Profeta de desgraças.

Em seu sermão da Sexta-Feira Santa na Basílica de São Pedro, o Pregador da Casa Pontifícia, Fr. Raniero Cantalamessa, enalteceu o espírito ecumênico e criticou “os resíduos de cerimoniais e as leis e disputas do passado”, que, segundo ele “se tornaram apenas detritos”. Trata-se de uma indicação de como deve ser a “Nova Evangelização” de que tanto se fala nos meios eclesiásticos hodiernos? Mais: seria um programa de governo dirigido ao Papa Francisco, a quem Cantalamessa parece, de modo bajulador, vincular à missão de reconstruir a Igreja recebida por São Francisco? Apresentamos, a seguir, os trechos mais marcantes do sermão:

A evangelização tem uma origem mística; é um dom que vem da cruz de Cristo, daquele lado aberto, daquele sangue e água. O amor de Cristo, como o da Trindade, do qual é a manifestação histórica, é “diffusivum sui”, tende a se expandir e chegar a todas as criaturas, “especialmente as mais necessitadas da sua misericórdia”. A evangelização cristã não é conquista, não é propaganda; é o dom de Deus para o mundo em seu Filho Jesus. É dar ao Chefe a alegria de sentir a vida fluir do seu coração para o seu corpo, até vivificar os seus membros mais distantes.

Temos de fazer todo o possível para que a Igreja se pareça cada vez menos ao castelo complicado e assombroso descrito por Kafka, e para que a mensagem possa sair dela tão livre e alegre como quando começou a sua corrida. Sabemos quais são os impedimentos que podem reter o mensageiro: as muralhas divisórias, começando por aquelas que separam as várias igrejas cristãs umas das outras; a burocracia excessiva; os resíduos de cerimoniais, leis e disputas do passado, que se tornaram, enfim, apenas detritos.

Jesus diz em Apocalipse que está à porta e bate. Às vezes, como foi observado por nosso Papa Francisco, não bate para entrar, mas de dentro, porque quer sair até as periferias existenciais do pecado, da dor, da injustiça, da ignorância, da indiferença religiosa, de todas as formas de miséria.

Acontece como em certas construções antigas. Ao longo dos séculos, para adaptar-se às exigências do momento, houve profusão de divisórias, escadarias, salas e câmaras. Chega um momento em que se percebe que todas essas adaptações já não respondem às necessidades atuais; servem, antes, de obstáculo, e temos então de ter a coragem de derrubá-las e trazer o prédio de volta à simplicidade e à linearidade das suas origens.  Foi a missão que recebeu, um dia, um homem que orava diante do crucifixo de São Damião: “Vai, Francisco, e reforma a minha Igreja”.

“Quem está à altura dessa tarefa?”, perguntava-se o Apóstolo Paulo, aterrorizado, diante da tarefa de ser no mundo “o aroma de Cristo”; e eis a sua resposta, que é verdade também agora: “Não é que sejamos capazes de pensar alguma coisa como se viesse de nós; já que toda a nossa capacidade vem de Deus. Ele nos fez idôneos para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do Espírito, pois a letra mata, mas o Espírito dá vida” (II Cor 2, 16; 3, 5-6).

Que o Espírito Santo, neste momento em que se abre para a Igreja um novo tempo, cheio de esperança, redesperte nos homens que estão à janela a esperar a mensagem e, nos mensageiros, a vontade de levá-la até eles, mesmo que ao custo da própria vida.

41 Comentários to “Profeta de desgraças.”

  1. Assisti ao vivo essa defecção de Frei Raniero e na cara do Papa Francisco. Chorei! Estão destruindo a Igreja, com as bênçãos do Papa.

  2. HORROR!!!
    São Francisco de Assis, interceda por tua Igreja Amada!
    Meu Deus! Estou já desistindo de acessar a internet! Vou me enclausurar!
    Fazer votos de silêncio, surdez e ficar cega!

  3. Pelo o amor de Deus! Alguem poderia me dizer que imegem é esta ai!
    Não digam que é o que eu estou pensando, se não eu surto.

