Unesp de Franca avalia punir alunos que chamaram príncipe de nazista.

G1 – A diretoria da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Franca (SP) informou nesta sexta-feira (31) que analisa punir os estudantes que realizaram um protesto durante a palestra do príncipe herdeiro da família real brasileira, Dom Bertrand de Orleans e Bragança, de 71 anos, na noite da última terça-feira (29).

Segundo o diretor da Unesp, professor Fernando Andrade Fernandes, o príncipe havia sido convidado para falar sobre a história da monarquia no Brasil. Entretanto, cerca de 100 universitários invadiram o auditório na abertura do evento com bandeiras e cartazes, chamando Dom Bertrand de “nazista”, “fascista” e “assassino”.

Após o tumulto, o príncipe saiu escoltado por seguranças e o encontro foi transferido para a Faculdade de Direito de Franca. “A administração está avaliando a adoção de medidas punitivas em relação aos responsáveis pelo ato. Não somos contra a liberdade de pensamento, mas não aceitamos a atitude de um grupo extremista que sempre adota posturas radicais dessa natureza”, afirmou o diretor da Unesp.

O protesto

O estudante de Direito Arthur Cantarella, de 21 anos, disse que integrantes do grupo contrário à realização da palestra distribuíram cartazes pela universidade criticando a casa imperial brasileira e convocando os alunos para participarem da manifestação.

Para Cantarella, o principal motivo do protesto foi a postura ideológica do príncipe, que defende a volta do regime monárquico ao país. “O problema é que esses alunos extrapolam. Manifestações são válidas e permitidas, a questão é agredir verbalmente um convidado”, criticou.

O G1 tentou falar com estudantes que organizaram o protesto, mas nenhum deles retornou as ligações ou e-mails enviados até a manhã de sábado (1º).

Príncipe

Por telefone, Dom Bertrand disse ao G1 que considerou o protesto uma “estupidez” e que já sofreu críticas semelhantes em outras ocasiões. “Ficaram me acusando de ser nazista sem o mínimo conhecimento sobre a história da minha família, que foi perseguida pelo nazismo. Isso demonstra que eles desconhecem a própria história.”

Créditos ao leitor Lucas Janusckiewicz Coletta.

14 Comentários to “Unesp de Franca avalia punir alunos que chamaram príncipe de nazista.”

  1. Gostaria de ver os “estudantes” que fizeram isso respondendo pelo crime que cometeram. Será que D. Bertrand levará isso adiante ou vai deixar barato?

  2. Isso é obra dos “intelectuais” da ideologia do martelo e da foice influenciados pela ideologia mais assassina da história e que também influenciou o fuhrer.
    A maioria ignorante da verdadeira história.

  3. Renato, o príncipe perdeu o trono, mas continua nobre. Você acha mesmo que ele, de uma rica educação e alta formalidade intelectual vai se estressar por esses ‘molequinhos’ ignorantes? Ora, é mais fácil ele comprar uma coletânea de livros para os instruir! Em todo o caso… esperamos.

  4. Prezado Alex, entendo que o príncipe é uma pessoa elevada e os “molequinhos” uns desajustados miseráveis. Apesar disso, esses “molequinhos” têm um grande potencial (devido mais ao “engajamento político” do que aos “méritos acadêmicos”) de se tornarem políticos e intelectuais orgânicos (ou “formadores de opinião”).

    Sem contar que deixá-los impunes só aumenta o poder do grupo político/ideológico a que eles pertencem. Hoje, é calúnia, difamação e intimidação. Amanhã, agressão física. Daí para homicídio é um pulo. Basta ver o status que os “movimentos sociais” conseguiram: de “deixa pra lá” em “deixa pra lá” conseguiram, na prática, estar acima da lei — acusá-los dos crimes que cometem (incluindo homicídio) é “perseguir os ‘movimentos sociais'”.

  5. O diretor da Unesp está avaliando ainda ??
    Daqui a pouco é o cargo dele que estará em risco.
    Estudantes ? “Aquilo” lá é célula desses grupelhos extremistas, infiltrados na Unesp e em outras Universidades.
    Será que só ele não sabe disso ?

