Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer é hostilizado na PUC-SP, mas não se intimida pela turba anti-católica.

Dom Odilo na PUC - hostilidade por parte de manifestantes.

Dom Odilo na PUC-SP: hostilidade por parte de manifestantes. Foto: Por uma PUC Católica – Facebook.

O Cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, celebrou ontem, na PUC-SP Perdizes, uma Missa pela festa da Cátedra de São Pedro e um “ato de dignificação” da Cruz que se encontra no pátio do campus, vilipendiada mais de uma vez [ver aqui e aqui] por baderneiros travestidos de estudantes.

Um leitor, cuja gentileza agradecemos, relata o ocorrido:

Eu fui, ontem, ao ato na PUC-SP.

A capela, que não é lá muito grande, estava completamente lotada. Não consegui entrar e fiquei do lado de fora. Percebia-se que havia um público que não era, em sua maioria, alunos da PUC. Certamente, havia vários, mas, também, funcionários e professores. Porém, minha impressão é que uma parcela razoável do público era composta por seminaristas de SP, pessoas ligadas a comunidades tipo Shalom, etc.

A minha filha havia me alertado que os alunos estavam preparando uma “surpresa” para o Cardeal. De fato, um amigo que havia chegado mais cedo me ligou e falou que havia meia-dúzia de gatos pingados com esparadrapos na boca na entrada e mais nada. Quando cheguei, já havia uns 20 deles. Porém, isso me pareceu ser uma estratégia deles para aprontar com o Cardeal.

Quando a Missa terminou, o Cardeal, um ou dois bispos-auxiliares, uns 15 padres e o povo foi em procissão cantando “Vitória da Cruz” até o pátio da Cruz no interior da PUC. Chegando lá, havia uns 80 alunos com esparadrapos na boca, portando cartazes “Fora Anna Cintra” e com papeletes ao ar que diziam alguma coisa que não identifiquei. Infelizmente, quando adentrei ao páteo o Cardeal já estava ao pé da cruz e eu não sei se passou pela barreira de alunos “pacificamente” ou foi preciso pedir “permissão”.

O restante do povo, por orientação dos padres, em vez de ir em direção da cruz, no ‘chão’ do pátio, ficou ao redor, entre os arcos do átrio. O cardeal e os padres ficaram literalmente cercados pelos guevarinhas e cobertos pelos cartazes. O cardeal não se intimidou. Tocou a cerimônia (em um momento pediu para que abaixassem os cartazes e só serviu para subirem mais). Leu-se uns 3 ou 4 trechos do NT, rezou o Pai-Nosso, a Ave-Maria e o Credo Niceno-Constantinopolitano. Cantaram-se algumas músicas piedosas e aspergiu com água benta e incensou a Cruz.

Penso que a ideia dos organizadores era que o protesto fosse silencioso. Mas, alguns deles (mais meninas) não se aguentaram e, de vez em quando, ouvia-se um grito de “por uma universidade laica” ou “fora a Igreja”, etc. Percebia-se que os organizadores tentavam calar essas vozes, pois a estratégia era que os gritos de ordem fossem soltos no final, para parecer uma manifestação “democrática”.

No começo havia mais gente da Missa do que alunos protestando. Porém, à medida que a galera dos cursos noturnos foi “se achegando” o público se equilibrou. No final, após a benção final, o cardeal puxou uma música sacra, mas aí os guevarinhas soltaram o verbo e começaram a gritar coisas do tipo “fora Anna Cintra” e “adeus, adeus Bento XVI, Anna Cintra agora é sua vez” com força suficiente para calar o Cardeal, que se retirou.

Confesso, por fim, que em certos momentos temi pela segurança de D. Odilo e dos padres que o seguiam. Os alunos que protestavam, por mais que tentassem fazer um ato com “roupagem” democrática, estavam em postura acintosamente agressiva, tentando impedir com seus cartazes que as pessoas pudessem ver o Cardeal ou se aproximassem dele, pois chegaram 3 horas antes e se posicionaram com essa intenção. Estavam muitíssimo próximos dele (provavelmente o tocavam) e eram uns 200 ao final. E, quando urravam palavras de ordem, pareciam uma turba difícil de controlar e sem muita noção de auto-controle. Talvez torcessem por uma reação violenta dos católicos ou imaginassem um público bem menor (lembro de ter ouvido, de uma garota com “esparadrapos na boca” ao meu lado durante a Missa, que ela estava surpresa que haviam mais pessoas ‘comuns’ na Missa do que gente da turma deles).

Emocionei-me quando, já bem no final, quando a turba já estava perdendo a compostura com gritos e apupos, o Cardeal pediu a proteção dos mártires que morreram em defesa da fé de Cristo e pela liberdade religiosa. E fez isso encarando os guevarinhas…

Oremos por D. Odilo e podemos ter orgulho de ter um Cardeal corajoso como ele! Foi, realmente, algo digno de constar nos anais da história da Igreja brasileira ver um Cardeal pregar o Evangelho, o amor a Cristo, de cabeça erguida e, ao sair, caminhar com a dignidade dos homens justos diante de uma turba agressiva e anti-democrática. Segundo me disseram, foi o primeiro ato religioso realizado no interior da PUC-SP em mais de 40 anos.

45 Responses to “Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer é hostilizado na PUC-SP, mas não se intimida pela turba anti-católica.”

  1. Que dor no coração eu sinto ao ler esse relato, ao mesmo tempo em que caem lágrimas dos meus olhos. Quanta maldade dessas pessoas que perseguem a Igreja e os bons clérigos sem motivo nenhum, injustamente! A abertura das portas da Igreja no passado para pessoas e ideologias anti-cristãs está dando os seus frutos de perseguição religiosa. Agora os bons católicos e bons clérigos sofrem as consquências dos maus religiosos. Deus tenha misericórdia de nós, inclusive de seus perseguidores para que se convertam!

  2. tem que expulsar esses bandidos de dentro da Puc, ela é privada e de raiz católica.

  3. “A abertura das portas da Igreja no passado para pessoas e ideologias anti-cristãs está dando os seus frutos de perseguição religiosa”….

    Um cardeal hostilizado na sua própria Universidade…Graças a maldita abertura da Igreja ao mundo, ao mundo no sentido joanino, do pecado, das trevas, mundo que jaz sob o maligno, vemos uma cena triste dessa. Quanta ilusão daqueles que escancararam as portas da Igreja a essa avalanche torpe que solapou de cima a baixo o edifício da Igreja…
    Belíssimo ato do cardeal…
    Corajoso, honesto, com galhardia e, acima de tudo, de fé e fidelidade à Igreja.
    Deus o conserve.

  4. Tenho lá as minhas diferenças com dom Odilo, mas o ato dele foi de uma coragem impressionante! Grande arcebispo! Que Deus o abençoe!

  5. Se eu estivesse neste evento e fosse constrangido moralmente ou fisicamente, ia colocar estes arruaceiros a pescoção para fora do local da missa! Basta! O tempo para argumentações e compreensão já acabou! Chegamos ao “turning point”! A guerra começou!

  6. Se isso não for a Grande Apostasia de que fala a Bíblia, então, eu não sei o quê é!?

    Esse é o resultado de anos e anos de doutrinação marxista e anti-católica nas escolas do nosso país; inclusive, nas escolas católicas. É um absurdo a ousadia desses “professores” falarem mal da própria Igreja dentro de uma universidade pontifícia; o mínimo que se espera de um professor de uma escola católica é que seja um católico praticante. Não sei se isso seria legal, mas penso que a Igreja deveria ter o direito e o dever de selecionar seus professores e, até mesmo, de incluir catequese nas suas escolas!

    E o pior de tudo é que esse fenômeno parece que está se alastrando ainda mais através da Internet; qualquer dia desses, os padres vão começar a apanhar na rua sem saber o porque; pois, hoje há verdadeiros ‘apologistas’ ateus e anti-cristãos difamando muito o cristianismo e o catolicismo na internet; e, pelo que percebo nos comentários, muitos jovens estão acreditando neles; inclusive, que Cristo não existiu e é apenas uma mistura de deuses mitológicos antigos.

