Arcebispo de Salzburgo, Áustria, considera que a carta de Bento XVI aos bispos de língua alemã sobre o uso de ‘Pro Multis’ na Missa não tem caráter decisivo.

Por Secretum Meum Mihi | Tradução: Fratres in Unum.com – O arcebispo de Salzburgo, Áustria, Mons. Alois Kothgasser (imagem), em uma recente reunião com os sacerdotes de seu clero, conforme informa o sítio Kath.net, 15 de outubro de 2012, em referência à carta enviada pelo Papa Bento XVI aos bispos de língua alemã sobre a tradução do Pro Multis (ver aqui); declarou que “segundo ele, a carta de Bento XVI não tem caráter de decisão, e que correspondia aos bispos de língua alemã decidir”. Kath.net relata que “Mons. Kothgasser defende claramente o ‘por todos’, porque a vontade de Redenção por todos está claramente estabelecida na doutrina. Se esta vontade objetiva da Redenção por todos é aplicada aos indivíduos, ela depende da liberdade subjetiva dos homens”.

Tags:

9 Comentários to “Arcebispo de Salzburgo, Áustria, considera que a carta de Bento XVI aos bispos de língua alemã sobre o uso de ‘Pro Multis’ na Missa não tem caráter decisivo.”

  1. Isso mesmo, Excelência!!! Isso mesmo!!!!!
    Paz e amor, afinal, o que importa é está em plena comunhão e aceitar o Concílio Vaticano II.

  2. seguindo a linha de raciocínio do arcebispo se eu fosse um leigo de língua alemã diria a ele exato incelência, porem também eu não considero o seu comunicado sem caráter decisório e por isso ignora-lo-ei e seguirei ao que diz o papa.”

    porem são sempre dois pesos e duas medidas, aqueles que desobedecem são os que mais exigem obediência as suas decisões tirânicas.

  3. A Cruz Sagrada seja minha Luz. O dragão não seja meu chefe. Cruz do Santo Patriarca Bento : Vade retro, Satanás, que quase ouvi sua gargalhada diabólica saindo dessa boca!

    São Pedro de Alcântara, padroeiro do Brasil, rogai por nós para mantermos a Fé e a Esperança nos Sagrados Corações de Jesus e Maria!

  4. Não, a Igreja não está em crise. Não, o Fratres não tem o direito de publicar coisas comos estas, porque isso só cria divisão, só cria intrigas. Vamos nos calar, vamos deixar tudo acontecer e aceitar a situação. Não há caos, pois homens assim, que são a maioria na Santa Igreja, vivem em comunhão com Roma, e a primavera cinquentona sem flores é tudo que de melhor aconteceu.

    Vamos esperar algum pároco desse bispo vir aqui e dizer que falou pessoalmente com ele e que não entendemos o que ele escreveu, pois afinal, as falas de alguém não podem ser atribuídas a quem falou. Ele vai se explicar e no final, nós seremos os juízes sem caridade.

    Viva a Igreja do Vaticano II, a Igreja que está sendo carcomida por dentro, a Igreja primaveril. Vamos nos calar a aceitar o estado das coisas. Somos os inimigos, os piores. Lutero teve uma espirtualidade cristocêntrica, Dom Lefebvre, demoníaca. Malditos sejam todos vocês que vão nas Missas da FSSPX, malditos sejam. Benditos e aceitos em comunhão com a Roma Eterna todos estes que abertamente dizem: – Não serviremos! Não acatamos o Papa! Cada Bispo faz o que quer!

    Ora, me poupem!

  5. Respeitem o príncipe da Àustria! DE lá vem bons frutos do CVII. Ô glória!
    N há maior alegria do que colher o que se planta! Amém?!

  6. E aí chega o tempo em que cada um é o seu próprio papa…
    Além disso, o cristianismo demorou 1970 anos para entender “a vontade de Redenção por todos” e até a Sagrada Escritura está errada…
    Deus abençoe Sua Santidade, pois o uivar dos lobos está ensurdecedor.

  7. Caríssimos, a carta do Santo Padre foi nesse mesmo blog, bastante questionada. Agora, a resposta do arcebispo, idem. Tenhamos paciência, que provavelmente uma solução será encontrada, nem muito para um, nem muito para o outro, mas para o Senhor! Ad majorem Dei gloriam!

  8. Atualmente tenho participado Missas de mais de 20 padres diferentes, em suas celebrações, não usam “pro multi” como disse Bento XVI.
    Alias, grande parte do Clero não dá a mínima atenção para a opinião do Santo Padre: Comunhão na boca de joelhos – Uso da “patena” para” acolher a migalhas – Providenciar genuflexório ou Mesa da Comunhão .Muitos até ignoram completamente .IGMR ,

  9. Eis ai’ uma manifestacao clara da colegialidade, consagrada no Concilio Vaticano II.