As últimas cerimônias de Bento XVI.

Por Fratres in Unum.com – Amanhã, às 17 horas de Roma, Bento XVI celebra a missa de quarta-feira de cinzas na Basílica de São Pedro.

Em 29 de abril de 2009, Bento XVI visitou o túmulo do Papa São Celestino, que renunciou ao papado em 1294, após reinar por menos de 6 meses. O túmulo está L'Aquila, que fora devastada por um terremoto naquele ano. Durante a sua visita, Bento XVI deixou o seu pálio sobre os restos mortais do santo.Espera-se enorme multidão de fiéis, já que se trata da última celebração litúrgica do Sumo Pontífice.

O encontro anual com o clero de Roma, no dia 14, será realizado normalmente na Sala Paulo VI e abordará, a pedido dos padres, o tema do Concílio Vaticano II.

A última audiência geral do Papa Bento XVI ocorrerá no dia 27, na Praça de São Pedro.

Em 29 de abril de 2009, Bento XVI visitou o túmulo do Papa São Celestino, que renunciou ao papado em 1294, após reinar por menos de 6 meses. O túmulo está L’Aquila, que fora devastada por um terremoto naquele ano. Durante a sua visita, Bento XVI deixou o seu pálio sobre os restos mortais do santo (foto).

9 Comentários to “As últimas cerimônias de Bento XVI.”

  1. Tenho grandes esperanças de que o card. Scola será eleito Papa. Não será, acredito, muito diferente de Bento XVI, o que já é ótimo. Não espero por um Papa da tradição pois sei que com o atual colégio cardinalício, cheio de raposas, já será uma vitória que um moderado como Scola seja eleito. Não obstante isso (e acho difícil que o card. Scola o faça) depois desse “gran rifiuto” de Bento XVI, o próximo Papa deveria reafirmar a sua autoridade e posição. Não falo agora como tradicionalista, mas como analista frio. O Papa deveria se chamar Pio, ser coroado com a Tiara e sentar-se novamente na sedia gestatoria. Repito, antes eu desejava isso por amor à Tradição, mas agora acho que isso é necessário para o futuro da Igreja. Estou me sentindo perdido e, pelo que estou lendo pela internet, muitos estão assim. Precisamos do papado de volta, precisamos de um norte, de uma autoridade. Chegamos ao fundo do poço e continuamos cavando. Pode ser a última chance…

  2. Dos cardeais que votam no conclave, creio que o único que ‘aceitaria’ ser coroado seria O Card. Ranjith! A sedia realmebte acho desnecessária, mas a coroa e o nome, não faria mal nenhum!

  3. Rafael, estamos sem norte desde o malfadado concílio. Logo, não se crie tantas esperanças.

  4. Belas palavras, Rafael! – 12 fevereiro, 2013 às 4:10 pm

  5. Eu nem sei o que eu estou sentindo. Me encontro em clima de sexta-feira da Paixão…ou pior, estou me sentindo como os Discipulos de Emaús confessando ao próprio Jesus sua tremenda frustração: “Nós esperávamos que fosse ele quem havia de restaurar Israel, e agora, além de tudo isso, já é o terceiro dia que estas coisas aconteceram”.
    Eu vi com grande esperança a eleição de Ratzinger porque desde o início ele mostrou que estava muito longe de ser um “rock star”, porque como o proprio Boff falou e sentiu na pele, ele tratou esses hereges com pulso firme e como os próprios tradicionalistas da SSPX reconhecem: “o Santo Padre teve a coragem de recordar o fato de que a Missa Tradicional nunca fora abrogada, e de suprimir os efeitos das sanções canônicas que foram impostas aos seus bispos após a sagração de 1988”.
    Eu rezei muito pra que ele tivesse um longo Pontificado, que morresse velhinho pra ver o triunfo do Coração Imaculado e a restauraçao da Igreja que eu sei que era seu desejo ardente. Mas agora essa renuncia me tirou do eixo. Estou triste, frustrada e apreensiva.
    Temos que ser realistas, o que vem pela frente só Deus sabe e só Nele podemos esperar. Só o fato dos inimigos da Igreja estarem comemorando, é motivo mais que justificado pra que fiquemos apreensivos.

  6. Sensação de perda e confusão. É o que sinto com a renúncia de Bento XVI. Espero acatar com obediência filial e, um dia, entender melhor o motivo da renúncia. Espero não presenciar mais em minha vida a renúncia de um papa…

  7. Caríssimos,

    Louvado Seja Nosso Senhor Jesus cristo.

    Desde que eu soube da renúncia de Bento XVI, tenho me sentido um bipolar.

    Há momentos em que sinto que uma crise gigantesca se avizinha, na qual tudo o que já vimos (e olhe que foi muita coisa!) parecerá uma brisa suave.

    Porém, há momentos em que, confiando em Deus, perebo que há sim motivos para esperanças.

    Afinal (pelo que eu me recorde) a última vez que um Papa abalou o mundo com um discurso foi há mais de cinquenta anos. O Papa era João XXIII, que então anunciava a convocação de um certo concílio, inaugurando a era de crises sem fim na Igreja.

    Agora, Bento XVI volta a surpreender o mundo, anunciando sua renúncia e apressando a era dos Papas conciliares.

    Nosso próximo pontífice será o primeiro, desde aquele anúncio de João XXIII, a não ter participado do CVII. O primeiro que, ainda que formado na escola conciliar, não terá tido contato pessoal com tudo o que se passou naqueles tristes anos. O primeiro que, humanamente falando, estará em condições de avaliar, objetivamente, tudo o que está acontecendo e em até que ponto o concílio é o responsável pela crise atual.

    Que Deus nos ilumine a todos.

    Alexandre.

  8. Existe a possibilidade da nomeação de novos cardeais até dias 28? Se sim, lembremos que o Patriarca de Veneza, Francesco Moraglia está para ser nomeado cardeal no próximo consistório.

  9. Voltem, tiara, sedia gestatória e capa magna !

%d blogueiros gostam disto: