Curtinhas pré-conclave.

150 anos

Neste último domingo, 10, em que todos os cardeais celebraram em suas igrejas titulares em Roma, o também cotado Cardeal Angelo Scola, Arcebispo de Milão, convenceu com sua pregação: “Rezemos para que o Espírito Santo dê à Sua Igreja um homem que a conduza nos caminhos mostrados pelos grandes papas dos últimos 150 anos”. Uma recordação sutil de que a Igreja tem mais de 50 anos e não foi fundada no último Concílio.

Entendimento eucarístico

O cotadíssimo Cardeal brasileiro Odilo Scherer causou mal-estar entre os italianos em sua missa celebrada ontem em Roma, na igreja de Sant’Andrea al Quirinale, da qual é titular. O fato foi publicado pelo prestigioso blog Messa in Latino, para quem Scherer é o “candidato do campo progressista e dos que trabalham silenciosamente na cúria romana”. O sítio italiano qualifica o “modus celebrandi [de Scherer] unicamente como descuidado e no limite canônico do abuso” e dá como exemplo o não uso da “patena da comunhão, embora ela seja prescrita nas rubricas do Novus Ordo. Não há motivos para não usá-la, ao menos quando um Príncipe da Igreja está celebrando, afirmando que há falta de acólitos”. Modo de celebrar que “tem consequências: uma hóstia consagrada escorregou da mão do Cardeal e caiu no chão por falta da patena”. A reação do purpurado, para Messa in Latino, indicaria o “entendimento eucarístico” do purpurado: “O Cardeal Scherer se limitou a recolhê-la e nada mais. Ele agiu assim, embora em tais casos a prática normal seja recolher as partículas da hóstia e purificar o chão de maneira especial”. O vídeo do ocorrido pode ser visto no La Reppubblica.

No bolo.

“Eu acho difícil, mas eu tô nesse meio aí”. Foram as palavras do Cardeal João Braz de Aviz, prefeito da Congregação para os religiosos, ao Canal Livre da Band, sobre a possibilidade de ser eleito.

Cardeais apostam em conclave curto

“Creio que nesta semana já teremos um novo papa”, disse o Cardeal Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida, ao Estadão. Já o Cardeal Giovanni Lajolo, presidente emérito do Governatorato do Estado da Cidade do Vaticano, dá suas razões pragmáticas ao La Stampa: “O conclave será muito curto. Por quê? As irmãs é que cozinharão”.

Habemus Champions League

Nossa tradução de matéria de ZENIT Espanhol: Enquanto o conclave começa na próxima terça-feira, 12 de março, um acontecimento menos transcedente ocorrerá no Camp Nou, em Barcelona. À partir das 20:45, se decidirá quem será o semi-finalista da Champions League. Ocorre que dois papáveis, o cardeal Lluís Martínez Sistach [arcebispo de Barcelona] e o cardeal Angelo Scola, de Milão, são aficionados por futebol e, obviamente, cada um torcerá pela equipe da sua cidade, Barça e Milan, respectivamente. Segundo difundiu o diário madrilenho ABC, os dois purpurados comentaram sua “preocupação” pelo fato de, na Casa Santa Marta, onde se alojarão os eleitores durante o conclave, não ter televisores para poder acompanhar o encontro, nem se permitir a utilização de celulares ou internet.

18 Comentários to “Curtinhas pré-conclave.”

  1. Prezados, quanto à Santa Missa, será em latim, conforme informou hoje o pe. Lombardi e conforme o libreto da celebração (http://www.vatican.va/news_services/liturgy/libretti/2013/20130312missa-pro-eligendo-pontifice.pdf).

    Obviamente as leituras são em vernáculos vários assim como as orações dos fiéis e demais papagaiadas da Missa nova. A Homilia que também deveria ser em latim será certamente em italiano.

    Oremos muito! A safra de cardeais é mesmo terrível! Dos papáveis são todos mais ou menos João Paulo II. O conhecimento litúrgico é parco e a importância que se dá à liturgia também… Não esperemos grandes teólogos como Bento XVI também. Misericórdia! O Espírito Santo vai ter que agir mesmo!!!! Se alguém ver o vídeo de D. Odilo celebrando em Roma e ouvir a música de fundo vai ter motivos de sobra pra passar as próximas noites em claro de joelho sobre o milho, com cilício apertado e a pão e água!!!!

