Vatileaks e os Legionários de Cristo.

Padre Moreno e P.P.II

Padre Maciel.

Padre Maciel.

Há muitos anos, críticos afirmam que o Vaticano já tinha todas as informações de que precisava para agir contra o padre Marcial Maciel Degollado, fundador dos Legionários de Cristo, muito antes de tê-lo sentenciado a uma vida de “oração e penitência” em 2006. Acusações de impropriedades financeiras e sexuais de Maciel vieram a público nos anos 90, apesar de oficiais do Vaticano insistirem até há pouco tempo que estes relatórios não eram confirmados.

O livro de Nuzzi nos dá mais detalhes, reproduzindo as breves notas tomadas pelo secretário papal no dia 19 de outubro de 2011, depois de uma reunião de meia hora com o padre Rafael Moreno, um sacerdote mexicano que atuou como assistente particular de Maciel por 18 anos.

No texto completo da nota sem assinatura reproduzida por Nuzzi, escrita em papel timbrado do “Secretário Particular de Sua Santidade”, lemos:

19 de outubro de 2011
Reunião 9:00 – 9:30 da manhã
Por mim
Reunião com o padre Rafael Moreno, secretário particular de M.M.

  • Foi por 18 anos secretário particular de MM; isto foi de …[palavra ilegível]
  • Destruiu prova contra ele (material incriminatório)
  • Quis informar P.P.II em 2003, mas ele não quis escutá-lo, não acreditou
  • Quis informar o Card. Sodano, mas ele não lhes concedeu uma audiência
  • Cardeal De Paolis tinha pouco tempo

Nuzzi afirma que, provavelmente, “P.P.II” se refere a João Paulo II. Cardeal Velasio De Paolis, por sua vez, é o oficial Vaticano que Bento XVI designou para supervisionar uma reforma dos Legionários.

Para Nuzzi, o fracasso em levar Moreno a sério em 2003 é especialmente condenatório, dado que este testemunho veio “não de uma vítima, talvez motivada pelo ódio, mas da melhor testemunha possível: o secretário que, por 18 anos, seguiu o fundador da congregação dia a dia, e que, portanto, sabia de sua vida dupla e tripla, de seus mais secretos aspectos”.

Nuzzi também publicou um longo relatório de De Paolis a Bento XVI, atualizando o Papa sobre o que está acontecendo na Legião. Nele, De Paolis afirma que o progresso está sendo obstruído por uma minoria que deseja uma reforma profunda, incluindo a substituição de quaisquer líderes com laços pessoais a Maciel. “Eles continuam a fazer uma propaganda de denegrição e desencorajamento do processo, criando alguma divisão e dificuldades”, escreve. “Na realidade, o número dos oponentes é bem pequeno, mas eles são bastante virulentos”.

Nesse mesmo viés, Nuzzi publica um relatório do Cardeal Domenico Calcagno, presidente do Patrimônio Apostólico da Santa Sé e um veterano experto financeiro do Vaticano, sobre a condição econômica da Legião. Apesar de Calcagno escrever que a ordem está sofrendo com sérias dívidas, “não foram encontradas situações de ilegalidade ou de abuso”. (Calcagno recomenda a redução do papel de um grupo chamado “Integer”, uma controversa companhia de holding para as propriedades que pertencem à Legião e ao seu ramo leigo, o Regnum Christi).

Talvez mais explosivamente, o relatório de Calcagno aconselha contra a aceitação dos pedidos de altas compensações para as vítimas de Maciel.

Calcagno afirma que a reconciliação com algumas vítimas “não tem sido difícil”, mas é mais complicada com relação “aqueles que exigem, em nome da justiça, altas quantias que a Legião não pode absolutamente pagar, e que, de fato, não podem ser baseadas em reivindicações por justiça”.

“Uma concessão nessa área”, escreve Calcagno, “além de ser injusta, poderia provocar uma avalanche de pedidos igualmente insustentáveis”.

Fonte: Life after LC | Tradução: Fratres in Unum.com

23 Comentários to “Vatileaks e os Legionários de Cristo.”

  1. O padre Rafael foi meu diretor espiritual aqui em Brasília por uns quatro anos. Gente finíssima e uma pessoa de excepcional inteligência. É muito provável que o que se apresenta seja verdade.

  2. Se o que ele fala é verdade, JPII foi imprudente, NO MÍNIMO! Se o que ele fala é verdade, os superiores SABIAM de tudo e nada fizeram. Pior, mentem até hoje! E são superiores até hoje! Se o que ele fala é verdade, a corrupção do Vaticano é tamanha que se tem por inimigos aqueles que desejam uma reforma profunda bem como aqueles que foram vítimas de estupro por parte de Maciel (“mais de 20 e menos de 100 pessoas”).
    Ou seja, se é verdade….. a coisa é grave. Se é mentira, também é grave.
    Se ele fosse “gente finíssima”, não testemunharia por anos uma vida de duplicidade, de monstruosidade e de mentiras e permaneceria na posição de secretário particular de um monstro. “Gente fina e de excepcional inteligência” ama a Verdade, não importa o custo.

    Almas? Que importância têm as almas? Esse povo entende só uma coisa: $$$$$$$$$$$$$$$

    Escandaloso.

    Em Cristo,
    Patricia

  3. Vincius Farias,

    Você é do RC? Se for, poderia responder uma pergunta? Eu gostaria de saber sua opinião sobre os anos e anos que Marcial Maciel foi protegido pela Cúria, inclusive sobre a recusa do Beato JPII em fazer as devidas investigações, o que você acha disso? Agiu o Papa corretamente?

  4. Eduardo, sou membro do RC desde 2008.

    Diante dos fatos (não mais especulações) que tornam notória a vida desregrada do padre Marcial Maciel, não me admiraria que tendo esse enganado tantos e tantos, tenha do mesmo modo enganado o papa, que vive cercado de corvos como também tem sido provado.

    Não consigo entender como você poderia cogitar que eu ou qualquer católico entendesse a postura do papa como algo correto do ponto de vista moral. No entanto, a verdadeira pergunta que cabe aqui é: até que ponto JP2 tinha consciência de tudo? Essa pergunta, meu caro, ficará para sempre guardada no seio da Trindade ou, caso haja alguma reviravolta, certamente impedirá o processo de canonização do beato (o que seria dos males o menor).

    Existe algo muito próprio do carisma do RC que foi um tiro no nosso próprio pé: a benedicência. Infelizmente a benedicência tem estado tão abandonada na Igreja nos últimos 50 anos que, talvez pela suma necessidade de defendê-la acima de tudo, acabamos caindo na ingenuidade. E o fundador se aproveitou disso para dançar e sambar com suas amantes. Outro detalhe que deve ser relevado (e longe de ser defesa de Maciel) é a questão dos distúrbios psicológicos. Desprezá-los é minimizar a questão.

    Como bem colocou Nelson Rodrigues, “hoje, qualquer coroinha contesta o Papa”. O problema é que com isso não confiamos na ação do Espírito Santo na Igreja. E hoje, após saber de tanta lama por parte desse falso profeta, só tenho uma coisa a dizer: Deus sabe o que faz. A Legião e RC têm sim o que melhorar, mas a obra, apesar de tudo é boa (“Pelos seus frutos os conhecereis -Mt 7). Se assim não o fosse o papa não se daria ao trabalho de tentar salvá-la. Simplesmente faria o que fez com os jesuítas há séculos atrás, suspenderia a ordem e pronto.

  5. Pelo seus frutos os conhecereis…. sem dúvida!

    Sugiro que leiam o Life After RC, o Regain Network, ou outras dezenas de sites em espanhol. Tanta gente perde a fé por causa desse movimento. Não somente por causa do padre abusador, senão do movimento. O RC usa seus membros para conseguir um fim…. e os descarta assim que alcança este fim. Usam uma metodologia de regimes totalitários. Qualificam as pessoas em grupos distintos de acordo com quanto $$$ possuem (são os “membros AAA”). Abusam dos leigos. Usam institucionalmente de mentiras. É uma lista enorme de “frutos”.

    O que relatei não são palavras minhas, senão de um padre LC:

    http://www.life-after-rc.com/2012/06/christ-the-king-as-charism.html

    O motivo pelo qual o Papa não acaba sumariamente com esse movimento? Boa pergunta. Aliás, “boa pergunta” foi a resposta que o cardeal De Paolis deu para o “carisma” legionário.

    Em Cristo,
    Patricia

  6. Eu penso que toda essa imundície que aconteceu sob o pontificado de João Paulo II mas somente agora veio a tona já era suficiente pra calar a boca daqueles que gritavam SANTO SÚBITO! com relação ao Papa Beato..
    Desconfiem até a morte quando virem a mídia louvar algum “santo” !

    Realmente a voz do povo nunca é a voz de Deus quanto mais a da televisão mundana .

  7. Prezado Vinícius Farias, mais ou menos na linha do seu post, creio que muitas pessoas acabam defendendo ingenuamente (há também os dissimulados, mas esses acabam deixando a máscara cair) declarações ou atitudes condenáveis porque estão cansadas de ver a Igreja sendo atacada de todos os lados. Acredito que muitos não estão querendo acobertar o mal-feito, estão é exaustos e desorientados, restando-lhes apenas defender a Igreja sem entrar no mérito da questão.

    Assim, apesar de às vezes parecer um absurdo para as pessoas mais perspicazes, a pessoa está apenas tentando ser fiel à Igreja com as capacidades que tem — o que é um grande mérito, diga-se de passagem.

  8. Vinicius Farias,

    Não consigo entender como você poderia cogitar que eu ou qualquer católico entendesse a postura do papa como algo correto do ponto de vista moral.

    Obrigado por responder, não tinha obrigação nenhuma em responder e mesmo assim fez. Obrigado de novo! Não quero debater, não vou debater e como me contentei com sua resposta, contente-se com a minha sobre o que você disse acima: – Não consigo ententer como você – Vinicius – poderia cogitar que eu cogitei alguma coisa quando te perguntei sobre o tema, pois minhas intenções verdadeiras, não foram questionar o atitude do Beato JPII, mas entender melhor como pensa um membro especfíco e engajado do RC após a tragédia macielista. Obrigado!

  9. Agora, não me referindo diretamente ao Vinícius, mas de forma geral, ainda que a informação tenha sido repassada no comentário dele, digo que se a “benedicência é um carisma muito próprio da LC e do RC”, então, nem quero saber o que é maledicência, porque a operação difamação perpetrada pela LC e pelo RC contra quem acusava legitimamente o PEDERASTA MARCIAL MACIEL, foi de dar inveja até na Gestapo!

    Sinto muito, mas se isso é carisma de benedicência, então eu não sei o que é carisma! Conheço pessoas do Regnum Christi que tiveram seus nomes jogados na lama por causa de terem feito oposição e falado abertamente do escândalo macielista e da macielização da LC e do RC.

    Sinceramente, a estrutura LC e RC me dão nojo! Embora não sinta nojo de todos! Mas da estrutura, da pessoa canônica LC e RC, essas sim, são repugnantes!

  10. Patrícia, fale por si e pelo Life after RC. Nunca tive essa impressão do movimento. Pelo contrário, só tenho a agradecer, pois tudo me foi dado sem nada pedir em troca. Aliás, quando eu disse “não” e nem por isso fui coagido a deixar o movimento. A propósito, de onde você tirou essa divisão por renda? Que eu saiba existem as sessões de Jovens, Senhoritas, Senhores e Senhoras. Será que inventaram uma nova sessão e eu não fiquei sabendo?

  11. Me causa asco leigos na Igreja quererem definir quem seja santo ou não! Que nojo, Deus que me livre! Todo mundo virando Papa agora. Me perdoe o dono do blog, mas esses comentários sobre o Bem-aventurado JPII passou dos limites. Tem que haver mais controle quando se foge do assunto e se faz juízo desse tipo. Aonde na Igreja se deu poder para os leigos decidirem quem deve ser canonizado ou não? Estão inventando novas leis canônicas na Igreja?

  12. Absurdo que ainda haja quem defenda essa RC/LC, quem defenda que o papa não sabia de nada.

    Como disse Patrícia, JPII foi NO MÍNIMO imprudente. Mas quem quer ver essas coisas não é mesmo? Só querem ver flores…

  13. Vinícius, eu prefiro mil vezes falar pelas vítimas, tem razão! Também falo por mim, pelo que vi e conheci do movimento.

    A definição “triplo A” está no link que coloquei acima. Foi um padre legionário que contou sobre isso. Sugiro que vc leia os links das vítimas. Eu não invento nada. Outro blog importantíssimo é o novo 49 weeks:

    http://49weeks.blogspot.com.br/

    O que me assusta nos membros RC é que baseiam a defesa do movimento na própria experiência. “A minha experiência é boa, logo RC é bom” ou “Nunca ouvi falar disso ou daquilo no movimento, logo essas acusações são falsas”. Foi exatamente isso que o padre abusador ensinou. Foi assim que o estupro de dezenas de crianças não foi tido como verídico pelos membros ro RC. Foi essa incapacidade de ouvir as vítimas que fez com que o maior escãndalo do século XX da Igreja se perpetuasse. O RC até hoje está processando um fórum de discussões sobre o movimento. Até hoje, membros leigos e religiosos do RC se recusam a ouvir, COM BOA VONTADE, as vítimas. Quando eu sugiro que leiam Life After RC ou o 49 weeks, o que me move não é raiva de quem é membro, nem revanchismo, ou coisa que o valha. O que me move é o desejo que as vítimas sejam ouvidas. Com CARIDADE. Com BOA VONTADE.

    Veja que exemplo cristão você dá, talvez sem perceber: “Patrícia, fale por si e pelo Life after RC. Nunca tive essa impressão do movimento.”

    Novamente, peço que leia o link que indiquei acima…. pois foi dali “que eu tirei” a informação postada.
    Sei que os membros do RC são desencorajados a ler coisas “contra o movimento”. Na verdade, rezo para que essa prática tenha mudado. Enfim, quem sabe você lendo as muitas tentativas de suicídio de membros e ex-membros, as centenas de depoimentos sobre o abandono da fé como resultado do contato com o movimento, talvez assim você pense um pouco antes de deixar que só eu fale pelas vítimas. Talvez você, um dia, queira me ajudar a fazer com que elas sejam ouvidas.

    Finalmente, há muito sobre o movimento que você talvez não saiba. Nem tudo eles “gritam por cima dos telhados”. Chamam isso de “prudência” no movimento.

    Saiba que rezo por você, Vinícius. Rezo também pelo Vitola e por todos os membros do RC. Creio que tantos devem me ter por inimiga, mas pouco me importa. Continuare falando. Por mim e pelas vítimas. Nisso você tem toda razão, Vinícius!

    abs,
    em Cristo,
    Patricia Medina

  14. Vale lembrar, Ricardo, que ninguém disse que o papa fez A ou B. Estávamos, até onde percebo, discutindo hipóteses.

  15. É assim que os membros do RC procedem! Quando veem alguém falando a verdade sobre a estrutura deles, exclamam: – “falem por si mesmos e não pelo RC!” ou “Isso não é o RC que eu conheço!”.

    Alguém pode até dever algo para a LC e para o RC, porque “muito lhe foi dado”, mas que a LC e o RC deve muito mais a inocentes, isso deve! Deve também a muitos padres e leigos por terem sido perseguidos após não aceitarem conviver com as verdades que vieram a tona. Deve para as vítimas de Maciel e da cúpula imunda da LC que prejudicaram as pessoas duas vezes: 1) ao se abusadas 2) ao serem difamadas pela LC, que sabendo dos crimes do fundador, mesmo assim atacou os inocentes.

    Ora, é sempre assim, faça críticas aos LC’s e RC’s que logo vem um dizer, com argumento desesperado, que isso não é o RC que ele experimentou, porque lá é cheio de amor e caridade, benedicência e fraternidade. Mas o RC e a LC que vemos é um estrutura corrompida, corruptora, manipuladora.

    A estrutura difamatória na LC e RC é eficientíssima! Caia na malha deles e veja seu nome na lama!

  16. Eu só prestaria a mínima consideração pela LC e pelo RC somente se AS VÍTIMAS FOSSEM OUVIDAS! Se lhes fossem dados a caridosa oportunidade de desabafarem suas dores de décadas, suas vidas perdidas, seus sonhos. Terem todo apoio psicológico e financeiro, serem cuidadas com zelo e respeito.

    Onde já se viu isso? O RC proibir seus membros de lerem algo sobre as verdades da LC e RC? Isso é muito baixo, é muito vil, é rendição completa a Baal!

  17. Patrícia, primeiramente não há raiva, mas pontos de vista diferentes. Eu não sou nenhum irracional que não tem a capacidade para diferenciar uma pessoa de suas ideias. Obrigado pelas orações.

    No entanto, sou obrigado a apontar uma contradição de sua parte. Você fala que os membros do movimento só se defendem baseados em suas experiências, mas o que seria o Life After RC?

    Aceito o teu convite e conhecerei mais o site. Ainda assim, além dos fatos que a Sé Apostólica e a justiça secular nos apresentaram, estaremos sempre confrontando experiências. Não há porque demonizar o que, pelas mãos do Legado Pontifício, já está aos cuidados de Deus.

  18. Vinicius Farias,

    Leia isso se tiver coragem e depois me diga o que achou http://www.pepe-rodriguez.com/Sexo_clero/Casos/Sexo_clero_M_Maciel_Leg_pedof_denuncia_Papa.htm

    Traduzo um trecho:

    CARTA DAS VÍTIMAS DE MARCIAL MACIEL AO PAPA JOÃO PAULO II
    Autor da Encíclica Veritatis Splendor
    Cidade do Vaticano

    Santidade,

    “Quem agora escreve são vários homens cristãos, duplamente vítimas em duas claras épocas de nossas vidas: primeiro durante nossa adolescência e juventude e, após, em nossa maturidade, por parte de um sacerdote e religioso muito próximo de Vossa Sabtidade, que repetidamente nos abusou, outrora, sexualmente e também de outras maneiras, indefesos, distantes de nossos pais e responsáveis, em diversos países e distantes do nosso [país], e que, ao termos revelado a triste verdade de nossa história aos jornalistas norte-americanos de boa-fé, no ano passado, ficamos sabendo por eles que nossos nomes através de advogados – sem havermos iniciada qualquer demanda legal – acorreram até vós Santidade para que desse instruções para que antigos companheiros, que atualmente estão fora da congregação, de que o sacerdote abusador e fundador e atual superior geral, dessem falso testemunho contra nós dizendo, diante de notário público, que, tempos atrás, os havíamos instigado a formar uma conspiração contra ele [Marcial Maciel] e, através dele, uma conspiração contra a Igreja.

    Nós, ainda que fora da instituição [Legião de Cristo], não podemos superar psicologicamente uma dolorosa prudência e discrição auto-imposta durante vários anos. Porém, Santo Padre, foi precisamente a carta de apoio e felicitação que Vossa Santidade dirigiu ao Padre Marcial Maciel, publicada no dia 5 de dezembro de 1994 nos sete diários mais influentes da Cidade do México, firmada com sua própria assinatura e pela reprodução muito visível do escudo pontifício, na qual V. Santidade dizia ser o Padre Maciel “um guia eficaz da juventude” e como quem “desejou colocar Cristo como critério, centro e modelo de toda sua vida e trabalho sacerdotal” é que nos moveu a romper, finalmente, o pesado silêncio e revelar a penosa verdade, porque nos causou indignação que o Vigário de Cristo, ao longo de várias décadas pudesse seguir permanecendo em tão grave e extremo engano”.

    Esta carta fue publicada en la revista mexicana Milenio, el 8 de diciembre de 1997.

    João Paulo II sabia sim!!! Se ele quis ver, se ele quis acreditar, é outra história! Mas que ele sabia, sim! Ele sabia!

  19. Deus, disse que não iria debater, mas não suportei, por amor pela verdade!

    Vincius Farias, você diz para Patrícia Medina (que não precisa de quem fale por ela!), o seguinte: “Você fala que os membros do movimento só se defendem baseados em suas experiências, mas o que seria o Life After RC?”.

    Seu argumento é pura petição de princípio e nada mais!

    Os membros do RC se defendem baseados numa experiência em que não foram abusados sexualmente, pscilogicamente, moralmente. Os membros do “Life After” se defendem baseados numa experiência de violência sexual, psicológica, moral, espiritual, que tiveram suas vidas destruídas, famílias destruídas, que tentaram suicídio enquanto outros consumaram. Muito honesto seu argumento quando você não foi perseguido e humilhado pela LC, RC, Conferências de Bispos e pela Cúria Romana!

    Aos membros do RC todo direito de falarem suas experiências, para as vítimas, nenhum direito de falarem! Meu Deus!

  20. Sim, sim, mas as vítimas falam de um outro tipo de experiência: abuso psicológico, espiritual, sexual, moral, financeiro. Não há comparação entre esse tipo de experiência (ignorada e tida como mentirosa, não poucas vezes) e a experiência positiva de membros que, afinal, só conhecem o lado positivo da Legião.
    Imagine que um pai estuprou um dos seus filhos. Ele tem 10 filhos, mas estupra somente um, o menorzinho. O pequeno cresce e denuncia o abuso do pai. Mas os outros 9 filhos gritam que “Ele nunca fez isso conosco! Não é o que conhecemos dele!”. O fato é que, não importa se 9 filhos defendem um pai que, para eles, é até muito bom e dedicado. O problema é que o pai simplesmente não é bom pai exatamente porque abusou de uma minoria. Os outros 9 filhos deveriam, por princípio, não só ouvir o filho pequeno e abusado, mas também defendê-lo!

    Não há demonização. Acredite. E a Verdade não é um confronto eterno de experiências. Não somos fenomenólogos. Somos CATÓLICOS. Para nós, imnporta a verdade.

    abs,
    em Cristo,
    Patricia

  21. Muitos esquecem que o Beato João Paulo II veio da Polônia, onde era comum o governo comunista forjar acusações de pedofilia e outros crimes contra os membros da Igreja.
    Sem dúvidas, tais fatos devem ter influenciado bastante o (não) convencimento do papa acerca do caso Maciel.

  22. A cúpula da LC e do RC sabia! Ou será que os membros do RC – que tiveram grande experiência de amor e benedicência – foram proibidos de verem as evidências, com fotos de membros da cúpula imunda da LC e RC acompanhando o pederasta em suas visitas com as amantes? Ora, nem se deram ao trabalho de não se deixarem fotografar. É muita certeza da impunidade! Sofriam da síndrome da vitória? Nunca seremos descobertos, pensavam!

    O padrecito morreu, mas até hoje a cúpula imunda se beneficia do que ele implantou: os membros do RC não podem ver, ler, repetir, indagar nada que coloque a estrutura em risco! Ou podem Vinicius Farias? Se podem, então, o que você acha das atitudes de Pe. Corcuera, Pe. Garza e cia? Você acha correto eles terem escondido tanto por tanto tempo? Você acha que eles deveriam ser destituídos e reduzidos ao estado laical ou ao silênceio obsequioso? Quem sabe retirado do ministério público? Há algo que abone a omissão deles? Se você tem uma visão diferente sobre isso, por dever com a verdade, conte-nos ou diga que não pode falar porque está obrigado – por sei lá qual dever – de não se manifestar.

  23. Vinicius, não me referi ao seu comentário, e sim o do Christiano (junho 21, 2012 às 3:28 pm).. que disse que os escândalos com tal fundador são pra calar a boca de todos que pediram a canonização de JPII. Ele fala com tanta certeza que acaba caindo no mesmo extremismo dos que pediram o “santo subito”. Mais uma vez, não somos Papa e devemos parar com estrelismo espiritual.. muita vaidade nos ares.