Os peregrinos da Missa Antiga.

Ano da Fé: anunciado o primeiro encontro dos fiéis do “Summorum Pontificum”, em 3 de novembro, no Vaticano. Espera-se que o Papa intervenha.

Por Andrea Tornielli | Tradução: Fratres in Unum.com

Os fiéis que seguem a missa antiga graças ao motu proprio “Summorum Pontificum”, promulgado por Bento XVI em 2007, irão a Roma, por ocasião do Ano da Fé, em uma peregrinação que será concluída com uma celebração na Basílica de São Pedro. O anúncio foi divulgado há algumas horas.

Graças à “iniciativa de diferentes representantes de grupos de fiéis leigos, como a Federação Internacional “Una Voce” e a “Coordenação Nacional do Summorum Pontificum” italiana, acaba de ser constituído, em Roma, o “Coetus internationalis pro Summorum Pontificum”, com o objetivo de organizar uma peregrinação internacional de associações, grupos e movimentos pro “Summorum Pontificum” de Sua Santidade, Bento XVI, no Ano da Fé. A peregrinação terminará com uma celebração em São Pedro no sábado, 3 de novembro de 2012. A apresentação oficial do evento será em 10 de setembro”.

O evento, explicam os organizadores, pretende ser uma “grande mobilização até Roma, levando em peregrinação e oração a todos os fiéis devotos da sagrada liturgia e do Santo Padre, o Papa, que, hoje mais do que nunca, em tempos de ataques à sua sagrada pessoa, necessita de nossa manifestação unânime de afeto, obediência e apoio caritativo. Que comece a organização”.

Não é a primeira vez que se celebra uma missa em São Pedro segundo o rito romano de 1962, o último missal que precedeu a reforma litúrgica pós-conciliar. Do altar da Cátedra, em 17 de maio de 2011, o Cardeal alemão Walter Brandmüller presidiu uma missa no encerramento de um congresso dedicado ao motu proprio “Summorum Pontificum” realizado em Roma.

Os organizadores nada disseram acerca de um eventual encontro com o Papa, embora o “Coetus internationalis pro Summorum Pontificum” espere que Bento XVI possa estar presente de alguma maneira e cumprimente os peregrinos que chegarão a Roma de todos os rincões do planeta.

Em setembro de 2010, a três anos da entrada em vigor do motu proprio, foi realizado um estudo estatístico sobre a situação, difundido pelo grupo “Paix Liturgique” em uma newsletter. O estudo, não só quantitativo mas também qualitativo, compreendida 30 países em que o catolicismo tem uma forte presença: tomou-se em consideração o número de missas antigas à disposição, os horários e a freqüência delas, para indicar, por exemplo, se se tratava de um horário adequado às famílias. Foram reveladas as situações na Espanha, Portugal, Irlanda, Suíca, República Tcheca, Alemanha, Itália, Grã-Bretanha, Polônia, França, Países Baixos, Hungria, Áustria, Canadá, Estados Unidos, México, Colômbia, Chile, Brasil, Argentina, Austrália, Índia, Filipinas, Nova Zelândia, África do Sul, Gabão e Nigéria.

Os dados foram confirmados por fontes independentes. A missa tridentina é celebrada em 1444 lugares. Destes, 340 oferecem a missa uma vez por semana; 313 oferecem a missa dominical, mas não em todas as semanas; 324 oferecem a missa todos os domingos, mas em um horário que não é adequado às famílias (isto é, fora do período das 9 às 12 horas); por sua vez, os locais em que são celebradas missas todos os domingos com um horário adequado às famílias são 467. Praticamente, há uma missa “family friendly” a cada três (32,3%), enquanto que uma em cada quatro missas não é celebrada ao domingo.

A comparação com as missas celebradas pela Fraternidade São Pio X é muito interessante. As missas dos grupos “lefebvristas” são 690 ao todo: praticamente uma em cada duas missas são celebradas segundo o motu proprio, em plena comunhão com Roma. Apesar das dificuldades e resistências, um número cada vez maior de pessoas vai conhecendo a missa antiga.

6 Comentários to “Os peregrinos da Missa Antiga.”

  1. Acho ótimo, de todo coração, mas também acho interessante como sempre tentam pegar um garrinha em Dom Marcel, o Bispo que tantos têm reservas: “Coetus internationalis pro Summorum Pontificum” lembra-me um certo Coetus Internationalis Patrum!

    Ah, antes que um neocon venha dizer “o que tem demais?”, já digo: – nada demais! Mas que é patente, é patente!

  2. Quem dera fosse o Santo Padre a celebrar a Santa Missa nessa bela ocasião.

  3. “praticamente uma em cada duas missas são celebradas segundo o motu proprio”

    Isso quer dizer que as 1444 missas tridentinas incluem as 690 da FSSPX, certo?

  4. ha uma petição, feita por um brasileiro, para que o papa celebre uma missa segundo o missal de 1962. – http://www.change.org/petitions/to-the-holy-father-pope-benedict-xvi-petition-to-celebrate-a-public-mass-according-with-the-1962-missal

    isto foi noticiado no http://www.kreuz.net/article.15610.html

  5. http://www.youtube.com/watch?v=5LQDaRZKzU0 Talvez se os peregrinos fossem do Rito Ucraniano teriam um Papa para celebrar para eles….

  6. Belíssima iniciativa. Mas, pelo andar da carruagem, o Vaticano não vai dar a mínima. No máximo vai ter um tchauzinho do papa…