Recusai a Eneas e recebei a Pio — Blog em recesso.

Caros amigos,

Com o comentário do leitor José Santiago Lima encerramos a cobertura intensa dos dias de sedevacante e do conclave que elegeu o Papa Francisco:

Pio II.

Pio II.

Traduzo um comentário do Reverendo Padre Canali, encontrado no site Cigueña de la Torre, que retrata justamente a esperança que nós católicos devemos nutrir após a eleição do cardeal Bergoglio, agora nosso Papa Francisco:

“Quando Eneas Silvio Picolomini – que havia escrito novelas frivolas – foi eleito sucessor de Pedro, assumiu o pontificado sob o nome Pio II. Ao apresentar-se na sacada, deparou-se com uma multidão enfurecida. O Papa não os condenou tratando-os como maus cristãos, mas antes simplesmente lhes disse: Aeneam reicite, Pium recipite. Recusai a Eneas e recebei a Pio”.

Embora tenhamos algumas más referências sobre o cardeal Bergoglio, este já não existe, mas sim Francisco, Papa. Que o bom Deus, mesmo sem merecermos, nos dê a graça de ver a história se repetir, como dizem sobre o Papa Pio IX. E que esqueçamos a Bergoglio e recebamos a Francisco.

* * *

Algumas lições para todos nós:

1) Pio II não condenou a multidão enfurecida: lição para os que se escandalizam com o temor de alguns fiéis. Somos todos feitos de carne e osso, e não seres angelicais. A excessiva compreensão manifestada para com homens que muitas vezes querem destruir a Igreja, lamentavelmente, não é estendida aos pobres fiéis que a amam.

2) “Aeneam reicite, Pium recipite”: lição para os que temem. Não se trata de tapar o sol com a peneira, mas antes, com um são realismo, de reconhecer também nossos limites e dar à Fé a última palavra: Non praevalebunt! Se o histórico preocupa, a Fé tranquiliza. Estejamos dispostos a carregar nossa cruz o quanto for necessário, mas tenhamos a certeza do triunfo da Igreja. Cultivemos não um otimismo mundano, mas a virtude da Esperança! Vale recordar aqui as palavras do nosso caro amigo Padre Élcio Murucci a uma leitora: ‹‹ Não deves temer. Jesus disse: “Ó pequeno rebanho, tem confiança, Eu venci o mundo”. É preciso que rezemos com fé, humildade, confiança e perseverança. Temos um Pai no Céu e também uma Mãezinha que disse: “Por fim meu Imaculado Coração triunfará!” ›› . E também a citação de Santa Teresinha feita pela leitora Fernanda:  ‹‹ Que me importa, ó, Senhor, se o futuro ameaça? Junto ao Vosso Coração Divino, não temo os dardos do inimigo, não temo nada ››.

* * *

O blog entra em recesso até a Semana Santa. A moderação dos comentários pode demorar mais do que o habitual e notícias urgentes podem ser postadas a qualquer momento.

22 Responses to “Recusai a Eneas e recebei a Pio — Blog em recesso.”

  1. Que aos dedicados, zelosos e competentes mantenedores deste exemplar painel de atualidades da Igreja, o Portal ” Fratres in Unun ” , não falte os mais amplos e merecidos manifestos de reconhecimento e gratidão . Com toda a amplitude : Muito obrigado e que Deus vos cumule de bençãos !

  2. Cada dia que passa o Fratres fica melhor. Que linda mensagem de esperança para os nossos corações, ainda um tanto desconcertados por indagações. A fé triunfa, pois Deus triunfa! E a nossa Mãe não nos desampará, certamente.

    Que Deus abençoe todos os mantenedores e colaboradores do site e continue a vos auxiliar nesse divino múnus.

  3. Vamos todos confiar em Deus e no Pastor que Ele escolheu para a Sua Igreja.
    Parabéns pelo blog e por este próprio post.

  4. Vamos confiar no santo padre é Deus que guia a barca

  5. O próprio Papa Bento XVI disse: “Lembremos que quem conduz a barca de são Pedro é Jesus, nosso Senhor”

  6. Obrigada aos responsáveis pelo Fratres, por toda a informação que nos forneceu, especialmente nos últimos dias!

  7. A tradução correta (cicerônica) seria: “Recusai Eneas, recebei Pio”. Mas, na presente conjuntura, acho preferível a tradução não literal como foi dada: “Esquecei Bergóglio e recebei Francisco”.

