Frases.

A renúcia do Papa é um ato de razoabilidade. Humildemente deu-se conta dos limites da natureza que o impediam de exercer sua função. Foi digno. Foi teólogo brilhante e aprendi muito dele qdo tínhamos amizade. Mas não trouxe nenhuma novidade para a teologia. Küng já manifestou preocupação que Bento XVI acabe infuenciando,alguém da linha dura dele o que aprofundaria a crise da Igreja. Bento XVI foi controvertido.Tentou interpretar o Vaticano II à luz do Vaticano I: à luz da autoridade do Papa e não da Igreja Povo de Deus. Inegavelmente colocou o acento no reforço da Igreja hierárquica. Opcão básica: reenvagelizar a Europa. Para nós significa: optar pelos ricos. Bento XVI teve dois pesos e duas medidas. Tratava com luvas de pelica os reacionáriios seguidores de Lefebvre,nós da libertação a bastonadas. Mas este Papa não foi coerente com o Vaticano II que ele subscreveu. Tento anulá-lo para escândalo de outros cardeais e padres. Se há uma coisa que não guardei foi magoa e muito menos revanchismo. A ignorância nunca fez bem a alguem.

Leonardo Boff, em sua conta do Twitter (os erros são do original)

“A renúncia do papa é uma destas decisões que precisamos tomar sozinhos diante de Deus. Exige muita coragem e serenidade”.

Padre Joãozinho, em sua conta do Twitter

“Por isto, apesar do grande sentimento de vazio e de perplexidade deste momento solene de nossa história, nada nos autoriza moralmente a duvidar do gesto do Santo Padre e nem deixar de depositar em Deus nossa confiança”.

Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior

É uma decisão corajosa, lúcida e coerente do Papa Bento XVI, pois ele mesmo disse ao jornalista Peter Seewald, em uma entrevista, que poderia renunciar se um dia chegasse a conclusão que não tinha mais condições de governar a Igreja. Este gesto mostra a sua coerência e a certeza de que quem governa a Igreja é Jesus Cristo e que o Espírito Santo é quem guia e assiste o Papa, seja ele quem for, legitimamente eleito.

Professor Felipe Aquino

“A decisão de Bento XVI merece grande respeito, é legítima, compreensível e também corajosa. Nunca esperei que este Papa conseguisse me surpreender, algum dia, de maneira tão positiva. Bento XVI tomou uma decisão quase revolucionária e secular. Como se fosse um simples Presidente da República ou um representante do mundo político. A renúncia ao seu cargo e a passagem para um novo pontífice. E isto para o bem da Igreja. Incrível! Nunca esperaria isto dele”.

Hans Küng, ao jornal  Il Messaggero.

“Se o próprio Papa, depois de muita reflexão, chegou à conclusão de que suas forças não são suficientes para exercer sua função, isso é motivo de meu maior respeito. Quando ele foi eleito Papa há oito anos, estávamos orgulhosos de nosso compatriota na Alemanha. Nós desejamos a ele sorte e força para sua missão. Como chanceler, eu agradeço a Bento XVI por seu trabalho e desejo-lhe boa sorte com todo o meu coração para os próximos anos”.

Angela Merkel, chanceler alemã.

Teólogo brilhante, Bento XVI entrará para a história como o “Papa do amor” e o “Papa do Deus Pequeno”, que fez do Reino de Deus e da Igreja a razão de sua vida e de seu ministério. O curto período de seu pontificado foi suficiente para ajudar a Igreja a intensificar a busca da unidade dos cristãos e das religiões através de um eficaz diálogo ecumênico e inter-religioso, bem como para chamar a atenção do mundo para a necessidade de voltar-se ao Deus criador e Senhor da vida.

Do comunicado oficial da CNBB

A Igreja tem um papel decisivo nos Estados Unidos e no mundo, e desejo o melhor àqueles que em breve se reunirão para eleger o sucessor de sua Santidade, o Papa Bento XVI.

Barack Obama, presidente dos Estados Unidos da América

“Decisão eminentemente respeitável. A República acolhe a decisão do Papa, mas não faz nenhum comentário sobre temas pertinentes à Igreja”.

François Hollande, presidente da França

14 Comentários to “Frases.”

  1. A opinião de um blogueiro esportivo seria relevante? http://t.co/7dK8Ss0g

  2. Vi hoje no “Bom Dia Brasi” que nem o governo brasileiro, nem o Itamaraty emitiram qualquer comunicado… isso no país com o maior número de católicos do mundo… sinto ainda mais vergonha dessa gente que nos governa. E pensar que já votei no PT…

  3. O Boff, como sempre, com se azedume… Os demais foram razoáveis.

  4. Por incrivel que pareça, nas palavras do Boff está a raiz da crise e do cisma não declarado que existe no seio da Igreja e que culminou com a renuncia do Papa:

    “Bento XVI teve dois pesos e duas medidas. Tratava com luvas de pelica os reacionáriios seguidores de Lefebvre,nós da libertação a bastonadas. Mas este Papa não foi coerente com o Vaticano II que ele subscreveu. Tento anulá-lo para escândalo de outros cardeais e padres”.

    Quando o Papa disse que poderia renunciar se um dia chegasse a conclusão que não teria mais condições de governar a Igreja, muitos passaram a interpretar essa declaração como condição física ou de saúde, quando na verdade só cego não vê que essas condições dizem respeito à crise de obediência dentro da Igreja. Que Deus tenha misericórdia de todos nós pois o gesto de Bento XVI foi um gesto extremo.

  5. Boffs e Kungs aplaudindo Bento XVI. Bem, só podia mesmo ser pela renúncia, o que mais seria, né? Mas eles bem podiam pelo menos nisso seguir o exemplo dele.
    Quem apoia essa renúncia é porque sai ganhando com ela, ou pensa que sai.
    A gente respeita, intui que há algo por trás que a justifique e torne útil a renúncia de Bento XVI, mas ficar feliz e parabenizar só mesmo os inimigos podem fazer isso.

  6. Rafael, amanhã é o dia da hiprocrisia porque eles iram para missa de cinzas demonstrar seus (sentimentos) hoje ainda é carnaval e não podem serem incomodados, talvez nem saibam.

  7. O de Hans Kung é o mais revelador: “Bento XVI tomou uma decisão quase revolucionária e secular. Como se fosse um simples Presidente da República ou um representante do mundo político. A renúncia ao seu cargo e a passagem para um novo pontífice.” Gente, mesmo que o Papa Celestino tenha renunciado, isso não é usual na Igreja. Ainda mais depois de João Paulo II, que resistiu até as últimas forças. Será que os cardeais modernistas venceram? Conseguiram derrubar a Monarquia da Igreja e implantar uma República no lugar? Será que de agora em diante será obrigatório o Papa renunciar após um tempo? Será que “Roma perderá a fé e se tornará a sede do Anticristo”, como disse Nossa Senhora de La Salette?

  8. O Boff é um senil, casa com ex-freira e ainda diz que está certo; é o velho ditado é que está certo: ” o macaco senta no próprio rabo, para acusar os dos outros”

  9. Para variar, Leonardo Boff amargurado e mal educado quando se trata de Bento XVI. É nítido que nas linhas que discorre sobre o besteirol da libertação pulsa um rancor incurável. E Hans Kung delirando com as possíveis “interpretações modernas” sobre o ato do Papa. Dois trastes que devem estar felizes com a saída de Bento XVI. Mas eles que aguarde. Deus nos enviará um grande Papa para aprofundar o magistério de Bento XVI.

  10. O Boffe diz que a ignorância não faz bem a ninguém. Certo… Mas dá lucros com vendas de livrinhos de TL, aumenta os números de dizimistas do Edir Macedo e comparsas, libera consumidores de catecismos e devocionários para as estantes de auto-ajuda, desvia dinheiro de dioceses para financiar desvarios ativistas marxistas e de construções de catedrais caríssimas e de péssimo projeto arquitetônico (Rio, Belo Horizonte, etc.).

    Boffe queria que o Papa tratasse o erro (TL) como se trata a verdade (tradicionais)?

    Ainda bem que o Papa quis evangelizar a Europa e tentou anular o Vaticano II, pois o Boffe queria que o Papa promovesse a TL, que os bispos brasileiros ensinam e apoiam, e que entregasse o Velho Mundo aos islâmicos e ateus satanistas nova-era como o barbudo senil.

    A CNBB falou, falou e não disse nada. E querem ensinar alguém assim… Discurso de partido comunista (a freira de anel de tucum deve ter voltado).

  11. Exatamente, Fernando…”um bom papa para aprofundar o magistério de Bento XVI…” e que esse magistério chegue até os padres,sim porque aqui na minha cidade o padre disse na minha cara que não gosta de Missa Tridentina e que as coisa que o Papa pede é la pra Roma, aqui no Brasil quem manda são os Bispos, e mais: “nós (eu e ele)estamos falando de igrejas diferentes,vamos parar por aqui que estou vendo que não vamos chegar num acordo” Confessou sem Estola e não deu penitencia!

  12. A frase do Pe. Paulo Ricardo mais enigmática (porém o enigma se esvai quando lembramo-nos que ele é um bom devoto do CVII) e que está no mesmo artigo do trecho acima, é a seguinte:

    “Se hoje o Papa renuncia, podemos deduzir destas suas palavras programáticas, é porque vê que seja um momento de serenidade, em que os vagalhões das grandes crises parecem ter dado uma trégua, ao menos temporária, à barca de Pedro.” http://padrepauloricardo.org/blog/non-praevalebunt – 12.º parágrafo

    Me desculpe, Pe. Paulo, mas eu não vejo serenidade nem trégua.

  13. Poderíamos acrescentar a estes depoimentos:

    “…” Dilma Rousseff

  14. Alguém se admirava por não ver o Brasil se pronunciar: Alguma dúvida? Além o Itamaraty e de Dilminha com sua corte petista corrupta alguma duvida que essa indiferença revele um jogo politico de não aceitação ao pontificado de Bento XVI. O Brasil quer legalizar urgentemente o aborto, o casamento homossexual, a eutanasia, etc.. Não é de se adimirar e de pensar que os proprios cardeias brasileiros se submetam a esta realidade, por que os senhores bispos brasileiros, meus Deus!!!

    Falando em bispo…Você ja observaram a friesa de alguns em relação a renuncia do papa? Pois bem, aqui no limiar da provincia paraibana só a Providencia Divina por que episcopal MISERICÓRDIA. Bispos frios, carreiristas, bispos de falsas modéstias. Alguns colaboradores episcopais, da corte diocesana de nossas dioceses-como é o caso de uma diocese famosa aqui da paraiba- devem está comemorando.

    Eu sou muito leigo em determinados assuntos eclesiais, mas outros eu sei de mais por que escuto e vejo. A renúncia de Bento XVI trouxe a tona um pensamento e uma observação de a tempos que por aqui venho vendo. O sutil silêncio em que vivemos ja aponta uma dramática situação de CARRERISMO, de dissimulados comportamentos de humildade e bajulações,

    Para que o povo perceba a diocese em que moro os sacerdotes vivem intrigados. Nos encontros diocesanos de pastoral agente percebe sacerdotes ironizando o outro com duras criticas, com risadas ironicas, com deboches e insultos, Ja teve padres que adoeceram aqui por causa de duras rejeiçoes por parte de um politica eclesiastica que nao adimite sua forma de pensar uma Igreja menos secualrizada.

    Nao querendo sair em defesa do meu padre, até por que ele é pecador como eu, mas é uma homem que sofre calado. em quatro anos de padre ja passou por tres paroquias. E vc pensa que é pela incapacidade de se padre, não…ao contrário, é que seu trabalho causa inveja por todos so lados. Os padres que o antecedeu vive de fofoquinnhas com pessoas perigosas na paroquia provocando situações contra o padre atual. Meu padre nao tem paz nos seus trabalhos. Aqui ele é apoiado pelos pastores das igreja protestante e seus fieis, muita mais que o clero. Ele ja conseguiu trazer pastores para a Igreja Catolica, mas o veneno da inveja e da competitividade nao permite alguns sacerdotes reconhecer seus trabalhos.

    Quantas vezes eu vejo esse pobre sacerdote ir para a casa paroquial depois de um longo dia de trabalho e la se reserva do peso dos trabalhos. As vezes eu percebo e me preocupo, que por ele por seu um padre jovem, está sendo desafiado ao desânimo. Alias, desânimo é uma palavra em destaque nessa diocese.

    Aos que virem esta mensagem por aqui, peço que rezemos muito pela nossa Igreja. Ele esta se purificando. Precisa de nosso testemuinho e oração. Quanto a nós leigos, façamos o possivel para nao sermos pessoas secularizadas e de uma fé de conveniências dentros de nossas igrejas.