  2. Que “papáveis” temos nós hein!

    Sodano (não papável) querendo adaptar mais um pouco a já adaptada missa nova.

    O cardeal Scherer (o papa de Bertone) tratando a eucaristia como se fosse um pão qualquer.

    Ao cardeal Braz de Aviz, é eminencia infelizmente o senhor está no meio disso aí!

    Os cardeais Damasceno e Lajolo nem entraram no conclave e já não veem a hora que ele acabe.

    Já os cardeais Martínez e Scola, parecem mais preocupados com o futuro de seus times do que com o futuro da Igreja.

    Pelo jeito os dois últimos vão perder o sono, mas ao invés de rezarem pela Igreja (assim como fez S. Pio X) eles estarão sofrendo pelos times.

  3. Levei um choque também quando vi cena semelhante na missa em celebração dos 500 anos do Brasil (em 2000), presidida pelo Cardeal Angelo Sodano, em nosso País.

  4. Olá, inicialmente gostaria de parabenizar aos autores deste site pela excelente cobertura da sucessão papal, assunto que nos desperta imenso interesse. Acompanho também a cobertura que a revista Veja faz da sucessão. Na última matéria fala-se em formação de chapas: um candidato a Papa junto com um candidato a Secretário de Estado. O cardeal Bertone já teria formado a sua: Dom Odilo mais um cardeal de sua confiança para Secretário de Estado. Por outro lado, os “cowboys” americanos teriam formado a sua, composta pelo Cardeal Scola mais algum outro de sua confiança para o segundo cargo mais importante. Qual a opinião desta publicação a respeito disto? É pura especulação do autor do conto “O Grande Impostor” (conto em que um papa ateu secreto é eleito), Máriao Sabino? E quanto a frases como Scola é “iminigo mortal” de Bertone. E tão forte assim esse grau de inimizade? Acho também interessante especular sobre a influência de poderes externos no conclave. Vocês citaram em uma matéria a influência do Imperador Austro-Húngaro sobre o conclave que elegeu Pio X. A Veja, na última edição fala da influência da sociedade civil “Cavaleiros de Colombo”, grande arrecadadora de fundos para a ICR, que estaria pressionando os cardeais americanas a cobrarem explicações insistentemente sobre o “Vatileaks” e a colocar no papado alguém alheio à influência de Bertone. Procede?

  5. É muito significativo o não uso da patena. Aqui no Brasil o desleixo litúrgico é geral. A palavra é essa mesmo: desleixo. Quem se preocupa com o seguimento das rúbricas ainda é chamado de fariseu (sei do que falo…).

    De qualquer forma, a purificação (do chão, nesse caso) não deve ser feita apenas quando se derruba o sangue de Cristo? Com o pão não se retira de maneira respeitosa, tão somente? Grato a quem souber!

  6. Usar a bandeja da comunhão!?! Coitados, esses jornalistas italianos precisam vir ao Brasil e depois enviar um relatório para o próximo Papa, e que Deus nos abençoe e surpreenda com um bom Papa. A Santa Missa amanhã será em Latim em sua maior parte, conforme o colega já postou. Divulgaram hoje o Missal.

  7. Ferretti,

    Queira, por favor, excluir a referência a Missa “Pro eligendo Pontifice”; já o fiz no OBLATVS. Cometi o erro de me valer de uma fonte secundária em que só constava o texto italiano. Fui injusto com o decano neste particular e já pedi públicas desculpas pelo pecado cometido.

    Peço-lhe também desculpas por tê-lo induzido a erro, como também a seus leitores.

    Pe. Clécio

  8. Vinicius e Luiz Antônio, é fundamental que o Sacerdote ou Bispo coloque no local em que a Sagrada Hóstia caiu um corporal, para que depois de distribuída a comunhão e terminada a Santa Missa, ele possa realizar a devida purificação e também realizar orações reparadoras. Foi assim que eu vi um sacerdote fazer uma vez na forma extraordinária.

  9. Com a frase “candidato do campo progressista e dos que trabalham silenciosamente na cúria romana”. começa a ficar claro que Bertone é um e os que trabalham silenciosamente são outros … e os desavisados pensam que seja Bertone!!! !!! !!!

  10. Deus nos livre de Dom Odilo papa! Ele é um bom arcebispo de São Paulo (dentro do possível no Brasil), mas Papa já seria absurdo. A safra de cardeais não é das melhores, mas eu posso pensar em pelo menos uns 15 mais preparados do que ele!

  11. Caríssimo Ferretti e demais comentaristas, salve Maria!

    Eu entendo a preocupação de todos frente ao “plantel” pouquíssimo favorável dentre os cardeais, o que é agravado face à circunstância vivida pela Igreja.

    Mas eu peço que haja uma moderação mais firme (primeiramente no nível pessoal), para que se evite falta de caridade nos comentários, pois o que eu vi aqui foi simplesmente fofoca de língua que coça.

    E o Espírito Santo, onde fica? Eu tenho lá minhas preferências (Dom Burke) para este conclave e não sou (humanamente falando) simpático ao Papa Paulo VI, mas nem por isso me dou a liberdade de criticar ao Beato João Paulo II.

    E se for Dom Ravasi eleito? E se for Dom Dolan? E se for Dom Scherer?
    Ora, que sejam. O Espírito Santo sopra onde quer, o papel do Sumo Pontífice é acima de tudo sobrenatural. Já tivemos Alexandre Bórgia e a Igreja seguiu em frente com sua missão.

  12. A purificação do chão é algo previsto no Ritus Servandus ou no Rubricae Generales do Missale Romanum de 1962.
    A Institutio Generalis Missalis Romani de 2002 diz o seguinte, no número 280: “Se cair no chão alguma hóstia ou partícula, recolhe-se reverentemente. Se acaso se derramar o Sangue do Senhor, lava-se com água o sítio em que tenha caído e deita-se depois essa água no sumidoiro colocado na sacristia.”
    Portanto, se ele tiver recolhido reverentemente, ele cumpriu o que diz a IGMR. Se é mais ou menos reverente, piedoso, decente ou digno que na Forma Extraordinária, bem aí é outra questão.

  13. Segundo Padre Gabriele Amorth, considerado o maior exorcista vivo da atualidade, “Satanás teme muitíssimo Bento XVI. Suas missas, suas bênçãos, suas palavras são como poderosos exorcismos. Todo o seu pontificado é um grande exorcismo contra Satanás. A maneira como Bento XVI vive a liturgia. Seu respeito às regras. Seu rigor. Sua postura. Tudo é extremamente eficaz contra o demônio. A liturgia celebrada pelo Pontífice é poderosa. Satanás é ferido cada vez que o Papa celebra a eucaristia” (obra: “O último exorcista: minha batalha contra Satanás”, do pe. Gabriele Amorth, com Paolo Rodari, pg.179).

  14. Senhor Jairo, antes de escrever, leia isso e pare de se comportar como carismático:

    https://fratresinunum.com/2013/03/11/o-espirito-santo-e-o-proximo-conclave/

  15. A distribuição da Eucaristia aqui no Brasil é escandalosíssima, aberrante, desastrosa, fora raríssimas exceções…
    Enquanto não for proibida, peremptoriamente, a malfadada e sacrílega comunhão na mão, tudo continuará na mesma…
    O modo como a maior parte do clero pega na hóstia antes e depois da Consagração é um horror, a começar pelos Bispos e cardeais…
    Os leigos na recepção da comunhão…é melhor calar…
    E onde a comunhão é dada sob as duas espécies, que o fiel pega na hóstia, coloca-a no vinho consagrado e comunga????????
    D. Odilo agiu como está acostumado a agir aqui no Brasil…
    Por este descalabro, diz um velho padre, Paulo VI deve estar no purgatório até o fim dos tempos. Ele podia ter proibido, sob pena severa, esta prática abominável!

  16. Amigos: Antes tarde do que… nunca.!…A missa celebrada, ontem, por Dom Odilo, com todos os seus “incidentes”, não será, por acaso, um oportunissimo AVISO – vindo do céu – para mandarmos,logo, pra escanteio, a possibilidade de elegerem, o citado purpurado, como o próximo sucessor de Bento XVI ?…!!!.

  17. Renato Lima,

    Carismático é o adventista no cinema tranformado em “assembréia”.

    Eu sou católico tradicional e pró Liturgias Tradicionais (sejam Ocidentais ou Orientais), obediente ao Santo Padre.

    Pronto, li. What’s next?