Bruxelas proíbe ‘Árvore de Natal ofensiva’ aos muçulmanos.

Por The Right Perspective | Tradução de Teresa Maria Freixinho – Fratres in Unum.com: Na quarta-feira, as autoridades governamentais de Bruxelas, Bélgica, proibiram a exposição de uma Árvore de Natal popular por preocupação de que a população muçulmana local a considerasse “ofensiva”.

Uma “árvore de inverno eletrônica” tomará o lugar da Árvore de Natal tradicional e do Presépio no centro da cidade do Grand Place, relata o Brussels News.

A escultura eletrônica ficará a 25 metros de altura e consiste em um conjunto de telas de televisão, relata o Brussels Expat. “Durante o dia será possível escalar o topo da árvore, onde você poderá desfrutar de uma visão panorâmica da cidade,” explica o sítio na Internet. “Assim que escurecer, a árvore se transforma em um espetáculo de luz e som. A cada dez minutos um show surpreendente será exibido.”

A vereadora Bianca Debaets acredita que um “argumento equivocado” sobre sensibilidades religiosas motivou Bruxelas a erigir a escultura luminosa. Para expressar o seu ponto de vista, ela menciona o fato de que a exibição da árvore não seja de maneira alguma relacionada ao “Natal”.

“Suspeito que a referência à religião cristã tenha sido o fator decisivo” para a substituição da árvore, disse aos jornalistas. “Para muitas pessoas que não são cristãs, a árvore lhes é ofensiva.”

Muitas cidades na Bélgica têm populações muçulmanas crescentes. Um estudo de 2008 revelou que os muçulmanos constituem 25,5 % da população de Bruxelas, 3,9 % de Flandres, e 4% de Valônia.

Dois muçulmanos eleitos para a Câmara de Vereadores de Bruxelas no mês passado prometeram transformar a Bélgica em um estado muçulmano com base na lei da Xariá, conforme noticiado anteriormente.

“Será que uma cidade histórica como Bruxelas precisa ser sensível a tradições? E será que uma cidade multi-religiosa como Bruxelas não deveria deixar espaço para a individualidade de cada filosofia?”, indaga Debaets.

Outras autoridades municipais insistem em dizer que a mudança não foi feita para apaziguar os muçulmanos ou outros grupos. Nicolas Dassonville, porta-voz do Prefeito Thielemans (PS), disse que o Presépio permanecerá na Grand Place.

O patrocinador da árvore, a empresa geradora de eletricidade Electrabel, fez a proposta para construir a escultura eletrônica este ano, disse Dassonville.

10 Comentários to “Bruxelas proíbe ‘Árvore de Natal ofensiva’ aos muçulmanos.”

  1. Se o país vier a tornar-se um celeiro de terroristas eu vou achar é bem pouco, e ainda vou escrever na testa: viva, viva! Como diz o ditado: “cada qual colhe conforme semeia”. Estão a trocar a Santa Madre Igreja fundada pelo Meshiach, nosso Senhor Jesus, por esta seita diabólica; terão o inferno aqui e no outro mundo, pois pecado maior não há que por Cristo a nível desta fábula islâmica, relativizando tudo… Ora, esperem só! Não se celebra a memória do Cristo Menino? Logo logo verão o que hão de celebrar, e deste modo, não tardará!!

  2. Se Deus quiser eu morro antes de ter que comemorar Natal e Páscoa em catacumbas….tá tudo dominado…

  3. Daqui a bem pouco tempo, nós cristão teremos que mudar os nossos hábitos, tradições e tudo o mais. Desde quanto os mulçumanos, estão preocupados com os demais. É hipocrisia e interesses PESSOAIS desses políticos – lá como cá.

  4. Quem não sabe que isso é somente laicismo se vestindo de bom-mocismo que atire a primeira pedra. É uma perseguição disfarçada.

  5. É a cara da atual Bruxelas, capital da “nova europa” (em diminutivo mesmo), meio ateia meio pagã, cujo sonho secreto deve ser servir aos muçulmanos debaixo de chicote.

  6. Talvez tenhamos que ver a queda da Europa inteira, assim como aconteceu com Jerusalém, nas mãos dos muçulmanos, até tomarmos alguma providência… A nova cruzada sairá da Ásia em socorro da velha Europa. De novo, vou bater na mesma tecla: mesmo quando quase toda a Península Ibérica estava nas mãos dos infiéis, tínhamos Roma, um norte seguro de ortodoxia e doutrina. Hoje Roma é fraca, a doutrina é fraca, a catequese é fraca e a fé é fraca… Não sei se teremos as armas necessárias para resistir…

    Por outro lado, já houve Avignon, Napoleão, a época de apostasia papal do renascimento… Não estamos passando pela pior crise da história… Já foi pior, isto tem de passar, cedo ou tarde!

  7. Quando leio notícias como essa, sempre me pergunto: O que os europeus pensam disso? Tenho curiosidade em saber.

  8. ‘Os filhos’ de Agar são como ela, atrevidos! Mas, n passam de escravos.

  9. Os comentadores daqui costumam ser tão intolerantes quanto os muçulmanos que estão tentando incriminar?
    Pelo jeito o ovo da serpente já está entre os que se dizem cristãos e só precisa de uma postagem de blog para eclodir.

  10. Nós n somos madeira macia, mas somos mogno!