Marini, ressurgindo das cinzas.

Dom Piero Marini em uma de suas últimas presepadas no pontificado de Bento XVI.

Dom Piero Marini em uma de suas últimas presepadas no pontificado de Bento XVI.

O Papa Francisco recebeu em audiência, na manhã de hoje, Dom Piero Marini, o célebre cerimoniário de João Paulo II e discípulo de Annibale Bugnini, que fora defenestrado por Bento XVI para um dicastério insignificante na Cúria Romana.

Ouve-se na imprensa italiana que Marini, de 71 anos, poderia voltar a exercer alguma função importante no pontificado de Francisco, quiçá recebendo a própria chefia da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

Quem viver, verá.

28 Comentários to “Marini, ressurgindo das cinzas.”

  1. Livrai-nos Senhor!!!

  2. Publiquei a notícia no Facebook, mas não tive forças para clicar em CURTIR (Like).

  3. Alguém segure Francisco!

  4. Bento XVI defenestrou Piero Marini do Vaticano.
    Piero Marini é discípulo de Bugnini, que por sua vez foi defenestrado do Vaticano por João XXIII.
    Paulo VI chamou Bugnini de volta, o resultado, bem sabemos.
    Francisco chamará de volta Piero Marini, assim como Paulo VI chamou o mestre dele de volta.
    O resultado? Já conhecemos por antecipação!

  5. E se isso acontecer, será Cardeal!

  6. Eli, Eli, lamá sabactani…

  7. De repente, o Papa Francisco com alguns gestos, atos e palavras consegue suscitar manjados expoentes do modernismo católico, vivos e mortos. Não sabemos aonde toda essa demolição vai dar, quisera eu não ter nem idéia. Quem deve estar despreocupados, com certeza, são os sedevacantistas, já que para eles estamos sem papa desde 1958.

  8. Lembrei do ‘lance’ quando Constantino quis reablitar Ário…

  9. Dom Marini tem tudo a ver com o Papa Francisco.
    O próprio Papa voltou a usar os paramentos que Marini paramentava o então papa João Paulo II. Se Piero Marini voltar, é mais um sinal que o Papa Francisco romperá com toda a herança litúrgica do Papa Ratzinger.
    Creio que os irmãos irão concordar: a missa da Ceia do Senhor, pedia Piero Marini e não o Mons. Guido Marini… hehehe

  10. Agora é que o Carnaval vai começar… O deles…

  11. Observemos que o “azul” não é cor litúrgica, a não ser em alguns poucos lugares, como na Argentina.

  12. Libera-nos Domine!!

  13. Erguei-vos Senhor, Erguei-vos, por que pareceis dormir? Erguei-vos. O que podemos esperar, se não, mais um período de tormentas, meu Deus, quanto mais eu rezo pelo Beatíssimo Padre Francisco, mais notícia triste do Sumo Pontifice eu recebo. Marini como Mestre de cerimônias ou como Chefe de Discatério é uma excelente arma do inimigo. Rezemos para que Francisco tome jeito. Quisera eu não saber o fim desse filme…

  14. Que , Deus nos acuda! Fico pensando:

    – Como Bento XVI teve coragem de se revestir com paramentos tão ridículos? Bem que ele poderia ter dito :

    – Aqueles paramentos ridículos, eu não usarei, vista você, o carnaval acabou!

    Como ele é muito humilde e educado acabou tolerando esta desfaçatez modernista.

    E não é que o Papa Francisco I anda conversando com este senhor!

    Valha-nos , Deus Nosso Senhor! Cada dia que passa me sinto cada vez mais perturbado, não é possível, está difícil, porém, a nossa confiança vem do Senhor. Alguma coisa vai mudar, não percamos a fé.

  15. Senhores, senhores… O horizonte desenha mais um castigo terrível para a Igreja.

  16. Calma, vamos aguardar no Senhor. Quem sabe ele não foi apenas tratar do próximo congresso eucarístico internacional? Seria normal uma audiência com o Santo Padre. Mas que é curioso, isso é. Confiemos em Deus e na poderosa intercessão da Virgem Maria.

