As palavras ácidas do Cardeal Pell.

Cardeal George Pell.

Cardeal George Pell.

Fratres in Unum.com – O Cardeal George Pell, 71 anos, Arcebispo de Sidney, é o segundo cardeal a tecer palavras críticas sobre a renúncia do Papa Bento XVI.

Considerado homem de confiança e alinhado às idéias do agora “Papa Emérito”, Pell foi claro sobre as conseqüências futuras que poderiam advir do precedente aberto com a renúncia do Sumo Pontífice: “Poderia haver pessoas que, estando em desacordo com um futuro Papa, montariam uma campanha contra ele para convencê-lo a renunciar”. Pell ainda deu o seu parecer sobre o Papa Ratzinger: “Ele conhece muito bem a teologia, mas eu creio que prefiro alguém que possa dirigir a Igreja e recuperar a unidade”. Para ele, o o governo de Bento XVI “nem sempre foi brilhante”.

As declarações, dadas a uma rede de televisão da Austrália poucos minutos antes do início da sede vacante, juntam-se às reservas do Cardeal Stanislaw Dziwisz, secretário pessoal de João Paulo II, e de Dom Roland Minnerath, bispo de Dijon, França, quanto à drástica decisão de Bento XVI. A Sala de Imprensa da Santa Sé não quis se pronunciar sobre as afirmações de Pell, que ainda acrescentou que o Papa estava “muito ciente” do fato de que a sua abdicação era “um rompimento com a tradição” e “particularmente desestabilizadora” para a Igreja.

23 Comentários to “As palavras ácidas do Cardeal Pell.”

  1. Estão querendo achar chifre em cabeça de cavalo.

    Querem ver brechas para golpes de Estado, conspirações palacianas e lobbies pró-renúncia? Que entendem eles por rompimento com a tradição ou instabilidade? Querem ver o circo pegar fogo?

    Ah, vão se coçar!

  2. “Poderia haver pessoas que, estando em desacordo com um futuro Papa, montariam uma campanha contra ele para convencê-lo a renunciar”.
    Concordo plenamente!

    Estou me esforçando muito para acreditar que o papa emérito renunciou pelo bem da Igreja e n para entrar na história da Igreja como um papa que n fez nada para conter o titanic.
    Essa choradeira e declarações de amor para ele é o fim do mundo. Será que vão esquecer que o cardeal ratzinger ajudou a fazer o CVII e como papa o defendeu?!

    Quando foi retirada a excomunhão injusta dos bispos sagrados por Dom Lefebvre, pra quem n se lembra: teve uma campanha mundial difamando o papa. Depois dessa renúncia, derrubar um papa será a mesma coisa de fazer gol em goleiro frangueiro.

    Meus parabéns para a turma 1789, venceram mais uma batalha massssss NÓS ganharemos a guerra!

    DEUS NÃO MORRE!!!!!!!

  3. Por que ácidas?
    “Palavras críticas” ??

  4. Sensato e lúcido! Está num bom caminho… tomara que chegue ao seu termo…

  5. Será que quase ninguém está a ver o óbvio?!…
    Essa renúncia, nesses tempos de assalto de piratas, diz-nos que o Timoneiro se rendeu ao peso do cargo. O que será da tripulação?…
    Motim e alianças com bucaneiros é o que se vislumbra.

  6. Nao sei ler ingles para dizer se foi isso que falo o Cardela Pell, mas nestes tempos prefiro me informar en sites catolicos antes que na midia secular, segue link do site Infocatolica sobre a noticia http://infocatolica.com/?t=noticia&cod=16657

  7. Desculpen, Cardeal Pell

  8. Pell é cripto-judeu, Deus nos livre de sua eleição!

  9. Concordo com o Cardeal Pell quando diz:“Poderia haver pessoas que, estando em desacordo com um futuro Papa, montariam uma campanha contra ele para convencê-lo a renunciar”.

  10. Talvez essa renúncia tenha sido planejada, não por Bento XVI, mas por pessoas de “fora” para enfraquecer a imagem da Igreja, passar a ideia de que a Igreja não tem algo de sagrado, sobrenatural mas é apenas uma instituição humana com outra qualquer.

  11. Se fôssemos depender de declarações de certos religiosos – inclusive alguns tidos como “tradicionalistas” por aqui -, a Igreja já teria deixado de existir faz tempo! E ele ainda tem a cara-de-pau de pedir “unidade”! Sei… A unidade é boa quando está de acordo com o que ele quer ou pensa que sabe, né?

  12. Li e reli e não vi a “acidez” nas palavras. É crível o que o card. Pell diz.

    Quem acha que o que vemos na midia é “toda” a verdade… é de uma ingenuidade tremenda! É claro que há coisas que nos são ocultadas, ou para nosso bem ou para nos enganar (cada qual pense o que quiser). O “govern”o não é feito de “portas abertas”, nem mesmo o da Igreja que há algum tempo parece ter deixado o sobrenatural de lado para viver o político, o maquivélico, o moderno, o revolucionário.

    Se alguém acha que esse precedente não terá consequências… a ingenuidade deixa de ser ingenuidade é passa a ser crime de lesa inteligência.

    O peixe morre pela boca…

    Ou seja, sobre o papa ser um melhor teologo do que papa… isso é uma tolice sem tamanho e comprova que “eles” já não creem no sobrenatural. Com o Espírito Santo a “dar suporte”, qqr um poderia ser um super-papa. Mas qdo se perde a fé…

    E transparece muito claro tb que o papa é visto como mero governante, um lider politico: “governo de Bento XVI ‘nem sempre foi brilhante’.”… E Pell não é o unico que se expressa assim.

    Enfim, a verdade mesmo só será clara, límpida e cristalina naquele Dia. Que será uma Revelação em todos os sentidos. O resto não passa de opiniologia.

  13. Olhem a lista tétrica de prováveis papas apresentada pelo Cardeal Brasileiro Dom Raymundo Damasceno Assis ao blog do Camarotti:

    http://g1.globo.com/platb/blog-do-camarotti/

    Ravasi (Deus proíba – Ravasi é o “novo” Cardeal Martini, é discípulo dele), Scola (o menos pior, mas longe do ideal para a Tradição Católica), Schönborn (Deus nos salve dele; basta ver como está a Igreja em Viena, com suas Missas de palhaço), e Ouellet (um moderado nada impressionante, que além disso tem sido responsável pela Congregação para os Bispos que nos deu péssimas promoções episcopais, por exemplo, pessoas como Tagle para Arcebispo de Manila, etc, etc.).

    Essa é a lista de papáveis do nosso Cardeal de Aparecida. Assim estamos muito mal!

    • Caro Prof. Basto, Dom Raymundo Damasceno parece ser o grande informante do Gerson Camarotti. Ele o recebe em Aparecida, almoçam juntos, visitam o quarto em que Bento XVI se hospedou, etc…

      Veja que a lista é exatamente a mesma apresentada, há pouco mais de 15 dias, como sendo a preferência do episcopado brasileiro: https://fratresinunum.com/2013/02/14/bispos-brasileiros-ja-tem-preferidos-para-futuro-papa/

      Um trecho dessa notícia antiga sobre Ravasi: “‘Ele é simples, sedutor, e sempre que chego a Roma tem um livro novo de Ravasi nas livrarias’, ressaltou um arcebispo ao Blog”. É exatamente a mesma descrição feita agora por Dom Damasceno, o que torna fácil descobrir quem era o tal arcebispo…

  14. Há uma grande disparidade entre a notícia veiculada pelo infocatólica e a mídia secular. Pelo visto, ainda vamos ouvir de tudo, nos próximos dias.

  15. Do presidente da CNB do B se esperava que ele indicasse quem?Cardeal Burke?Cardeal Ranjith?

    Aposto que Dom Raimundo não tem influência nenhuma por lá.

  16. Caro Domingos. Concordo plenamente com esta sua última afirmação. E vou mais longe:

    Nenhum destes cardeais brasileiros tem posição de destaque, a ponto de serem considerados “papabiles”. Cardeal Aviz tem tanto prestígio que virou “Cardeal-diácono” em um setor que tem pouca expressão em relação a uma congregação para o Clero ou dos Bispos. Cardeal Hummes virou prefeito da Congregação para o Clero e INDICOU seu bispo-auxiliar para sucedê-lo, porém saiu de cena antes de Bertone botar as asinhas de fora.

    Nestes últimos tempos os únicos cardeais brasileiros que tiveram GRANDE influência dentro da Cúria Romana foram os finados Cardeais Agnello Rossi, Lucas Moreira Neves e Eugênio Araújo Sales.
    Os demais, podem juntar tudo no liquidificador que não dá um destes três acima.

    Lamento que D. Orani e D. Murillo Krieger (da qual tenho muito apreço) não tenham sido criados cardeais antes da renúncia do Papa emérito Bento XVI, para eu não ter que ver o Cardeal Magella usar a sua demagogia em rede nacional. Por sinal, o Cardeal Magella pensou que usaria o D. Murilo como marionete e manter a sua gangue de monsenhores no comando. Porém ele viu que, com D. Murilo, o buraco é mais embaixo. O atual primaz fez aquilo que o Papa emérito deve ter deixado escrito no relatório que será entregue ao próximo Pontífice. Começou tirando o ecônomo (que deve ter ficado rico com as vendas que fez). Transferiu um certo reitor de basílica, que se achava um bispo (a ponto de comprar paramentos episcopais quando soube de uma suposta indicação ao episcopado). Parou com a onda de promoções de padres da arquidiocese para bispos auxiliares. E por fim, bateu boca com o cardeal e disse que quem dava as ordens agora era ele.

  17. O estranho disso tudo que dom Damasceno era aqui pintado como “próximo” à linha de Bento XVI, enquanto dom Hummes e dom Majella eram pintados como “modernistas rançosos”. Mas, a julgar pela boataria (que, como boataria, não merece maiores confianças), a coisa parece, pelo menos quanto às preferências papais dos cardeais brasileiros, justamente o contrário…

  18. Domingos,

    De um Cardeal da Santa Romana Igreja, às vésperas do Conclave, eu esperava uma postura de reserva, e não a publicação de uma lista de favoritos através de um jornalista.

  19. Cardeal Pell perdeu uma excelente oportunidade de manter a boca fechada. Relacionar a renúncia como uma oportunidade para se dar um golpe de estado é de uma asneira sem limites. É mais um colocando gasolina na grande fogueira erguida pela imprensa.

  20. Existem papagaios aqui e acolá que querem fazer valer as próprias opiniões, em detrimento da realidade. É fácil dizer que Ratzinger defendeu o Vaticano II sem apresentar fatos objetivos e provas, e , mesmo que o Papa Bento o tenha golpeado (CVII) inúmeras vezes com atitudes que outro papa, em plena ‘primavera’ conciliar, não tenha feito. Gradativamente… O papa Bento foi MUITO corajoso, só pelo fato de ter dado plena liberdade à missa de sempre e de ter ‘levantado’ as excomunhões dos bispos da FSSPX. Mas, mesmo assim, por mais que esse blog se atenha às notícias, apresentando-se como jornalístico, atrelado a fatos e não suposições, existem pessoas que querem fazer de uma opinião pessoal, do azedume ou amargor que guardam, a própria expressão da verdade. São os vaticanistas de boteco, que se esmeram em ler blogs de notícias para destilar o veneno que guardam na boca. Às vezes me dá certa repugnância em ler certos comentários aqui, por quererem ser, pretensamente, expressão da verdade. Querem botar o agora emérito papa Bento na berlinda, esquecendo-se do bem que fez à Igreja. Lamentável!

    • Emerson Leite, quer fatos? até o Google te dá: procura notícias relativa ao “ano da fé”, para o qual BXVI deu abundantes indulgências a quem se aprofundar no conhecimento do CVII, faznedo uma grande apologia ao concilio…

      Se vc colocar na busca o nome do papa e do concilio… verá uma pancada de documentos nos quais BXVI faz a eterna e apaixonada apologia ao CVII.

      Se vc acessar o site do Vaticano, na página de BXVI (se ainda tiver…), terá tudo o que ele escreveu e discursou, em particular as últimas audiências e conversas com padres e seminaristas; adivinha o assunto preferido dele? Concílio Vaticano II!!!

      Então, papagaio, antes de tirar a farpinha do olho de seu irmão, tire primeiro a trave que está fincada em seu olho, quem sabe assim poderá acertar melhor seu irmão com suas pedras… ;)

    • Google locuta, causa finita… Hum…

      Isso é o que eu chamo de filtro googlista dos fatos, quando não de visão com ANTOLHOS…