Muçulmanos suspeitos de “patrulha religiosa” detidos em Londres.

Polícia britânica prendeu hoje um quinto muçulmano suspeito de fazer “patrulha religiosa” com objetivo de implantar a sharia, conjunto de leis islâmicas, na capital do Reino Unido.

Por Expresso – Cinco muçulmanos estão detidos em Londres, suspeitos de realizarem perseguições nas ruas de Londres e recriminarem as pessoas por serem gays, estarem a consumir bebidas alcóolicas ou usarem minissaias. O quinto suspeito foi preso hoje, pela Scotland Yard.

O grupo, que se descrevia como uma espécie de “patrulha religiosa”, advertia as vítimas de que o seu comportamento não era aceitável em áreas do leste de Londres, onde reside um grande número de muçulmanos.

As ações eram filmadas e colocadas na Internet.

Recorde-se que em 2011, de acordo com o blogue belga Talpa Brusseliensis Christiana, o grupo islâmico “A Call to Islam” pretendia estabelecer, na capital da Dinamarca, zonas controladas pela sharia.

“Liderados pelo imã Abu Ahmed, que possui ligações com atividades terroristas, um grupo de 50 integrantes patrulha os bairros de Copenhaga para repreender os muçulmanos que estiverem a jogar ou a beber. A punição para o consumo de bebidas alcoólicas, segundo a lei islâmica, é de 40 chicotadas”, dizia o texto escrito no blogue em 25/10/2011.

Também em Londres, os líderes muçulmanos querem implantar essas áreas controladas pela sharia, alegando que a sociedade britânica está “destruída por drogas, crime e prostituição”.

Créditos ao leitor Lopez.

Tags:

26 Comentários to “Muçulmanos suspeitos de “patrulha religiosa” detidos em Londres.”

  1. Muitos tradicionalista católicos brasileiros bem que gostariam de fazer esse tipo de coisa por aqui.

  2. Islã: religião do amor que pede a igualdade onde é minoria para ser a tirana supremacista onde passar a ser maioria.

  3. Beeeeeeeeem feito, Europa. Chupem a manga que vcs compraram. O multiculturalismo ateu dos burocratas europeus agora cobra o preço pela tolerância para com os que só odeiam e ódio para com a doutrina do amor. Pisaram no cristianismo e abriram as pernas para o horror islâmico. Tomara que esses infelizes façam lembrar do erro profundo que foi abrir as portas da Europa para a súcia infiel.

  4. Curioso é notar que o papel da Rússia na questão desconstrutivista pó-moderna ( Foucalut, Derrida).
    Se o politicamente correto ainda norteia o Ocidente nas 3 questões fracturantes como o homossexualismo político, o feminismo e o multiculturalismo, a Rússia opta com uma posição diamentralmente oposta. Será que o mudança no Ocidente virá da Rússia?

    http://www.lefigaro.fr/international/2013/01/25/01003-20130125ARTFIG00588-moscou-en-croisade-contre-l-homosexualite.php

  5. Manda esses idiotas patrulharem as praias de Ipanema e Copacabana no Rio. kkkkkkkkkkkkk

  6. Pobre Europa, preciso conhecê-la o quanto antes.

    A mulher ocidental e que se diz cristã, não querendo ter filhos, as mulçumanas gerando enorme prole, daqui uns 20 anos a situação estará brava.
    Pelo jeito daqui uns anos, vão querer derrubar todas as Igrejas na “Muslin area”.

    Nada mais que o fruto e triunfo do multiculturalismo e do politicamente correto.

  7. Caramba! Bem que o Jean Willys e aquele “reverendo” que bravou no Congresso sobre pegar em armas contra cristãos poderiam dirigir seus instintos revolucionários para seus parceiros políticos nesta cruzada autoritária: Irã e Al Qaeda… Como eu gostaria de ver o “setor LGBT do PT”, mais precisamente o senhor Carlos Alves e o Jean Willys encarando o Irã, cujo líder é o parceiro internacional de Lula, Dilma e do Foro de São Paulo para a implantação da JUSTIÇA SOCIAL E DOS DIREITOS HUMANOS NO MUNDO…
    Esses militantes LGBTs não fazem idéia do “mico” que estão se expondo e que vai lhes custar muito caro no futuro, Seus inimigos não são os cristãos, são seus aliados hoje. Rezemos com piedade por suas conversões.