  17. Ah! Vamos aguardar os acontecimentos, sem “profetizar”, embora quase tudo seja meio previsível. O Papa Francisco pode abandonar os vestígios de herança litúrgica revividos por BentoXVI, mas seria contraditório, mesmo para ele, adotar o “estilo” carnavalesco de Marini…

  18. Adeus tradução decente do Missal no Brasil…

  19. Amigos…a situação atual não é para brincadeiras…estamos prestes a ver tudo o que amamos ser destruido definitivamente pelo atual Papa. Aplaudido pelos teólogos da libertação, ele irá acabar com o pouco que restou após o furacão do Vaticano II.Deus,tenha piedade de nós!!!

  20. Pelo menos agora vai ficar mais fácil para as pessoas entenderem que a Missa Tridentina é a melhor opção para católicos sérios.

  21. Estou aguardando a noticia desmentindo tal encontro! E se for verdade, que pelo menos, Marini tenha se mantido calado.
    Viva o Santo Padre! Viva a Santa Igreja.

  22. Justamente o que eu lamentava esses dias é o que lembrou o meu homônimo. No momento em que se dá a elaboração da nova tradução do Missal brasileiro, surge a possibilidade de uma “revisão” meio descuidada do Vaticano. Uma pena. Conhecendo alguns que participam da tradução, acho que tem gente pensando : O jeito é atrasar um pouco e deixar o Papa Francisco impor o seu estilo. Uma pena!

  23. Calma Pessoal. Foi só uma audiência. Qualquer bispo pode requerer audiências com o papa. Isso não quer disser nadar.

  24. Pedro, até o momento o Papa Francisco concedeu pouquíssimas audiências privadas, o que significa que aqueles a quem ele recebeu são, de alguma forma, pessoas “especiais” (para ele, claro)…

  25. Dentre os cardeais, já saiu no Vatican Insider que ele já recebeu Marc Oullet, Leonardo Sandri, João Braz de Aviz e Paul Josef Cordes. Li antes do conclave que Ouellet era fortemente cotado para assumir a Secretaria de Estado, em um dos cenários “especulados” pela mídia especializada. Talvez isto venha a se confirmar em breve.

  26. Caros leitores,

    as profecias têm de se cumprir. Diz Nosso Senhor: «farão cessar o sacrifício perpétuo» (cf. Dn 11, 31).

    Permitam-me uma reflexão. Sim, um discipulo de Bugnini é mais uma evidência do que está para acontecer. Penso que poderá auxiliar sobre o juízo moral (objectivo) do que tem vindo a contecer nos corredores de Roma.

