” (=fofocas) dizem que o hoje monsenhor de Santa Maria Maggiore João Clá teve um derrame. Aliás os Arautos faltam com a verdade porque até agora não lançaram uma nota sequer sobre o “boato” de que seu fundador estaria doente. Alías, como diz a noticia, se diz que agora os arautos, chamados erroneamente de conservadores, atuam no ramo imobiliário ao invés de combaterem o aborto e o casamento homossexual, tendo recebido no passado até o católico comunista Gabriel Chalita em seu castelo em São Paulo. Arautos estes que não são só dissidencia da TFP, mas estão no controle desta associação por decisão do judiciário brasileiro que fez com que uma Instituição de Direito Pontificio ficasse “proprietária” de uma associação de católicos leigos a TFP, cujos verdadeiros donos abriram o instituto Plinio Correa de Oliveira para continuar o trabalho contra revolucionário.

  3. As falcatruas do Monsenhor Clá Dias deve ser à base do “jeitinho brasileiro” ainda mais contando com a simpatia de Chalita.

  4. “Perigosíssimos” FRATRES;
    Eles venderam porque com as botas que usam, mal conseguiam caminhar.
    Daí não podiam sair para a nova evangelização.
    Quiseram vender para a CNB do B.
    Mas a gente da “cão ferrância episcaopau” achou muito ostensiva a construção.
    Eles preferem algo mais “inculturado”, como um resort moderno, bem ao gosto modernista…
    Ah, esses tais “Arautos” estão em plena comunhão…
    Será que o Bertone & Cia. Ltda virão descansar nestas praias paradisíacas?
    Ou será que usarão o dinheiro em alguma “obra espiritual”?
    Ou então, contribuirão com o projeto “dai-me alma$$$”?
    Quem viver, verá…

  5. Pelo que sei, a construção era pensada para ser casa de retiros e descanso. A proximidade com a natureza seria útil nos exercícios de contemplação. Mas o número de turistas na praia, antes bastante vazia, foi crescendo com o tempo, fazendo impossível a permanência de jovens religiosos nas zonas próximas, que ficaram perigosas para a alma. Até a vista pelas janelas, desde o interior da construção, ficava perigosa. Daí eles decidir não continuar a fazer uso dela.

    O erro foi não prever com anterioridade que a praia não ficaria sempre tão vazia e os turistas e suas imodestas roupas eventualmente tornar-se-iam um problema serio. Mas, não todos tem o dom de planejar bem.

  6. Tenho minhas desconfianças para com os Arautos também, mas não creio que eles tenham construido o castelo com a intenção de vendê-lo depois o que aconteceu deve ter sido mesmo uma falta de previsão. De um modo geral não se deve construir casas de retiro muito perto de praias mesmo que pareçam desertas e de difícil acesso, mesmo estas são achadas e frequentadas ocasionalmente por turistas. O castelo não é um primor de arquitetura realmente mas está bem longe de ser horroroso como disse a moradora local.

  7. Acredito que a verdade esteja muito próxima do que Carlos e Fábio disseram, pois não creio que eles construíram o castelo com a futura intenção de venda e, consequentemente, de lucro. Do dia 23 ao dia 29 de abril, os Arautos fizeram uma missão na minha paróquia e eu pude acompanhar o trabalho deles de perto. Sinceramente, tendo em vista a situação atual da Santa Igreja, o que eles fazem é grandioso. O Sacrifício da Missa é oferecido com muita dignidade. O trabalho é muito bom, eu só diria que eles se afastaram até mesmo do que Plínio tanto defendia, a continuidade da tradição apostólica e o rito romano tradicional, que eles não celebram.

  8. Penso que um dia virá à tona toda a verdade acerca de que em é João Clá Dias e a sua seita, Arautos do Evangelho, que recentemente ganhou um processo no Supremo Tribunal de Justiça em Brasília com o apadrinhamento do Núncio Apostólico no Brasil, como dava conta o Washington Times:

    “Recentemente, uma decisão do Superior Tribunal de Justiça desfavorável ao movimento Tradição, Família e Propriedade (sob controlo dos Arautos do Evangelho) veio revelar intromissões do poder político na decisão do Tribunal e também fortes pressões nesse sentido por parte de autoridades eclesiásticas do Brasil, incluindo o próprio Núncio Apostólico. “

  9. Matéria tendenciosa. Odeio reportagens que não sabem ouvir os dois lados. Quando se lê uma reportagem do tipo, logo passa a se odiar aquele que foi condenado. Cuidemos com os julgamentos precipitados! O fato de terem colocado a opinião daquela senhora como sendo horrorosa a arquitetura demonstra o quão baixa foi a intenção do responsável pela reportagem. Não caiam nessa!

  10. Bom, horroroso não é de maneira nenhuma, muito pelo contrário é um lindo castelo. Também tenho minhas dúvidas com relação aos Arautos fundamentado no que escreveu o prof. Orlando .
    Vender eu não acho que isso seja errado. Errado seria eles transformarem isso num negócio mas não vou julgar as ‘intenções’ porque isso é próprio de Deus, é melhor esperar e ver no que isso vai dar.

  11. e eu que encontrei no cemitério da Consolação um senhor dos Arautos, que disse que o dr. Plínio e sua mãe já estavam em processo de canonização? Eu fiquei tão impressionado com isso… ele contou a história do nascimento do dr. Plínio com um entusiasmo tão grande, e até comparou com o nascimento de Moisés. Oo ai ai Senhor.

  12. E pensar que na russia os ortodoxos se escadalizaram porque o patriarca Kirill, foi fotografado usando um relógio de luxo … mas nós católicos estamos MUITO a frente na modalidade “usurpando dinheiro dos homens de boa vontade” …

  13. É certo falar mal: Deixa esse castelo pra la gente, para de arrumar confusão com quem está quieto. Tanta maldade no mundo e vcs preocupados com propriedade dos outros! Gosto tanto da TFP quanto dos Arautos e acho que ambos devem se respeitarem. Infelizmente somente os Arautos foram reconhecidos como Ordem religiosa enquanto que a TFP não. Então não vamos ser hipócritas de maldizer aqueles que lutaram para estar onde estão. Vamos nos importar com a falta de educação, falta de saúde e falta de segurança aqui no Brasil. Isso sim deve ser comentado e combatido. SALVE MARIA!

  14. Eu conheci de perto o agora Mons. João Clá. E quem o conheceu sabe que ele é de falcatruas mesmo. Mais do que isso, ele fez escola. Tem um grupinho especialista nisso. Gente medíocre que vive achando que são uns espertalhões. Para eles nada tem limite ou impedimento. Qualquer “pecadinho” agora pode ser perdoado pelas dezenas de padres que eles ordenaram, sem estudarem 7 anos num Seminário sério como fazem outras ordens religiosas e com o apoio do Cardeal Arcebispo de São Paulo, que certamente recebeu muitos presentinhos deles. Essa é apenas UMA das falcatruas que vieram a lume, mas com certeza tem outras. Nem falo do roubo que eles fizeram da obra de Plinio Corrêa de Oliveira, para depois conspurcá-la de todos os modos. Roubo moral e roubo de propriedades também. No dia do Juízo isso tudo vai aparecer e vamos nos surpreender…

  15. Uns anos atrás saiu uma notícia, não sei se é verdade, no Jornal do Brasil de que um homem chamado João Clá, ex-TFP, queria tomar banho no sangue de uma pessoa. É o mesmo que agora é Monsenhor João Clá?

%d blogueiros gostam disto: