“A coragem de permanecer firme na verdade é inevitavelmente exigida àqueles que o Senhor envia como cordeiros para o meio de lobos”.

8352981507_e7b5ef8f7f_c

Voltemos aos Magos do Oriente. Eles eram também e sobretudo homens que tinham coragem; tinham a coragem e a humildade da fé. Era preciso coragem a fim de acolher o sinal da estrela como uma ordem para partir, para sair rumo ao desconhecido, ao incerto, por caminhos onde havia inúmeros perigos à espreita. Podemos imaginar que a decisão destes homens tenha provocado sarcasmo: o sarcasmo dos ditos realistas que podiam apenas zombar das fantasias destes homens. Quem partia baseado em promessas tão incertas, arriscando tudo, só podia aparecer como ridículo. Mas, para estes homens tocados interiormente por Deus, era mais importante o caminho segundo as indicações divinas do que a opinião alheia. Para eles, a busca da verdade era mais importante que a zombaria do mundo, aparentemente inteligente.

Vendo tal situação, como não pensar na missão do Bispo neste nosso tempo? A humildade da fé, do crer juntamente com a fé da Igreja de todos os tempos, há-de encontrar-se, vezes sem conta, em conflito com a inteligência dominante daqueles que se atêm àquilo que aparentemente é seguro. Quem vive e anuncia a fé da Igreja também não está, em muitos aspectos, em conformidade com as opiniões dominantes precisamente no nosso tempo. O agnosticismo, hoje largamente imperante, tem os seus dogmas e é extremamente intolerante com tudo o que o põe em questão, ou põe em questão os seus critérios. Por isso, a coragem de contradizer as orientações dominantes é hoje particularmente premente para um Bispo. Ele tem de ser valoroso; e esta valentia ou fortaleza não consiste em ferir com violência, na agressividade, mas em deixar-se ferir e fazer frente aos critérios das opiniões dominantes. A coragem de permanecer firme na verdade é inevitavelmente exigida àqueles que o Senhor envia como cordeiros para o meio de lobos. «Aquele que teme o Senhor nada temerá», diz Ben Sirá (34, 14). O temor de Deus liberta do medo dos homens; faz-nos livres!

Do sermão do Santo Padre, o Papa Bento XVI, na Santa Missa da Solenidade da Epifania em que sagrou 4 novos bispos, dentre eles o seu secretário pessoal, Dom Georg Gaesnwein – 6 de janeiro de 2013.

Tags:

6 Comentários to ““A coragem de permanecer firme na verdade é inevitavelmente exigida àqueles que o Senhor envia como cordeiros para o meio de lobos”.”

  1. Hum… esta tradução é confiável?

  2. Muito estimados FRATRES;
    Um Ano Novo repleto das Alegrias e da Paz emanadas do Divino Salvador nascido no Presépio e adorado pelos santos pastores e pelos santos Reis Magos do Oriente a todos os FRATRES bem como às suas Famílias!
    Que a Santíssima Virgem e São José sejam o amparo, a proteção e a força de nossas vidas e que os Santos Anjos de Deus possam nos guardar, especialmente nestes tempos de tamanha confusão!
    Viva Cristo Rei!
    Quanto ao sermão, digo homilia papal, não querendo ser desagradável, preferiria que ao invés de belas e sábias palavras, o Santo Padre agisse com firmeza, justamente contra os lobos.
    Menos discursos, mais ação!
    E, cá entre nós, estes novos Pastores devem estar atentos, pois, muitíssimas “ovelhas” na verdade são lobos vorazes…
    Pior, em sua grande maioria, muitos “pastores” não passam de lobos, ainda que em pele de ovelha, ou pior ainda, enquanto “cochilam”, choramingam, fazem discursos bonitos, deixam os lobos atacarem e dispersar o rebanho…
    Mais trágico ainda, ao que tudo indica, há lobos ferozes nos mais altos postos da igreja (conciliar – evidenetemente), inclusive no posto de “vigia” do “alimento doutrinal” das ovelhas… E estes, nem mais se dão ao luxo de usar a pele de ovelhas… Mostram-se lobos, vorazes, ferozes e insidiosos…
    Portanto, menos discursos e mais ação!
    Afinal, de boas intenções o inferno está cheio…
    Ah, esqueci, o inferno não existe. “Doutrina” ensinada por um dos “pastores” (auuuuuuuuuu), membro da CNB do B.
    Diante de tudo isso, será que vale mais um discursinho aí?
    Hummm, sei não…
    Boa semana e bom início de ano a todos!
    Felipe Leão.

  3. “Discursinho”? Agora, a homília de Natal do Sumo Pontífice é discursinho? Mais respeito ao Santo Padre, minha gente, por favor.

  4. Realmente uma bela homilia. Para lembrar: durante a Missa da epifania, monsenhor George Ganswein (secretario pessoal de sua Santidade) e outros três foram sagrados bispos. Mons. Ganswein já eteve muitas vezes presente no Fratres e uma delas aqui: https://fratresinunum.com/2009/02/13/mons-georg-ganswein-ex-seminaristas-de-econe/