Defenestração episcopal.

Fratres in Unum.com, com informações de ASCA | Nesta manhã, o Papa Bento XVI removeu Dom Francesco Micciche do governo da diocese italiana de Trapani, nomeando provisoriamente em seu lugar o arcebispo emérito de Pisa, Dom Alessandro Plotti.

A administração da diocese de Trapani sofria uma investigação do Vaticano desde junho de 2011, após investigações da Procuradoria de Trapani sobre o deficit de duas fundações administradas pela diocese. A visitação apostólica também foi motivada por desacordos entre Micciche e seu clero.

A soma ‘desaparecida’ dos cofres diocesanos seria de mais de um milhão de euros.

Trata-se da terceira destituição de um bispo por Bento XVI, em pouco mais de 7 anos de pontificado, pelos mesmos motivos: problemas de gestão da diocese e tensões entre ordinário e clero local. Em abril e maio de 2011 foram removidos um bispo no Congo e outro na Austrália. A destituição só é realizada após o bispo diocesano se negar a apresentar sua renúncia.

6 Comentários to “Defenestração episcopal.”

  1. Há uma carta do “Bispo Defenestrado” no site da Diocese… http://diocesi.trapani.it/index.php/content/view/1607/248/
    Tem algumas informações bem “interessantes”….

    • Sim, Paulo, sobretudo neste trecho:

      Io, in quanto “persona offesa” in ben quattro procedimenti giudiziari proseguirò con tenacia e con tutti i mezzi che avrò a disposizione, secondo quello che m’insegna il Magistero, nell’accertamento della verità perché il danno subito non solo dalla mia persona ma da tutta la Chiesa di Trapani venga ristabilito almeno civilmente e penalmente. Ma quello che mi preme soprattutto è respingere ogni tentazione di superbia e non chiedere nulla per me ma per voi, porzione di Vigna del Signore, che con tutti i miei limiti ho cercato di servire fedelmente negli ultimi 14 anni dando vita ad iniziative e realtà che mai si erano viste nella Chiesa Trapanese. Forse pago anche per questo? Pago per aver denunciato la cultura mafiosa presente anche al nostro interno invitando ad un serio esame di coscienza durante il Giubileo? Pago per aver denunciato la cappa della massoneria? Pago per non aver fatto accordi con nessun politico per avere contributi ed elargizioni? Pago per essermi esposto dove la Chiesa non si era mai esposta? Pago per aver dovuto imporre una condanna al presbitero che si è reso responsabile di situazioni censurabili? Con quanto mi sta accadendo sento il dovere di avvertire i fratelli vescovi: non osate agire contro chi è troppo legato ai potenti della terra perché altrimenti ne pagherete le conseguenze!

  2. Se este bispo for realmente zeloso como afirmou na carta acima, então a não-aceitação da FSSPX será providencial. Se o bispo diz ser pago desta forma por ter denunciado a maçonaria, por seu astamento dos maus políticos, por ter lutado pela igreja, por ter condenado um clero censurável, então segure-se, FSSPX, porque estará caminhando para sua destruição.

  3. A soma ‘desaparecerida’ dos cofres diocesanos seria de mais de um milhão de euros.

    O senhor é um fanfarrão Dom Francesco Micciche !!!!!!!!!!!

  4. Pelo que li em outros links, o Bispo criticou tanto a Maçonaria como a Máfia em artigos
    anteriores e em preparação para o Jubilei do ano 2000.

    A acusação deste desvio é posterior, do ano 2007. E tem família no meio.
    E acusação de “promover” um padre suspeito de alguma celebração para a máfia.
    .
    http://corrieredelmezzogiorno.corriere.it/palermo/notizie/cronaca/2011/7-giugno-2011/curia-trapani-santa-sede-invia-monsignor-mogavero-come-ispettore–190817618649.shtml
    .
    Pelo jeito, zelava pela “família”.

  5. Alguém traduz este trecho, por favor?
    Aqui no Brasil acontece muitos problemas de “jestão” nas (Arqui)Dioceses, mas até hj eu não vi ninguém cair…

%d blogueiros gostam disto: