Um mini-consistório surpresa.

Surpresa do Papa Bento XVI: o segundo consistório em um só ano. A última criação de Cardeais, em fevereiro passado, foi considerada por alguns como eurocêntrica demais. Teriam as críticas pesado na decisão do Pontífice? O fato é que o Papa anuncia agora um pequeno consistório, em que todos os seis nomeados são de fora da Europa. Alguns davam como certa a púrpura para Dom Gerhard Ludwig Müller, novo prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, já neste consistório surpresa. Ficará para a próxima.

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Bento XVI anunciou no final da Audiência Geral desta quarta-feira um Consistório para a criação de seis novos Cardeais, no dia 24 de novembro, na vigília da solenidade de Cristo Rei.

São eles: Dom James Michael Harvey, Prefeito da Casa Pontifícia, que Bento XVI nomeará Arcipreste da Basílica Papal de São Paulo Fora dos Muros; Sua Beatitude Béchara Boutros Raï, Patriarca de Antioquia dos Maronitas (Líbano); Sua Beatitude Baselios Cleemis Thottunkal, Arcebispo-Mor de Trivandrum dos Sírios-Malancareses (Índia); Dom John Olorunfemi Onaiyekan, Arcebispo de Abuja (Nigéria); Dom Rubén Salazar Gómez, Arcebispo de Bogotá (Colômbia); e Dom Luis Antonio Tagle, Arcebispo de Manila (Filipinas) [considerado um expoente da “hermenêutica da ruptura” – ver aqui e aqui].

“Os Cardeais, disse o Papa, têm a tarefa de ajudar o Sucessor de Pedro no desempenho do seu Ministério de confirmar os irmãos na fé e de ser princípio e fundamento na unidade e da comunhão da Igreja. Convido todos a rezarem pelos novos eleitos, pedindo a materna intercessão da Bem-aventurada Virgem Maria, para que saibam amar com coragem e dedicação Cristo e sua Igreja.”

14 comentários sobre “Um mini-consistório surpresa.

  1. Grande é a nossa alegria pela escolha por todos os neo-cardeais, mas nós católicos orientais estamos mais felizes pela nomeação de Sua Beatitude Mar Becharia Rai, Patriarca de Antioquia e Todos Oriente dos maronitas e Sua Beatitude Mar Baselios Cleemis, Arcebispo Maior do Católicos Malankares, mas ainda faltou Sua Beatitude Sviatolav Schevchuk, Arcebispo Maior de Lviv dos Ucranianos e Sua Beatitude George Alencherry ou Mar Giwargis Alencherry Arcebispo Maior de Ernakulam – Angamaly dos Católicos Malabares…Enfim que os novos cardeais possam ajudar Sua Santidade o Papa Bento XVI a governaa a Barca de Pedro.

    Curtir

  2. Eu sabia que já tinha ouvido falar deste Arcebispo das Filipinas, um expoente da hermenêutica da ruptura. Que Deus possa abençoar a todos os escolhidos, para que eles possam assumir esta nova vocação com perfeita fidelidade à Deus e à Sua Igreja.

    Curtir

  3. Bom por uns, péssimos po outros… Será que existe estudo de quem é a pessoa para ser nomeada Cardeal? Se existir, qual será o problema da santa sé? Bom por uns, péssimos por outros… o que mais nos consola é que existem ainda cardeais das igrejas orientais, apesar das Igrejas orientais também estarem bem moderninhas, nem todas…. O patriarca Gregório III dos Melquitas é Cardeal também? Deus nosso Senhor não esqueça de Sua Igreja.

    Curtir

  4. Eu me indago: não obstante ao fato de a Arquidiocese de Manila ser uma das mais importantes de todo mundo, é de bom tom entregar o barrete cardinalício a um bispo de ideias tão questionáveis, que ainda as escamoateou em sua bibliografia entregue ao próprio Papa?

    O peso demográfico da arquidiocese, penso eu, não deveria ser o critério preponderante para a criação de um cardeal, penso eu. Mais recomendável, contudo, seria que bispos desse feitio sequer chegassem à tão importantes investiduras

    Curtir

  5. O Rio de Janeiro só pode ter Cardeal depois de dezembro quando Dom Eusebio fizer 80 anos e deixar de ser eleitor no conclave!

    Curtir

  6. Agora me surpreende o Papa quebrar o direito do Patriarca de Veneza quem o privilégio de ser criado cardeal no conclave após sua eleição!

    Curtir

  7. Surpreende um tanto mais, Franklin, pelo fato de que mons. Moraglia tenha sido uma escolha pessoal para o Patriarcado de Veneza. Mas como ninguém esperava esse mini-consistório, tudo se apresenta no campo do surpreendente.

    Curtir

  8. Asia e África, esperança de nossa Madre Igreja. Antes de morrer eu ainda quero ver um papa convertido do islão. Mas se não for possível, que venha um da terra deste, e de preferência, milhas e milhas distante da primavera sul-americana, da TL.

    Curtir

  9. Tenho pra mim que a nomeação de cardeais na Igreja vem se tornando parecida com evolução de carreira em empresa pública: se você está a muito tempo no setor, é o mais velho, e o chefe se aposentou, o cargo é seu. Se não te derem a nomeação surge uma crise diplomática, um sentimento coletivo de injustiça.
    O Papa surpreende ao escolher determinadas dioceses, mas não surpreende nas escolhas feitas dentro das dioceses, aí é por ordem de chegada.

    Curtir

  10. É verdade, Alex. O PewResearch, o mais prestigiado instituto de pesquisa dos EUA, confirmou um dado jubiloso em 2012: pela primeira vez em séculos, o percentual de cristãos africanos superou o de islâmicos.

    As agruras dos cristãos africanos e asiáticos é um clarmoroso chamado à fé, pois na dor da perseguição e da pobreza, o homem compartilha das dores do Calvário, e se faz mais próximo de Cristo. Enquanto o Ocidente definha espiritualmente, estupifidicado pelo hedonismo vulgar, Ásia e África enviam mártires aos céus, aprofundam a evangelização e conduzem cada vez mais almas à retidão da Verdade em Cristo. E justamente o catolicismo tem sido o condutor dessa silenciosa revolução espiritual em andamento na África Subsaariana, ao ponto de que nem mesmo a Igreja tem ideia do real tamanho do seu rebanho.

    O Ocidente, enquanto ideia, irá acabar. É de bom tom que o Cristianismo largue essa barca furada e se agarre à santa segurança da Barca de Pedro para atravessar o futuro turbulento que ao mundo está reservado.

    Aliás, penso que se houvesse um papa oriental, certamente essa mixórida litúrgica que vemos em incontáveis paróquias iria cessar, ou, pelo menos, diminuir. O zelo das igrejas sui generis para com a Divina Liturgia é realmente inspirador e deveria servir de exemplo às dioceses latinas.

    Curtir

Os comentários estão desativados.