A Paulus tem salvação?

Lançamento de agosto de 2012 da Editora Paulus.

Lançamento de agosto de 2012 da Editora Paulus.

Embora, seguramente, haverá “católicos” que gastarão 40 reais para adquirir outra coletânea de disparates, perguntamos até quando as editoras pseudo-católicas do Brasil continuarão a disponibilizar livremente obras de autores ordinários como Hank Küng, um infeliz que há mais de trinta anos “não pode ser considerado teólogo católico nem pode, como tal, exercer o cargo de ensinar” [mesmo que a sinopse desse lançamento da Paulus afirme que “durante toda a vida Hans Küng serviu à Igreja católica”].

Não passou da hora de termos uma medida da Congregação para a Doutrina da Fé junto à editora brasileira da Sociedade de São Paulo, a exemplo da realizada em sua sucursal argentina? Um preâmbulo doutrinal, talvez?…

45 Comentários to “A Paulus tem salvação?”

  1. Há alguns meses eu fui até uma loja da Paulus e perguntei à um funcionário: “Quais livros do Chesterton você tem?” Ao que ele me responde: “Desculpe, essa é uma livraria católica”

    Não acreditei no que ouvi e respondi o óbvio: “Mas ele É um escritor católico”. O funcionário se apressou e foi consultar no sistema se havia algum livro. O único catalogado não estava disponível em estoque. Enquanto o Ágape de Marcelo Rossi erguia-se numa pilha enorme na entrada.

    É possível considerar uma editora dessa católica?

  2. As editoras católicas vendem todo tipo de livro, exceto os que ensinam doutrina católica.

  3. Certos livros são realmente repugnantes, mas, por outro lado, esta editora já me ajudou muito. Esta semana mesmo adquiri o livro dos Documentos do Concílio Vaticano II, e anteriormente os volumes da Liturgia das Horas. Saibamos também exaltar o que é positivo.

    A.M.D.G.,
    Gabriel

  4. A Paulus da argentina foi fechada? Palminhas…
    Estou sentadinha aguardando providências com a daqui. Tenho um livrinho adquirido lá, da própria editora, cujo autor é um teólogo chamado Ivo Storniollo, que fala do Decálogo (uma coleçãozinha), e eis que no Êxodo, quando Moisés mata um egípcio, o autor escreve que “Moisés se solidarizou na prática” (palavras textuais). Dentro do contexto, a pergunta é: isso não é apologia ao homicídio?
    A propósito, lá podemos encontrar também Bíblias, Liturgia das Horas, Códigos de Direito Canônico de
    montão. No mínimo obrigação de uma loja que vende produtos de uma editora que é denominada católica, não?

  5. Se ela publica alguns livros bons não deixa de ser má. É simplesmente uma editora ruim que publica eventualmente alguns bons livros.

  6. Nossa! Esse livro de tarot que o Sr. Wellington comentou é um absurdo!
    “apoiando-se na tradição do hermetismo cristão em sua tríplice dimensão – mística, gnóstica e mágica”!

  7. E o livrinho de preparação para o matrimônio que eles vendem por lá com ensinamento contrário ao Magistério? É uma piada chamá-la de editora católica. O mesmo acontece com a Vozes (que vende livro de macumba) e as Paulinas (que vende livros de Teologia da Libertação a rodo).

  8. “Não passou da hora de termos uma medida da Congregação para a Doutrina da Fé junto à editora brasileira da Sociedade de São Paulo, a exemplo da realizada em sua sucursal argentina? Um preâmbulo doutrinal, talvez?…”

    Parece que o Ferreti se esqueceu que são os modernistas, que deixam de tudo e permitem que se faça de tudo, que comandam o Vaticano.

  9. Resposta ao título: “Sim, tem: FECHA”.

  10. Sinceramente não vejo motivo pra tanto. A Paulus é um retrato da própria Igreja. Tem Hans Kung, tem Tarot, e tem livro de D. Hélder e Casaldáliga. Mas tem uma ótima coleção de patrística e dois livros de René Girard (que aliás eu comprei). Tirando uma meia dúzia de editoras pequenas, as grandes são isso aí mesmo, Paulus, Paulinas, Vozes…tem trigo e tem joio tudo misturado e o fiel leigo comum NÃO NOTA ISSO. Só quem está por dentro dos debates de internet é que está acordado pra esse tipo de coisa. Portanto, vou deixar aqui uma sugestão a todos. Ao invés de só ficar debatendo (que é importante sim) peguem esses livrecos, leiam, elaborem resenhas contestando e entreguem aos párocos, botem em blogs, divulguem. Aqui na Igreja onde frequento comecei a ler um livro usado em catequese de adultos que é um nojo. É um livro tolo, superficial, com referências heréticas,pagãs e marxismo chulé. Estou detonando o livro (e confesso, nem está sendo tão difícil). E quando falei com o padre ele até arregalou os olhos: “é mesmo? é desse jeito? – sim senhor padre – escreva e mande pra mim, nós vamos fazer uma apostila própria e vamos parar de usar o livro”. Eu acho que temos que ir por aí. Um abraço.

  11. A Paulus tem salvação?

    Sim.

    Quando?

    Depois que Roma se salvar do anti-católico concílio Vaticano II.

  12. Em compensação, a Livraria Loyola começou a vender o Missal Tridentino, o Breviário Romano, o Rituale Romanum, entre outros.

  13. Ah! São Domingos! Ah! São Domingos…

  14. Israel: Em qual Loyola posso encontrar o Missal ? Qual o autor?

  15. “A Paulus e outras tem salvação?”

    Esse tipo de pergunta quem deveria responder (de preferência) era alguns sacerdotes que de vez em quando comentam por aqui.

  16. Não sabia que a Livraria Loyola estava vendendo os livros tradicionais! Alguém comprou o Breviário Romano lá, eu tenho muita vontade de comprá-lo, mas não sei se naquele único livro estão todas as orações e tudo o mais.

  17. O Vaticano não vai punir este herege:

    http://www.devilsfinalbattle.com/port/ch6.htm.

    Quanto a Hans Küng, a “luminária” do período post-conciliar – trabalhou no Concílio juntamente com outros radicais, como Congar, Ratzinger, Rahner e Schillebeeckx. Nos anos 70, porém, como Küng tivesse ido “longe demais”, foi censurado pelo Vaticano devido a algumas ideias heréticas, incluindo as seguintes: rejeição da infalibilidade da Igreja; a ideia de que os Bispos não recebem de Cristo a autoridade que têm para ensinar; a sugestão de que qualquer leigo baptizado tem o poder de consagrar a Sagrada Eucaristia; a negação de que Cristo é “consubstancial” ao Pai; o lançar em descrédito doutrinas (não especificadas) sobre a Virgem Maria23.

    Mas é bom sublinhar que estas são só algumas das opiniões heréticas de Küng, as únicas a serem mencionadas nas sanções do Vaticano. Assim sendo, o Vaticano deixou intactas, na prática, as outras teses heterodoxas de Küng. Por exemplo, num dos seus livros mais famosos, intitulado On Being a Christian, Hans Küng:

    nega a Divindade de Cristo (p. 130);

    vota ao desprezo os milagres do Evangelho (p. 233);

    nega a Ressurreição física de Jesus (p. 350);

    nega que Cristo tenha fundado uma Igreja como instituição (p. 109);

    nega que a Missa é a renovação do Sacrifício do Calvário (p. 323)24.

    Küng nunca retractou estas declarações não-ortodoxas e heréticas. Além disso, solicitou publicamente que fosse feita uma revisão dos ensinamentos da Igreja sobre temas como a infalibilidade do Papa, o controlo da natalidade, o celibato obrigatório dos Padres, e o sacerdócio das mulheres. Apesar desta rejeição descarada dos ensinamentos da Igreja, a única sanção que o Vaticano chegou a aplicar a Küng foi “não ter autorização” para ser considerado um teólogo católico e, assim sendo, não poder ensinar Teologia em nenhuma Universidade Católica. Esta “sanção” acabou por ser diluída, quando a Universidade de Tübingen (a sua alma mater) o manteve como membro do corpo docente, tendo simplesmente reestruturado uma parte da Universidade para que Küng, uma grande celebridade, aí pudesse continuar a ensinar – naquela parte da Universidade hoje oficialmente classificada como escola “secular”.

    Neste entretanto, o Vaticano nunca condenou Küng como herege, nunca o excomungou (como o Direito Canónico prevê), nunca ordenou que os seus livros fossem retirados das bibliotecas dos Seminários e Universidades católicos (onde ainda hoje se encontram em abundância), nunca o impediu de ser conferencista-convidado em instituições católicas, nunca causou impedimentos à publicação de artigos seus na Concilium ou noutras publicações “católicas” progressistas. O Padre Hans Küng nem sequer foi suspenso. Pelo contrário, ainda hoje é Sacerdote em exercício na diocese de Basileia, e não há outras sanções canónicas levantadas contra ele.

    Isto quer dizer que um Padre que continua a vomitar o seu veneno herético para cima de qualquer um ao seu alcance continua a ser autorizado a presidir a liturgias públicas, a pregar e a aconselhar nas confissões. No Vaticano, a Congregação para o Clero, dirigida pelo Cardeal Castrillón Hoyos, deixa-o “intocável”. Portanto, apesar da leve “condenação” do Vaticano, Küng conserva o acesso a uma grande variedade de “canais” influentes que disseminam a sua venenosa doutrina por toda a Igreja. Diz-se até que foram as “descobertas teológicas” de Hans Küng sobre a natureza da Igreja que forneceram a “base teológica” que tornou possível o Acordo “Luterano-Católico”, em 1999.

    E mais: em 1998, o Cardeal Sodano – Secretário de Estado do Vaticano e o prelado mais poderoso da Igreja – teceu louvores a Küng em discurso público na Basílica de S. João de Latrão, elogiando as suas «belas páginas dedicadas ao Mistério Cristão»25. O Cardeal Sodano também se referiu a Küng como “o teólogo alemão”, embora ele tivesse sido (supostamente) privado desse título. (Este é o mesmo Cardeal Angelo Sodano que, em última análise, está por detrás da actual perseguição feita ao Padre Nicholas Gruner e ao seu Apostolado de Fátima, como veremos).

    Ora a condenação de 1942, com que o Vaticano fulminava Chenu, foi muito mais severa do que a de Küng. Mas Chenu não só lhe “sobreviveu”, como até veio a ser um grande nome da Igreja Conciliar, sem nunca ter renunciado às suas ideias erróneas. O mesmo sucedeu com Rahner, Congar, De Lubac e von Balthasar, todos eles teologicamente suspeitos antes do Concílio, e gozando depois de grande prestígio – embora não tivessem sequer abandonado uma só das suas opiniões heterodoxas. Mesmo alguém como Küng tem razões para acreditar que qualquer pequena condenação que ele sofra não passará de um inconveniente temporário, um contratempo aborrecido, o destino de todos os verdadeiros “profetas”. Assim como Chenu viu as suas ideias heréticas acabarem por se impor graças a um Concílio revolucionário, da mesma maneira Küng pode respirar, a plenos pulmões, a esperança de que, num futuro não muito distante, os seus erros venham eventualmente a ser adoptados de facto pelo Catolicismo “corrente” – mesmo que não fiquem a ser ensinamentos do autêntico Magisterium, que nunca poderia impor tais erros à Igreja.

  18. Tentem conversar um pouquinho com uma daquelas “freiras” ditas “religiosas” dessa livraria pseudo “católica”, e vocês terão uma ideia melhor do que é a tal “Paulus”.

  19. alem desses livros já encontrei na loyola o catecismo maior, seria do de São Pio X? Não o de Lutero mesmo!

  20. Cada vez mais eu vejo a “tripartidão sociológica” da Igreja: progressista, conservador e tradicionalista. Cada uma delas tem em si mesmas, várias divisões. Esses três pontos são mais aceitos porque em outras tantas religiões também o é assim. Entre os judeus e mulçumanos existem essas diferenças.

    Os conservadores são legalistas, os tradicionalistas são mais críticos e pessimistas e os progressistas, dependendo do ramo, nem de Católicos podemos chamá-los, mas, dominam muitos setores da Igreja.

    As livrarias Católicas são um reflexo disso.As Paulinas aqui em Recife é TL pura!! Leonardo Boff reina triunfante.Existe a sessão de Patristica para os saudosistas- segundo eles- e os livros de espiritualidade Carismática e diversos. E para fechar o pacote: imagens, santinhos, terços de todos os tipos e cores.

    Louvado seja Deus quando surge grupos de Católicos tradicionalistas que, do próprio bolso, tomam a iniciativa e colocam à disposição livros santos e raros da piedade e da doutrina Cristã na internet como esse site aqui: http://www.obrascatolicas.com/

    No mais, só lamentar.

  21. Nossa, desculpem-me a sinceridade, mas depois de ler os “Documentos do Concílio Vaticano II”, ninguém mais terá gosto de “ficar rezando liturgia das horas”, já que, segundo os brilhantes entendidos e “peritti” da desgraça concíliar, a melhor oração é estar com o povo… É estar no mundo…
    É, ficaram tanto com o povo, entraram tanto no “mundo” que se tornaram mundanos e, evidentemente, foram abandonados pelo mesmo “povo de Deus” que preferiu os tais “evangélico$$$”, que ao menos falam falam de milagres, de oração, enfim, falam de Jesus, coisa que o concílio antropocêntrico não faz…
    Afinal, o “mega evento conciliar” foi um concílio no qual as Verdades de Fé foram soterradas pelas mentiras do antropocentrismo, do liberalismo e do modernismo…
    As tais livrarias em questão, são “católicas” sim.
    Porém, “católicas da igreja conciliar”, ou seja, uma nova religião, surgida na desgraça conciliar, inspirada por Lutero e seus sequazes, repleta dos ideais das “loggia”: Liberdade, Igualdade e Fraternidade.
    Quer conhecer a Fé Católica?
    Nem precisa sair de casa e ter que entrar nesses lupanares travestidos de livrarias.
    Basta um clic.
    Visite o sítio digital da Editora Permanência e adquira o “Catecismo Maior de S. Pio X”.
    Basta este simples livro, mais a Bíblia Sagrada e mais dois “livrinhos”, da mesma Editora:”Comonitório” e “Catecismo Católico da Crise na Igreja”.
    Terá uma pequena, porém impecável Biblioteca Católica!
    Estes livros oferecem as bases para que sejamos verdadeira e fielmente Católicos.
    Para que não nos esqueçamos: na “reforma inglesa”, o famigerado Crammer se dizia “católico”, usava das Verdades de Fé (as que lhe eram úteis) e o herético e dissoluto Henrique VIII, de infeliz memória, morreu dizendo-se “católico”…
    É, até parece que esses filhos das trevas já anteviam a falsa igreja conciliar, esse arremedo de igreja que sorrateiramente prostituiu a Fé Apostólica, levando milhares à apostasia e à heresia, realizando no pós concílio tudo aquilo que os hereges sempre sonharam fazer, porém, nunca tiveram êxito…
    Num futuro, que espero que seja bem próximo, ao menos para essa gente apóstata, quando essa gente for julgada pelo Divino Juiz, irão encontrar seus “pais na Fé”, ou melhor se juntarão a seus “irmãos separados”, os hereges e apóstatas de todos os tempos!
    Quanto às tais “livrarias católicas”, é bem simples, não entrem nelas, tampouco comprem quaisquer das porcarias que essa gente comercializa!
    Deixemos essa gente sem seu amado dinheirinho… Vejamos o que eles vão achar de viverem, na realidade, a pobreza?
    Afinal, somente não dando dinheiro (o verdadeiro deus dessa gente), que eles ao menos perceberão que seu tempo de “agitação ideológica” já está acabando!(Que assim nos permita os Céus!)
    Afinal, se alguém que ajuda na pregação tem merecimento de pregador, alguém que ajuda na difusão dessas heresias e apostasias, tem merecimentos de hereje e apóstata!
    Por isso mesmo, evito até passar na mesma calçada onde estão estas tais “livrarias”.
    Afinal, eu espero salvar a minh’alma, com auxílio da Graça de Deus!
    Abraços e boa noite!

  22. Falando das livrarias: Em todas tem muitos livros bons. Graças a Deus !!!
    Mas tem porcaria de todo tipo (como já citaram).
    Resta ao “cliente” discernir o bom do ruim !
    (Mau) Sinal dos nossos tempos.

  23. Para o amigo Rodrigo, que cita René Girard como um autor recomendável, alerto: não é! Como diria o personagem, “É uma cilada, Bino!”

    Aqui a avaliação de alguns livros do sujeito:

    Des choses cachées depuis la fondation du monde (El misterio de nuestro mundo) GIRARD, René / OUGHOURLIAN, Jean-Michel / LEFORT, Guy ——— P-C2

    Je vois Satan tomber comme l’éclair (Veo a Satán caer como el relámpago) GIRARD, René ——— P-B1

    La violence et le sacré (La violencia y lo sagrado) GIRARD, René ——— P-C1

    L’antica via degli empi GIRARD, René ———- P-C2

    Le Bouc émissaire GIRARD, René ——— P-C2

    Critério:

    P-A1: Público general
    P-A2: Lectores con cultura general o formación cristiana básica
    P-B1: Requiere conocimientos generales de la materia
    P-B2: Lectores con formación cristiana y cultura específica sobre el tema
    P-C1: Presenta algunos errores doctrinales de cierta entidad
    P-C2: Aunque la obra no se presenta como explícitamente contraria a la fe, el planteamiento general o sus tesis centrales son ambiguos o se oponen a las enseñanzas de la Iglesia
    P-C3: La obra es incompatible con la doctrina católica

  24. Ah, eu conheço senhoras que leram o diário de Santa Faustina e ainda continuam desvirtuando a misericórdia de Deus. Estamos todos salvos incluídos judas e lucifer.

    A deformação que a Missa nova faz na alma não livro de santo que aguenta. É melhor continuar leigo burro e ignorante.

  25. De um modo geral, os comentários acima são muito lúcidos.Uma reflexão: Deus criou a lógica, a criatividade e a argúcia humanas.Logo, é mais lógico,criativo e arguto que nós.O que pretende Ele deixando progredir o tsunami do Vaticano II, deixando H.Kung ensinar doutrinas frontalmente contra as teses oficiais da Igreja?Eu não entendo, apenas sei que Deus é mais sábio, mais velho e mais experiente que eu.
    Será que Ele espera, pacientemene, nossos movimentos de vontade e inteligência em direção a Ele? Uma coisa é certa: Deus não precisa de louvores, nem respeito,nem aplausos, nem agradecimentos.Ele é perfeito, eterno,omniciente, onipotente, todo ação( pois Deus é Amor, e Amor é ação pura), e não precisa de nossas permissões e louvores.MAS NÓS PRECISAMOS.Nós precisamos assentir, agir, combater, amar, incentivar, esclarecer, louvar.”Venha a nós o vosso Reino”: precisará Ele que enunciemos este pedido para então, e só então, Reinar, seja na gravidade, seja no sistema imunológico, seja na economia, seja nas aspirações de santidade, seja nos Sacramentos?
    Claro que não. Frases como estas se dirigem a nós: nós é que, seguidamente, necessitamos deixar de ser obstáculos às Graças de Deus, comendo de maneira sadia, rezando, louvando, vivendo a permanente caridade, vencendo as tentações, admirando as belezas, produzindo, contribuindo para a justiça social, combatendo os que usam os pobres como desculpa para manipularem populações, incrementarem o poder dos injustos, na imprensa, na invasão de paises sob os mais absurdos pretextos, etc.Deus não precisa, mas nós precisamos, inteligentemente, desmascarar estas falsas livrarias católicas, estas liturgias malucas, estes “teólogos”que não são teólogos,etc.Parece-me respeitável que alguém duvide de qualquer Verdade de Fé.Nossa inteligência é limitada, o Justo cai sete vezes por dia, o mistério do pecado existe, muitas vezes não fazemos o Bem que queremos mas o mal que não queremos, o Espírito em verdade está Forte, mas a carne é fraca, etc. Somos limitados e fracos, é compreensível que vacilemos, que duvidemos.MAS É INADMISSÍVEL QUE ALGUÉM SE DIGA CATÓLICO E ENSINE DOUTRINAS ANTICATÓLICAS, INCLUSI VE EM SEMINÁRIOS, UNIVERSIDADES DITAS CATÓLICAS, EM PÚLPITOS,ETC. Fossem decentes, não estivessem de má fé ocupando cargos, inclusive de bispos, com o propósito deliberado de lançar a confusão e destruir a Igreja por dentro, eles largariam a “sotaina”( simbolicamente, porque literalmente já há muito que existem freiras de mini saia e padres de sunga ), fundariam novas e honestas igrejas, ou entrariam em alguma já existente( até, quem sabe, a Igreja Cristã da Inclusão,cuja “piedade”maior é praticar e aplaudir ações homossexuais), mas não ficariam fantasiados de bispos, abades, padres,freiras, “teólogos”vomitando confusão e perversão.
    Um dos motivos que me fazem querer viver muito é ver a derrocada destes lobos, que virá, fatalmente, pelo simples fato de Deus ser mais forte, mais sábio, mais antigo, mais paciente.Mas tá custando…

  26. A Livraria Loyola está importando os livros da LIBRERIA EDITRICE VATICANA (os livros lirtúrgicos são os do Motu Proprio)

    Tem o Missale Romanum, para uso em Altar, de 1962, por R$ 159,00: https://www.livrarialoyola.com.br/detalhes.asp?secao=livros&CodId=1&ProductId=275472&Menu=1
    Tem o Rituale Romanum de 1952, por R$ 169,00. https://www.livrarialoyola.com.br/detalhes.asp?secao=livros&CodId=1&ProductId=275354&Menu=1
    Tem o Breviarium Romanum, de 1961, por R$ 297,00: https://www.livrarialoyola.com.br/detalhes.asp?secao=livros&CodId=1&ProductId=375681&Menu=1
    Tem o Graduale, por R$ 115,00: https://www.livrarialoyola.com.br/detalhes.asp?secao=livros&CodId=1&ProductId=362335&Menu=1
    Tem até o Missale Aquileyensis Ecclesie de 1517, por R$ 135,00: https://www.livrarialoyola.com.br/detalhes.asp?secao=livros&CodId=1&ProductId=275403&Menu=1

    Sei que têm muitos livros ruins sendo vendidos, mas a Livraria merece os parabéns por fornecer esse material tão valioso, e a preços tão acessíveis.

  27. Pelo que vejo não só eu mas, uma grande quantidade de pessoas conheceram e se aprofundaram na fé graças a internet, esse tá sendo o lugar onde se encontra boas leituras, e se descobre onde realmente tem editoras católicas como Pinus, Sétimo Selo, Santo Tomás etc.

  28. Perdoe-me, Ferreti, se estou desviando do assunto do post. Porém, já que se falou da venda de Missal, será que alguém saberia onde posso encontrar aquele do leigo, para acompanhar a Santa Missa.

    Obrigado.

  29. César, em sebos ou na estante virtual.

  30. Felipe Leão, bem vindo! Muito bom ler seus comentários. Deus o guarde e aos seus tb, abraço

  31. César esqueci de dizer, se vc comprar pela net, tem está escrito na descrição de venda que É em latim e português.

  32. A Ana Maria sempre precisa nas palavras. Deus a abençõe!

  33. “Quanto às tais “livrarias católicas”, é bem simples, não entrem nelas, tampouco comprem quaisquer das porcarias que essa gente comercializa!
    Deixemos essa gente sem seu amado dinheirinho… Vejamos o que eles vão achar de viverem, na realidade, a pobreza?
    Afinal, somente não dando dinheiro (o verdadeiro deus dessa gente), que eles ao menos perceberão que seu tempo de “agitação ideológica” já está acabando!(Que assim nos permita os Céus!)
    Afinal, se alguém que ajuda na pregação tem merecimento de pregador, alguém que ajuda na difusão dessas heresias e apostasias, tem merecimentos de hereje e apóstata!
    Por isso mesmo, evito até passar na mesma calçada onde estão estas tais “livrarias”.
    Afinal, eu espero salvar a minh’alma, com auxílio da Graça de Deus!
    Abraços e boa noite!”

    O que vejo como vantagem na livraria paulinas é que a mesma publica todos os documentos do papa. E há publicações que só encontramos nestas livrarias:Paulus e Paulinas, como os livros de patrística e até a Suma Teologia de Santo Tomás de Aquino. Então, fica dificílimo fazer o que foi recomendado acima. De certo se encontramos o mesmo livro genuinamente católico em outra livraria devemos optar pela livraria fiel à Igreja e à sua doutrina. Porem, se apenas se o encontrarmos na Paulus não há com o deixar de comprar se o mesmo nos interessa e de fato é fiel à doutrina católica. O correto é examinar atentamente todas as coisas e apegar-se ao que for bom. E rezar, rezar muito, pela grande obra do Pe. Alberione que queria uma ordem de escritores PARA DEFENDER A Fé católica e opor à má imprensa à BOA imprensa. Que por sua intercessão, o seu objetivo se realize, nos filhos que ele deixou.

  34. Ao amigo F.L.A. das 11:41, de fato, René Girard não é um escritor católico, no sentido mais ortodoxo, mas é um importante filósofo e tê-lo publicado pela Paulus me poupou uns bons trocados , caso contrário teria que importar. Ainda assim a Paulus tem uma fantástica coleção de patrística que estou só namorando por falta de dinheiro. Mas achei interessante as suas observações e se puder deixar o link de onde tirou a avaliação para poder consultar outras obras e autores fico agradecido desde já. Um abraço.

  35. Cópia de um e-mail enviado a editora Paulus:

    Pax Domini sit semper tecum

    Prezados, boa tarde!

    É com estranheza que verifico no catalogo da editora livros de alguns autores que são contra a doutrina da Santa Igreja, em referência a este comentário, particularmente, ao autor Hans Küng que com seus escritos muito ferem a nossa doutrina.
    Apenas como citação encaminho cópia da DECLARAÇÃO da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, datada de 15 de Dezembro de 1979 referindo-se aos infames e heréticos trabalhos da referida pessoa.
    Certos que a Editora e a Pia Sociedade de São Paulo não iram ignorar o documento, aguardo, que seja retirado, em respeito a Fé Católica, as “obras” do sr. Küng e de outros que atacam, direta ou indiretamente a Santa Igreja de Roma.

    Atenciosamente e no aguardo de Vossa manifestação,

    Um Indigno Filho de Maria Roosevelt de Castro.

    “SAGRADA CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ
    DECLARAÇÃO ACERCA DE ALGUNS PONTOS DA DOUTRINA TEOLÓGICA
    DO PROF. HANS KÜNG

    “Como alguns escritos do sacerdote Professor Hans Küng, difundidos em tantos países, e a sua doutrina produzem perturbação na alma dos fiéis, os Bispos da Alemanha e a própria Congregação para a Doutrina da Fé, de comum acordo, repetidamente o aconselharam e admoestaram pretendendo levá-lo a exercer a sua actividade de teólogo em plena comunhão com o Magistério autêntico da Igreja.

    Com tal espírito, a Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, cumprindo a sua missão de promover e tutelar a doutrina da fé e dos costumes na Igreja universal, com público documento de 15 de Fevereiro de 1975 declarou que algumas opiniões do Professor Hans Küng se opõem, em diversos graus, à doutrina da Igreja que todos os fiéis devem seguir. Entre elas indicou, como de maior importância, o dogma de fé na infalibilidade da Igreja e a missão de interpretar autenticamente o único depósito sagrado da palavra de Deus, confiado só ao Magistério vivo da Igreja, e também a consagração válida da Eucaristia.

    Ao mesmo tempo esta Sagrada Congregação avisou o mencionado Professor que não continuasse a ensinar tais doutrinas, mantendo-se entretanto à espera de que ele harmonizasse as próprias opiniões com a doutrina do Magistério autêntico.Todavia nenhuma mudança houve até agora nas citadas opiniões.