  8. Eles já propõem estabelecer zonas controladas pela “sharia’ NO OCIDENTE! E os cristãos não enxergam que chegou a hora de passar por cima de diferenças de credo a fim de defender a herança judaico-cristã que nos une a todos, católicos, protestantes, evangélicos e judeus. Não se trata de ecumenismo e sim, de autodefesa. Os cristãos bizantinos dominavam vasta região. Os mulsumanos foram chegando, chegando, aumentando sua prole, ocupando o império, e os cristãos acabaram expulsos. Estou errada?

  9. É a segunda vez que erro a grafia: escrevi “mulsumano” em vez de “muçulmano”… Corrija-se.

  10. Léa, vc está errada sim!

    ***************************************

    O dia que os Católicos passarem por cima do Credo e se juntarem com a escória para se defender da outra parte da escória, que Deus os aniquile sem dó e sem piedade. Nós, Católicos, temos uma passado de luta limpa em defesa da Fé.

    SE Santo Atanásio, Crisóstomo, Agostinho e outros tivessem passado por cima do credo e se juntassem com a escória ariana, as portas do inferno teriam prevalecido. Se n prevaleceu naquela época pq HOJE vamos ceder? Geração fraca, frouxa. Que vergonha!

    Vamos agora cuspir no sangue dos mártires, passar por cima do nosso passado honrado afim de defender uma herança que nossos inimigos NUNCA aceitaram?

  11. Ah, Ana Maria, de jeito nenhum falei em passar em cima do Credo (com maiúscula, como você grafou) nem em renegar o que quer que seja da fé de cada um. O que disse é que precisamos TODOS (juntos ou separados – mas por que não juntar esforços?) defender o que está sendo atacado AGORA, bem na nossa cara, e que nos envolve a todos. Um exemplo. Olhe no mapa, geografia revela muita coisa. Israel está sendo cercado por todos os lados, esta Primavera Árabe mais parece a marcha dos sonhos da Irmandade Muçulmana em direção a “jogar os judeus no mar” (o que sempre quiseram). E líderes católicos e protestantes ( inclusive na sua “amada” CN) passam a vida a denunciar os judeus como genocidas e mostrar os palestinos como uns coitadinhos… Isso corresponde à verdade? Assim, jogados os judeus no mar, não haverá cristão comemorando o “castigo” dado ao “inimigo”? (A cegueira não tem limite. Nenhum cristão é perseguido pelos israelenses. Chacinas de cristãos acontecem no mundo islâmico todo dia… Mas é o judeu que é inimigo…) Depois de Israel fora do mapa, do lado oriental, estão os países cristãos ortodoxos (a Rússia ali pertinho é aliada dos árabes), e, do lado ocidental, Espanha, Portugal, Itália… A estratégia parece limpidamente armada. No tempo de Atanásio, Crisóstomo e Agostinho, as peças desse xadrez estavam no tabuleiro? Você vai me dizer novamente que “misturo muito as coisas”… Mas será que, de fato, a realidade aí na nossa cara não está a exigir que nos juntemos na defesa do que nos é comum? Eles (e não só eles) já escolheram o inimigo: o judaico-cristão. É guerra, moça. Você acha que não? “Um reino dividido é um reino morto”…

  12. Completando o comentário acima;
    Ana Maria, escrevi “passar por cima das diferenças de credo” pensando não no carro que atropela (e “passa por cima” da vítima). Olhe o contexto da frase. Faz referência à situação do ataque avassalador que a civilização judaico-cristã está sofrendo. Diante disso, não seria preciso PASSAR POR CIMA (dar menos importância) às diferenças que separam católicos, protestantes, judeus pela necessidade de defender um patrimônio que nos é comum? Isso é complicado e difícil. Mas não tentar é suicídio, que é um grande pecado, segundo nos ensina a Igreja.

  13. Ah, Ana Maria, de jeito nenhum falei em passar em cima do Credo (com maiúscula, como você grafou) nem em renegar o que quer que seja da fé de cada um.
    Aí que tá, Fora da Igreja N Há Salvação, somos a única e verdadeira Igreja. N há a possibilidade de Católicos se juntarem com hereges apóstatas, pagões e afins, isso é ideia do CVII e de alguns que se dizem Católicos mas são caóticos, relativistas e modernistas. a zoropa está em perigos? Ela que se converta e volte ao seu Deus.

    A primavera árabe n é boa? Nossa! avisa para o papa, ele a elogiou há alguns meses. E JPII pediu a São João Batista que protegesse o islã. E agora? Que tal colocar no grupo os bons muçulmanos? Pq eles existem já que há em outros credos os bons, pq neste n haveria, n é mesmo?

    A geografia é linda, mas que tal um pouco de História da Igreja? Pq será que na Batalha de Lepanto o papa Pio V n teve ideia de se juntar com nossos inimigos? E os Cristeros? Pra quê lutaram sozinhos? E as Cruzadas? E o Garcia Moreno? Tb deveria ter pedido ajuda aos inimigos?

    Desde 1789 existe uma ideia nefasta que teve seu auge com a carta branca que foi o cvII. E o objetivo foi e conseguiram esvaziar a Fé de muitos Católicos. Até de católicos bem intencionados, pretensamente cultos que querem misturar assuntos para demonstrar sabedoria e superioridade intelectual, porém, a questão de Fé n depende de grafia e intelectualismo, mas depende do conhecimento da Doutrina da Igreja e que Fora Da Qual NÃO Há Salvação.

    O tabuleiro é um só. E hoje, vivemos um tempo em que alguns que se dizem Católicos cospem na Doutrina, no sangue mártires e em Deus! N é à toa que está escrito: “O Filho do Homem, quando vier, será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?”

    Complicado e difícil é para quem n conhece a Verdade. E está escrito: Conhecereis a verdade e a verdade vós libertará.
    E esta verdade n é a acadêmica ( Pedro, a Pedra era analfabeto e Jesus nasceu numa manjedoura!!) e mecânica, usada para esnobar como faziam os fariseus, pq quanto a isso está escrito: A letra mata!

    Sempre haverá Católicos dispostos a dois grito:

    QUE VIVA CRISTO REI!

    DEUS NÃO MORRE!

  14. Ana Maria:
    Vamos por partes como você gosta de fazer, às vezes um tanto imprudentemente: isolando a frase que analisa do todo em que se insere, arrisca-se a deturpar seu sentido.

    * Católicos, protestantes, evangélicos, judeus não têm como se juntar? Mas não foi isso que aconteceu nas duas grandes manifestações de Paris e Washington, bastante elogiadas neste site, que nada tem de modernista?

    *Sim, Bento XVI elogiou a Primavera Árabe, muitos outros também, na medida em que parecia fruto dos protestos populares contra velhos ditadores. Outros, porém – aqui no Brasil, principalmente Olavo de Carvalho, Reinaldo Azevedo e Diogo Mainardi, pelo que sei -, vêm alertando para o engano dessa percepção. Escutando-os em vídeos ou lendo-os, achei que estavam certos. João Paulo rezou pelo Islã? Não foi Cristo que mandou rezar pelos inimigos? Nas cerimônias da Sexta-Feira Santa não se reza por eles? Por outro lado, há que se diferenciar o Islã religioso, que afirma o Deus Único (tal como os judeus), do Islã político, financiador de terrorismos, decidido a destruir a civilização ocidental, judaico-cristã. E você viu, nas duas manifestações citadas, houve presença de muçulmanos.

    * Você tem inteira razão, precisamos estudar a história da Igreja. Como já lhe expliquei, meu retorno ao catolicismo é recente, ainda estou engatinhando. Imagino que, por isso, você poderá dizer que não tenho base para discutir os assuntos em que me meto aqui. Outra vez, teria razão. Mas sabe por que entro? Talvez seja presunção, complexo de Santa Catarina de Siena (rs, rs, rs – como grafa a meninada na internet), mas acho que o diálogo de minha experiência religiosa com tradicionalistas poderia ser valioso. Com essa pretensão, venho quebrando bastante a minha cara já que os grupos de tradicionais e conservadores que conheci, todos, quando me interessei em me expor, trataram logo de me pôr pra escanteio.

    *Ao criticar os católicos “pretensamente cultos que querem misturar assuntos para demonstrar sabedoria e superioridade intelectual”, deve estar me incluindo, pois em outros comentários já me atribuiu parte dessa adjetivação depreciativa. Mas lhe pergunto: se questões de fé não dependem de intelectualismo, como você afirma, acaso dependerão de anti-intelectualismo? Aqui, no entanto, não seria bom lembrar que São Tomás de Aquino e outros doutores da Igreja pretenderam, com seus estudos, conciliar fé e intelecto (que não é “intelectualismo”, é claro)?

    * Voltando ao seu comentário anterior. Sua menção a “Santo Atanásio, Crisóstomo e Agostinho” é providencial neste contexto de discussão sobre a aproximação entre cristãos e entre estes e os não-cristãos. Você, que conhece bem os três doutores, deve ter perfeita consciência de que, em seus escritos, há referências elogiosas a autores pagãos, de cujas doutrinas Santo Agostinho muito extraiu. Se esses santos encontraram coisas positivas em pagãos, por que nós, pobres pecadores, estamos proibidos de nos juntar com aqueles que, em muitos pontos, comungam conosco da mesma fé?

  15. Léa Nilse Mesquita
    28 janeiro, 2013 às 10:07 pm

    Ana Maria:
    Vamos por partes como você gosta de fazer, às vezes um tanto imprudentemente: isolando a frase que analisa do todo em que se insere, arrisca-se a deturpar seu sentido.
    Acusação infame! JAMAIS fui desonesta em qualquer debate ou conversa isolando frases e deturpando o que quer que seja! Tenho condições de responder seu comentário inteiro, mas vc é o clássico caso modernista, pensa e acha que a Igreja tem se adequar a vc e seu raso raciocínio que diz que engatinha. N, vc n engatinha. Vc desfila arrogantemente seu modernismo, já é um copo cheio.
    E agora vc vai dizer que deturpei de novo seu sentido. Ora, n sou psiquiatra. Passar bem!

  16. Ana Maria:
    De novo, você me acusa de uma coisa que não fiz. Jamais a chamei de desonesta. Ao alertar sobre o fato de que isolar frases do todo em que se inserem é arriscar-se a deturpar seu sentido, tinha em vista apenas chamar sua atenção para um hábito perigoso de quem discute ou escreve e que ocorre com freqüência, independentemente da intenção, boa ou má, de quem o pratica. Lembre que, em quase todas as respostas que lhe dei aqui no Fratres, tive de voltar a pontos do meu comentário anterior porque o que você leu neles não era o que eu tinha escrito. O educador Cláudio de Moura Castro, segundo Olavo de Carvalho, adverte que “no Brasil ninguém lê o que os autores escrevem: lê o que imagina que eles pensaram, o que gostaria que eles tivessem pensado, seja para aplaudi-los, seja para depreciá-los.” Essa constatação não explica o último lugar que nossos estudantes ocupam no mundo nas provas de compreensão de texto? E diante dela, TODOS que fomos educados no Brasil não precisamos cuidar para não cair nesse erro?

    Recebo o resto de sua mensagem com profunda tristeza. Repete todos os episódios que vivi com os nossos tradicionalistas. Acolhem bem o novato que deles se aproxima só enquanto na expectativa de sua adesão incondicional a seu catecismo. Vêm mal (e com malícia) dúvidas ou pedidos de esclarecimento, que acusam de tudo, desqualificam em tudo. Como ficam com o Mestre Divino que respondeu até à má fé farisaica?

