Câmara do Uruguai aprova projeto que descriminaliza o aborto.

Agora, o projeto volta ao Senado, onde não deve ter problemas para sua aprovação final, já que o partido governista da Frente Ampla tem maioria absoluta.

Manifestantes protestam nas ruas de Montevidéo.

Manifestantes protestam nas ruas de Montevidéo.

 Gazeta do Povo – Por 50 votos a favor e 49 contra, a Câmara dos Deputados do Uruguai aprovou, na noite desta terça-feira, um projeto de lei que descriminaliza o aborto até a 12ª semana de gestação,14ª em caso de estupro e prazo indeterminado em caso de risco para a saúde da mãe. O texto aprovado muda a proposta que já havia sido aprovada pelo Senado, em dezembro. Agora, o projeto volta ao Senado, onde não deve ter problemas para sua aprovação final, já que o partido governista da Frente Ampla tem maioria absoluta.

Se o projeto for ratificado, o Uruguai será o primeiro país da América do Sul a descriminalizar o aborto. A proposta do partido do governo foi rejeitada em duas oportunidades. A última delas, a denominada Lei de Saúde Sexual e Reprodutiva, foi vetada pelo ex-presidente Tabaré Vázquez, em 2008. O então presidente justificou sua decisão a “razões filosóficas e biológicas” e provocou uma crise em seu partido. O presidente José “Pepe” Mujica já anunciou que não vetará o projeto.

A Frente Ampla teve o apoio de um dos deputados do Partido Independiente (PI, de centro), Iván Posada, que compensou a perda do voto de um deputado governista, Andrés Lima, que foi autorizado pelo partido a votar contra a matéria. Tanto Frente Ampla quanto o Partido Colorado (de centro-direita) decidiram aplicar a disciplina partidária para o tratamento da matéria. A medida fez com que vários deputados declarassem antecipadamente a decisão de se retirar do plenário na hora da votação, para serem substituídos por seus suplentes.

Para seus defensores, a lei dará à mulher “as maiores garantias” para realizar o aborto, como afirmou Posada. Já os detratores, como o Partido Nacional, evocaram o “direito à vida” e “a defesa dos direitos humanos” para tentar derrubar a matéria. O texto do projeto estabelece que toda mulher “terá direito a decidir a interrupção voluntária de sua gravidez durante as primeiras 12 semanas do processo de gestação”.

Segundo o deputado governista Juan Carlos Souza, o projeto “não legaliza o aborto, mas abre uma instância importante para que as mulheres decidam livremente se vão abortar, com adequado apoio médico e legal, sem que sejam consideradas criminosas”. A líder do ONG Mulher e Saúde no Uruguai (Mysu, pela sigla em espanhol), Marta Aguñin, explicou que o projeto aprovado não descriminaliza totalmente a interrupção voluntária da gravidez porque obriga a mulher a apresentar-se perante um tribunal integrado por médicos e assistentes sociais, para explicar sobre a decisão de interrompê-la.

Aguñin argumenta que o tribunal “é moralizante” e determina que a mulher reflita durante cinco dias antes de autorizá-la a realizar o procedimento. Em nota, a líder do grupo afirma que ninguém garante que o sistema de saúde público ou privado esteja em condições de oferecer os serviços de aborto durante o período determinado pela lei. Se o processo demorar mais que o prazo estipulado, o aborto continuará sendo um delito e a mulher corre o risco de ser punida, destacou a nota. Pesquisa de opinião pública realizada pela consultoria Cifra, na semana passada, revelou que 52% dos uruguaios apoiam a iniciativa, que é rejeitada por 34%.

Créditos ao leitor Luis Claudio Delicoli.

Tags: ,

11 Comentários to “Câmara do Uruguai aprova projeto que descriminaliza o aborto.”

  1. Pobre Uruguay….
    Isso não passa de degraus. Hoje você consegue aborto para casos de estupro e anecefalia, depois para fetos com doenças genéticas ou deficiências, e por ai vai. Vai de etapa a etapa até conseguir o aborto geral e irrestrito.
    Hoje é no Uruguay, amanhã vai para outros países… tudo de pouco a pouco… mudando aqui, mudando alí,abrindo brechas e a maioria das pessoas mais preocupadas com a novela, com o futebol, com as fofocas.

    Até quando vamos ter que aguentar isso? Até quando ficaremos imóveis e apáticos assistindo a total degradação do ser humano, tudo em nome da “modernidade”, “cabeça livre” e demais sofismas?
    Incluo a mim mesmo nisso, que vejo, acho errado, reclamo mas pouco faço…
    Já é mais do que tempo de se colocar contra tudo isso. Que Nosso Senhor nos guie, nos ilumine e nos fortaleça. Que São Miguel Arcanjo nos auxilie.
    Chega de degradação.

  2. Lamentável. E triste de saber que no futuro essa peste chamada legalização do aborto se disseminará por toda América Latina.

  3. Misericórdia !
    Boa parte da América do Sul está sob governo dos comunas.
    Os comuno-abortistas daqui já estão afiando as garras !

  4. Bom dia, Salve Maria,

    Os católicos, inclusive autoridades, adeptos do CV2 que defendem a liberdade religiosa e o Estado laico são responsáveis por isto. Democracia é assim, a vontade dos representantes eleitos pela maioria é que vale, ou estou enganado? E qual a solução??? Todos, observem, TODOS os católicos lutarem (apoiarem) o Reinado Social de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Rei dos Reis. Fácil? Claro que não. Não nos interessa se venceremos, lutamos por uma causa nobre. O problema é que quase ninguém na igreja hoje luta pelo Reinado de Cristo.

    Santo Estevão, rogai por nós.

  5. “A mim me pertencem a vingança e as represálias, para o instante em que o seu pé resvalar. Porque está próximo o dia da sua ruína e o seu destino se precipita.” (Dt XXXV, 32)

    “Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos homens imolados por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho de que eram depositários. E clamavam em alta voz, dizendo: Até quando tu, que és o Senhor, o Santo, o Verdadeiro, ficarás sem fazer justiça e sem vingar o nosso sangue contra os habitantes da terra? Foi então dada a cada um deles uma veste branca, e foi-lhes dito que aguardassem ainda um pouco, até que se completasse o número dos companheiros de serviço e irmãos que estavam com eles para ser mortos” (Ap VI,9-11).

  6. Já me convenci que dentro do contexto atual, contestar é perda de tempo, temos que nos aliar a bons católicos, ter uma prole numerosa e educada dentro da Sã Doutrina. Essas pessoas; abortistas, defensoras de controle de natalidade, da eutanásia, do casamento estéril homossexual, ja estão desaparecendo pelo próprio veneno, pois n se multiplicam a altura de repor a população. Só os católicos fiéis sobrarão.

  7. As tartarugas e os micos leões dourados são mais importantes.

  8. Essa imposição do aborto faz parte da Nova Ordem Mundial. Um tempo atrás li em um comentário sobre um artigo sobre a divulgação de um manual de sexo pela Federação International de Planejamento Familiar que há um objetivo de reduzir em um bilhão pelo menos a população mundial a cada 50 anos.

    http://juliosevero.blogspot.com.br/2010/11/federacao-internacional-de-planejamento.html?showComment=1289668409385#c3537227690557305746

    Há um outro texto também que fala disso, de um colapso da civilização:

    A Clash of Civilizations

    http://www.terrorism-illuminati.com/content/clash-civilizations

    Usando o Google translator pode-se obter uma tradução satisfatória do texto.

  9. Cito este trecho do artigo mencionado por mim:

    Their method [the method of the Iluminati] of conquest is to wholly demoralize the societies of the world, wrecking their very fabric, by promoting every vice, including sexual depravity, greed and war. By enslaving the nations of the world through colossal debt, they ensure subservience, and guarantee the slow transfer of their sovereignty to global government. By encouraging stock market speculation they siphon off the wealth of the ignorant masses. In the end, by creating a global economic cataclysm of untold magnitude, they intend to demonstrate to humanity their own ineptitude, and offer their reign as salvation, by implementing a global fascist state, to be governed by their expected messiah.

    TRADUÇÃO via Google

    Seu método de conquista é desmoralizar totalmente as sociedades do mundo, destruindo o seu próprio tecido, promovendo todos os vícios, incluindo depravação sexual, a ganância e a guerra. Escravizando as nações do mundo através de dívida colossal, eles garantem subserviência, e garantir a transferência lenta de sua soberania ao governo mundial. Encorajando o stokc? do mercado de ações que desviar a riqueza das massas ignorantes. No final, através da criação de um cataclismo global econômica de magnitude incalculável, eles pretendem demonstrar à humanidade a sua própria inépcia, e oferecer o seu reinado como salvação, através da implementação de um estado global fascista, a ser regida por seu messias esperado.

    Leia o texto todo em

    http://www.terrorism-illuminati.com/content/clash-civilizations

  10. Um fator que tem dado força à baixa da natalidade e que se insere nesse quadro de uma formação de uma nova ordem mundial, totalmente diversa da ordem cristã, é a perda da religiosidade que coloca no lugar da observância dos mandamentos de Deus (entre eles crescei e multiplicai, para quem tem a vocação do matrimônio) a satisfação dos desejos.

    A Revista Veja, por exemplo, assinalou que são as família religiosas que têm mais filhos. Nada de novo, para quem já possui um religiosidade bem formada, mas que passa despercebido pelas pessoas em geral:

    “A relação entre fervor religioso e fecundidade é conhecida dos demógrafos. As principais religiões são todas entusiastas do casamento e da procriação, com censuras ao divórcio, aborto e homossexualismo. Famílias muito religiosas são comumente mais numerosas que as seculares, o que vale tanto para fundamentalistas islâmicos, como judeus ultraordoxos e cristãos conservadores americanos. Esta diferença explica, por exemplo, a recente inversão no Líbano, onde muçulmanos passaram cristãos e hoje são maioria. Em 1971, um raro estudo sobre fertilidade das mulheres libanesas encontrou os seguintes números: sete filhos em média para muçulmanos xiitas, quase seis para sunitas, cinco para famílias drusas e entre quatro e cinco para cristãos.”

    Cf. Pressões demográficas redesenham a arena política

    http://juliosevero.blogspot.com.br/2012/09/revista-veja-demografia-mudando-o-rumo.html

    Bem comentou a reportagem de Veja o Júlio Severo:

    Mas a reportagem da Veja erra feio ao finalizar elogiando o envelhecimento demográfico de várias nações. Na opinião da Veja, uma população mais idosa é mais pacífica — em outras palavras, é mais domesticável e fácil de domar.

    Veja interteprou uma população jovem como fonte de conflitos, em perfeita sintonia com o notório Kelatório Kissinger, documento do governo dos EUA elaborado na primeira metade da década de 1970 defendendo a redução drástica de populações de países em que os EUA têm interesses estratégicos de matérias-primas.

  11. No Último programa ao vivo do Padre Paulo Ricardo ele pediu pra que rezássemos pela não aprovação desse projeto que seria votado naquela noite….pelo jeito poucos rezaram….!!!! É o fim mesmo…Maranata!!!

%d blogueiros gostam disto: