Três passos para escolher o candidato.

Uma orientação clara, concisa e objetiva. Sem rodeios e palavreados vagos, como as diretrizes das dioceses e dos regionais da CNBB.

Por Padre Luiz Carlos Lodi da Cruz

I. O primeiro passo é examinar o Partido a que ele pertence.

Os partidos que se dizem comunistas ou socialistas são incompatíveis com a Doutrina Social da Igreja:

“Socialismo religioso, socialismo católico são termos contraditórios: ninguém pode ser ao mesmo tempo bom católico e verdadeiro socialista” (Pio XI, Quadragesimo Anno, n.º 119).

“Entre comunismo e cristianismo, o Pontífice [Pio XI] declara novamente que a oposição é radical. E acrescenta não poder admitir-se de maneira alguma que os católicos adiram ao socialismo moderado” (João XXIII, Mater et Magistra, n.º 31).

“O erro fundamental do socialismo é de caráter antropológico. De fato, ele considera cada homem simplesmente como um elemento e uma molécula do organismo social” (João Paulo II, Centesimus Annus, n.º 13).

Eis a lista dos partidos brasileiros que se declaram comunistas ou socialistas:

Partido dos Trabalhadores (PT) – 13

Partido Comunista Brasileiro (PCB) – 21

Partido Popular Socialista (PPS), sucessor do PCB – 23

Partido Comunista do Brasil (PC do B) – 65

Partido da Causa Operária (PCO) – 29

Partido Democrático Trabalhista (PDT) – 12

Partido da Mobilização Nacional (PMN) – 33

Partido Pátria Livre (PPL) – 54

Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) – 50

Partido Socialista Brasileiro (PSB) – 40

Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) – 16

Partido Verde (PV) – 43

Nota: O PV não se declara socialista, mas em seu Programa defende o homossexualismo e a legalização do aborto. O PT, além de se declarar socialista, exige de seus candidatos um compromisso com o aborto.

Exclua, portanto, de seus candidatos, os números 13, 21, 23, 65, 29, 12, 33, 54, 50, 40, 16 e 43.

II. O segundo passo é examinar a atuação passada de seu candidato.

Se o seu candidato já foi parlamentar, verifique como foi seu voto em questões relativas à vida e à família.

02/03/2005: Deputados que votaram contra ou a favor do artigo 5º da Lei de Biossegurança, que permite a destruição de embriões humanos: http://www.providaanapolis.org.br/votobios.pdf

13/08/2008: Deputados que assinaram o Recurso 0201/08, de José Genoíno, solicitando que o projeto abortista PL 1135/91 não fosse arquivado, mas primeiro fosse apreciado pelo plenário da Câmara: http://www.providaanapolis.org.br/senaofoss.htm

28/05/2009: Deputados que assinaram a PEC 367/2009, pretendendo dar um terceiro mandato (pró-aborto) ao presidente Lula: http://www.providaanapolis.org.br/prolongab.htm

19/05/2010: Deputados que votaram contra o Estatuto do Nascituro na Comissão de Seguridade Social e Família: http://www.providaanapolis.org.br/meandros.htm

III. O terceiro passo é verificar o compromisso do candidato para o futuro.

Há uma lista de candidatos que se comprometeram a defender a vida em http://www.brasilsemaborto.com.br/?action=campanha&cache=0.1641827216371894

Mas atenção: só devemos dar o terceiro passo depois de ter dado os dois primeiros.

Não adianta, por exemplo, que um candidato pertencente a um partido comprometido com o aborto, venha depois assinar um compromisso pela vida.

41 Comentários to “Três passos para escolher o candidato.”

  1. Onde es†á as siglas PMDB E PSDB. É impressão minha ou o FinU está intencionado a influenciar os votos dos queridos seguidores para esses partidos???
    Eu moro em Paris e me sinto aliviado a cada dia de estar longe da bagunça da Santa Igreja no Brasil, pelo menos aqui em França posso participar de missas com mais piedade e retidão.
    Porém, é tendencioso o site quase que manipular as opiniões como uma verdade absoluta.

    • Caro Ormond, o artigo elenca partidos que se autodeclaram socialistas/comunistas. Em suas pesquisas, o autor não deve ter encontrado estas afirmações advindas dos dois partidos que você cita. Mesmo asim, o espaço está aberto ao Reverendíssimo Padre Lodi para maiores esclarecimentos.

      Quanto ao nosso susposto interesse de influenciar nossos leitores em favor destes partidos, faça a gentileza de pesquisar o que publicamos há poucas semanas a respeito de ambas as siglas e seus respectivos candidatos à Prefeitura de São Paulo…

  2. Vou tirar cópia e entregar na Missa..! Bom, ao menos entregarei alguns antes de ser impedido .

  3. É cada uma que parece duas. O artigo fala dos partidos socialistas e comunistas e lá vem um leitor dizendo que o blogue está querendo influenciar leitor para votar em dois partidos não elencados.

  4. Ormond,

    O Fratres é insuspeito de coloborar com PSDB e PMDB!

    No mais, o PSDB promove a social democracia, o chamado socialismo moderado. A social democracia crê num socialismo não revolucionário no sentido marxista, embora empregue o modelo de revolução so socialismo cultural.

    Vemos isso muito bem na política de José Serra na facilitação do aborto, empregando este fator de revolução feminista/socialista.

    A social democracia se destaca pela maior liberdade dada ao mercado, porém, atua na formação de opinião, tornando sua ação mais política. É isso, em síntese.

    Agora, o PMDB é no Brasil a “prostituta barata”, ela será o que suas alianças quiserem que ele seja, desde que leve uma fatia do bolo. Portanto, como o PMDB é a prostituta atual do PT, não votem em PMDBista, nem que sejam da Canção Nova! Opsss!

  5. Melhorando… não revolucionário no sentido marxista, ou seja, na revolução de armas de Marx. A social democracia utilizada o socialismo como bandeira!

  6. O Pe. LODI já expressou o que ele pensa em relação ao PSDB. O que tira o PSDB dessa lista é que ele não é um partido que tenha feito oficialmente adesão ao aborto em suas diretrizes ou leis (Desculpem-me a linguagem imprecisa, mas eu não sou jurista).

    Cito este arigo do Reverendíssimo sacerdote:

    SÁBADO, 30 DE OUTUBRO DE 2010

    Últimas orientações sobre como votar

    http://naomatar.blogspot.com.br/2010/10/ultimas-orientacoes-sobre-como-votar_30.html

    Destaco este trecho, um pouco longo mais muito importante:

    Juízo moral

    Em comunhão com meu bispo Dom João Wilk, que declarou publicamente que um cristão não pode votar em Dilma, também eu afirmo que essa opção está totalmente descartada.

    Votar em Dilma, consciente de tudo o que ela defende, seria um pecado grave, por constituir uma cooperação com o pecado do aborto.

    O voto nulo ou em branco acabaria facilitando a vitória de Dilma (e do aborto, por ela defendido).
    O voto em Serra, nas atuais circunstâncias, não só não é pecado, mas é a única opção que o Senhor oferece a nós, cristãos, a fim de evitar a “catástrofe incontrolável” (palavras de Dom Manoel Pestana) da vitória de Dilma.

    Explico:

    1) Nem Serra nem o seu partido (PSDB) são comprometidos com o aborto. Essa é uma grande diferença entre ele e sua adversária, que tanto por suas declarações, quanto por causa do partido ao qual está filiada (PT), está comprometida com a causa abortista.

    2) O triste episódio que envolveu Serra com o aborto pode ser revertido. Dom Manoel acredita (e eu com ele) que haja esperança de conversão para Serra, por causa de suas raízes cristãs. Ao contrário, para Dilma-PT, não há qualquer esperança.

    A palavra de Dom Raymond L. Burke

    Dom Raymond L. Burke, em 2004, quando era arcebispo de St. Louis (Missouri, EUA), escreveu uma carta pastoral a respeito dos eleitores católicos e suas obrigações. Hoje ele é prefeito do Supremo Tribunal da Signatura Apostólica. Agora, no dia 20 de outubro, ela acaba de ser nomeado Cardeal pelo Papa Bento XVI. As palavras seguintes, ditas em uma entrevista à Ação Católica pela Fé e Família, encaixam-se perfeitamente na situação atual brasileira:

    “Não se pode jamais votar em alguém que favoreça absolutamente o direito de uma mulher de destruir uma vida humana em seu seio ou de procurar um aborto.

    Em algumas circunstâncias em que não exista nenhum candidato que se proponha a eliminar todo e qualquer aborto, pode-se escolher o candidato que mais limite esse grave mal em nosso país; mas jamais seria justificável votar num candidato que não só não quer limitar o aborto mas entende que ele deva estar ao alcance de todos”.

    Esse é o caso brasileiro. Nenhum dos dois candidatos se propõe a eliminar “todo e qualquer aborto”. Ambos se mostram favoráveis ao aborto nos dois casos proibidos mas não punidos pelo Código Penal. Mas enquanto o desejo de Dilma e de se seu partido (PT) é legalizar o aborto durante dos nove meses de gestação, sem qualquer restrição, a aprovação de Serra ao aborto se limita àqueles dois casos, que ele erroneamente chama de “aborto legal”.

    Assim, para usar as palavra de Dom Burke, pode-se escolher Serra, que é “o candidato que mais limita esse grave mal em nosso país”.

    Chamado a se pronunciar sobre os Bispos brasileiros que advertiram os eleitores sobre o PT, Dom Burke assim respondeu:

    “Como poderia um bispo dormir a noite se não ensinasse nem alertasse seus fiéis contra um mal tão grave quanto o aborto, que ameaça acometer a sua nação? Então, esses bispos devem ser parabenizados, pois o que estão fazendo é simplesmente exercer sua função de mestres da fé e da moral, num assunto como disse fundamental e essencial: a proteção da vida de inocentes e indefesos seres humanos. De maneira que prometo rezar por esses bispos, para que mantenham sua coragem de continuar anunciando a fé”.

  7. Outro artigos do Pe. Lodi que explica o seu pensamento em relação ao PSDB é este:

    JOSÉ SERRA e LULA
    Qual o mal menor?

    Destaco este trecho:

    PT ou PSDB?

    O PSDB de José Serra é um partido amorfo. Dentro dele se encontra de tudo: desde a abortista ferrenha Zulaiê Cobra (PSDB/SP) até o heróico defensor da vida Salvador Zimbaldi (PSDB/SP), que várias vezes salvou-nos da aprovação do Projeto de Lei petista 20/91. O problema de José Serra está, portanto, nele mesmo, e não em seu partido.

    Não se pode dizer o mesmo, porém, do partido de Lula. O PT poderia ser chamado, sem exagero, o “partido do aborto”. No momento, há oito projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional com o objetivo de legalizar e/ou favorecer a prática do aborto. Seis são de autoria do PT, um do PTB e um do PPB!

    http://www.providaanapolis.org.br/malmenor.htm

  8. Falta aos católicos Brasileiros a atitude honesta de parar de votar em comunistas e outros disfarçados ou parar de bancar os fariseus na Missa, como sepulcros caiados!

  9. Caríssimos,
    acho que há um exagero nessa questão dos partidos.

    Explico: quase a totalidade dos partidos existentes no Brasil é de cunho esquerdista. Contudo, sabemos que, em regra, os políticos pouco ligam para os programas partidários. Como diz FHC, no Brasil temos, em geral, legendas, não partidos (a exceção são os partidos mais extremistas, como PSOL, PCB, PCdoB, alguns setores do PT, etc.).
    Na quase totalidade dos casos, o que leva um político a se filiar a um partido e não a outro são questões conjunturais e locais, não necessariamente uma adesão ideológica. Na verdade, essa adesão ideológica ocorre na minoria dos casos.
    Sou filiado ao PSDB e, em todos esses anos de militância política, o que percebo é que cerca de 90% dos membros do partido não sabem sequer o que é social-democracia, não conhecem seus expoentes etc. Estão filiados por questões ‘pragmáticas’, ou por admiração pessoal.
    Por isso, creio que esse ‘primeiro passo’ sugerido deva ser flexibilizado, para que se tenha mais rigorosidade ao analisar ao candidato em si e nem tanto o partido.

    Salve Maria!

  10. Queria deixar bem claro que não sou partidário do PSDB. Não estou fazendo apologia ao PSDB nem propaganda. Estou apenas citando alguns textos do Pe. Lodi que mostram o pensamento do reverendíssimo sacerdote, que também é advogado e jurista.

  11. Faço uma pergunta para o Ormond.

    Esqueçamos por um momento a questão doutrinária que também atinge PSDB e PMDB, mas, se o Fratres tivesse influenciando e até pedindo voto para tais partidos, qual seria o problema nisso?

  12. Uma vez, lendo um artigo no site Montfort, o finado professor Orlando disse que partidos políticos são como dunas de areias, o qual estão em constante movimento. Isto é, nossos partidos vão na mesma direção, porém a areia das pontas, beiradas, mudam de lugar mais rápido, enquanto que o meio também está indo na mesma direção, porém mais devagar.

    Ou seja, temos que votar no menos fedido. O PSDB, por exemplo, também não foge da ideologia homossexual, abortistas e tudo mais, porém essas coisas não é tão agenda do partido para “hoje”.

  13. É tudo farinha do mesmo saco, mas infelizmente é preciso escolher aquele ue causará menor prejuízo à Nação. Nesse caso, de longe, os partidos da lista acima, por se autodeclararem marxistas, não podem receber votos de católicos.
    Outra coisa: Serra é comprometindo sim com a causa abortista e se analisarmos o caso do ex-presidente FHC, este é bem pior, pois além de abortista, é pró-homossexualismo e descriminalização do uso da maconha.
    Mas, entre estes e a quadrilha comuno-petista, sem dúvida alguma a gang chefiada por Lula é mais nociva, basta ver as alianças espúrias com Fidel Castro, Hugo Chávez, as FARCs e até mesmo o crime organizado (será coincidência a atuação do crime organizado em São Paulo em plena campanha eleitoral?)

  14. Vejam a reportagem do jornal correio braziliense, em que a Policia Federal prendeu terroristas das FARCs na região amazônica transportando remédios contra doenças tropicais desviados do Ministério da Saúde. (o PT está ajundando esses bandidos!!!!!!!!!!!!!!)
    E também o nome de importantes nome do PT citados no notebook de Raul Reyes, traficante terrorista, abatido pelo exército colombiano.
    Tenho muitas reportagens, quem se interessar, peça-me pelo e-mail rogerioamaralucb@yahoo.com.br, que eu enviarei com todo o prazer, aí vocês verão porque o PT e quadrilha marxista é muito mais perigoso do qualquer partido de direita no Brasil.

  15. O Sacerdote Luis Lodi é um padre em plena Comunhão, que celebra a Missa de Paulo VI somente mas que contra a visão esquerdista da Própria Igreja do Brasil e sua inútil CNBB.

    Obrigado Senhor!

  16. É de padres assim que precisamos!

    Mas como o Brasil não é um país católico, com certeza a lista que ele fez é dos partidos vencedores.

  17. A situação no Brasil é miserável: só temos partidos de esquerda (uns mais, outros menos), e independente de quem eleja, o estrago nunca é pequeno.

    Pois bem, minha posição como católico é muito simples: não dou meu voto para qualquer candidato que vá contra o Reinado Social de Nosso Senhor Jesus Cristo.

    Vou dar meu voto para um candidato que favorece a destruição da moral e dos valores familiares e católicos, apenas porque a outra opção é abertamente favorável ao aborto?

    Vou votar em um socialista Gramsciniano apenas porque o outro candidato é comunista Stalinista?

    Vou votar em um candidato indiferente à Igreja apenas porque o outro é abertamente anticlerical?

    Vou?

    Mas e quando a eleição foi entre um abortista e um genocida, irei votar no abortista por ser o mal menor?

    Quando for entre um comunista e um neonazista, votarei em um dos dois?

    Quando for entre um anticatólico e um satanista declarado, votarei no anticatólico?

    Estamos a ser enganados. Vão colocando, eleição após eleição, dois candidatos inaceitáveis para os católicos, sabendo que um dos dois será escolhido. A diferença é que a revolução francesa andará mais ou menos rápido, de acordo com o que for eleito. De qualquer forma, são as ideias da ONU, da Internacional Socialista, e dos Ecochatos que prevalecerão. Nunca as de Cristo!

    Se estiver enganado me avisem, mas se é para ter essa maldita democracia, não deixarei meu voto apoiar qualquer candidato cujo programa se desvie do ensinamento católico.

    Votarei nulo, se necessário – e sem peso na consciência.

  18. Corretíssimo o Pe. Lodi. Não se pode votar nesses partidos comuno-socialistas.
    Do que sobrar,vote no menos ruim.

  19. “O triste episódio que envolveu Serra com o aborto pode ser revertido. Dom Manoel acredita (e eu com ele) que haja esperança de conversão para Serra, por causa de suas raízes cristãs.”

    Serra deixar de ser abortista? Ah, tá. Admiro tanta esperança…

    O pior cego é aquele que não quer ver: Serra = Dilma = abortista.

    O resto é conversa mole pra boi dormir.

  20. Na minha cidade existem 4 candidatos socialisas e 1 maçom.
    Voto em quem? No menos pior ou anulo?

  21. Não podemos esquecer que PSDB é um antro da maçonaria, a começar pelo José Serra que é maçom. Infelizmente no Brasil, não temos para onde correr.

  22. Existem dois tipos de politicos. Nenhum ali quer a glória de Deus, salvo raríssimas exceções. Ou se quer status financeiros, enriquecer com a Politica ou então os que aderiram ao plano revolucionário de destruição da civilização cristã e instaurar o reino do demonio. Neste ponto o PT é perigosíssimo, nasceu da esquerda católica.

    A questão aí é quem pecou contra o espirito santo, como é notorio no caso de politicos que se dizendo católico defende divorcio, casamento homossexual e aborto.

    No dia do Juizo Final veremos quão importante foi a destruição da candidatura de Edinho Silva e Gabriel Chalita devido ao grande trabalho de informação deste blog e de seus leitores. Mas muito mais pode ser feito ainda.

  23. Todos aqui dizem que não há bons candidatos etc. e tal… e por que não apresentam seus nomes aos eleitores? Se nenhum candidato me representa, então devo me lançar e defender as minhas ideias.

  24. PMDB = prostituta.

    PSDB = socialista (advinhem o que significa o S do PSDB?).

    O socialismo do PSDB é do tipo marxismo-gramcismo fabianista, cultural.

    FHC e José Serra são comunistas (advinhem por qual motivo se exilaram no exterior – ainda mais no Chile de Allende, onde o Serra se casou com uma parenta do falecido presidente socialista chileno?).

    Quem não age pelo comunismo no Brasil, pelo menos facilita o serviço com a omissão contra ele.

    Neoliberal = abrir os portões para os comunistas fazerem o massacre.

    Acordem, Fratres!

  25. Nossa situação é uma desgraça! E a culpa disso É da cnbb!
    Como reverter o quadro? N vejo saída a n ser uma intervenção divina. O cerco foi fechado em todas as áreas e ao mesmo tempo. Só nos resta rezar (coisa que muita gente boa aí n faz mais!) e crer sempre que é possível a Deus converter qualquer um desses miseráveis que nos governam ou n.
    Tem hora que dá vontade de meter o pé no balde, masss ai entra a oração e um bom confessor, só assim teremos condições de decidir algo.

    N podemos perder a esperança e ela é digna de admiração mesmo, pq segundo o Catecismo de São Pio X : A virtude da Esperança é uma virtude infusa por Deus em nossa alma, pela qual nós temos como certa a ajuda divina para alcançarmos o céu.

  26. Prezado Victor:

    Que partido aceitaria, por exemplo, a minha candidatura, ao saberem que minhas propostas são:
    – retorno a monarquiia
    – retorno do Estado confessional católico
    – abolição de todo tipo de aborto (incluindo os contraceptivos);
    – proibição do divórcio, pena para adultério, extinção da pornografia, fechamento das fábricas de preservativos, etc.
    – privatização de todos os serviços públicos, incluindo a segurança, e consequente redução (praticamente total) dos impostos;
    – Fim do Carnaval
    – Desligamento completo de filiação a qualquer orgão ligado a ONU, incluindo a própria;
    – Validação da pena de morte.

  27. Israel, muitos partidos aceitariam a sua hipotética candidatura se fosse ao legislativo devido ao voto proporcional, pois esse sistema permite que eles funcionem mendigando votos e porque acreditariam que você nunca seria eleito de fato… o que convenhamos, tristemente deve ser verdade!

  28. Interessante… muitas críticas e nenhuma alternativa. Partido X é abortista, candidato y vinculado à maçonaria, partido z é perigoso pq veio da esquerda católica… é gente, aí fica dificil. Desculpa meus irmãos mas monarquia não tem mais vez… sejamos realistas.Enquanto isto, os ”evangélicos” da IURD(…) estão aí elegendo os seus e até dominando partidos como o tal do PRB… e nós estamos aí, “ai eu não voto nesse porque defende X coisa” “não voto nesse porque é comunista” “não voto nesse porque é liberal”. Nessas horas lembro de Platão: “A penalização por não participares na política, é acabares a ser governado pelos teus inferiores” é o que está acontecendo.Ou entramos na política (partidária) ou vamos ficar aí, criticando tudo, lamentando e não fazendo nada. Eu tenho meu partido político e sou filiado. Não existe partido político perfeito nem 100%Católico. Bem vindos ao mundo real. Aliás… vale a pena trazer aqui a contribuição de Maquiavel(…) encarar a política como ela é realmente e não como gostariamos que fosse (concepção idealizada).

  29. *estamos aqui

  30. Não entendi, o que tem a ver o legislativo e executivo municipais, para cujos cargos ora se realizam eleições, com a descriminilização do aborto, já que todo e qualquer crime, incluindo o crime de aborto, é matéria de direito penal e direito penal é de competência exclusiva do legislativo federal, nada podendo influir na questão o executivo e legislativo municipais, dada ausência de competência? O Rev. Padre Lodi é bacharel em direito, isso apenas ressalte-se, até onde sei não é advogado, muito menos um jurista, como foi dito acima, assim sendo ele estudou competência legislativa e sabe muito bem do ora afirmado. Não seria tal texto adequado para as eleições para o legislativo federal e estadual, que aliás, ora não estão em questão?

  31. Faço minhas as palavras do Jacobus, segundo esse raciocínio que o P.e iniciou e muitos aqui continuam, não há candidato algum no brasil apto a receber o voto dos fiéis católicos. Se dessa forma o for, aconselho aos senhores, caso queiram influir de um modo minimamente significativo e relevante no futuro jurídico e político do país, a criarem um partido, a se candidatarem, a votarem em si mesmos, pois do contrário, segundo as orientações do padre, aplicável mesmo a outros partidos não citados por ele, como o PSDB, não resta outra alternativa.

  32. Vale ressaltar, Israel, que :
    – retorno do Estado confessional católico
    – abolição de todo tipo de aborto (incluindo os contraceptivos);
    – proibição do divórcio, pena para adultério, extinção da pornografia, fechamento das fábricas de preservativos, etc.
    – privatização de todos os serviços públicos, incluindo a segurança, e consequente redução (praticamente total) dos impostos;
    – Fim do Carnaval
    – Validação da pena de morte.

    tudo isso é clara e definitivamente INCONSTITUCIONAL ou, na melhor das hipóteses, se não for claramente inconstucional, é ilegal. Assim sendo, a alternativa que resta para que tais ideais sejam implementados é a tomada de poder e a proclamação de uma nova ordem constitucional e jurídica, contudo, tais propostas de maneira alguma são do agrado da esmagadora maioria do povo brasileiro, pelo que se conclui que ou monarquia absolutista ou ditadura militar, com o apoio popular, no Brasil, isso Nunca acontecerá.

  33. Como os partidos de esquerda podem ser incompatíveis com o cristianismo se são os partidos de esquerda que acreditam em políticas assistencialistas? Assistência é caridade e, até onde sei, Cristo pregava a caridade. São os partidos de direita que acreditam em cada um por si e que os ricos são ricos porque trabalharam e os pobres são pobres porque são preguiçosos, logo não se deve utilizar dinheiro público para assistência.

  34. Caro Israel TL,

    apesar da pouca idade, já vivenciei, “por dentro”, 3 eleições e, acredite, nenhum partido (me refiro aos grandes e médios) está interessado no que o candidato defende, salvo se ele for candidato majoritário, quando as principais propostas são definidas pelo marketeiro com base em pesquisas qualitativas que buscam saber as necessidades do eleitor.
    Quando o candidato é proporcional, os partidos só pensam na quantidade de votos que ele pode puxar pra legenda, pouco se importando com suas ideias.

    SM!

  35. Com relação aos partidos ditos de esquerda ( se é que ainda podemos falar em esquerda e direita, mas enfim..vou conservar estas duas posições no texto) quero dizer algo.
    Compreendo as condenações que o magistério da Igreja realizou ao longo da história relativas ao comunismo. Mas gente, novamente peço desculpas e sei que muitos irão chamar-me de modernista, TdL etc… creio que aquelas condenações pronunciadas pelos papas ao londo do séculos, tinham em vista aquele modelo socialista que estava crescendo na Europa e desembocou na revolução de 1917 e todos os demais modelos que formaram-se sob a égide do burocrático PCUS em todo globo terrestre. Creio verdadeiramente que hoje em dia, tempos da famigerada pós-modernidade que se caracteriza por ser a época das incertezas, das fragmentações, das desconstruções, da troca de valores e da derrocada final das grandes ideologias que conduziram grande parte do século XX , derrubou também aquelas interpretações ortodoxas do marxismo, que eram inclusive mais marxistas que o próprio Karl Marx. Não nego a existência de tais vertentes na política nacional, pois ainda existem alguns(partidos), (movimentos) e pessoas que pensam ainda como no tempo e nos termos da guerra fria, tanto os de esquerda como os de direita.
    Desviando um pouquinho o foco do post e peço perdão ao nosso prezado moderador, gostaria de palavrinha com relação à ditadura militar.Pois outro dia estava debatendo com um jovem converso e percebi que muitos ainda consideram a ditadura militar de 1964 como um favor de Deus para salvação do Brasil. Gente isso é um absurdo. A política precisa ser encarada com realidade, com objetividade e sem mitologizar fatos históricos que são protagonizados única e exclusivamente pelos seres humanos que são os construtores da sua própria história.

  36. Concordo plenamente com a Orientação do referido Padre.

    É necessário sim fazer a DISTINÇÃO entre Partido e Candidato, pois um princípio da Contabilidade é o Princípio das Entidades, que faz a distinção entre Pessoa Física e Pessoa Jurídica. Mas, até onde sei, o Mandato é do Partido e não do Candidato. Em minha cidade, por exemplo, vários vereadores foram caçados por terem trocado de Partido (Infidelidade Partidária). Dessa forma, podemos concluir que o Voto do Eleitor é muito mais do Partido que do Candidato, ainda que o Eleitor pense votar no Candidato.
    Outra coisa que notei ao visitar alguns sites de Partidos é que todos os Partidos EXIGEM do Eleitor que pede filiação a ADESÃO e CONCORDÂNCIA com o Programa e Estatuto do Partido. Como agora se pode afirmar com segurança que determinado Candidato de determinado Partido NÃO CONCORDA com o Programa e Estatuto do mesmo? O Candidato é mentiroso?

    Acredito que o SISTEMA DEMOCRÁTICO é a Forma ou Sistema de Governo mais perfeito e mais justo que a humanidade já conseguiu até aqui. A existência de muitos Partidos é algo bom e, para mim, é motivo de orgulho pertencer a uma nação que valoriza essa pluralidade. Mas, o não reconhecimento da Lei Natural gera drásticas conseqüências para os Partidos e para a Sociedade. Infelizmente temos muitos Partidos Comunistas! Outro motivo de preocupação para os Católicos é o aumento da Influência Protestante na vida política da nação. Essa influência já vai saindo da forma laica e passando para uma forma institucionalizada. Um exemplo é o Partido Progressista Cristão (PPC – http://www.ppc.org.br/), que já existe e já caminha para o reconhecimento jurídico por parte do TSE. Um partido declaradamente protestante – só não vê quem não quer.