  8. A questão é: “Pio” continuou “Eneas” ou “Eneas” se converteu em “Pio”?…
    Eu estou farto de confiar como uma criança confia no pai. e de repente me ver “abandonado”….
    Estou farto de falsa piedade e de abandonos.
    Estou farto de “romantismos…
    Quero ver atitudes que exprimam confiança.
    A propósito Pio II (Na pintura.) está unando a “tríplice coroa” dos Papas.
    A questão é: “Pio” continuara Eneas ou Eneas se converterá em “Pio”???
    “Debulhemos” os Rosários. Vamos precisar…

  9. Bela lembrança. Lembramo-nos também de que até o “primeiro Papa”, antes de ser “Papa”, teve mancha grave em seu passado, talvez pior que a de seus sucessores: negou Cristo por três vezes!

  10. Mas foi Francisco ou Jorge Mário quem re-introduziu o Altar versus populum na Sistina?

    Quem usou uma Mitra horrenda em sua primeira missa papal em lugar das vestes da sacristia pontifícia?

    Quem recusou as vestes que Mons. Guido Marini havia colocado na “Sala das Lágrimas” para serem usadas pelo novo Pontífice (mozzetta papal vermelha, cruz peitoral com corda própria do hábito mais solene, sapatos papais, e especialmente, a estola papal)?

    O cerimonial da Santa Sé prescreve o uso da mozzetta e das vestes papais mais solenes para a bênção Urbi et Orbi. Até João Paulo I e João Paulo II, quando eleitos, compareceram à sacada da basílica de S. Pedro com as vestes mais solenes. Além disso, fotos oficiais e quadros foram feitos desses Papas nessas vestes, sendo estampadas tais fotos em bíblias, etc.

    Verdadeira humildade não é alterar o cerimonial público da Igreja para que ele se adeque às preferências pessoais, e, sim, submeter as preferências pessoais aos ritos, rúbricas e costumes da liturgia e do cerimonial da Igreja.

    Verdadeira humildade tinha o beato João XXIII, que não gostava da Sédia Gestatória, tinha medo de altura, medo de cair, medo do movimento brusco às vezes feito por um ou outro dos encarregados de carregá-la. Justamente por esse temor, o Papa João (que fora da sédia era uma pessoa até mais expansiva) ficava praticamente imóvel na sédia (enquanto o seu predecessor imediato, Pio XII, em geral mais contido era conhecido por fazer movimentos amplos na sédia, seja para gesticular, acenar ou abençoar). Mas, a despeito do seu receio acerca da Sédia, o Papa João sempre a usou, nunca a aboliu, mesmo sendo humilde. Porque a sédia era parte do cerimonial público dos Papas, e João XXIII sabia que esse cerimonial era mais importante que suas preferências pessoais.

    As atitudes do Papa Francisco me lembram mais os Papas Paulo VI e João Paulo I, grandes responsáveis pela abolição de costumes do cerimonial papal.

  11. Obrigado, editores do Fratres in Unum pela excelente cobertura de tão importante período de nossa Igreja. Deus os abençõe.

  12. Bela mensagem!

    Foi o Papa Francisco que Deus fez Papa.
    Que o Espírito Santo ilumine a Igreja, o Papa, o Clero e todo o Povo de Deus.
    Que seja o tempo de Fé, Esperança e Caridade.

    E viva o Papa!

  13. FAMULOS COR MARIAE, faço das suas palavras as minhas.
    Todos temos lições para aprender – explicadas no post com muito equilibrio e sensibilidade.Obrigada Fratres .

  14. “Benedictus qui venit in nomine Domini” (Sl 118,26). Nossas orações foram e estao sendo ouvidas! O Espirito Santo concede agora outro precioso dom para a Igreja e a humanidade: o Papa Francisco.
    Abramos nossos coracões e braços para acolhê-lo com as palavras de Dom Orani João Tempesta:

    “Seja muito bem-vindo aquele cujo nome nos evoca o testemunho dos grandes santos da Igreja, a iluminar seu pontificado. Louvamos a Deus pelo nosso Pastor, Francisco, da humildade e da pobreza, e também Francisco, grande missionário da nova evangelização”.

  15. “…E as portas do inferno não prevalecerão”.
    “…Por fim, Meu Imaculado Coração triunfará”.

