Sugestão às equipes de liturgia: Hino para o Ano da Fé.

Para que as equipes de liturgia possam, em suas celebrações da Palavra, da Vida, da Partilha, da Comunidade, etc., esclarecer os fiéis acerca da liturgia no Brasil neste Ano da Fé, apresentamos um belíssimo hino composto pelo leitor Pedro Pelogia — inspiradíssimo pelo postOs sábios levitas que zelam por nossa liturgia’.

Comissão Episcopal para Tradução dos Textos Litúrgicos da CNBB.

ANJOS DE D-US

Se acontecer sacrilégio perto de você
Não adianta apelar para a CNBB
Inculturações e respeito aos ateus.

Então abra o missal e comece a provar
Quantas profanações eles fazem no altar
E o moderninho já vem com o garfo na mão.

Refrão:
Tem marmanjos zoando neste lugar
Enganando o povo em cima do altar
Invertendo a missa em todas as direções

Não sei se o papa não viu o que Bugnini teceu
Só sei que o sagrado desapareceu
Porque a P-2 fez o que quis

Quando um bispo abre a boca a Igreja se ferra
Ela perde, se esconde, se envergonha e nega,
Alegra o inferno com seu rito banal

Sinta todo domingo um sagrado desgosto
Vendo um padre pular com um sorriso no rosto
Encantando vovós e perdendo fiéis.

Ref. Tem marmanjos, etc.

Tags:

37 Responses to “Sugestão às equipes de liturgia: Hino para o Ano da Fé.”

  1. Usaremos esse hino em 2013 na JMJ!

  2. Muito bom! Vou indicá-lo aos “chefes de liturgia” nas paróquias aqui das redondezas, pois sempre se pode piorar o que já está ruim!!!

  3. Não é propriamente dito um comentário, é uma pergunta para melhor compreensão: desculpem a minha ignorância mas na segunda estrofe do refrão, faz-se menção a um BUGNINI que desconheço… Podem esclarecer a minha ignorância??

  4. José Lima, o bugnini era secretário da Congregação do Culto Divino e foi mentor da missa nova, homem ‘forte’ do Vaticano.

  5. Não sei se o papa não viu
    Se mudasse isso no Hino, a meu ver, ficaria 100%!

  6. Poderia se acrescentar uma estrofe:

    Sexo, drogas e Rock roll. Qual é o problema?
    Esqueçam os tradicionais e conservadores com sua cara feia
    Bonito é o capeta, vamos para o motel nos alegrar.

    Homossexuais casando e heterossexuais juntando
    O sacramento do matrimonio sumiu
    Sacerdotes sem habito, o sacramento da ordem desapareceu.
    Viva a Canção Nova, Chalita, Edinho e padre Fabio de Melo
    Viva a Liberdade, Igualdade e a fraternidade

  7. A que ponte descemos, meu Deus, a que ponto!!! E quanto ainda haveremos de descer…

  8. Lucas Janusckiewicz Coletta , achei muito liutrgico o que vc disse. Muito bom irmão, que tal vc escrever outro hino? A partilha entre irmãos é lindo minha gente. Viva a diversidade na unidade, amém?

  9. Sem graça. Prefiro chorar os problemas a fazer essas “gracinhas”.

  10. Assim que tiver tempo gravarei isso no violão e voz e colocarei no Youtube!

    Com certeza!

    LAVS DEO!
    Parabéns!

    =D

  11. Pe. Francisco, eu na realidade chorei… de rir!

    A ironia e o sarcamos também são armas úteis contra os que desmoralizam a Igreja.

  12. Deploráveis as gracinhas…
    Isso tira toda seriedade do blog e o “amor” que dizem ter pela Igreja…
    Uma coisa é mostrar as mazelas que acontecem, outra é ridicularizar tudo, como se só os “tradicionalistas”, lefrebvianos, fossem a “verdadeira” Igreja.
    Concordo com o Pe. Francisco, “Prefiro chorar os problemas a fazer essas “gracinhas”.
    Não consigo entender a posição do moderador que permite tal palhaçada…
    Penso que ele vai bloquear meu comentário, mas, meu objetivo será alcançado, ou seja, que ele leia e reflita sua posição, pois, a quem mais foi dado mais será cobrado…

  13. Muito espirituoso! Parabéns ao autor!

  14. Dodoizinho-ranzinha Marcelo, lendo o post que deu origem à hilária paródia cá publicada, encontrei um comentário curioso. Veja:

    “Eu acrescentaria alguma banda funck pra animar essa galerinha, outra de forró,….etc….Afinal, o lixo, em sua grande maioria, que são os hinários da CNBB são hilários….
    Vão esperando que Roma vai aprovar a traição que vocês estão fazendo, cambada…vão esperando…Continuem na ilusão do reino da época de D. Isnard,…
    Agente ri pra não chorar…”

    Esse comentário foi feito por um tal Marcelo. Imagino que seja o senhor… certo?

    Caso positivo, que “amor” pela Igreja!!!!!!! Mais que uma “deplorável gracinha”, há ainda uma qualificação muito respeitosa: “cambada”!!!!!!

    Realmente, “Agente (sic) ri pra não chorar…”

  15. Olha a sugestão: CNBB lança concurso para Hino da Campanha da Fraternidade de 2014 >> http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=288089

  16. Padre Francisco, estamos justamente rindo pra não chorar. Nestes 50 anos muitos bons católicos choraram, inclusive o enérgico Monsenhor Domenico Cardeal Bartolucci, que saiu chorando da Basilica Vaticana tendo sido ele e o Coro da Sistina dispensados por Paulo VI, que lhes disse que não queria a schola chantorum porque era “o povo quem tinha de cantar a liturgia”!

    Ferreti, fiquei muito lisonjeado, obrigado! O hymno pode ser acompanhado da oração em linguas! =P

  17. Apesar de compartilhar com a indignação de muitos católicos a respeito da enorme quantidade de momentos anti-litúrgicos na celebração da Santa Missa, em vários lugares e ocasiões, não acredito que consigamos evoluir nem um centímetro, na busca de soluções para este grave problemas, nos valendo de chacotas e ironias desnecessárias e absolutamente infrutíferas. Façamos as denúncias de maneira séria e construtiva. Do contrário, que diferença existirá ????

    • Senhores, façam-nos um favor… este é um post de descontração em meio a tantas dificuldades. Guardem o amargor para os seus lares, amigos angelicais, e deixem que os seres humanos comuns, de carne e osso, vivam suas vidas, chorem e riam quando quiserem e como quiserem. Depois vêm criticar o puritanismo dos “tradicionalsitas”…

  18. Hino muito muito sacro e litúrgico, muito bom mesmo. Esse poderia ser o hino da campanha da fraternidade de 2014 seria uma ótima sugestão, podiamos mandar isso para os nossos liturgista da cnbb, quem sabe eles pensariam um pouco. Muito bom.

  19. Pedro Pelógia aproveitou bem a rima. Concordo com o Ferretti. São tantos os motivos para chorar que de vez em quanto temos que rir para desopilar o fígado, como dizia uma tia minha.

    Ao ver essa foto lembrei-me de ter visto em algum lugar uma citação de que a CNBB teria declarado que os clérigos deveriam usar um traje eclesiástico digno e simples, de preferência o “clergyman” ou “batina”.
    Pelo visto, nem eles próprios obededem às suas prescrições. Como então se querem fazer levar a sério? Só vejo uns três que parecem estar de clergyman.

  20. N entendo a ira dos netos do cinquentão, n são eles que subscrevem que a Igreja precisava de ar novo e fim do bolor? Humor de bolor, afff.

  21. Antonio L., já disse que sou sua fã?

    **************
    MARCOS QUEIROGA , a diferença é que somos alegres depois da Missa e eles durante a missa.

    *******************

    Está muito calor gente, vão tomar um banho de piscina (em casa, ui!), chupar um sorvete, tomar uma coca com limão.

  22. Muito bom o hino, hilário e VERDADEIRO para desgosto das “quase-viúvas” do Cinquentão caquético e vegetativo que vez ou outra aparecem aqui para chorar sua quase-viuvês, sem direito à pensão vitalícia.
    Parabéns ao Fratres pela ótima descontração!

  23. “O lobo sempre foi chamado lobo e mais nada, e nunca se julgou fazer má obra ao rebanho nem a seu dono, chamar-lhe e apostrofá-lo assim.”

    Sem querer tratar da consciência individual de cada bispo, mas alguém pode objetar a infulência nefasta que a CNBB teve para o Brasil nas últimas décadas, no conjunto de seus bispos?

    “o mal deve-se tornálo aborrecido e odioso; e não se pode fazer isso senão denunciando-o como mau, perverso e odioso.”

    Não lutamos contra a Igreja Católica. Lutamos a favor dela e contra homens de má doutrina que se apropriaram de suas estruturas para moldar a Igreja a seu gosto, causando um número sem precedentes de pessoas que abandonaram a Igreja e migraram para seitas neo-pentecostais ou até mesmo apostataram por não receberem um mínimo de formação religiosa.

    “pode-se, pois, em certos casos trazer a público suas infâmias, ridicularizar seus costumes, cobrir de ignomínia o seu nome e apelido.” ATENÇÃO AGORA: “Sim, senhor; e pode-se fazerem prosa ou em verso, a serio ou brincando, em gravuras e por todas as artes e processos que no futuro possam inventar-se.”

    E não é isso que foi feito? Ou por acaso afirma-se que é permitido combater certas excentricidades cnbbistas, mas se deve poupar a seus autores? Sim, porque alguém ou alguns são responsáveis pela calamidade que tomou conta da Igreja no Brasil. Esse circo não surgiu por geração espontânea.

    Agora, é verdade que um certo cuidado deve-se tomar por se tratarem de sucessores dos apóstolos. Embora possamos afirmar que não seja Pedro, João ou Tiago a quem eles sucedem, mas um em especial.

    Aliás, eu pergunto: Da onde surgiram os piores heresiarcas e os piores inimigos da Igreja de Cristo?

    Não foi por acaso nos bispos e sacerdotes, a parte hierárquica da Igreja, a quem devemos obediência?

    Vejam o caso de Nestório, arcebispo de Constantinopla. A maioria aqui conhece a heresia Nestoriana. Bem, Nestório foi acusado de heresia por Cirilo de Alexandria e no concílio de Éfeso foi condenado como herege e derrubado de sua sé episcopal.

    O que impede que bons bispos denunciem os maus a até mesmo tentem derrubá-los do governo de suas dioceses, quando isso é feito pensando no bem dos fiéis e da Santa Igreja? E que mal há se são os mesmos fiéis a agirem assim, cansados de tantos escândalos e de tanto baguncismo? Por acaso é crime o desejar ter bons pastores? Evidentemente, as orações de súplica ao Senhor dos Exércitos tem o primeiro lugar para tal intento. Mas nada exclui a legítima batalha.

    Mas hoje chegou-se ao cúmulo de até mesmo um bispo se privar de buscar uma perfeição maior para não ferir seus irmãos no episcopado. Um bispo do RS, por exemplo, não celebra a MISSA TRADICIONAL porque isso poderia causar divisão na diocese.

    Para concluir, o fundamento de tudo o que foi exposto:

    “Somente se deve ter em conta que não se ponha a mentira ao serviço da justiça…A verdade é a única caridade permitida à história e poderia acrescentar: À defesa religiosa e social.”

    Tudo entre aspas foi retirado do livro o liberalismo é pecado.

  24. Prezados,
    O que significa P-2?

  25. Caríssimos,

    À respeito de Zombarias: São Tomás de Aquino, (Suma Teológica, Questão 72, artigo 2)

    “…se alguém não exita em molestar aquele a quem se dirigem os termos jocosos, só fazendo rir os outros, tal proceder tem algo de vicioso…”
    “…deve-se dizer que palavras ou gestos lúdicos podem, no entanto, ofender a caridade no que toca à pessoa, objeto de gracejo, se ela vem a se tornar vítima de desprezo…”

    “Quando um mal é grande deve ser tomado a sério e não se tornar objeto de divertimento. Se, porém, vira motivo lúdico ou simples ocasião de risos (de onde a irrisão e a zombaria tomam o nome), é que o mal é tido como pouco importante. Ora, o mal pode ser apreciado como pequeno sob dois aspectos: em si mesmo ou em relação à pessoa. Quando alguém se diverte e ri do mal de outrem, porque esse mal é em si de pouca monta, só comete um pecado venial e leve, em seu gênero. Quando, porém, é considerado pequeno em razão da pessoa, como se costuma fazer com as faltas das crianças ou dos simplórios, então fazer de alguém objeto de divertimento e irrisão, vem a ser um desprezo total do outro. Este parece merecer tão pouca estima, que só se olha para os males dele para transformá-los em gracejos ridículos. Zombar dessa forma é pecado mortal, e mais grave do que a contumélia (injúria, insulto) que é também feita às claras. Na contumélia, com efeito, o mal de outrem é pelo menos tomado a sério, enquanto que o zombador o leva em brincadeira. Dá mostras de maior desprezo e de maior desonra.
    Sob este aspecto, a zombaria será pecado grave; e tanto mais grave quanto a pessoa de quem se zomba tem direito a maior respeito. O mais grave será, portanto, zombar de Deus e das coisas divinas, como proclama o livro de Isaías (37, 23). “A quem afrontaste e insultaste? Contra quem levantaste a tua voz e ergueste os teus olhos?” E responde. “Contra o Santo de Israel.”

    Que cada um tire suas próprias conclusões…

    OMNIA INSTAURARE IN CHRISTO

  26. Concordo com o Pe. Francisco. Preferiria que o Fratres in unum se conservasse como espaço de sadia crítica, contestação e até oposição, mas que sejam SADIAS e não satíricas ao ponto onde já se toca a vulgaridade. Um verdadeiro hino para o ano da fé, conforme as referências da tradição, esse sim será muito bem vindo.

  27. Leitor de blogue tem mania de achar que é DONO do blogue. O leitor precisa entender que ele apenas lê, comenta se quiser, n gostou há outras opções. Agora, querer moderar o blogue com seus gostos é demais!!! Façam um blogue para vcs. Gente chata.

  28. Na minha opinião tem gente que precisa ler eclesiástico 7

  29. Boa observação Souza. Com a palavra, os amantes da paródia.

  30. Durval, os verdadeiros “amantes da paródia” são os marxistas infiltrados na Igreja (na CNBB eles grassam aos montes), eles parodiam satanás, perseguem o rebanho de Nosso Senhor e zombam da Verdade.

  31. Sinto-me ainda lisonjeado por ter publicada cá no maior e melhor informativo católico da internet brasileira minha despretensiosa paródia, feita a partir de um grande sucesso gospel-pentecostalista carismático, que foi uma maneira que encontrei em expressar minha indignação a respeito do modernismo. Tenho certeza que muitos aqui, como eu, rezam diariamente para que Deus volte seu olhar para a crassa situação da Igreja no Brasil e no mundo atual. Esta situação, além de desesperadora, não deixa de ter um lado RIDÍCULO, tragicômico, que vai desde declarações inacreditáveis de prelados que fingem erudição doutrinal às exuberantes coreografias dos altares. Não consigo crer que essa minha brincadeira tenha ofendido a Deus, mas acredito que ofendi o sisudo puritanismo de alguns. Talvez, aos estupefatos babilônios, soasse como paródia a canção entoada pelos três jovens hebreus que atiraram no fogo. Esperando que gemessem de dor e gritassem de desespero, estes cantavam alegremente. Não estou pretendendo tecer a MÍNIMA COMPARAÇÃO entre o episódio sagrado narrado por Daniel e meus arroubos parodísticos, por favor! Minha intenção foi mesmo o ridículo, e se tivesse maior talento literário, até mesmo o cômico. Tentei fazer o que disse o amigo Ferreti, buscar a descontração no meio de tantas más notícias. Pensei mesmo em pedir “perdão” aos ofendidos, mas… a internet é muito grande! Sigam o conselho do Ferreti e da Ana Maria: levem suas vidas reais usando de intensa seriedade facial para com suas famílias e os seus, e não se importem conosco, os pobres tolos que no meio da tempestade gostamos de rir de um mundo e de um clero que se transformaram na mais completa comédia. Pax.

  32. Essa musiquinha trata com muita honestidade e realismo a situação que estamos vivendo aqui no Brasil, vergonhoso não é inventar uma canção assim , vergonhoso é a gente ter que reconhecer que ela é VERDADEIRA … Uma verdadeira tragicomédia rsss !!!!!

  33. Ri litros!
    Por favor, alguém poste no youtube esta música no violão, ou em outro instrumento.
    Vai ter milhões de visitas!

  34. Irmãos,

    Vemos a cada dia um aumento considerável da parcela de Católicos que descobrem e zelam pela tradição da Igreja. Esta parcela também inclui padres mais jovens (lembremos que o padre de hoje é o Bispo de amanhã) e isto é fantástico pois, na situação em que a Igreja no Brasil se encontra, padres e fiéis redescobrirem a tradição é, sem dúvida, um verdadeiro MILAGRE.

    Essas palhaçadas que vemos na CNBB só vão acabar quando estes “bispos” forem substituídos por verdadeiros Bispos. Quando isso vai acontecer? somente quando os “bispos” morrerem, ou seja, teremos desgostos por mais uns 20 ou 30 anos no mínimo………

    mas tenhamos paciência, tudo deve acontecer no tempo de Deus.

Trackbacks