    Enquanto isso acontece, os católicos estão como “vacas loucas” espalhadas pelos mais variados Partidos, sem nenhuma unidade nem concordância. Alguns foram mais audazes e fundaram Partidos da Social Democracia Cristã para colocarem em prática a Doutrina Social da Igreja. Um exemplo é o PSDC de José Maria Eymael. Mas, esses partidos são poucos e o máximo que conseguiram foi estabelecer Jesus Cristo como fundamento para a ordem social – o que não é ainda suficiente, pois precisa-se conhecer Cristo com segurança. É necessário que haja Partidos comprometidos com a Democracia Cristã, mas estabelecendo também como fundamento a Igreja Católica, sem a qual não se pode conhecer o verdadeiro Cristo. Dessa forma, alerto mais uma vez para a necessidade que o Brasil tem de possuir pelo menos um Partido fundamentalmente Católico, para que seja possível fazer a ligação entre a Doutrina Católica e o Programa e Estatuto Partidários. Sem esse Partido, a Igreja perde um grande terreno na sociedade. Esse Partido não seria Infalível – é claro – mas, apesar de poder falhar em muitos pontos, como correria o risco, já seria um veículo político para Católicos sérios e desejosos de defenderem a Doutrina Católica. Se o Sistema de Governo é Democrático, então é claro que se deve usar de meios democráticos para pôr em prática a Doutrina Social da Igreja. A Lei Natural deve ser conhecida e posta em prática no Regime Democrático.

    Infelizmente, os Católicos só reclamam, não põem a mão na massa e também não se respeitam praticamente em nada. Isso só faz a Igreja perder terreno. É lamentável, mas é realidade, o fato de que há Católicos que pensam que “quem segue religião não pode nem pensar em entrar na Política” – isso também traz drásticas conseqüências.

    A maioria dos, se não todos os, Partidos Brasileiros tem problema moral no seu Programa. Muitos são de Moral decadente. Também um Partido Católico teria problema, pois não seria Infalível, mas professaria Fé na Igreja e, dessa forma, teria como trazer para debate e colocar sob votação , seja a nível de organização interna, seja a nível público, Verdades da Doutrina Católica. O Objeto Material (fim) desse Partido seria a Doutrina Moral Católica e o Objeto Formal (meio) seria a Democracia. Mas, parece que estamos bem longe!!!

    Não encontrei o Partido Católico para pedir filiação. Então, pedi filiação no PEN (Partido Ecológico Nacional), que me parece razoável e que aborda a questão ambiental, que muito me interessa. O PEN já goza dos plenos direitos eleitorais (cfr. http://www.tse.jus.br/partidos/partidos-politicos) e, se alguém quiser filiar-se, visite sua página oficial: http://www.pen51.org.br/.

    Agradeço ao Fratres in Unum por ter permitido esse interessante debate.

  37. Jacobus,

    na verdade há que se diferenciar duas situações: o golpe de estado (que foi providencial) e o regime militar (que foi um grande mau, inclusive para a Igreja, pois foi nos seus estertores que frutificaram os ataques à civilização cristã, com a aprovação do divórcio, p. ex., por interferência direta de Geisel).

  38. A Igreja condenou toda e qualquer forma de comunismo …….. interpretações e achismos de nada valem, ou os Papas até Beato João Paulo II não deixaram isso claro como foi escrito na matéria ?

    Roma locuta,causa finita !

  39. JPII condenou o comunismo? Só se foi ao elogiar fidel!!!

  40. gostei muito dos esclarecimentos,mas gostaria de saber qual partidos sobraram pra gente votar se todos estão envolvidos.Eu acho que quem governa e rege o universo é Deus e Ele não precisa da ajuda dos políticos.Ele é soberano,Ele é DEUS.