  16. Comentário muito oportuno, se bem que ligeiramente romanceado, do ponto de vista histórico.

    Na realidade, o Papa Pio II proferiu a frase famosa numa bula, de 26 de abril de 1463, dirigida à universidade de Colônia, rejeitando o êrro do Conciliarismo do qual ele tinha sido defensor (e não seus escritos libertinos de juventude).

    Para os que compreendem o espanhol, segue um breve resumo das circumstâncias:

    Ya desde el principio de su pontificado se preocupó de condenar el conciliarismo y en la bula Execrabilis, de 18 en. 1460, condena y anatematiza a cuantos apelan del Romano Pontífice, vicario de Cristo, a las decisiones de un futuro concilio, práctica contraria a los sagrados cánones y nefasta a la cristiandad, y declara tales apelaciones «erróneas y detestables». Tres años después la bula In minoribus agentes, del 26 abr. 1463, viene a ser una confesión paladina de sus propios errores juveniles y una solemne testificación de que no cambió de ideas al ser elevado a la cátedra de San Pedro, sino que ya antes había abandonado el conciliarismo y combatido por el primado pontificio.

  17. 1° Recusar eneas, ou seja o cardeal Bergoglio? Porque se ajoelhou (entre outras coisas) diante de um pastor para pedir uma benção? Falar em recusar agora é facil, já que quem fez isso agora não faz mais porque assumiu outro posto na Igreja. Quem coloca a obediencia acima da Fé não tem coragem de recusar ninguém, pode fazer o escândalo que for, ensinar a heresia que for, estando na hierarquia da Igreja…. basta para obedecer. Preferem se submeter a quem não ensina a fé Católica na sua totalidade.

    2° O Papa Pio II disse de si mesmo para recusarem o que ele fez de errado, coisa que infelizmente o papa Francisco ainda não fez, pelo contrario, me parece que não está nem um pouco arrependido dos escandalos que promoveu como Bispo.

  18. Nessa madrugada, lendo a sinopse do livro E Satana si fece trino do Pe. Ariel Stefano Levi di Gualdo, eu achei uma máxima muito interessante, que procurarei aprofundar ao máximo e fazer com que ela faça parte de minha vida. Eis:

    Il cristiano che parla dei mali della Chiesa senza dolore e senza amore farebbe bene a tacere, perché aggiungerà solo inutile male al tanto male che già la devasta.

    Eu não sei italiano. Mas a tradução me parece bem simples.

    O cristão que fala dos males da Igreja sem dor e sem amor faria bem em manter o silêncio, porque acrescentaria mais um mal desnecessário ao grande mal que já a devasta.

    Creio ser mais ou menos isto. É preciso mais moderação nos comentários e uma maior confiança n’Aquele que detém o controle da Igreja.

    Sobre as pragas do Egito – não sei se serei preciso, pois não fiz questão de pesquisar para postar – mais especificamente sobre os gafanhotos, foi pela vontade do Senhor que o vento se direcionou de tal maneira que fez com que os gafanhotos invadissem a terra do Egito. E foi por sua vontade que o vento mudou de direção e fez com que os gafanhotos saíssem, de tal modo que não ficou um só gafanhoto.

    Se a Igreja está invadida por gafanhotos, tenhamos paciência e suplicamos ao Senhor para que Ele os expulse. E Ele é tão capaz disso que poderia eliminá-los todos. Se Ele permite alguns ou essa infecção generalizada, com certeza é por desígnios superiores ao nosso entendimento.

    Parabéns ao Fratres in Unum pelo valiosíssimo trabalho realizado. Em épocas tão conturbadas, às vezes é difícil encontrar uma justa posição e toda vez que o Fratres emite sua opinião, eu não posso deixar de me alegrar que muitas vezes coincide com aquilo que penso. Muitas vezes, porque nas restantes eu acabo de alguma maneira influenciado, corrigindo algum equivoco ou excesso.

  19. Mais moderação nos nossos comentários, os leitores…

  20. Estou desolado. Fui assistir no Youtube as bençãos Urbi et Orbi de SS. Bento XVI até SS. Pio XI (tem uma bem rara) e fiquei tomado de luto, tomado por uma sensação tremenda de perda. Minha indignação com isso tudo é inexprimível, minha tristeza acúlea e profunda.

    Kyrie Iesou Christe, Yie tou Theou, eleison himás.

Trackbacks