Na festa de São Maximiliano Maria Kolbe: “Só vós destruístes todas as heresias no mundo inteiro”.

Ó Imaculada,
Rainha do Céu e da Terra,
Refúgio dos pecadores e Nossa Mãe amantíssima,
a quem Deus quis confiar toda a Ordem da misericórdia!

Eu (nome), indigno pecador, me prostro aos vossos pés, suplicando-vos com insistência: Dignai-vos aceitar-me por completo, como coisa e propriedade vossa;

Fazei o que quiserdes de mim,
De todas as faculdades da minha alma e do meu corpo,
De toda a minha vida, da minha morte, da minha eternidade.

Disponde de mim totalmente como vos agradar,
para que se cumpra o que está dito de vós:
“Ela esmagará a cabeça da serpente”, e também:
“Só vós destruístes todas as heresias no mundo inteiro”.

Que em vossas mãos Imaculadas e misericordiosíssimas
Eu seja um instrumento que vos serve a introduzir
e a aumentar o mais possível de vossa glória em tantas almas desgarradas e tíbias.
Assim se estenderá cada vez mais o Reino Bendito do Santíssimo Coração de Jesus.
Pois onde entrais, conseguis a graça da conversão e santificação,
Já que é do Sacratíssimo Coração de Jesus que todas as graças chegam para nós por vossas mãos.

V. Dai-me a graça de vos louvar ó Virgem Santíssima.
R.Dai-me força contra vossos inimigos.

Consagração composta por São Maximiliano Maria Kolbe.

5 Comentários to “Na festa de São Maximiliano Maria Kolbe: “Só vós destruístes todas as heresias no mundo inteiro”.”

  1. Essa é uma das orações mais belas à Nossa Senhora que existe! Durante muito tempo, eu a rezei diariamente. Agora com esse post, vou voltar a rezá-la, senão diariamente, pelo menos, mais vezes, ao lado de outras orações marianas que já tenho o costume de rezar.

  2. Caro Ferreti, não conheço a versão original dessa oração. Contudo, penso que em português, seria melhor dizer “DIGNAI-VOS” e não apenas dignai, já esse verbo é pronominal.

    Veja as informações que eu achei no verbete do dicionário

    Dignar (do latim dignari), pronominal, condescender em, haver por bem, ter a bondade de.

    Eu sugeriria outras modificações nessa oração por motivos gramaticas. Vou postar como eu julgo que parece melhor. Se quiser pode, postar.

  3. Caro Ferreti, eis a oração com as modificações (correções gramaticais que fiz):

    Ó Imaculada,
    Rainha do Céu e da Terra,
    Refugio dos pecadores e Nossa Mãe amantíssima,
    a quem Deus quis confiar toda a Ordem da misericórdia!
    Eu (nome), indigno pecador,
    me prostro aos vossos pés suplicando-vos com
    insistência: Dignai-vos aceitar-me por completo, como coisa e propriedade vossa;

    Fazei o que quiserdes de mim,
    De todas as faculdades da minha alma e do meu corpo,
    De toda a minha vida, da minha morte, da minha eternidade

    Disponde de mim totalmente, como vos agradar,
    para que se cumpra o que está dito de vós:
    “Ela esmagará a cabeça da serpente”, e também:
    “Só vós destruístes todas as heresias no mundo inteiro”.
    Que em vossas mãos Imaculadas e misericordiosíssimas
    Eu seja um instrumento que vos serve a introduzir
    e a aumentar o mais possível de vossa glória em tantas almas desgarradas e tíbias.

    Assim se estenderá cada vez mais o Reino Bendito do santíssimo Coração de Jesus.
    Pois onde entrais, conseguis a graça da conversão e santificação,
    Já que é do Sacratíssimo Coração de Jesus, que
    todas as graças cheguem para nós por vossas mãos.

    V.Dai-me a graça de vos louvar ó Virgem Santíssima.
    R.Dai-me força contra vossos inimigos.

    http://alexbenedictus-et-patensis.blogspot.com.br/2011/12/consagracao-virgem-maria-de-sao.html

  4. Dia feliz para quem em Cristo encontrou o caminho único da fé, pois hoje se celebra a memória de um dos seus filhos mais fieis, o santo mártir da caridade, que no exemplo do próprio Pai, deu a vida em prol dos que rogavam por salvação. São Maximiliano Maria Kolbe é um pilar de fé e entrega total a Deus, de devoção irrestrita à Maria Santíssima, em meio à devastação física e espiritual da Europa na Segunda Guerra Mundial.

    Um exemplo de santidade de tempos recentes, que comove pela coragem com que um homem se jogou ao sacrifício em nome do amor ao próximo.