    Muito se tem escrito – e discutido – sobre o próprio Concílio. Sobretudo, na perspectiva teológica. Mas numa outra perspectiva, é a que me proponho agora apresentar. As questões (ou problemas) a discutir são duas, e podem enunciar-se assim: Concílio Vaticano II (1961-65), porquê e para quê? Questionando a razão (porquê), ela se apresenta tão clara e precisa tal como foi proclamada por S.S. Papa João XXIII: o «aggiornamento» . Interrogando a sua finalidade (para quê): ele se apresenta na obra final mais relevante. Ora, se «a renovação litúrgica é o fruto mais visível de toda a obra conciliar» , temos aqui a sua finalidade. Duas faces de uma mesma moeda: Ecumenismo e Missa.
    Foi o Concílio uma inspiração , disse S.S. Papa João XXIII? Se sim, tal como referiu S.S. Papa João XXIII, interessa concluir de onde veio essa inspiração.
    Foi Providencialmente previsto pelo Pe. Deschamps em 1882, na sua obra «Les Sociétés Secrètes et la société», que «as reformas religiosas serão feitas por personagens de dentro da Igreja, que promoverão um concílio … que imporá a degradação dogmática e disciplinar, favorável à integração desta no Ecumenismo das Lojas» .
    O maçon Rudolph Steiner declarando em 1910, que: «nós precisamos de um Concílio e de um Papa para proclamá-lo» , identificava já a necessidade de um novo tipo de Papa «a quem os progressistas acreditavam favorecer a sua causa». Dom Lambert Beauduin, um amigo de Roncalli (o futuro João XXIII) confidenciou ao Padre Bouyer que: «se eles elegessem Roncalli, tudo seria salvo, ele seria capaz de convocar um Concílio e de consagrar o ecumenismo» . E assim aconteceu, tal como Dom Lambert havia predito. Roncalli foi eleito, convocou o Concílio e consagrou o ecumenismo. Facto que veio a ser audaciosamente comprovado em 1964, pelo maçon Barão Marsaudon, a afirmar que «os Católicos (…) não devem esquecer que todos os caminhos levam a Deus. E vão ter de aceitar que esta corajosa ideia do livre pensamento, a que podemos realmente chamar uma revolução, difundida através das nossas lojas maçónicas, se espalhou de forma magnífica por sobre a cúpula de S. Pedro» . Assumiu ainda a sua ‘paternidade’ ao assumir que «o ecumenismo é o filho legítimo da Maçonaria» .
    As trevas também falam sobre o Concílio? Assim falaram num exorcismo realizado pelo Pe. Pellegrino OSB; Mefistófeles, um demónio disse, num exorcismo realizado em 1971: «eu tenho a certeza do meu sucesso, sobretudo depois do Concílio. (…) Consegui levar a cabo o meu anti-Concílio por meio de uma parte do clero e dos padres progressistas: juntos, nós derrubamos as vossas tradições. (…) Eu destrui a Fé: o próprio Papa o afirmou, falando da crise de Fé; destrui a moral: os meus demónios impuros triunfam por toda a parte; destrui a Religião: as Igrejas esvaziam-se e as blasfémias substituem as orações; destrui a família: a prostituição é geral e os inocentes são massacrados com o aborto» .
    Por fim: as Instruções secretas dadas à Grande Loja foram claras: «Desejais estabelecer o reino dos eleitos (de Satã) sobre o trono da prostituta da Babilónia (Roma): que o clero marche sob vosso estandarte, sempre acreditando marchar sob a bandeira das chaves apostólicas». É o que «vemos hoje». “Quem tem olhos, que veja”.

    Se Dom Piero Marini foi discipulo de Bugnini, qual é o espanto? Sabeis usurpou o Trono de Pedro?

    PAX
    Rui Machado

    Documentos das referências acima registadas:
    Cf. Enciclopédia Católica Popular, D. Manuel Franco Falcão consultado em http://www.ecclesia.pt/catolicopedia/, a palavra aggiornamento significa: (= “es¬tar em dia”). Ter¬mo italiano que João XXIII popularizou como expressão do desejo de que a Igre¬ja saísse actualizada do Vati-cano II.
    Cf. Synodi Extr. Episc. 1985, «Relatio finalis», II, B, b. 1.
    Cf. Humanae Salutis, 25 Dezembro 1961: «acolhendo como vinda do alto uma voz íntima de nosso espírito, julgamos estar maduro o tempo para oferecermos à Igreja católica e ao mundo o dom de um novo concílio ecuménico».
    DESCHAMPS, Padre (xxx), (1882), «Les Sociétés Secrètes et la société», Librairie Générale Catholique et Classique, Lyon, France, Tome 2, p. 61.
    Cf. Graber, Bispo Rudolph (1974), Athanasius and the Church of our Time, p. 31-40.
    Cf. PONCINS, Vicomte (1968), Freemasonary and the Vatican, London, Britons Publishing Company, p. 14.
    BOUYER, L. (1964), Dom Lambert Beauduin a Man of the Church, Casterman, p. 180-181, apud BONNETERRE, Padre Dilder, Movimento Litúrgico, Ed. Fideliter, 1980, p. 119.
    Cit. da Open Letter to Confused Catholics, pp. 88-89.
    MARSAUDON, Yves, «Oecuménisme vu par um Maçon de tradition», L´horizon International, Ed. Vitiano, Paris,1964, p. 119-120.
    ERNETI, Pellegrino, OSB ([1993] 2005), Estratégias de satanás, Associação Mensageiros da Mãe de Fátima, Fátima, p. 63-64.
    Cf. Monsenhor H ENRI DE L ASSUS (1910), A C O N J U R A Ç Ã O A N T I C R I S T Ã – O Templo Maçônico que quer se erguer sobre as ruínas da Igreja Católica, p. 103

  27. O Papa Francisco, gloriosamente reinante, rapidamente mostrou o que quer. Força, papa!

  28. A cada dia uma notícia melhor que a outra!!! \o/