Bispo de Bragança Paulista expulsa Frei Tiago e Mosteiro Carmelita Tradicional de sua diocese.

O comunicado a seguir foi divulgado pela diocese de Bragança Paulista, sem precisar os motivos que levaram o senhor bispo a excluir de sua diocese esta nova fundação tradicional. Asseguramos ao reverendíssimo Frei Tiago todo espaço para resposta.

60 Comentários to “Bispo de Bragança Paulista expulsa Frei Tiago e Mosteiro Carmelita Tradicional de sua diocese.”

  1. porquê isso não me surpreende??? se fosse um grupo de monges carismáticos eles nunca seriam expulsos…. hoje em dia é assim: perseguem os cordeiros e protegem os lobos….

  2. Têm caroços neste angu!

  3. Acompanharei de perto esse caso com vivo interesse. Estava analisando o Blog dos Monges e das Monjas além de ter lido o comunicado do Reverendíssimo Bispo, considerei-o muito evasivo e nada objetivo. Pelo o que está escrito na ‘Regula’ e na ‘Ignea Saggita’ tudo me parece muito bem escrito, muito bem descrito e sobretudo canônicamente regular. Nunca vi uma Obra tão pequena mas com hercúlea missão, voltar às origens de um carisma multi-secular (nesse caso, dos veneráveis Freis Carmelitas). Muito difícil uma ordem, congregação ou sociedade de vida apostólica, buscar esse ideal hoje em dia. Realmente, só pode ser um ímpeto Divino. Enquanto isso aguardemos o referido Presbítero se pronunciar e botemos nossas barbas e molho ao estilo do Rabban Gamaliel: “Se este desígnio ou esta obra for de homens, será derrubada; mas, se for de Deus, não podereis derrubá-los… podereis talvez ser realmente achados como lutadores contra Deus.” — Atos 5:34-39

  4. Caríssimos,

    Acho tudo muito interessante…!
    Principalmente a “Carta aberta de Frei Tiago de São José a todos os católicos tradicionais”!
    Talvez agora o Revmo. Frei Tiago entenda, com um pouco mais de propriedade, a posição da FSSPX diante dos embustes progressistas.

    OMNIA INSTAURARE IN CHRISTO

  5. Foi parar na página do Facebook da Basílica do Carmo da capital, vejam: http://www.fb.com/basilicadocarmo/posts/413978825341548

  6. Solicito na caridade, que publique a outra página do documento episcopal que está divulgada aqui… Os motivos que levaram o Srº Bispo e seu conselho tomar as devidas medidas, é o bastante para quem convive com essa realidade.

    • Caro Diego, no momento em que abrimos a página da diocese de Bragança pela primeira vez, por motivo desconhecido, o arquivo não foi exibido; já atualizamos o post. Obrigado pelo aviso.

  7. Essa história está mal explicada.

  8. Ao que se vê do Comunicado de Sua Eminência, o problema foi “dinheiro”!
    Talvez esse tal “diego” aí de cima possa esclarecer melhor as circunstâncias! Sim?
    Não conheço e não quero fazer prejulgamentos a respeito da aplicação de normas especificas a respeito dessas instituições, mas sei que a mesma instituição fora autorizada, tanto que contratado um comodato!!!
    Estranho um comodato apenas para uma experiência eremítica, como comunicado pela Diocese!
    De certo, é que aparentava se tratar de uma santa ordem, em moldes absolutamente admiráveis, como já referido no artigo. Espero que o Sr. Bispo e o Rev. Frei possam dialogar e buscar a preservação do que me parece um carisma belissimo e raro na nossa Diocese e na nossa Igreja.

  9. Calma aí gente, só estou vendo dois pointinhos e não os três pontinhos em forma de triângulo.

    Pensei a mesma coisa que o Aurelio. O Frei Thiago já se posicionou no passado a favor da “plena comunhão”, da importância de se ficar dentro do esquema diocesano, criticou duramente um padre do Rio de Janeiro, que na época fez as malas para ingressar na FSSPX e etc etc.

    Esse episódio lamentável nos mostra mais uma vez como é massacrante tentar viver a Tradição ‘nos conformes’.

    Pela carta do bispo, parece que o bode espiatório foi o recolhimento de grana. Será que um instituto religioso não poderia pedir donativos aos fiéis para, por exemplo, fazer uma pintura ou ampliação das instalações do local? Será que só poderiam se contentar com o que é recolhido na sacolinha nas missas?

    Outro problema alegado no texto é que eles estariam estrapolando a finalidade inicial, que seria a vida eremítica. Um padre e meia dúzia de freiras e freis eremitas tendo a sua missazinha tradicional não faz mal a ninguém, muito menos a uma diocese, mas de repente eles podem querer fazer pastoral, convidar o povo para as missas dominicais, pregar sobre a Tradição e a verdadeira doutrina católica… Aí então o bicho pega porque as pessoas poderiam gostar das pregações e até chamar outras, e o que antes era uma meia dúzia de pobres coitados eremitas poderia incomodar instâncias diocesanas.

    Bom, são apenas especulações. Só saberemos a verdade quando frei Thiago se pronunciar. A carta do bispo deixa lacunas.

  10. Bem, a resposta da diocese foi vaga e apenas falou em desobediência.
    Causa-me estranheza falar justo nisso, afinal de contas é bem sabido que se trata de um eremitério que prezava pela plena comunhão com o bispo diocesano, fora suas duras acusações à FSSPX e seu envolvimento com os encontros Summorum Pontificum.
    Bem, em seis meses tudo por acontecer. Inclusive coisa alguma. Quem sabe voltar às boas com o bispo, e permanecerem onde estão?
    Mas caso não seja assim, não será a primeira nem a última vez que um mosteiro é dissolvido, e seus religiosos saem pelas estradas sem eira nem beira. E se recordarmos que tratam-se de dois eremitérios, o feminino e o masculino, e que para ser eremita é necessário ter uma propriedade razoavelmente grande e afastada, e também que se construam os êremos, bem, nesse grande país, talvez achem algum bispo que permita tal experiência. Quem sabe algum dos que vão aos encontros?
    E como ficam fiéis atendidos?
    Simples.
    Não ficam.
    Voltam para a missa nova e para a plena comunhão diocesana.
    Não há dilema. Se estão todos em plena comunhão, é porque não existe estado de necessidade. Neste caso não há prejuizo espiritual. Só um contratempo material.
    Aguardo a provável correção da palavra “obediência” utilizada contra o padre, porque certamente houve um equívoco da parte do bispo. Lá se ataca a FSSPX como cismática e desobediente, não faria sentido que o mesmo eremitério desse tamanho desgosto ao eminentíssimo bispo.
    Mas se não der certo a reconciliação, tentem o Rio de Janeiro, talvez consigam um espaço rifado por lá. Rifa-se muito no RJ, rifa-se tudo. Rifa-se até os princípios e a fé. De repente, pode-se rifar um terreno.

  11. Fica difícil saber o que acontece quando lemos o final do livro sem ver o começo e meio da história.

  12. Sem fazer juízo, entendo que vocês estão preocupados apenas com a tradição e a missa tradicional. O problema não é este! Lembrem que o caso foi enviado para Santa Sé e não foi tão simples como parece. Celebrar a Missa Tradicional não nos parece ser o motivo. E agora, o Cardeal Damasceno vai aceitar ele lá? Digo, em Aparecida… uma vez que ele está incardinado lá. E outra coisa, como chamar ele de frei se não existe frei? rezemos irmãos, rezemos…

  13. Que o Frei se manifeste e dê a sua versão dos fatos. Considerando o que foi relatado na nota da Arquidiocese, o Bispo está com toda a razão.

  14. Se o problema for só financeiro, que fale claramente para que os fiéis possam se mobilizar e arrumar outro local na diocese. Pelo que estou sabendo o frei ja foi excardinado e esta de malas prontas para o paraguai, unico lugar que conseguiram. Agora fica minha duvida a ser esclarecida por algum canonista.Se o mosteiro foi autorizado por D Bruno Gamberini, passou por D José Maria Pinheiro ele pode ser expulso pelo atual bispo? Se onde fica o carisma do instituto? Se for legal, as congregações não podem ter o próprio carisma, e sim o do bispo que estiver no cargo.

  15. Salve Maria!!
    Se o problema foi dinheiro, isso só está na cabeça do bispo, pois não conheço nenhum ser humano mais desapegado a isso do que o Frei Tiago, tanto que ele não gosta nem que se fale sobre isso, então ele também não pede.
    Realmente o Frei Tiago está sendo um bode expiatório, como um cordeiro sendo levado ao matadouro, talvez por inveja ou ciumes pelo trabalho bem e muito bem feito que ele está fazendo. Convido a todos a participarem de uma missa no mosteiro que é celebrada aos domingos às 10:00hs para conhecerem o carisma, o afeto, o amor e o despreendimento deste homem que sem duvida nenhuma está coberto pelo Espirito Santo.
    Conheçam também o blog da confraria http://confrarianossasenhoradocarmo.blogspot.com.br/
    Somente para terminar, o bispo de Bragança ao inves de correr atrás de pessoas que estão do mesmo lado que ele na fé, deveria instruir seus sacerdotes a conservar os seus fiéis dentro da fé católica, pois aqui em Bragança estamos perdendo terreno para os evangélicos, visto que tem um bairro que 90% era católico em 2009 e hoje é 98% evangélico. Pergunto a ele que igreja é essa que não sabe conservar nem seus fiéis, é este modelo que ele quer para o mosteiro também? E porque ele persegue um Frei que ao contrário está resgatando ovelhas perdidas deste rebanho.

  16. Somente para complementar o comentaria feito pela Maria, realmente o que ocorre no mosteiro é que a cada final de semana mais gente vem a procura da igreja e do atendimento do nosso querido frei, por isso é que convido a todos para conhecer o trabalho dele, e tenho a impressão que é isso que está incomodando o bispo, pois os padres da diocese dele usam o espaço da homilia para falar mal das missas tradicionais e não para uma verdadeira reflexão da palavra de Deus, como faz o Frei Tiago

  17. ” Revesti-vos da armadura de Deus, para que possais resistir às ciladas do Demônio. Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal nos ares.” #Efésios 6; 11-12

  18. Jose, voce tem mais informaçoes sobre que lugar do paraguai o frei esta indo ?
    Agradeço

  19. Sou a primeira Maria. Sugiro que sempre que houve um comentarista de mesmo nome de um anterior o homônimo coloque “[2]”. No meu caso, a segunda Maria fez comentários na mesma linha dos meus, mas em caso de comentários divergentes os demais poderiam ficar confusos.

    Isso dito, rezo para que essa situação se resolva.

    Quanto ao que o Bruno Santana falou no último parágrafo, quem for do Rio vai entender a mensagem subliminar.

  20. A meu ver o Excelentíssimo e Reverendíssimo Dom Sérgio Aparecido Colombo exerceu mal sua autoridade. Rezemos e muito pelo clero.

  21. Muito bem,
    Vamos fazer uma análise detalhada da carta escrita pelo nosso Excelentíssimo bispo:
    Logo no primeiro parágrafo ele relata que desde a sua entrada em 2009 tem se preocupado com a regularização canônica da referida OBRA, reconhecendo que estamos falando verdadeiramente de uma OBRA!
    Caros, isso nos faz pensar de que ele realmente não deve ser uma pessoa tão ruim assim! Pois aqui poderia descrever aquele lugar santo e o trabalho do Nosso Padre como um engano. Dizer que é uma OBRA é reconhecer que lá existe um trabalho de importância pastoral!
    As tentativas de encontros com objetivos de superar as situações irregulares relatadas neste comunicado (das quais não sabemos quais são, pois o esclarecimento aos fies não deixa claro), devem estar documentado, pois é uma diocese SÉRIA! Sendo assim podemos TER ACESSO A ESSES DOCUMENTOS que nos ajudaria a entender todo o ocorrido.
    O documento também se refere às ”várias situações” que ao longo destes três anos de convivência são contrárias às leis canônicas, e, como pouco entendemos das leis, de certo que só o especialista como os especialista canônico consegue explicar, este deve ser o motivo de não ter sido indicado quais são essas situações que preocuparam tanto ao longo dos tempos.
    Também nos tranqüiliza e nos faz pensar que um trabalho sério que é realizado na diocese, visto que a situação foi levada a Santa Sé; QUE COISA!! Seria interessante vermos esse documento também, porque demonstra não só a preocupação com a OBRA, mas com o rebanho!
    Mais ainda, o comunicado diz que a Sé RESPONDEU, dando orientações precisas, como seria INTERESSANTE e engrandecedor lermos este documento e identificarmos quais foram as orientações dadas pela Sé.
    As orientações conforme o comunicado mesmo diz, devem ter sido enumeradas ao padre prior para as devidas providências, também deve existir um documento solicitando ao padre estas orientações, PORQUE SERÁ QUE O PADRE NÃO ATENDEU? Que orientações seriam essas?
    Sabendo da importância dessas orientações muito nos admira o Padre não ter tomado providências, pois representaria um ultimato para a sobrevivência deste que possamos chamar de um instituto de vida consagrada.
    Também temos dúvida a respeito desta consulta do conselho de presbíteros e perguntamos:
    • Foi realizada uma votação do Conselho?Um parecer que reúne a opinião de todos?
    • Existe um documento para que possamos analisá-lo? Assim como o “parecer” está documentado?
    • Porque no Comunicado a palavra “parecer” está destacada? É apenas um parecer, pois a decisão é do Bispo neste caso?
    • E ainda, a orientação da Santa Sé foi nesse sentido? Que o único caminho seria a recisão?
    • Quanto à notificação citada ao Padre, também está documentada?
    • A partir de que data contamos estes seis meses segundo a norma?
    • Que normas são essas?
    • O documento ainda fala sobre doações e nos parece uma explicação para algo cobrado por alguém, a que se refere exatamente?
    • Frei Tiago ou Padre Christian Conforme indicado no documento, foi acolhido em 2001 em nossa Diocese para uma experiência que DURAM 11 ANOS?BASTANTE TEMPO PARA EXPERIÊNCIA VCS NÃO ACHAM?
    A título de curiosidade, as experiências eremíticas ou de outra Ordem, segundo as leis canônicas podem durar tantos anos sem que seja cobrada dos superiores da Igreja uma resposta desta experiência?
    Se não estava na Diocese para a fundação de um Instituto, porque os Bispos antecessores não notificaram e documentaram contrariamente o mesmo? ESTES BISPOS TAMBÉM ESTAVAM EM DESACORDO COM AS LEIS CANÔNICAS?
    Podemos observar que são muitas dúvidas a serem esclarecidas, mas que gostaríamos encarecidamente, que tivéssemos acesso aos documentos citados para entendermos aonde aconteceram os principais erros que nos deixaram cegos por quase doze anos de uma OBRA que vimos nascer, crescer e que agora morre, pois aos olhos do NOSSO BISPO, não rende frutos depois de longos DOZE ANOS. Muito tempo para chegar a essa conclusão NÃO ACHAM?
    A nós fiéis permanece ainda uma dúvida, O QUE FAZER COM OS FRUTOS QUE JÁ AMADURECERAM? O QUE FAZER COM OS FIÉIS QUE HÁ ANOS ACOMPANHAM ESSA OBRA?
    Ao contrário do que foi falado na carta nos últimos três anos, o crescimento da Obra aconteceu com o início da Missa no rito antigo somado ao carisma dado por Deus ao Frei Tiago.
    Seria muito simples de resolver se o BISPO assim o quisesse e acreditamos que a única coisa que o Frei NÃO abriria mão era a celebração da missa neste rito, a retirada do hábito, o impedimento de receber novas vocações, e o atendimento aos fiéis, afinal, esta é a sua Missão.

  22. Bom pela carta postada onde já se lê que o Frei tinha reconhecimento dos Bispos anteriores, que tinha a sua obra estabelecida e apoiada pelos outros Bispo, o que mais incomoda o Bispo atual é o Frei celebrar realmente o Santo Sacrifício, de se ser Igreja coisa que esses Bispos de hoje não sabem ou não querem fazer, pois já estamos corrompido pelo demônio, para estabelecer a igreja de satanás na terra, devemos orar para que sejamos libertos e que nada de ruim aconteça com o Frei nesses tempos de batalha, por se tratar de um servo de Deus, para resgatar almas perdidas desse mundo e ajudar as pessoas de bem a se sentirem o mais perto de Deus possível.
    Peço a todos que coloquem em suas orações o nome do Frei para que ele seja iluminado e não pereça nessas tribulações.

  23. O Frei e o Mosteiro são para o bispo “persona non grata”, porque são catolicos tradicionais.

    Agora os Chalitas da vida como o padre fabio de mello que defendem casamento homossexual recebem que tipo de tratamento da diocese de Bragança?

  24. Dinheiro, dinheiro… é claro que tem de estar envolvido, aliás, para grande parte [não todos] do clero diocesano é ele que importa, e isto não é de hoje!!!

    Creiam, esta história tende a terminar de modo melhor que se imaginam. Quando trata-se de virtudes, Deus move o céu e move a terra.

    Deo Gratiass!

  25. Independente se ele é PADRE, se ele É FREI, Se é CARMELITA se é de outra ORDEM. O QUE INTERESSA É A OBRA QUE ELE DESENVOLVEU E DESENVOLVE ATÉ HOJE!!!!! SÓ QUEM CONHECE SABE DIZER!

  26. O problema está é que não é o bispo o incomodado mas sim o INFERNO!!! Faz parte do carisma deste padre, lidaar diretamente com o demônio e com sua saida o inferno está em festa! Mas um aviso: por pouco tempo!!!

  27. “Meus irmãos,tende por motivo de grande gozo o passardes por provações. Sabendo que a prova da vossa fé desenvolve a perseverança.” #Tg-1-2,3

  28. Uma fonte confiável me disse que o bispo alegou que o frei Tiago cometia abusos litúrgicos. Só pode ser piada!!!!!! A vida litúrgica em Bragança deve ser superior a Roma, pelo jeito!!!

  29. Caros, na cidade de Bragança Paulista já acompanhamos algumas celebrações aonde a mesa do altar, se é que pode ser chamada de altar, foi colocada no centro da Igreja. Fica claro o porque da saída do Frei. O Bispo está certo, ele não comunga da mesma linha, então não cabe ele nesta diocese.

  30. Para que possamos ter um conhecimento sólido das razões da expulsão de Frei Tiago e do Mosteiro, é necessário que as instruções vindas da Sé sejam colocadas a público. Aguardamos que isto aconteça o mais rápido possível.

    Pedro Longo – Florianópolis (SC)

  31. Muito vagas as justificativas, se existem erros, esses deveriam ser listados e condenados com base no que a Igreja ensina, para que todos saibam. Mas da forma como está, não esclarece muita coisa.

    Só não veem os reais motivos quem não quer!

    O lema do sr. bispo “como aquele que serve”… serve a quem? e serve para que?

  32. Volto a fazer minhas perguntaS:

    • Foi realizada uma votação do Conselho?Um parecer que reúne a opinião de todos?
    • Existe um documento para que possamos analisá-lo? Assim como o “parecer” está documentado?
    • Porque no Comunicado a palavra “parecer” está destacada em aspas?? É apenas um parecer, pois a decisão é do Bispo neste caso?
    • E ainda, a orientação da Santa Sé foi nesse sentido? Que o único caminho seria a recisão?
    • Quanto à notificação citada ao Padre, também está documentada?
    • A partir de que data contamos estes seis meses segundo a norma?
    • Que normas são essas?
    • O documento ainda fala sobre doações e nos parece uma explicação para algo cobrado por alguém, a que se refere exatamente?
    • Frei Tiago ou Padre Christian Conforme indicado no documento, foi acolhido em 2001 em nossa Diocese para uma experiência que DURAM 11 ANOS?BASTANTE TEMPO PARA EXPERIÊNCIA VCS NÃO ACHAM?
    A título de curiosidade, as experiências eremíticas ou de outra Ordem, segundo as leis canônicas podem durar tantos anos sem que seja cobrada dos superiores da Igreja uma resposta desta experiência?
    Se não estava na Diocese para a fundação de um Instituto, porque os Bispos antecessores não notificaram e documentaram contrariamente o mesmo? ESTES BISPOS TAMBÉM ESTAVAM EM DESACORDO COM AS LEIS CANÔNICAS?

    QUEREMOS AS RESPOSTAS!!!!

  33. É fácil julgar a posição do bispo de Bragança Paulista pela atitude drástica que precisou tomar. A Igreja tem normas rígidas, que são do conhecimentos de todos os padres. A Hierarquia e a organização da Igreja tem que ser obedecida para que ela não vire uma bagunça. Há séculos Lutero também foi expulso por rebeldia, e há padres, que eu mesma conheço pessoalmente, que agem de forma indevida. Os bispos, que são seus superiores, quando recebem comunicado de transgressão procuram de todas as formas resolver a questão sem chegar a extremos.
    Se o bispo chegou a este extremo é porque não viu mais saída. A única seria esta, antes que o padre levasse outros a se perderem em questões de obediência.
    Todos sabem que basta um elemento que lidere para o mal, e muitos descabeçados o seguem. O demônio está solto e tenta destruir a Igreja, que é sua maior inimiga. Nós católicos não podemos permitir deslises graves deste tipo, pois estamos abrindo as portas para que o mal se alastre.
    “O mal não prevalecerá contra ela”, mas nós católicos de alma precisamos estar atentos para que isto não aconteça.
    O bispo não foi intolerante. Tentou de todas as formas levar o padre para o caminho certo. Se ele continuou arbitrariamente desobedecendo as ordens canônicas tinha que ser expulso mesmo. É isto que se faz em qualquer instituição séria, e principalmente a Igreja tem que manter esta seriedade.

  34. Faço minhas as palavras da mayara:”Revesti-vos da armadura de Deus,para que possais resistir as ciladas do inimigo .Pois não é contra homens de carne e sangue que temos que lutar ,mas contra os principados e potestades ,contra os príncipes deste mundo tenebroso ,contra as forças espirituais do mal nos ares”.Que São Miguel nos proteja!!

  35. Neuza: Pelo seu texto, parece que voce sabe algo que ninguém mais sabe. Enquanto o senhor bispo não diz nada, voce poderia desfazer nossas duvidas?

  36. Nilza

    O que realmente incomoda o bispo é que é uma ordem séria, com missa tradicional,rezada em latim, aprovada pelo Papa, comunga-se ajoelhado e com véu, ao contário de outras igrejas católicas que permitem tudo por respeito humano, fazendo festas com cerveja, bingos etc…sempre visando “dinheiro”.Ali no mosteiro as pessoas procuram resgatar as origens da igreja católica, buscando a santidade, inclusive os padres atuais não vestem batinas, o Frei usa o hábito e até isso o incomoda, padres têm que ser identificados como tal. Por isso que vem crescendo o número de fiéis lá no mosteiro, sinal que as pessoas não estão satisfeitas com as missas que vêem assistindo em outras igrejas.Lá aprendi “humildade” com a vida que eles levam e a termos uma vida na santidade. Quanto as homílias , foi o que me atraiu a frequentar o mosteiro, o Frei tem o dom da oratória que Deus lhe deu e também ungido pelo Espírito Santo, muitas passagens da bíblia que eu não entendia aprendi com ele. Cheguei a frequentar outras missas, tem padres mal formados, que explicam o evangelho com as mesmas palavras do folheto. Precisamos de sacerdotes como ele que se dedica aos fiéis, dando ajuda espiritual a muita gente, é isso o que mais precisamos. Fiquei sem entender quando ele se refere ao Frei como Pe. Christian, ignorando a carta de declaração do bispo, onde o frei recebe os votos perpétuos em 2009, agindo assim poe em dúvida a autorização desse bispo, pois, ele passou a chamar-se Frei Tiago, e, não Pe. Christian como escreveu na carta o bispo atual. Quem está certo?
    Ele foi autorizado nessa declaração a receber noviços e usarem o hábito.
    “APRENDI COM A PRIMAVERA A DEIXAR-ME PODAR PARA VOLTAR MELHOR”
    Querem podar o trabalho do Frei Tiago, mas, sua Ordem voltará com mais força, vão permanecer as raízes e Nossa Senhora vai permitir que brote e floresça.

  37. Tive uma vivência religiosa muito grande, e meu pai era uma pessoa que conhecida tudo das Leis Canônicas. Ele comentava comigo, que era a filha mais curiosa e perguntadeira, e através dele conheci situações parecidas com esta. Ele era muito amigo de vários bispos e padres, e como uma pessoa de confiança da nossa paróquia, ele estava sempre atento para que não acontecessem estes deslizes dos padres.
    Não tenho conhecimento direto sobre o que ocorreu em Bragança Paulista, pois moro em Belo Horizonte, mas sou estudante de curso bíblico e atuante. Sei muito bem que isto acontece algumas vezes, e a expulsão não é feita somente pelo bispo. Antes dele tomar esta atitude ele procurou até o Vaticano para pedir orientações. Houve várias testemunhas dos fatos, mas estes são privativos da Igreja. Tudo o que é aberto demais vira fofoca. Os fatos graves que acontecem na Igreja não podem ser divulgados abertamente. São normas das Leis Canônicas.

  38. Neusa Maria Spinola,

    “A Igreja tem normas rígidas, que são do conhecimentos de todos os padres.”

    Engraçado isso né, na verdade é triste que a imensa maioria do clero hodierno, não sigam essas tão rígidas normas da Igreja!

    É do conhecimento de todos, mas a maioria faz vista grossa e ouvidos moucos. E os que buscam cumprir, são até ridicularizados pelos seus pares.

    Os bispos são os primeiros a não cumprirem suas obrigações, se cumprissem essas normas rígidas a Igreja não estaria passando por isso. É justamente por falta disso que a Igreja no mundo e mais sensivelmente no Brasil está jogada aos lobos.

    Os pastores abriram os portões! Depois vem o ditado: “Se correr o bicho pega e se ficar o bicho come”. Isso quando o lobo não é o próprio pastor.

    Ademais, quais foram os erros que o frei cometeu? Não vi objetividade…somente floreios!

    Dale flores murchas e frutos podres…. Haaa a primavera! Virou um longo e tenebroso inverno.

  39. Estas são palavras comumente usadas por aqueles que querem destruir a Igreja e o Clero. São muitos os que são levados pelo espírito do mal, que vem assolando e tentando desmoralizar uma das instituições mais sérias do mundo. Não somos perfeitos, pois somos humanos, e não existe em lugar nenhum 100% de aprovação, ou 100% de pessoas preocupadas com a seriedade.
    O mundo está cheio de flores murchas e frutos podres, amigo! Todos estes têm um pouco de Anti-Cristo!

  40. Grato Jose por sua resposta.

  41. Quanto aos questionamentos sobre o procedimento do sr. bispo diocesano de Bragança Paulista, é necessário uma lembrança, sem a qual vamos perder tempo, energia e até santidade pessoal:
    Não podemos esquecer que as partes diretamente interessadas é que podem ter acesso aos documentos mencionados (atas do Conselho de Presbíteros, Consultores, correspondência entre a Santa Sé e a Diocese, etc…). Estes documentos não são dados ao público normalmente… em caso de dúvida quanto à legalidade de algum ato do ordinário local, o sacerdote tem todo o direito de procurar o Tribunal Eclesiástico, em primeira, segunda instância, e até recorrer à Roma, se for o caso… mas isso deve ser feito pelos diretamente interessados, não sob o clamor das paixões e opiniões de terceiros, ainda que com muita boa vontade em seu coração…
    Senão cairemos em uma situação paradoxal: questionamos a greve na PUC contra a prerrogativa do cardeal nomear a reitora que lhe apraz, dentro do regimento, e questionamos o bispo em sua atribuição de conceder ou não uso de ordens, ou revogar concessões anteriores, etc…

    • Pe. Alessandro, temos certeza que as respostas aos questionamentos da Confraria Nossa Senhora do Carmo jamais serão dadas porque há muita coisa que não podem dizer sem implicar seriamente as “determinações” do Bispo Diocesano. Ou sertá que a diabólica seita está por trás disso tudo?

  42. Perde assim, a regiao de Bragança, a comunidade que atrai mais vocaçoes.
    Perdem os fiéis, que encontravam na presença destes religiosos, um exemplo de fé e de vida, uma orientaçao espiritual em consonancia com a Igreja de Roma, resgatando a caridade, o serviço ao próximo, a escuta, a contemplaçao.

    E o céu vai ganhando um Frei Santo, perseguido por seus “irmaos” religiosos, incapazes de ver no outro a santidade, a busca real e íntegra das coisas de Deus, da partilha, da humildade, da oraçao.

    Crise na Igreja Brasileira.

    Padre Paulo Ricardo, perseguido pela cúria de Cuiabá. Frei Thiago perseguido pela cúria de Bragança.

    Quoi de neuf ?

    Estudemos a história da Igreja, de seus santos, de seus loucos de Deus. Foram incompreendidos por seus contemporaneos, perseguidos por seus próprios – irmaos – de fé.

    A opçao radical por Deus sempre incomodou. Estudemos a história de Afonso de Ligório, Francisco de Assis e de Madre Paulina, impedidos de continuar na liderança das ordens que fundaram. De Padre Pio de Pietrelcina e de tantos outros, incompreendidos por seus contemporaneos.

    Infelizmente, vemos a apostasia, a teologia da libertaçao, o marxismo cultural, a filosofia da desconstruçao agindo, com muita força sobre aqueles que radicalmente optam pelo amor a Deus.

    Frei Tiago e seus frades deixam um exemplo de trabalho na humildade e caridade, de oraçao na fidelidade.

    Santo de casa nao faz milagres. E as vistas de tantos religiosos – de uma comissao inteira, em unanimidade – nao conseguem mais captar a aura da santidade, em um irmao tao exemplar.

    Notre Dame de la Salette se pronunciou a este respeito. Por falta de jejum, penitencia e oraçao, muitas inteligencias se obscureceram.

    Já nao conseguem ver em uma comunidade de atitudes santas, a bondade.

    E já nao conseguem ver em tantos hiipócritas, sua maldade.

    Igreja a serviço de quem ?

    Igreja fiel a quem ?

    Nao me surpreenderá em nada ver nossos nomes, daqui a algum tempo, inscritos em uma lista de excomunhao …

    Tristeza na Diocese de Bragança, pela expulsao de seu Frei mais exemplar.

    Alegria em uma bendita Diocese, de algum lugar do Brasil ou do exterior, que terá a bondade, a caridade, a fidelidade da acolhida destes humildes freis, que ousam remar contra a maré.

    Levem com vcs nossas oraçoes e amizade.

    Sérgio Prata
    http://www.sergioprata.com.br

  43. Ao ler os comentários da Sra. Neuza Maria pensei tratar-se de uma mensagem com “outro sentido”, algo escrito de forma irônica, só depois percebi se tratar duma mensagem séria. Da forma como ela escreve dá a impressão de vivermos em tempos de Bispos fidelíssimos à Doutrina e à Fé Católica lidando com padres “hereges e desobedientes”.

  44. Neuza, então explique-nos: como deseja que sejamos contrário ao frade se o que está revelado só ressalta suas virtudes? Ora, se tem ele um “pedaço” de anti-Cristo, mostra-nos onde! Prova com quê isso é real!

    Se há “matéria grave” que não deve ser publicada, como a senhora sabe? Ora, se sabe, conta-nos, pois o mal em contar não supera o dano das almas; e se houverem iniquidades, desvalorizaremos os benfeitos do frade e apoiaremos o o bispo em sua decisão… Caso contrário, temos todo o direito de nos revoltarmos contra esta atitude que soa mais errada de que certa.

  45. Qual o e-mail da cúria dessa diocese para que possamos escrever diretamente ao bispo expressando nossa perplexidade e indignação?

  46. Caros, encontrei algum conteúdo a respeito do frade, quanto ao seu nome de batismo:

    Este blogue parece ser de seu pai, e há inclusive foto do frade: http://avenoraugustomontandon.blogspot.com.br/ o pai dele também está no Facebook, e ele pode-nos dar a certeza que seu filho é frade sim, com certeza.

    Quanto sua pessoa como frade, artigos interessantes são encontrados:

    http://www.rainhamaria.com.br/Pagina/545/Frade-ve-sinal-de-Deus-em-panela (leva-nos a uma imagem de fé do frade)
    http://www.salvemaliturgia.com/2010/08/o-rito-carmelita-celebrado-regularmente.html (mostra um pouco de sua história na ordem e quando entrou no carmelo; ainda revela sua intenção de reformar a ordem segundo a regra primitiva, que já denota a origem do problema).

    http://www.montfort.org.br/index.php/blog/relato-xiv-congresso-montfort-vaticano-ii-historia-e-doutrina/ (mostra sua ação na Ass.Montfort – não encontrei a “publicação de amanhã”).

    http://www.montfort.org.br/index.php/blog/noticias-comentarios-analises/ainda-nao-classificado/que-seu-exemplo-nao-seja-seguido-frei-tiago-a-proposito-do-padre-leonardo-holtz/ (revela que ele criticou a FSSPX e um padre que se aliou a ela)

    http://www.montfort.org.br/index.php/tag/frei-tiago-de-sao-jose/ (revela sua postura favorável ao Vaticano II, à hermenêutica da continuidade, e das ações do papa. Também fala sobre a crise e sobre a FSSPX, a qual, ele pouco admira).

    http://farfalline.blogspot.com.br/2011/04/resposta-ao-artigo-calunioso-contra.html (um site anti-vaticano II que rebate ao frade)

    http://www.arautoveritatis.com/2011/04/mas-arrogancia-continua.html (trata da rivalidade e confusão causada pela crítica do frade (que criticou a FSSPX com base em suas experiências), cujo é simpatizante da Montfort (que fez o mesmo).

    Contra o bispo “frei que nada” no próprio site da diocese:
    http://diocesedebraganca.org.br/a-diocese/clero/padres-religiosos/irmaos-eremitas-da-bem-aventurada-virgem-maria-do-monte-carmelo/

    Agora, leitores e caro Ferretti, as peças estão quase todas aí, basta apenas monta-la.

    De minha parte, vejo que falta alguma coisa, mas pelas minhas suposições, o frade tem enrosco com o Vaticano II, o que comprometeu i mosteiro; apesar disso, não é simpatizante da FSSPX, e tem uma visão similar ao da Montfort.

  47. Tere,
    … Pessoal, o momento pede oração… com certeza é isso o que o Frei está fazendo neste momento, unamos a ele, pois Deus é maior e somente ELE é o caminho a verdade e a vida. Coloquemos Deus em primeiro lugar … Pai Nosso …

  48. Neuza
    Pra você o bispo é uma vítima,um cordeiro imolado,e o pobre frei expulso é um fanfarrão que anda por aí desobedecendo as leis e por isso foi expulso?
    Jesus expulsou quantos de seus discipulos??? e quem dirá um ”Bispo” que deveria zelar pela Santa Tradição e pela liturgia,expulsar um frei que tanto zelou pela liturgia em um Brasil cada vez mais protestantizado e modernista!