    Será que para os demais participantes desse site, que porventura tenham lido o que aqui postei, padeço das mesmas (des)qualificações que você me lança? Se assim for, só me resta “passar bem” fora daqui.

  17. Ei, meninas, calma! Sem querer me intrometer e já me intrometendo, gostaria de conversar com vocês.
    Primeiramente dizer que fico muito feliz, muito mesmo, de encontrar mulheres como eu que estão movidas pelo bem de Nossa amada Santa Madre Igreja e pela defesa da família natural. No entanto, não podemos negligenciar que estamos sim num combate espiritual. Então, não podemos nos esquecer dos pilares fundamentais FÉ, ESPERANÇA E CARIDADE. A atomização que nos encontramos, em virtude das inúmeras ações do projeto hegemônico globalista e anti-cristão é de tal ordem, que simplesmente católicos estão longe de católicos, contra católicos, numa névoa de dúvidas e desconfianças muito sombria. São tempos de heresias, traições e profunda ignorância, a grande apostasia nos surpreende, sem dúvida, com suas mazelas e grandes tribulações.
    Como vocês, sou aluna do Olavo e estou estudando a consagração à Nossa Senhora pelo Método de São Luís Maria Monfort. Por que conto isso? Por que precisamos de muita direção espiritual para buscar o caminho desta resistência, que urge nascer no Brasil de forma mais contundente, digamos… O Projeto de destruição da civilização ocidental já está em suas últimas etapas e no Brasil a artilharia pela destruição das famílias e da Vida iniciou 2013 com força total. Vejam por exemplo a cartilha para administração de abortivo que o Ministério da Saúde iniciou sua distribuição, em parceira, dentro da Fiocruz, com a Fundação Gates e Rockeller…

    Então, minhas irmães, precisamos unir mulheres vigorosas intelectualmete e fiéis à Santa Madre Igreja em todo o país. E não podemos nos esquecer da Fé, Esperança e Caridade, ok!

    Parabéns pelo nível do debate!
    Salve Maria!

  18. Sinta-se bem-vinda a Igreja , Léa.Há espaço para todos; todos foram igualmente chamados pelo Mestre.Desde o mais simples, até o mais culto, todas as posições sociais e culturais, homens, mulheres, crianças, jovens e idosos. Cada um tem o que oferecer, com que contribuir, do seu jeito, dentro das suas possibilidades.Igreja não é panela, confraria, grupinhos. Não pertence à ninguém, Ela se originou e se sustenta por causa e através Dele. É um Corpo pulsante e não uma conceito paralisado no espaço . Sinta-se a vontade, também, para perguntar, questionar, expor dúvidas.A Fé verdadeira não as teme.Santos o fizeram e às vezes foram exatamente as suas dúvidas e questionamentos que os impulsionaram para o Alto. Que Deus ilumine o teu caminho e a proteja de todo mal. Abraço fraterno.

  19. Nana e Marta,
    Fiquei muito feliz com as suas palavras, refletidas e sábias. E nelas vejo também a qualidade que Olavo identifica em seu próprio texto, e que aprecio tanto, a mistura de análises elaboradas com sutileza e efusões de uma alma humana que não trata ninguém impessoalmente.
    Tenho feito confissões aqui. Faço mais uma para mostrar os estranhos caminhos do Senhor e como o pecador os encontra mediante um chamado até fora da normalidade. Eu estava fora da Igreja há décadas. Num momento, entrei em trevas profundas, hora em que caiu em minhas mãos um livro de Santa Teresa de Ávila. Sem saber nada disso, a ex-mulher de meu tio me chamou para fazer um curso dos Arautos do Evangelho. O assunto, veja só, Nana, era o Tratado da Verdadeira Devoção a Nossa Senhora. Na conclusão do curso, haveria a consagração. Nesta hora, procurei o Diretor Espiritual e lhe expliquei os meus motivos para não fazer a consagração, os quais não vou expor aqui. Conversamos horas. O tempo todo ele tentou me convencer de meu erro, eu estava ignorando a amplidão do Coração Imaculado de Maria, aberto a todos os filhos. Eu fora chamada, se escutara o convite, devia aceitá-lo obedientemente. No futuro, ele completou, eu veria o milagre que Nossa Senhora realizaria em minha vida, de acordo com sua promessa a seus devotos. Achei tudo uma loucura, mas fiz a consagração. Em suma, pode ser até sacrílego eu dizer isto, que os realistas das coisas só visíveis poderiam considerar uma piada, mas hoje eu canto com nossa Mãe “O Senhor fez em mim maravilhas, / Santo é seu Nome!”
    Marta, assino embaixo de tudo que você escreveu, de forma tão bonita e rneditada. Para ficar na questão levantada, estou certa de que a barca de Pedro é para Anas, Léas e muito mais. E ela existe para nos levar a pescar em águas profundas. Acho que foi Chesterton que disse: a heresia é heresia pelo propósito de reduzir as dimensões da Igreja.
    Enfim, agradeço às duas a acolhida. Rezem por mim.

  20. Calma, gente!

    Nós aqui já aguentamos a patrulha protestante, maçônica-liberal ou marxista nos locais de trabalho, em vias públicas e nas escolas: ser católico é ser fanático, idólatra, satanista (para esses ignorantes, claro, que nos acusam daquilo que eles são).

    A patrulha muçulmana já deve estar acontecendo em São Paulo ou Foz do Iguaçu… Chegaremos a tal ponto também!

    Nenhum desses grupos quer saber de “diálogo, coexistência pacífica, ecumenismo, diálogo inter-religioso, pluralidade, respeito pela alteridade, liberdade religiosa, cultura católica ocidental (judaísmo é talmudismo, nada a ver com Antigo Testamento, que eles solenemente ignoram, por isso não se deve falar ‘judaico-cristão’ )”. Eles são supremacistas! Isso ainda chegará aqui!

  21. Nana, seria interessante unir força feminina em prol da modéstia, submissão e amor à Igreja, mas têm muitas que precisam de desintoxicação modernista antes! :) Queria te indicar um livro lindo chamado Elas na Bíblia, mães e esposas do Antigo Testamento, do padre Geraldo Pires de Souza.
    Dá uma vergonha das mulheres de hoje pensarem em se unir com inimigos.

    **********************************

    Mulheres, Jesus n veio para todos:

    Eu vim não para ser servido, mas para servir e dar a vida por resgate de muitos (Mc 10,45)

    …. muitos serão chamados e poucos os escolhidos. Mateus 22.

    Ao assimiliar a ideia de abertura da Igreja e que tudo pode, basta o coração e amorrrrrr, descerá ao mais abaixo nível quem quer que seja e cuspirá nos sangue dos mártires. Aliás, faz tempo que pra muita gente o sangue dos mártires deixou de ser semente de novos Cristãos. Ah, e a palavra Cristão QUERIA dizer Católico; hoje quer dizer catogélico ou mesmo só herege protesta.

    A Igreja é a mesma de sempre, os ‘católicos’ que querem mudar isso se unindo com inimigos para se defender de inimigos. ‘Algo nunca visto antes na história dessa Igreja, cunpaneras’!

  22. Marta:
    Ao seu convite de “sinta-se à vontade, também, para perguntar, questionar, expor dúvidas”, postei aqui uma pergunta pedindo esclarecimento sobre uma frase que aqui vejo muito repetida e me custa acreditar. Essa pergunta não foi publicada talvez porque G.M. Ferretti tenha visto, prudentemente, que era mexer num vespeiro. Então, responda-me: você tem algum blog, site, endereço virtual ao qual possa me dirigir? Abraços

  23. Ana Maria, muitíssimo obrigado pela preciosa indicação do livro, perfeito para mim! Amei!!! De verdade! Compreendo, concordo, também me preocupo sobremaneira a respeito desta crise sangrenta por qual passa a Santa Madre Igreja. São tempos dificílimos, de trevas mesmo. Urge estudarmos os santos doutores, inclusive aqueles que defenderam a Fé. A destruição dos valores e solapagem sistemática da Moral filosófica e da Metafísica, criou um estado de confusão aterrador, somado ao fato de que nossa geração foi afastada do Magistério Apostólico… Hoje não temos cultura, nossas mentes estão sim impregnadas pelo modernismo, pela ideologia cientificista moderna, pela ideologia de gênero, pelo feminismo, pelo consumismo, pela ânsia de status e poder – social, político, cultural, etc, etc, etc…

    Por isso, comentei sobre o Tratado de São Luís Maria, de Total Consagração à Maria. Precisamos da ajuda de Nossa Mãezinha, Mãe de Nosso Senhor Jesus, para moldar nossos corações e mentes ao desejo do Pai, nos limpar de todas as impurezas e ideologias que nos envenenaram, refazer nossa mentalidade, amolecer nosso coração altivo e endurecido envenenado por esta época da soberba e do egoísmo disseminado pelos meios de comunicação e pelos agentes da cultura da morte.
    Então, fica aqui registrado meu sincero agradecimento! Beijo grande, Salve Maria! Adriana.

  24. Léa querida, que alegria saber que o Tratado já chegou às suas mãos por Maria! Você sabe que Ela chama, comigo também foi assim. Aliás, está sendo assim: Na semana passada, Nossa Mãezinha trouxe-me a tarefa de ajudar na divulgação do Tratado em minha cidade – quando eu o lí, há três anos, rezei muito para Ela me abençoar com a oportunidade de ajudar a espalhar o Tratado… E na semana passada, viví uma graça maravilhosa, já conto aqui para você, em primeira mão, que o Rio de Janeiro conhecerá o Tratado de São Luís Monfort, sim, e traremos o Consagra-te para cá. Nós, não, Maria! Rssrs!
    Quanto ao período de trevas que comentou, garanto que sou expert. Também fui resgata por Ela desta cultura negra, deste caldo modernista. Hoje, sou uma mulher moderna, lutando para deixar de lado e abandonar todas as ideologias que só ficaram mal a mim, à minha família e aos outros, inclusive. Não é fácil, é um enorme combate espiritual, mas que vale muito à pena encarar!
    Sobre as questões políticas que deram início ao debate com a Ana Maria, uma católica cheia de fé e amor à Santa Madre, afirmo que as duas têm razão!!!! No entanto, aqui não há espaço para esse complexo debate. Na verdade, você Léa, estava exortando a formação de uma frente conservadora cristã, em defesa dos valores cristãos e da civilização ocidental. Aproveito para indicar uma associação espanhola muito interessante: E-Cristians.
    É fundamental o surgimento de uma frente de ação contundente no âmbito político, sim!
    Porém, o cuidado com a penetração herética dentro da Santa Madre, que já está sangrando em virtude de tantas infiltrações, é questão de suma importância e compromisso seríssimo. A Tradição, Dogmas e o Magistério Apostólico devem ser preservados com todos os cuidados e certos valores são e devem ser inegociáveis, como a família, a Vida e a Liturgia.

    Para as duas meninas (rsrs!), deixo meu email com carinho:
    nana7893-nana@yahoo.com.br,

    Salve Maria!
    Adriana.

  25. Adriana,
    Lendo sua mensagem, devia enfiar minha cara no chão. Nossa Senhora abriu sua casa para mim, e sou a própria “serva inútil”. A nossa alma gosta de achar “desculpas” para os trancos e barrancos em que nos vemos sem ação. Gosto muito de poesia. Jorge Manrique, um poeta medieval espantoso, tem uns versos que me vêm no que sinto: “No mirando nuestro daño,/ corremos a rienda suelta / sin parar; / desque vemos el engaño / y queremos dar la buelta, / no ay lugar.” Relendo esses versos agora, meus olhos se enchem de lágrimas – por tantas vidas que vi se aventurarem e serem rechaçadas na volta?; por meu próprio caso? O mundo, mesmo o católico, dificilmente é acolhedor. Esta é a minha ‘desculpa” para o meu quase nada fazer? Fui muito longe na aventura fora da Igreja, talvez só mesmo a Divina Misericórdia, refletida tão plenamente no Coração Imaculado de nossa Mãe, tenha lugar para mim. E independentemente de onde tenha ido, o negócio é que moro numa cidade dominada pela TL, quando abro minha boca em qualquer paróquia, as lideranças me riscam logo do mapa, ignorando que jamais pretendi participar de nenhuma “pastoral”. Tenho uma irmã que é uma das lideranças mais influentes na paróquia. Como ela sabe que gosto de escrever, me chama para ajudá-la a redigir textos de cerimônias em duas festas da “comunidade”. Somos irmãs, e você nem imagina a luta e censura a cada passo do que sugiro e escrevo, tudo porque “eles não vão aceitar”. E diante da acolhida admirada de minhas palavras entre os paroquianos comuns, a chefia dos líderes já me chamou pessoalmente, me acusando de “querer dividir a paróquia”, de ‘seduzir com poesia fora do chão”. É isso aí, que não é nada diante dos testemunhos que aqui lemos. E eu creio que não é só “apostasia” (que seria abandono da fé por quem um dia a teve). A Igreja está sendo é usada por quem nela vê o espaço ideal para a vitória de suas ideologias, muitas contrárias ao que Jesus ensinou. É o Anti-Cristo mesmo que entrou na Igreja, acenando suas bandeiras no próprio altar. É a “grande abominação”. Por isso, me dói tanto ver homens e mulheres de Deus excluindo-se mutuamente, conforme tantos aqui já comentaram. Não acho que é por ser “modernista” que vim neste site chamar a atenção para a necessidade de nos unirmos. Por exemplo, ouçamos Jesus no evangelho que ontem foi proclamado. O que deve significar para nós quando o Senhor fala do envio de Elias à viúva que vivia em Serepta ou de Eliseu curando o sírio? E as palavras de Pedro, o que representam para nós hoje?: “Em verdade, conheço que Deus não faz distinção de pessoa, mas em toda nação lhe é agradável aquele que o temer e fizer o que é justo.” Falamos tanto em vitória do Coração Imaculado de Maria, mas como ele vai vencer se ninguém se fizer o que ele é: compassivo, acolhedor, capaz de meditar as palavras de Deus em si, compreendendo que elas são sabodoria que, no dizer de Olavo de Carvalho, não consiste em “verdades gerais cristalizadas”, “fórmulas doutrinais repetíveis”, e sim, em “apreensão do sentido universal das situações particulares, únicas e concretas vividas pelos seres humanos reais.”

    Virgem Maria, sede da sabedoria, rogai por nós!

  26. Confraria São João Batista:

    Alguns de seus comentários no Fratres me pareceram tão interessantes que fui ao Google pesquisar um possível site de vocês. Encontrando-o, vou lendo o que escrevem como posso. Fiquei impressionada com a juventude de seu responsável, que me deixa bem “velhinha”. Como tal, me permita chamar sua atenção sobre uma afirmação sua no seu último comentário aí acima: “judaísmo é talmudismo, nada tem a ver com Antigo Testamento, que eles solenemente ignoram…” Que é isso, menino? Você nunca ouviu falar na Torá? Pesquise aí na internet e verá quão presente está na vida do judeu religioso (que nem todo judeu é). Você pode perfeitamente discordar da defesa que fiz da necessidade de juntar as várias vertentes cristãs e judaicas na luta pela causa comum da nossa civilização judaico-cristã, combatida e perseguida por todo lado. Mas, para isso, precisa usar argumento que não corresponde à realidade? O Deus de Abraão, Isaac, Jacó e de Jesus Cristo nos livre desse mal.