Grupo tradicionalista escocês recebe status formal dentro da Igreja Católica.

IHU – Um grupo tradicionalista com sede em uma ilha da Escócia foi formalmente estabelecido como “instituto” dentro da Igreja Católica.

A reportagem é de Mark Greaves, publicada no sítio do jornal inglês Catholic Herald, 15-08-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

A Congregação dos Filhos do Santíssimo Redentor, também conhecida como Redentoristas Transalpinos, foi erigida hoje, na festa da Assunção, como Instituto Clerical de Direito Diocesano.

A comunidade, que tem cerca de 15 membros, estava em um limbo desde 2008, quando anunciou que desejava entrar em plena comunhão com Roma.

A decisão do grupo foi uma resposta ao motu proprio Summorum Pontificum do Papa Bento XVI, que permitiu que os sacerdotes celebrassem livremente a missa tradicional em latim.

Anteriormente, a comunidade havia feito parte da fraternidade mundial São Pio X (SSPX), o grupo tradicionalista apartado atualmente em diálogo com Roma.

Na noite dessa quarta-feira, a comunidade fez uma profissão pública de votos em sua sede, em Papa Stronsay, uma pequena ilha ventosa em Orkney, ao longo do nordeste da Escócia. A profissão foi celebrada pelo bispo Hugh Gilbert OSB, de Aberdeen, que, como seu bispo diocesano, concedeu-lhes o reconhecimento canônico.

Dom Gilbert foi ordenado bispo de Aberdeen há exatamente um ano, assumindo o lugar de Dom Peter Moran, que se aposentou.

21 Comentários to “Grupo tradicionalista escocês recebe status formal dentro da Igreja Católica.”

  1. Fraternidade Mundial do Reino de…he,he,he. Oh, Glóriaaa!

  2. Me alegro por eles e com eles! Meus queridos amigos e também amigos do Fratres!!!!
    Para conhecê-los, o que vale a pena, acessem o blog:http://papastronsay.blogspot.com.br/

  3. Bom, ela é uma fraternidade e é mundial, então vamos dar um desconto vai…

  4. Bem diferente dos redentoristas que conheço daqui de minha cidade cujo reitor anda de bermudão.

    Parece até o personagem carioca da novela da globo “leleco”.

  5. Canção Nova, Opus Dei, FSSPX. Que salada!

    Viva os 50 anos Vaticano II…

  6. Louvado seja Deus pelo crescimento dos grupos tradicionalistas dentro da Igreja! Isso é tão bom e promissor! Contudo, é triste ver como esses grupos tradicionalistas crescem entre o clero mundo no mundo todo, menos no Brasil. O clero brasileiro é assustadoramente fechado às tradições da Igreja! Salvo as poucas excessões, seja dito para não se cometer injustiça a elas. Deus tenha misericórdia do Brasil!

  7. No Brasil também! Temos a ADM São João Maria Vianney.

  8. Falem o que quiser da Administração Apostólica São João Maria Vianney ( e eu sei que os “papinhas” gostam de alfineta-la ), mas o que eles fazem no norte do Rio de Janeiro não é feito pela Igreja em lugar algum do Brasil.

  9. É um sentimento antagônico. Ao mesmo tempo que eu apoio a FSSPX, eu me alegro ao ver a Tradição se desenvolvendo na Igreja. É uma pena que todo esse desenvolvimento não foi gerado pela própria Igreja, mas é fruto da resistência da própria Fraternidade e de D. Castro Mayer, que sequer foi lembrado pelo video dos 10 anos da Admnistração Apostólica.

    Os bons frutos da Tradição que vemos hoje na Igreja foram produzidos por aqueles mesmos que foram escorraçados para fora da Igreja e tratados como os piores inimigos dela. E nenhum sinal de gratidão por aqueles que receberam a Tradição desses valentes opositores do progressismo e modernismo.

    Só a propalção, meio que soberba, de que ‘hoje estamos em plena comunhão’.

  10. Não podemos esquecer que o Santo Padre João Paulo II transformou em Administração Apostólica a Unisão Sacerdotal fundada por Dom Antônio de Castro Mayer. Pena que que ele nem apareceu no vídeo.

  11. Deo Gratias !

  12. Ferreti, sério que é “fraternidade mundial São Pio X”?

  13. A plena comunhão exige muita humildade! Parabéns a administração apostólica pelo seu exemlo.
    Somos o único país do mundo que possui um Bispo tradicionalista em plena comunhão com o Papa e com toda a Igreja Romana e no pleno exercício de seu ministério. Deo Gratias!

  14. Belíssimo vídeo nas comemorações do décimo ano da AASJMV, mas, e D. Castro Mayer? Por que nem uma foto sua apareceu? É lamentável, muito triste o ostracismo a que o relegaram seus filhos queridos, que tanto devem a ele, que devem a Administração à sua galhardia e bravura em ser fiel até o fim ao que acreditava, ou seja, a DOUTRINA BIMILENAR DA SANTA IGREJA…
    É sabido que D. Licinio, um santo e grande Bispo da Santa Igreja, foi indicado para Bispo por D. Castro Mayer, em uma das indicações que os Bispos propõem à Santa Sé, ou melhor, à Nunciatura, durante seu governo episcopal.
    Sem querer julgar a intenção de ninguém, sem querer negar o bom trabalho desenvolvido pela Administração na Igreja, é uma ingratidão, uma omissão de D. Fernando e de seus colaboradores mais próximos, não incluir, ao menos uma foto, ao menos uma palavra de D. Castro Mayer…
    Não adianta tentar apagar ou relegar D. Mayer ao esquecimento, isso é farisaísmo. O brilho e a grandeza, o zelo e o amor pela Santa Igreja, já o colocaram num lugar de honra no horizonte da Igreja Católica Romana, Igreja pela qual ele deu a vida, pela qual ele derramou muitas lágrimas…
    Desculpe-me, D. Fernando…Mas o senhor simplesmente tenta, olhe bem, tenta, mas não consegue, apagar a lembrança de seu pai no sacerdócio? Esquece daquele que o sr. foi secretário e o defendeu tantas vezes, com toda força, quando este era atacado e tratado como um “paranóico” arcaico e intransigente por aloprados ferozes da tl maldita e moribunda na CNBB ?
    Respeito e admiro vosso pastoreio episcopal, mas, não lembrar D. ANTÔNIO DE CASTRO MAYER nessa comemoração, é, no mínimo, falta grave de educação e gratidão.
    Termino com uma pergunta: Por que a memória de D. Mayer causa inquietação e confusão à Administração?
    S. João Maria Vianney, rogai por nós!

  15. Segundo informação de um Padre da Administração Apostólica, também insatisfeito com a “ausência” de Dom Mayer nas circunstâncias presentes (não necessariamente apenas das Celebrações), Dom Fernando não pode (está como que impedido) de atualmente fazer uma menção mais direta a Dom Mayer.

    Essa informação foi transmitida no Sermão da Missa Dominical de minha Paróquia.

    ——————-

    Na minha opinião, creio que o motivo temos condição de conhecer!!!

  16. “Somos o único país do mundo que possui um Bispo tradicionalista em plena comunhão com o Papa e com toda a Igreja Romana e no pleno exercício de seu ministério”. Só se for de fachada, pois aderiu plenamente ao CVII. “Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedicar-se-á a um e desprezará o outro. (São Mateus 6,24)”. Estes dois senhores tratam-se do magisterio antes e depois do CVII contraditórios ao extremo.

  17. Uéeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee…
    Então a coisa é pior que pensava…
    Se este impedimento a D. Fernando vem de Roma estamos num grande emaranhado que é melhor deixar quieto…
    Assim que Roma deseja a regularização da FSSPX?
    Que contradição…
    O Papa despende uma energia enorme num diálogo com a Fraternidade, solta o S. Pontificum, e agora tem gente em Roma tapando a boca de D. Fernando? A troco de que???
    Não entendo mais nada…
    É claro que os padres mais velhos da Administração devem ter estranhado e muito tal silêncio sobre D. Mayer; os mais novos não estão nem aí para D. Antônio, não sofreram nem a minima parte do que sofreram os presentes em 1981. Não quero dizer que D. Carlos Alberto também não sofreu, que os “tradicionalistas” eram santinhos e que os outros padres e fiéis eram maus…claro que não…Quem acompanhou a situação sabe bem como as coisas aconteceram e conhece os exageros cometidos tanto de uma como de outra parte.
    Foi uma situação muito difícil e dolorosa, mas, penso que esses mais velhos, não cito os nomes por respeito, deveriam bater o pé e dizer a D. Fernando que isso é um absurdo, venha da parte de quem vier, seja cardeal ou bispo ou quem for lá de Roma, e que D. Antônio teria que ser citado simmmm…Se ele( D. Fernando) não citasse, eles citariam e o fariam lembrado…Mas, ao que tudo indica, todos estão amordaçados, não só D. Fernando…
    Olha só…
    No vídeo, que está muito bem feito, D. Fernando cumprimenta, cheio de gentilezas, a D. Roberto Ferreria, o atual de Campos, este mesmo que disse certa feita, que a Administração era uma situação temporária, ou seja, que ainda não se chegou à “normalidade” esperada, pra quem sabe ler um pingo de tinta é letra… E o mesmo D. Fernando é impedido de citar o Bispo que o ordenou, o Bispo que não temeu a excomunhão para guardar e transmitir aquilo que ele e a Administração possuem como patrimônio de fé. Isso é lamentável, é triste, é uma vergonha, não tanto para os padres jovens da Administração, que como já disse, não estão nem aí pra D. Mayer, a maioria nem o conheceu… mas para os mais velhos ainda vivos, que conviveram e sofreram juntos com D. Mayer, eles não poderiam ter deixado D. Fernando dar um FURO como este.
    D. ANTÔNIO DE CASTRO MAYER tem seu nome e sua memória gravados nos nossos corações e foi um grande Bispo da Santa Igreja, mesmo que agora esteja sendo novamente “excomungado” pelo seu próprio filho.

  18. Só completando…
    Ele não fez nem menção direta nem menos direta. D. Fernando e seus colaboradores, simplesmente ignoraram D. Castro Mayer, é como se D. Mayer nunca tivesse existido, isso não foi um furo, foi um ROMBO, é um absurdo tanto para D. Fernando como para todos os padres mais velhos ainda vivos que acompanharam a situação desde o começo em 1981.
    A omissão é pecado, quanto mais quando propositadamente…

  19. Prezado Marcelo,

    Não reproduzi as palavras do Sermão do Padre, mas sim o que entendi. Parece que na Pastoral de Dom Fernando sobre os 10 anos da Administração, há uma História da Administração e Dom Antônio é citado. Não peguei ainda essa Pastoral. Mas de qualquer forma, o vídeo era também uma oportunidade para se lembrar de Dom Antônio.

    Acho que Dom Antônio merecia um lugar no vídeo por ser o Pai e Fundador da Administração Apostólica, mas também o vídeo é para falar dos 10 anos pra cá.

    Sobre o “está como que impedido”, como escrevi acima, não são palavras do Padre, mas são palavras minhas que encontrei para expor o que o Padre disse. Seria muito difícil reproduzir as palavras do Padre…

    Não seja rigoroso com Dom Fernando e os Padres, pois estão trabalhando e se desgastando muito para levar adiante a obra de Dom Mayer. Reze por eles, pois não são infalíveis e têm um trabalho duro. Eu não queria estar na pele deles!!!

    Agradeço ao moderador do blog pela paciência dispensada a mim até aqui. Último comentário.

  20. Caro Vitor José, obrigado pela deferência e respeito.
    Entendo sua posição e situação, só penso que não estou sendo “rigoroso” com D. Fernando do qual assisti muitas aulas de catequese na velha Igreja do Saco. O admiro sim, e bastante, como admirava e admiro D. Licinio, D. Castro Mayer, e alguns outros padres e leigos mais antigos da Administração. Concordo com você e também não queria estar na pele de D. Fernando.
    Só que com mais esse furo, ou melhor, mais esse Rombo, ele deu azo para que se confirme cada vez mais o que muitos, da própria Administração, que são contrários a regularização da mesma, falem com mais convicção ainda, ou seja, que Roma sempre tem segundas intenções quando trata com os “tradicionalistas”, que D. Fernando foi e é obrigado a tomar certas atitudes “camufladas”, por pressão e negociações feitas em Roma por ele quando da criação da Administração, veja bem, coisa que não acredito de maneira nenhuma, por conhecer o então Pe. Fernando há anos. Também conheci seus pais, e não duvido do seu ilibado caráter e zelo apostólico.
    Logo, continuemos a rezar por ele e acima de tudo pela nossa conversão, rezemos pelo maior êxito ainda da Administração, porém, jamais esqueçamos nossos antepassados ilustres, um exemplo deles, chama-se D.ANTÔNIO DE CASTRO MAYER!!!!!!!!!
    Quanto ao vídeo ter sido feito para falar dos 10 anos pra cá, não procede…Não haveria esses 10 anos se não tivesse existido D. ANTÔNIO DE CASTRO MAYER!!!!!
    Sem nenhuma soberba, digo que o que estou expondo aqui nesse blog a respeito desse ROMBO, muitos padres mais velhos da Administração, gostariam de fazer também, mas, não podem…O motivo?…A Deus pertence…
    S. João Maria Vianney, rogai por nós!