  49. Caros amigos, escrevo aqui o (teor) que escrevi no site Carmelita: que Frei Tiago, se Deus quiser, receberá de nossa parte um ‘óbulo da viúva’ traduzido em um terreno de 2 hectares (200 x 200) e a disponibilidade de pessoas que desejam ardentemente ter um Sacerdote “segundo o coração de Deus”, que traga a SANTA MISSA para uma outra Serra, mais distante, mas não menos necessitada: o município de Pacaraima-RR.
    Falei com ele sobre isso no início deste ano e aqui ratifico.
    E caso não dê certo, a proposta fica em aberto para qualquer Sacerdote que venha com as mesmas intenções.
    Não se trata de uma simplificação dos processos canônicos, mas uma oferta da parte de leigos que desejam permanecer católicos. De fato e de direito.
    AV

    • Também penso como AIRTON VIEIRA. Nós leigos queremos viver uma Igreja de FATO e de DIREITO.
      Os leigos esclarecidos sabem que estamos vivendo, no Brasil, um CISMA BRANCO. Melhor seria que se declarasse oficialmente pela CNBB. Assim, saberíamos de que lado ficar. Com a Igreja de João Paulo II ou com a Igreja de Paulo VI e do Vaticano II. Aquele que disse: “Por alguma fresta penetrou na Igreja a fumaça de Satanás”, não completou o seu pensamento. Deveria ter dito ao final: “E anche delle mie pantofole la viene”
      Pedro Longo

  50. Acho que citar motivações econômicas junto à desobediência é uma forma baixa de tentar ganhar a simpatia dos diocesanos (no Brasil, basta insinuar ganhos econômicos ilícitos que todos passem a desaprovar). Só um imbecil para achar que alguém vai ser louco de começar uma obra tradicionalíssima na Igreja ultra-progressista do Brasil para… ganhar dinheiro!! Mas esse é tipo de esperteza ofídia: fazer menção de dinheiro para que todos concluam que o tal frei estava desviando recursos e fiquem do lado da Diocese. Tenho certeza que saindo dessa diocese a obra irá encontrar um bispo de verdade, não um simulacro de bispo.

  51. Li todas as cartas e comentários e cheguei a uma conclusão:

    Existem duas partes, a do Frei Thiago e a da Diocese de Bragança Paulista e pelo que entendi a Diocese e a Santa Sé (Vaticano) e não o bispo de uma forma particular, não tomou uma decisão pela Santa Missa celebrada em Latim, mas por diversas vezes tentar regularizar a situação do Mosteiro e o Frei Thiago não corresponder e por não obedecer, não quero tomar partido, mas eu acho difícil uma decisão que foi analisada pelo Vaticano estar errada ou ser por um motivo pessoal ou por uma Santa Missa celebrada em Latim.
    A carta de Dom José não significa nada, pois se o Mosteiro era tão querido e estava com a documentação correta e a vivencia conforme a Santa Igreja pede, porque não existem documentos no arquivo, Dom José tem que fazer uma carta para justificar o que aconteceu? Porque o mosteiro durante os 7 anos que ficou no governo de Dom Bruno e Dom José não foi reconhecido como Instituto Religioso ou como Associação Privada de Fiéis? Alguma coisa tem, para não receber o reconhecimento da Igreja em mais de 10 anos já que estava tudo certo e Dom Bruno e Dom José reconhecia o mosteiro. Canonicamente a carta de Dom José não vale de nada….
    A carta que esta sendo divulgada pelo Frei Thiago na verdade só o prejudica, pois mostra sua afronta a Igreja e ao Bispo que ele jurou obediência….Ele pode ate ser suspenso de ordem pela atitude que tomou de divulgar uma carta nestes termos.
    Também acho que a Diocese de Bragança Paulista esta sendo prudente como a Igreja é, imagina se o Papa Bento XVI saísse comentando tudo que se fala da Igreja e das atitudes que necessita tomar e o povo não concorda…..gente por favor vamos analisar melhor os fatos.
    Não estou a favor da Diocese, pois gosto muito do Frei Thiago, mas não posso ser cego para os fatos que são apresentados.

  52. Paula Maria – Atibaia sp
    Nosso bispo dom Sergio nos deixa um belo exemplo,de que quando alguem erra em vez de perdoarmos devemos expulsar. sera que e isso que jesus pregava quando andava na terra?!
    Não sabemos que jesus andava agindo com documentos em vez do coraçao.

  53. Meu Caro Frei Tiago,
    Escrevo aqui nesse site, uma palavras desajeitadas para manifestar todo meu apoio moral e espiritual nesse momento de provação. Eu o conheci há seis anos, quando estava ainda na sede da diocese D. Pinheiro e assisti as idas e vindas de seu hercúleo trabalho pastoral e material. Transformou uma capelinha desajeitada e destruída em um centro de devoção eucarística e marial; ofereceu-se para um trabalho pastoral intenso, substituindo em missas dominicais seus colegas no sacerdócio que saiam de “férias”, fazendo seu programa de rádio diário em que pregava a oração familiar, atendendo famílias na cidade e em toda a região (quantas vezes veio a SP, Barueri e outras localidades para atender pessoas necessitadas?), mantendo aberta a porta da capela até tarde da noite para dar formação espiritual, celebrar os sacramentos ou simplesmente…, adorar o Santíssimo Sacramento ou venerar a Virgem. Seu mosteiro foi assaltado um dia, mas isso não o esmoreceu, os bandidos não ousaram abrir o sacrário para roubar o cálice das hóstias, levaram somente o material que estava na sacristia. Os dois bispos anteriores não o amavam, mas o toleravam. Chegou o atual bispo e desde o primeiro dia, tudo foi tormento, preocupação e temor. Ele lhe odeia. A ameaça de expulsão começou ali e consumou-se agora.
    Foi o sr. que descobriu a real extensão do terreno que abriga a capela, que, sem ser enorme, era muito maior que a simples área em torno. Foi também o sr. que descobriu que ele tinha sido doado no século XIX `a Nossa Senhora, por documento cartorial e que, um dia, alguém tentou fazer usocapião dele e processou… a Rainha do Céu e da Terra. Inútil dizer que, naqueles tempos onde o Brasil era católico e normal, o demandante perdeu o processo contra a Mãe de Deus.
    Vieram depois as vocações. De ambos os sexos. As tentativas de fundar no Condomínio ao lado uma comunidade feminina, as experiências das noviças até que há algum tempo isso se solidificou e uma verdadeira vida religiosa começou.
    As vocações dos rapazes foi mais lenta e complicada. Mas foram tentativas de todos os lados, vocações surgindo aqui e ali, o que prova que o Brasil seria outro se os bispos quisessem realmente ser católicos apostólicos romanos. Mas com a obstinação dos homens escolhidos por Deus, o sr. avançou até que tudo ficasse mais sólido.
    E nesse momento…, surge Satanás com suas hostes para cochichar nos ouvidos do Sr. Bispo e seus assessores a maligna ideia. Não falei com o sr. ainda, mas não preciso disso. Eu sei que o sr. é inocente e que o ódio que empurrou o Sr. Bispo a tomar essa atitude é o mesmo que fez Sto. Afonso Maria de Ligório ser expulso de sua ordem, a que ele mesmo fundou, a que fez o Papa chamar a atenção e castigar o grandíssimo Dom Vital (na Questão Religiosa), a que fez com que o Santo Padre Pio fosse perseguido.
    Nada disso quebrará o ímpeto inabalável do homem de fé e de Deus que o sr. é. A Providência, que levou o Menino Deus a uma gruta perdida de Belém para lá nascer, Ele, o Redentor do mundo, o Príncipe da Paz, de quem dentro de um mês celebraremos o gaudioso nascimento, essa mesma Providência Divina se encarregará de levá-lo ao cumprimento de sua vocação, de cuidar das almas desamparadas pelo Sr. Bispo Diocesano de Bragança Paulista, a quem desde já todos devemos convocar diante de Deus pela responsabilidade e salvação delas, e de preservar o santo lugar denominado Capela Nossa Senhora do Rosário, nas montanhas de Atibaia, São Paulo, nas Terras de Santa Cruz.
    Infelizmente, “Templo é dinheiro”, disse alguém. O Sr. Bispo alega razões financeiras para o expulsar. Quando todos os que o conhecem e frequentam sabem bem o enorme apostolado que o sr. faz na região e o desleixo total do clero embermudado e vulgarizado, em contraste com seu lindo hábito carmelita, e que isso não tem preço. O Sr. Bispo Diocesano deveria ajoelhar-se diante do Sr., como faz o Papa na Quinta-feira Santa diante dos fiéis, e implorar que o sr. deixe que ele pague todas as despesas do Carmelo florescente, e não pedir-lhe as esmolas que lhe chegam. Evidentemente a razão dada é apenas uma excusa. A realidade é a que a fúria progressista quis fazer mais uma vítima e o Sr. foi escolhido para isso. Rejubile-se, meu caro Frei Tiago de São José, sua vocação carmelitana é inegável, o sr. é um filho de Santo Elias, de Santa Tereza, de São João da Cruz, de Sta. Terezinha do Menino Jesus e do Beato Francisco Palau e de tantos outros. Una-se a eles e avance sem temor, o sr. estará trilhando o caminho que Deus lhe reservou.
    Seu amigo fiel e devotado,
    PS – O sr. reza pelo bispo, e Deus sabe o quanto ele precisa. Muito bonita sua aceitação das ordens dadas, mas nós, testemunhas vivas da injustiça devemos reagir, pelo próprio bem das almas do Sr. Bispo e seus próximos assistentes.

  54. Conheço os Freis Carmelitas de Atibaia, assim como conheço dezenas de mosteiros na europa e no Brasil. Frequento a missa, esporadicamente, por lá, e o que me salta aos olhos é a humildade diante de Deus, a fé inquebrantável, a resistencia na perseguiçao, a chegada incessante de vocaçoes, a alegria mesmo na provaçao, a caridade mesmo na pobreza, o trabalho incessante e devotado, o atendimento na alegria do evangelho.

    Aqui em casa e em meu atelier, sempre abrirei as portas para os religiosos que forem perseguidos, sejam eles da Diocese, ou de outras ordens religiosas.

    Que Deus abençoe estes irmaos, que levam sorrisos, humildade, amizade, escuta, com seus olhares puros, por onde passam, que andam abençoando as pessoas, que sofrem pelo Evangelho.

    Convido a todos a participarem de uma missa lá na pequena capela.

    Eles serao proibidos de celebrar a missa para o povo a partir do Natal.

    Portanto, aqueles que quiserem rezar com eles, ainda podem faze-lo, até a data em que comemoramos o nascimento de Nosso Senhor.

    Só ouvi falar de perseguiçao e expulsao assim em raras ocasioes.

    Em nossa Diocese, isto é uma grande tristeza. Perdemos nosso único mosteiro, e o convívio com amigos religiosos que vivem na castidade, pobreza e obediencia, em consonancia com a Igreja de Roma.

    Deus escreve certo, por linhas tortas.

    Nós, aqui embaixo, somos todos experts em linhas tortas …

  55. Tristeza na Diocese de Bragança, pela expulsao de seu Frei mais exemplar.
    Alegria em uma bendita Diocese, de algum lugar do Brasil ou do exterior, que terá a bondade, a caridade, a fidelidade da acolhida destes humildes freis, que ousam remar contra a maré.
    Perde assim, a região de Bragança, a comunidade que atrai mais vocações.
    Perdem os fiéis, que encontravam na presença destes religiosos, um exemplo de fé e de vida, uma orientação espiritual em consonância com a Igreja de Roma, resgatando a caridade, o serviço ao próximo, a escuta, a contemplação.
    Levem com vcs nossas oraçoes e amizade.