    Passei por isso na pele quando o site HYPESCIENCE, que até então vinha sendo bem democrático permitindo comentários tanto de ateus como de crentes, de uma hora para outra começou a bloquear meus comentários no artigo “DEUS EXISTE? – A SUA OPINIÃO”! Eu estava debatendo ali, na medida do possível, com um ‘apologista’ ateu muito culto (mais determinado do que muitos crentes) e revoltado com a religião (ele foi evangélico por 50 anos); pelo menos, para tentar mostrar o ‘outro lado da moeda’ para os demais leitores do site. Infelizmente (não sei se o moderador se ofendeu com alguma coisa que eu disse ou se houve algum problemas técnico), pararam de publicar meus comentários enquanto continuaram publicando os do Sr. Oiced.

    Outra coisa que notei, foi o tanto de positivações que tais comentários céticos recebem (mesmo aqueles pseudo-históricos e pseudo-científicos baseados em Zeitgeist, Código Da Vinci, Galileu, Inquisição, etc.) dos leitores do site; inclusive, comentários favoráveis ao aborto! Prova de que o ateísmo e o cientificismo, realmente, estão na moda entre os jovens e que esses ativistas ateus/marxistas/homossexuais travestidos de professores de cursinhos e universidades estão conseguindo o seu intento.

    O pior é que muitos excelentes sites de apologética católicos estão dando muita ênfase ao protestantismo e estão esquecendo de combater o terrível avanço do ateísmo e do cientificismo na nossa sociedade. Penso até que a Igreja deveria criar um apostolado formado por pessoas bem cultas em história e ciência para combater tais comentários céticos em sites na Internet; pois, poucos comentaristas crentes tem conhecimento e/ou tempo suficiente para ficar refutando as calúnias e meia-verdades que falam contra a Igreja.

    O excelente trabalho que o Prof. Felipe Aquino faz na TV Canção Nova e no YouTube com seu programa Escola da Fé, ou o próprio Fratres in Unum, entre tantos outros, é de admirar e, com certeza, tem dado muitos frutos; mas, temo que muitos internautas (pelos comentários que tenho ligo na internet) sequer se dão ao trabalho de questionar seus professores e gurus e tentar ver o ‘outro lado da moeda’. Já não bastava o mau testemunho de padres pedófilos e de pastores inescrupulosos, agora temos que enfrentar essa onda de livros e documentários pseudo-históricos (como Código Da Vinci e Zeitgeist) e de verdadeiros ‘apologistas’ antirreligiosos!

    Temo que se não houver, por parte do clero e leigos católicos, uma grande e criativa campanha de CATEQUIZAÇÃO da sociedade (nas igrejas, escolas, universidades, meios de comunicação social, internet, etc.) daqui alguns anos, as mentiras que estão soprando sobre a história de Cristo e da Igreja se tornaram verdade. E, então, o cristianismo vai se tornar realmente mais uma religião mitológica; como muitos apóstatas já estão acreditando.

    É por isso que eu penso também, mais do que nunca, que, numa época em que a Ciência é tão exaltada e até mesmo idolatrada pelo mundo, a Igreja deveria liberar mais uma nova bateria de testes científicos modernos sobre seus grandes milagres (como Santo Sudário, Imagem de Guadalupe, Lanciano, Sangue de São Genaro, etc.); para não só chamar a atenção da comunidade científica (quem sabe, até de Dawkins e companhia limitada) e da mídia, como também usar a própria Ciência (tão endeusada hoje) para comprovar a existência de Deus e a autenticidade da Igreja, através dos milagres!

  7. Dom Odilo está colhendo o fruto das cebs, dos petralhas, do apostolado esquerdista e anti-católico dos Arns, Hummes e tantos outros que só contribuíram para que isto hoje fosse possível: a exposição ao martírio e a violência !

  8. Por isso que esse papo de democracia nas coisas da Igreja nao da certo. Tivesse simplesmente nomeado a Professora Anna sem conversa, nao teria dado margem pra isso. Quanto mais somos gentis com os comunistas, mais eles nos agridem. “Fraqueza atrai agressividade”.

  9. Parabéns ao Sr. Cardeal pela postura. É preciso que agora se celebrem MISSAS regularmente na PUC-SP, assim como o ofício divino. A Igreja não pode abandonar o seu patrimônio, e não pode permitir que ele seja secularizado.

    Na informação ao final, quanto a esse ser o primeiro ato religioso na PUC em 40 anos, é difícil de acreditar. Não seria condizente com uma universidade católica. Por outro lado, acredito na informação, mesmo sentindo essa dificuldade, pois todos conhecemos os absurdos da era pós-conciliar. É necessário, agora, que essa situação seja remediada.

    Em outras universidades católicas, como na antiga PUCP (Peru), a Igreja perdeu o controle porque, sob pontificados anteriores (Paulo VI, João Paulo II), foram permitidas até mesmo alterações estatutárias que foram reduzindo o papel da Igreja nos processos decisórios. O resultado é que hoje, na ex-PUCP (que nas leis civis mantém o nome de PUCP), a direção da universidade pode ser eleita de acordo com os Estatutos mas sem participação da Igreja. E aí a Igreja tem que travar uma longa batalha judicial para tentar preservar o controle da instituição com base no testamento do fundador, etc.

    Não se pode permitir que algo semelhante aconteça no Brasil. É isso, uma secularização da PUC-SP, a sua conversão em uma universidade laica, ou praticamente laica, o que se pretende, ao serem hostilizados atos religiosos no campus, e também ao se pretender que a Igreja não participe, ou tenha uma participação apenas formal, cerimonial, e não efetiva, na escolha do reitor. Por isso, para evitar que o seu patrimônio seja esbulhado, a Igreja necessita exercer zelosamente os direitos que o Estatuto da Universidade lhe atribui.

  10. “Esse é o resultado de anos e anos de doutrinação marxista e anti-católica nas escolas do nosso país; inclusive, nas escolas católicas.”
    É exatamente isso que está acontecendo. Estamos colhendo os frutos amargos, e talvez tenhamos de colher muito mais nos próximos anos. O ateísmo cresce no Brasil e, com ele, a hostilidade para com a Igreja, seus Pastores, seus fiéis. Impossível não lembrar as palavras de Nossa Senhora: “Os bons serão martirizados.”
    Há ainda alguma dúvida de que caminhamos para isso?
    Obrigado, Dom Odilo. Que Deus Vos recompense, pelo ato de coragem, pela atitude valente diante dos que ousaram desrespeitar o Santo Padre e a Vós.

  11. Está na hora de uma nova cruzada !

  12. Se lembrarem Jesus expulsou a chicote os que ofendiam o templo.A Igreja por sua passividade acaba permitindo tais cenas.Os alunos deveriam ser expulsos com justa causa, até por que, o que se espera de um aluno que nem dá para imaginar como alcançou uma universidade com a pouca inteligência de dizer numa universidade católica que a universidade tem que ser laica?Que profissional será este no futuro se não consegue raciocinar hoje sobre as besteiras que fala?

  13. As universidades católicas estão tomadas por professores desonestos e verdadeiros farsantes comunistas que influenciam os jovens que ali entram, estes idiotas juvenis são frutos da teologia da libertação dentro das universidades católicas, estudei na UNICAP em Recife e é um verdadeiro horror constatar o que aqueles professores ensinam…

  14. Estou me lembrando de um fato ocorrido em Porto Alegre durante o Forum Mundial Social, onde manifestantes fizeram passeata pro aborto dentro da PUC, na epoca achei um absurdo que ninguem se manifestasse, era um começo dessas coisas!!!!
    mandei esse comentario para um programa interativo da Rede Vida nem foi lido!!!
    será que nao está na hora de aceitar apenas alunos realmente catolicos na PUC, onde no ato da matricula assumam compromisso de respeitar nossa igreja? sendo passiveis de expulsão por atos contra a igreja!
    me desculpem mas tenho que dizer, será que na PUC tambem o dinheiro nao está falando mais alto?
    Sinto-me agredida tambem pelo que fizeram a Dom Odilo, pois ele estava em sua casa!!!!

  15. Deus sempre triunfa sobre a iniquidade e o ódio. Dom Odilo foi instrumento do Senhor para dar um testemunho de coragem e fé diante dos olhos raivosos dos infiéis. Quem sabe, diante daquela massa de urros, algum coração não se compadeceu fronte a força da humildade e serenidade de um pastor do Senhor?

    Se uma alma foi tocada pelo exemplo verdadeiramente comovente de dom Odilo, já é uma vitória gloriosa para a causa da Igreja de Deus.

    Que seja a primeira de muitas iniciativas desse natureza. A PUC-SP precisa ser evangelizada, urgentemente!

  16. Essa vandalização está tipificada no Código Penal: trata-se do crime de ultraje a culto, previsto no art. 208:

    Art. 208 – Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:

    Pena – detenção, de um mês a um ano, ou multa.

    Parágrafo único – Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente à violência.

    Se as leis ainda existem, é válido utilizá-las em nosso favor e é até nosso dever. Então, que Deus dê coragem às pessoas que se encontrarem em semelhante situação para que tomem a atitude correta que, penso eu, é se valer da lei.

  17. Não se pode cometer o mesmo erro que estes “manifestantes” apresentaram, em culpar a Teologia da Libertação ou pessoas que serviram bravamente tanto a Igreja, como a dignidade humana, como os antecessores de Dom Odilo, pois cai na mesma ignorância que estipula que uma Universidade Católica particular, deva ser laica.
    O fruto da liberdade permite refletir acerca das motivações e atos internos, o que é em geral benéfico para o diálogo e desenvolvimento, mas não cabe o desrespeito em atos solenes, bem como uma infrutífera tentativa de intimidação. Aos não católicos e descontentes existem para esse fim, as Universidades Públicas, abertas ao indiferentismo e aos típicos padrões do pseudo “racionalismo”.
    Estes alunos e professores não são obrigados a se identificar com a Fé Católica Cristã, mas são, pelo objeto do verdadeiro Racionalismo, a respeitar os direitos daqueles que as tem. Houve época em que se criticava a Igreja por não aceitar as realidades do tempo moderno, hoje são estes mesmos que demonstram um comportamento irascível e prepotente.
    Quero parabenizar a todos os católicos presentes, por não se deixar abalar ou corresponder à tamanha demonstração de truculência e irracionalidade, verdadeiro testemunho do segmento a pessoa de Cristo, que nos ensinou o significado do perdão para aqueles que desconhecem o real sentido de ser humano.

  18. que grande graça ser difamado e ofendido por causa de nosso senhor e sua santa cruz isto é ser cristao.!!.

  19. Essa é a educação de alguns brasileiros… Com uma cultura dessa, ainda querem a legalização da maconha…

  20. Perdoem minha ignorância, mas quando um aluno, independente de sua religião ou falta dela, ingressa seus estudos na Pontifícia Universidade Católica, não compreende por simples dedução do nome que se trata de uma entidade Católica, não Laica?
    Quando colegas meus se formaram na Faculdade Batista de Vitória, ainda que católicos, participaram respeitosamente do culto na Primeira Igreja Batista de Vitória, talvez por respeito à entidade religiosa que criou e mantém a escola.
    Falta de compreensão ou rebeldia destes? Acho na minha humilde opinião que se trata de plena ignorância e teatro… coisas do mundo de hoje.

  21. A PUC de São Paulo deveria estar nas mãos da Igreja, creio que o melhor seria passar a administração e toda a governação para um grupo Católico que pudesse trazer de volta a Raiz Católica da PUC, quem sabe a Opus Dei? Com certeza iriam botar ordem na Casa.

  22. A PUC é universidade católica, deve assegurar liberdade religiosa, mas não deve ser laica. Ponto. Do que eles estão reclamando. Se não querem uma universidade católica deixem-na. Procurem outra. Toda a administração, seja ela qual for devia ser passada para as mãos de clérigos e religiosos.
    Uma pena observar que é com violência que se luta hoje em dia. E por mais que lutem sendo a PUC genuinamente católica, esta será uma universidade que jamais deixará sua identidade. No Unisalesiano de Araçatuba por exemplo há uma imagem a cada corredor, cada sala ou laboratório leva o nome de algum padre, papa ou bispo, a capela é belíssima e em lugar privilegiado, os jardins contam com uma fonte e uma gruta, réplica da gruta de Lurdes. Mesmo assim, lá estudam ateus, agnósticos, protestantes, budistas, espíritas e wiccanos. A faculdade não obriga ninguém a acreditar naquilo que prega a Santa Igreja, mas pede respeito para com o ambiente que apesar de comportar pessoas de diferentes credos não deixa de lado sua identidade católica. O mesmo é com a PUC, ela não deve mudar, quem deve respeitar a Universidade são os alunos. Eu não estudaria em uma instituição que não fosse católica, pública ou que não houvesse vínculos com uma religião específica. Não estudaria em uma universidade protestante de forma alguma, mas se estudasse respeitaria a instituição. A PUC é católica e sempre será. Quem não gosta de lá que se mude.

  23. isso será fruto do velho ARNS?

  24. Jesus diz no evangelho:”E as portas do inferno não sobre minha igreja”.Portanto,isto é um ato de grande alegria para a igreja católica,sinal que estamos no caminho certo,ainda que seja pelo martírio,viva a igreja…

  25. Faço das palavras de Robson de Luna ,as minhas.Gostaria de saber que providências legais estão sendo tomadas.Estão se tornando frequentes esses tipos de ataques.Lembrem-se que JESUS expulsou esse tipo de gente com chicotadas.Tudo tem limite.Me perdoe a igreja,mas não teria a passividade desses fiéis aí presentes.Passou da hora de uma reação do povo católico.

  26. Chegamos ao “turning point”! É isso mesmo!

  27. Por uma universidade laica …. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Ontem mesmo debatia com alguns colegas de classe sobre isso e um deles supostamente herege disse que o Cardeal (pra ele Padre …) não rezava nem uma Missa na Capela, mas de certa forma concordei que o grão-chanceler (Eminentíssimo Cardeal) tem sua parcela de culpa por deixar chegar na bagunça que está,entretanto o protesto dos estudantes universitários já é viciado na sua própria origem, pois quem decide o candidato é o grão-chanceler como manda o estatuto e ponto! Acho que isso servirá para tampar a boca dele e de muitos outros. Ademais, simplesmente disse a eles com voz forte que “a Igreja não é uma democracia liberal, ela é Monárquica !”
    Parabéns Cardeal Dom Odilo e continue firme porque dá para recuperar o tempo perdido e colocar esses “escravos da dialética” em seus devidos lugares.

    Omnes Sancti et Sanctae DEI, orate pro nobis !

  28. Quem sabe as instituições católicas acordem finalmente para os monstros que criaram por conta da frouxidão…
    Os católicos precisam parar de agir como se estivessem sempre pedindo desculpas. Precisam reaprender a honrar e a ter orgulho da sua fé e suas instituições .Os incomodados que se retirem, ninguém é obrigado a estudar em universidades católicas.
    Parabéns e obrigado, Dom Odilo.Que esse seja o início de grandes mudanças.

  29. É isso acontece quando se perde o senso do ridículo e da educação. O “C” da PUC é de Católica, se não querem estudar em uma Universidade Católica, é simples, se retirem e vão para outra. Isso foi falta de respeito. Entretanto, a serenidade e convicção do nosso Cardeal foi admirável.

  30. Irmã Mirian Pq Sto Antonio do Pari – Pastoral do Mundo do Trabalho – Missão Cristo Operário
    Eu sinto que estamos passando por um momento ímpar na Igreja Católica e que devemos defendera nossa doutrina com unhas e dentes, essa é a hora, o momento é delicado mas sinto que Deus é o grande controlador de tudo isto, e que ELE já tem o novo Pedro, que para nós não importa quem é que vai sentar na Cátedra, o que importa é que dessa Cátedra nos é comunicada a vontade de Deus para sua Igreja e independente de tudo o que aconteça na periferia, nós temos que defender o central que a doutrina do CRISTO. Tenho certeza que de toda essa confusão que está na cabeça dos fracos, Deus produzirá um povo forte na fé, porisso devemos nos preparar e ajudar os irmãos que tem dúvidas a defender a nossa história, afinal o único povo que tem uma história real e de peso, somos nós. Vamos imitar a atitude do Cardeal Dom Odilo, que refletiu com muita propriedade a figura de Jesus a todos os presentes sem se importar com a posição de cada um. Que Deus aumente em todos nós o dom da coragem, para que possamos defender a nossa história e continuar a escrevê-la acima de qualquer ameaça mostrando o rosto do Cristo pra o mundo , pois é disto que a sociedade precisa, VER JESUS.

  31. Concordo com aqueles que disseram para aplicarmos a Lei… se acontecer de novo, é só chamar a policia…

  32. Antes de mais nada… publico aqui o meu descontentamento e desrespeito por parte “desses” alunos. Tudo bem sabemos que vivemos num estado laico, mas, eles entraram lá sabendo que a instituição mantedora da PUC é a igreja catolica. Se eles estão descontentes com ela que procure outra. A igreja não tem culpa de ser pioneira na area da educação no Brasil, provindo da colonização portuguesa. Ao dom Odilo meu sincero reconhecimento, oxalá se viesse a ser o nosso sumo pontifice, pelo simples video demonstrou ser coerente.

  33. Essa maldita feição que se apossou do país veio com o PT sob as vistas do progressismo religioso: é índio X cara pálida, negro X branco, sem terra X ruralista, homossexual X heterossexual etc etc. O Brasil perde o espirito cordial de outrora e a ala progressista da Igreja proseegue com o discurso de que “a opção é pelos pobres”, num claro aceno de condescendência com os marxismo ateu. Cegos! A opção da Igreja não é por pobre, rico, preto, branco, índio, asiático… A Igreja é Universal, e o reino de Nosso Senhor Jesus Cristo não é desse mundo! Deixem à César o que é de César!

  34. Processos cíveis,
    criminais e
    administrativos
    para punir exemplarmente os culpados!

    E parem de fomentar marxismos da CNBB!

  35. Concordo com a Irmã Mirian o momento é delicado.. a Igreja tem sido cada vez mais alvo das insidias do Inimigo de Deus…. qto a esses arruaceiros é como já li lá em cima… a Universidade é Privada é Católica e estudam nela quem quer… e se quer ter de acatar o que é própria da Instituição se não concordam com a “politica”
    oras que procurem outra faculdade.. simples assim… não estão contentes .. retirem-se a porta da rua ainda é serventia da casa FIM.

  36. Meu Deus!

  37. Este ódio que os estudantes laicistas tem com as autoridades eclesiásticas, diga-se de passagem progressistas, é o mesmo ódio que os religiosos progressistas/modernistas possuem com a missa São Pio V, a batina hoje tão em desuso assim como o confessionário e o canto gregoriano.

  38. Tudo isto é fruto da incompetência dos cardeais anteriores que não tiveram pulso para gerir a PUC. Parabéns a Dom Odilo. Que não esmoreça e que fique claro que a PUC é sim uma instituição Católica Confessional. Quem não gosta, busque outros lugares para estudar. O Cardeal nem precisa fazer eleição, aliás nem deveria. Estudei na PUC-Rio, nunca houve esse problema lá porque os Jesuítas sempre mantiveram, neste sentido a casa em ordem. Coragem D. Odilo.

  39. Quando ouvia aquelas histórias sobre os primeiros cristãos que eram perseguidos e atirados aos leões achava uma realidade muito distante que distoava da nossa realidade atual, mas após assistir a todas essas manifestações dos alunios da PUC/SP posso imaginar com clareza. Hoje em dia professar a fé católica é quase se atirar aos leões…

  40. “Eis a Cruz de cristo, fugi potências inimigas,Venceu o leão da tribo de Judá (Oração exorcística
    de Santo Antônio)”.

    Maravilhoso exemplo de Dom Odilo.

    Nem quero entrar no mérito da questão religiosa.
    Agora quanto a esses pseudos anarquista ou seja lá o nome que
    queiram ser chamados,lamentável.
    Já postei eu outros lugares e afirmo.
    Exemplo de um geração tola, nem sabem qual a bandeira que levantam.
    Desconhecem a história de seus “Companheiros”de instituição, quando
    em plena ditadura muitos se refugiaram ao lado de sacerdotes dignos.
    Quando em meio a uma verdadeira repressão só encontravam apoio da igreja e seus pastores.Muitos foram os padres e irmãs religiosas perseguidos e torturados para que hoje um bando de alienados pudessem manifestar-se ainda que de forma errada seus pensamentos.
    Uma geração que nada tem a dizer pois desconhecem a história, tem mais é que tapar a boca .Pelo legado de muitos que passaram por essa renomada Instituição, a PUC não merecia passar por essa vergonha.Falei

  41. Olha, eu prezo muito muito a obediência, eu respeito enormemente o ministério da Igreja, mas é evidente que a mesma está TOMADA de sacerdotes que aplaudem esse tipo de ideologia, sacerdotes que querem transformar a Igreja segundo seus próprios gostos e interesses, além é claro de uma MULTIDÃO de lobos vestidos em pele de cordeiro. Estamos às portas de um novo conclave. Rezemos. Rezemos muito para o Espírito Santo iluminar a todos os cardeais e possa o Senhor nosso Deus nos conceder um Pastor que reestabeleça a ordem e nos prepare para esta cruzada, que não é iminente, é imediata, aí está. A perseguição religiosa JÁ COMEÇOU. Nós católicos estamos sendo agredidos das mais diversas maneiras DIARIAMENTE. Defendamos a nossa fé. Defendamos o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ofereçamo-nos com alegria e entusiasmo ao martírio. Parabéns Dom Odílio. Precisamos de homens assim a nos guiar.

  42. Parabéns D. Odilo e todos os presentes.

  43. Estive nesse lugar, na ocasião. Fui com algumas horas de antecedência, para verificar os ânimos dos que protestavam, e pude ver toda o rancor manifesto nos seus jornais, cartazes, panfletos e banners. Prepararam caixas de som e enfrentaram uma chuva bastante incômoda para fazer valer seus protestos, o que mostra o quão convictos estão aqueles estudantes de estarem engajados numa causa correta.

    Inegavelmente, a confiança de boa parte dos estudantes manifestantes foi traída por meio de uma atitude problemática da recém-empossada reitora – mas em última instância a posse desta foi plenamente legal.

    Dom Odilo talvez não foi inteirado de toda a controvérsia, terminando por decidir da lista tríplice a pessoa mais o congruente possível com os valores católicos; a reação era de se esperar. Admirável foi sua decisão de enfrentá-los abertamente, de peito escancarado e sem nenhum tipo de segurança ou guarda oficial – seus esbirros foram os fiéis que se aproximaram, foram os homens de boa vontade que enxergaram naquela ocasião uma ameaça aos valores do respeito pelo culto alheio, bem como a possibilidade de conflitos que poderiam desembocar em rixa.

    De qualquer modo, sua ação foi louvável – um testemunho digno de fazê-lo um “papabile” mais palatável aos conservadores.

  44. “Senhor perdoai-os, eles não sabem o que fazem!”

Trackbacks