  6. Concordo com o Renato Capello.

  7. Na minha juventude esse mesmo tipo de “moleques” fizeram coisas até piores. Eu me considerava bom demais para disputar espaço com eles. Terminei governado por eles. Se a geração atual não se engajar e mostrar que os bons além de bons são fortes, vai terminar governada pelos maus;

  8. Esta juventude extremista não tem idéia das bobagens que fazem. Só pelo fato do príncipe ser herdeiro da monarquia não significa que ele não mereça ser respeitado. No mínimo eles não sabem nada da história, nem da monorquia brasileiras. São ignorantes metidos a sabidos, e o lema é fazer revoltas. Se eles forem realmente punidos, os outros respeitarão. Não se podem deixar estes grupos impunes e fazendo as confusões que acharem melhor, tomando a universidade de assalto. Bandalheira e falta de respeito é para quem nada de melhor tem a fazer. Exclusão é a punição para se dar exemplo aos outros que pensarem em agir da mesma forma.

  9. A atitude dos estudantes, por mais asquerosa que seja, não é nada se comparado ao totalitarismo que eles querem implantar que é a mistura ão só das heresias, mas também do nacional-socialismo de Hitler com o socialismo de stalin e do camboja.

    Quem viver verá: e eles conseguirão pois já foi avisado em Fatima, mas ninguém deu ouvidos.

  10. O que Genésio escreveu é muito pertinente.Hoje em dia, com as desculpas as mais variadas, cultiva-se o medo e a submissão.Grupos fascistas, intransigentes, dominam a mídia, e levam multidões de ingênuos, já “amaciados”pelos procesos de imbecilização em voga( nas universidades, nos teatros, na mídia principalmente, nas lideranças pseudo religiosas que falam vagamente em transigência, diálogo, inclusão, de modo além de vago, tendencioso), a assumirem uma postura que alguém já chamou de “pederastia intelectual”, sempre querendo contornar o confronto, a qualquer custo, sempre se submetendo ao que, mentirosamente, se faz crer que é a opinião da maioria, como se um número suficiente grande de “crentes”pudesse mudar a gravidade, ou fazer com que o Sol gire em torno duma terra plana e fixa.

  11. De tanto evitar confronto, a maioria silenciosa já perdeu tanto terreno para minoria barulhenta que já não existe mais equilíbrio democrático e nem mesmo democracia, eles podem te agredir e te chamar nazista, fascista ou assassino e se você os chamar de bobos, se jogam no chão, rasgam as roupas e gritam à homofobia, prato cheio para mídias engajadas requerer mais proteção para minorias descriminadas. Em seguida o STF concorda que mesmo inconstitucionais, leis de defesa de minorias podem ser permitidas por períodos limitados até sanar o desequilíbrio……
    Em tempo, podem até me convencer que existe Papai Noel ou que lulala não sabia de nada mas que a diretoria da unesvermelha vai punir alguns desses clones de guerrilheiros aí já é demais!!!

  12. Renato, não duvido do potencial de ninguém, e muito menos sou capaz de chamar quem quer que seja de miserável e elevado, apesar de eu crer que a educação do príncipe seja superior a dessas pessoas que o caluniaram… E isso não diz respeito à santidade nem caráter, mas apenas à educação. Apesar deste desencontro, concordo com você que deveria sim haver punimento; mas continuo não acreditando que o príncipe fará alguma coisa.

  13. Prezado Alex, também acho que D. Bertrand irá relevar. É uma pena, a meu ver.

  14. Gente,

    devemos seguir a Lei se esta não é contraria a Lei natural.

    D. Bertrand não tem autonomia para pedir punição. Isso é poder-dever da Unesp.

    Poderia ele ir ao forum e entrar com um processo de calunia/difamação, ou seja, crime de “cesta básica” – mas ele é claro tem questões mais importantes de combater a Revolução, do que se preocupar com meros soldadinhos dela.

    O que vem de baixo não o atinge. E acima dele, como príncipe da igreja só o Papa. Nem “presidenta contenta” chega aos seus pés.

    Mesmo eu sendo advogado jamais ajuizaria uma ação penal privada.

    No entanto tem um grupo ótimo de estudantes da unesp de Franca que devem sim fazer pressão para que os estudantes recebam uma punição administrativa. Deles sim espero uma pressão, dos quais conheci dois deles pessoalmente.