    Consta isto, em especial no que diz respeito à opinião, que põe peio menos em dúvida o dogma dá infalibilidade na Igreja ou o reduz a certa indefectibilidade fundamental da Igreja na verdade, com a possibilidade de erro nas doutrinas que o Magistério da Igreja ensina deverem ser cridas de maneira definitiva. Neste ponto Hans Küng nada se conformou com a doutrina do Magistério; pelo contrário, recentemente apresentou de novo, ainda mais expressamente, a sua opinião, embora esta Sagrada Congregação tivesse então afirmado que ela contradiz a doutrina definida pelo Concílio Vaticano I e depois confirmada pelo Concílio Vaticano II.

    Além disso, as consequências de tal opinião, sobretudo o desprezo pelo Magistério da Igreja, encontram-se ainda noutras obras por ele publicadas, sem dúvida com detrimento de vários pontos essenciais de fé católica (por exemplo, os relativos a Cristo consubstancial com o Pai, e à Bem-aventurada Virgem Maria), pois é atribuído a esses pontos um significado diverso daquele que entendeu e entende a Igreja.

    A Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, no documento de 1975, absteve-se, na altura, de nova acção quanto às mencionadas opiniões do Prof. Küng, presumindo que ele as viria a abandonar. Uma vez, porém que tal presunção já não se pode manter, esta Sagrada Congregação, em virtude do seu cargo, sente-se obrigada a declarar actualmente que o Professor Hans Küng se afastou, nos seus escritos, da integridade da verdade da fé católica, e portanto já não pode ser considerado teólogo católico nem pode, como tal, exercer o cargo de ensinar.
    No decurso da Audiência concedida ao abaixo assinado Cardeal Prefeito, o Sumo Pontífice João Paulo II aprovou a presente Declaração, decidida na reunião ordinária desta Congregação, e ordenou que fosse publicada.”

    Dado em Roma, na Sede da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, 15 de Dezembro de 1979.

    Franjo Cardeal Šeper
    Prefeito”

  36. Caro Rodrigo, o site de que tirei a classificação dos livros é o da Asociación Almudi de Valencia: http://www.almudi.org/. Aproveito para recomendar aos outros amigos leitores. Para a classificação de livros, ver aqui: http://www.almudi.org/Libro.aspx. Alguns contam com resenhas também.

  37. Ao amigo F.L.A. muito obrigado pela atenção e pela dica, já acessei e salvei em meus favoritos e parabéns ao Roosevelt 2:58. Estou imitando seu gesto e mandando JÁ um e-mail para a Paulus. Abraços a todos.

  38. Perante a declaração da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, acima transcrita, a resposta é NÃO!!!

  39. As livrarias católicas vendem porcarias porque muitas pessoas compram. É lei da oferta e da procura. Por isso, eu acho que devemos sim entrar nelas, e pedir o livro que desejamos, mesmo sabendo que não havera. Elas precisam saber que há mercado para os livros tradicionais. Não podemos nos conformar em sempre viver no gueto.

  40. Heitor Souza, às vezes fico com dó do meu confessor kkkk
    Deus o guarde! abraço

  41. Se alguém estiver revoltado(A) com a Paulus e queria se desfazer da coleção de Pratrística, estou pronta para o sacrifício de recebê-los em meu lar doce lar. N precisa mandar o de Basílio de Cesaréia pq este já tenho.

  42. Prezado FRATER Francisco Castro;

    Quanto ao comentário:
    ” E há publicações que só encontramos nestas livrarias:Paulus e Paulinas, como os livros de patrística e até a Suma Teologia de Santo Tomás de Aquino.”
    Não sei se o Sr. conhece o site estante virtual, nele o Sr. pode adquirir livros como estes que o Sr. indica, a melhores preços, melhor atendimento e sem “auxiliar na propagação das heresias e apostasias”.
    E ao comentário:
    “Porem, se apenas se o encontrarmos na Paulus não há com o deixar de comprar se o mesmo nos interessa e de fato é fiel à doutrina católica.”
    Creio que o Sr. poderá encontrar, inclusive, “livros virtuais”, aqui mesmo na Internet.
    Ademais, o Sr. pode ir a varios sítios da Internet que possuem as obras completas de SantoTomás, em edições bi ou mesmo trilíngues.
    Isso também vale para as obras de Patrística.
    Caso o Sr. goste de livros , boa encadernação, para sua biblioteca, tal como nós aqui de casa, recomendo, uma vez mais, o sítio Estante Virtual.
    Para dar ao Sr. uma ideia, comprei alguns livros da “Source Chrètiennes” – sobre Patrística – 22(vinte e dois) volumes, uma vez que a coleção completa são muitíssimos volumes, todos editados nos anos ’50. Comprei os 22 volumes que lhe falei por apenas R$280,00(duzentos e oitenta reais), uma “pechincha”, já que são raros e de excelente edição.
    Também adquiri uma boa coleção de comentários sobre a Suma Teológica de Sto. Tomás, da BAC, edição impecável de 1960 (todas anteriores à desgraça conciliar), 8 volumes, por apenasR$350,00(trezentos e cinquenta reais).
    Todas estas compras as fiz no sítio “Estante Virtual”.
    Finalmente, quanto ao comentário:
    “E rezar, rezar muito, pela grande obra do Pe. Alberione que queria uma ordem de escritores PARA DEFENDER A Fé católica e opor à má imprensa à BOA imprensa. Que por sua intercessão, o seu objetivo se realize, nos filhos que ele deixou.”
    Bem, não conheci o Pe. Alberione, tampouco conheço os “ideais” de suas obras. Apenas tenho um “Catecismo”, antigo, porém muito bonito, do “tempo que a Igreja era séria”, (como li num texto debichando da “igreja conciliar” outro dia).
    Este bom catecismo das “Edições Paulinas” é intitulado “Na Escola de Jesus”, todo ilustrado, que pretendo ensinar a Fé aos meus 04(quatro) filhos com ele, já que é muito didático e todo ilustrado.
    Diga-se de passagem, o mesmo livro que meus irmãos e eu aprendemos a amar a Deus e à Sua Igreja.
    Quanto ao Pe. Alberione ter fundado sua Obra para defender a Fé, relembro o Sr. que pior que Paulus e Paulinas, onde se publicam todos os tipos de aberrações teológico-filosóficas, tem-se muitíssimo pior, as tais “Pias Discípulas do Divino Mestre” (kkkkkkk), ensinado e divulgando a heresia modernista.
    E ainda são “Pias e Discípulas” já imaginou se não fossem nem “Pias” e nem “Discípulas”???
    Creio que de “Discípulas do Divino Mestre” não têm nada!
    Caso forem “discípulas” serão discípulas de Lutero, Calvino, e todos os hereges.
    Seu “mestre” não é e nem nunca foi “divino”, mas sim cascudo, fétido e horrível! O mestre dessa gente é o velho parlapatão, o diabo!
    “Pias”, hummm, não!
    Creio que estão mais para “fossas”, onde recebem toda a imundície do modernismo e do liberalismo.
    Pior que isso, são fossas fétidas e escancaradas, uma vez que difundem seu pútrido odor em todas as partes!
    Realmente, caro FRATER, temos que rezar muito, muito mesmo!
    Acredito que tal qual todos os Santos Fundadores, o Pe. Alberione, que o Sr. tanto gosta, deva estar muito, muito triste, uma vez que seus “filhos e filhas” espirituais tanto se desviaram do Carisma que lhe foi dado pelo Espírito Santo!
    Seus “filhos e filhas” preferiram seguir o “espírito do mundo”, bem aggiornados, segundo o “mega evento conciliar”, preferem seguir o “espírito de porco”, o mesmo que é seu mestre e senhor.
    Caríssimo FRATER Francisco, rezemos, rezemos muito!
    Mas, sobretudo, evitemos financiar essa gente, pois sem dinheiro, não mais terão como irradiar suas heresias e suas blasfêmias!
    Saudações e abraços:
    Felipe.

  43. Frates, poderíamos denunciar isso à Congregação regional de São Paulo, não?

  44. Pe. Alberione tinha espírito conservador e fidelíssimo à Igreja. Realmente é uma pena que o mesmo não esteja sendo seguido por grande parte de seus filhos atuais e em suas livrarias. Li uma ótima biografia do Pe. Alberione,esgotada, que não há mais na Paulus ou Paulinas. Pe. Alberione de Luis Rolfo. O mesmo chegou a não permitir a permanência na Pia sociedade de São Paulo, um padre diocesano que já tinha idéias novas, para não dizer heréticas sobre a Ressurreição. Há um trecho do livro em que o padre descreve o objetivo da evangelização com os meios de comunicação social que consistia em anunciar Jesus ao um mundo dominado pela má imprensa principalmente a maçonaria e o modernismo. Infelizmente houve estas terríveis mudanças, que diga-se com justiça, ocorreu na Igreja inteira e não só entre os paulinos. Congregações muito mais antigas como os Redentoristas, os Beneditinos também mudaram e muito . O Modernismo infiltrou-se por incrível que pareça nas congregações mais antigas e tradicionais. Hoje as novas comunidades carismáticas preservam muito mais o tradicional, inclusive usando hábitos do que as antigas congregações. É então um mal generalizado. Resta o que podemos fazer alem da oração procura como foi sugerido livros católico tracionais por exemplo o missas romano antigo nas pulinas, mesmo sabendo que não tem. Se houver muito procura e o objetivo for só a venda ( Que nunca foi o objetivo do fundador, pois ele mesmo disse, vocês , os paulinos, não são comerciantes) eles se interessarão. Devemos rezar e pedir procurar e conhecer. Eis a nossa parte.