  4. Eduardo Gregoriano: Onde foi isto?

  5. Será que ele já leu/estudou o Catecismo Romano, sobre o artigo daqueles que pertencem a Igreja???

  6. Já pensaram que ele pode ter razão! E se tiver, como ficaremos? Será que estamos aptos a ter a humildade de obedecer? Será que nosso orgulho é maior que nossa obediência? Lembro-me da frase de Santo Agostinho: “Prefiro errar com a Igreja a acertar sem Ela.”

  7. Eduardo Gregoriano, do modo como vc fala parece que o Papa atual discorda da pregação do frei. Ele concorda totalmente, tanto que há fotos dele, quando Cardeal, rezando em sinagogas maçônicas e em encontros com “carismáticos” evangélicos, inclusive recebendo, de joelhos, a “benção” de “pastores” evangélicos pentecostais.

    Então somente vc está escandalizado, o atual não. Ele aprova esse tipo de discurso.

    Aproveita e dá uma lida no link acima.

  8. Voltar a simplicidade das origens é a lenga lenga de todos os movimentos heréticos

  9. Uma coisa é certa: Isso não acaba bem.

  10. O alvo principal é atingir a realeza de Cristo, feito isto, o resto fica tudo pulverizado. Para São Pio X a autêntica reforma “tinha a sua base na preservação e transmissão da verdade católica”

  11. Detritos? O Sacrificio é detrito? O zelo e o amor fervoroso dos bons sacerdotes é detrito? A Missa que foi rezada por todos os grandes SANTOS da Igreja é detrito?

    Eu confesso que parei de ler neste exato ponto: “se tornaram apenas detritos”. Que mais preciso ler? Que Deus lhe dê o que ele merece!

  12. Os defensores da igreja conciliar que venham aqui tentar justificar os atos e palavras desse Raniero Cantalamessa.

  13. Basílio,

    Foi na semana santa, sexta-feira da paixão em São Pedro. Assisti na CN com a péssima tradução deles. Mas entendi bem!

    Diogo,

    Da forma que você quis entender, sim, parece que eu penso que o Papa discorda de Raniero. Mas só da forma que você quis entender :)

    Francisco e Raniero são unha e carne!

  14. Para mim este e um dos maiores misterios do Vaticano – como um senhor que diz coisas desse calibre, frequentador e admirador de cultos protestantes , pode pregsr so Papa….

  15. Sobre a foto tenho uma pergunta, porque é que sempre vejo católicos “indo ao encontro” dos outros Cristãos? Nunca vi uma foto de um pastor indo a uma missa, recebendo benção de padre nenhum, ou de um Iman indo rezar em uma igreja.

  16. Ou seja, o pregador da Casa Pontifícia é um herege confesso. Santo Deus, livrai a Sua Igreja de tanta iniquidade e de tantos pervertidos. Deixai-a apenas na companhia de seus fieis!

  17. Será que só eu que conheço o Raniero “Não Canta mais a Missa” pessoalmente por aqui? Lá pelos idos dos anos 80 quando eu ainda dava meus rodopios por comunidades carismáticas como a “cearense” SHALOM, tive a oportunidade de ouvir dele pessoalmente, numa de suas várias palestras como se deu sua conversão.
    Como a maioria dos padres “filhos do Concílio”, ele contava que experimentou uma crise de identidade que quase o levou a abandonar o sacerdócio.
    Era professor de Universidade, dedicava-se à pesquisa científica na história das origens cristãs e experimentava um verdadeiro vazio espiritual. Segundo suas próprias palavras, a Igreja parecia um dinossauro sem vida, não sentia mais alegria naquelas devoções vazias e missas enfadonhas.
    Eu até me identifico com ele nesse ponto, por que era exatamente assim que eu me sentia quando frequentava as missas Novus Ordo.
    Mas isso só durou até que o convidaram a receber imposição de mãos de leigos carismáticos e voilá, tudo ficou colorido! Segundo ele depois de sua vocação religiosa, a Renovação Carismática foi a graça mais assinalada de sua vida.
    E que graça! Foi convidado a ser Pregador da Casa Pontificia! Virou Garoto Propaganda da RCC, vendeu mais livrinho herético do que Paulo Coelho e agora está “carne com unha” com o Papa.
    Esqueçam Raniero. Ele “não canta mais a missa”. Pelo menos a tradicional em latim, pra ele já era. Ele está mais do que convencido de que baixou nele um “espírito” que o leva a desdenhar todo o passado e a tradição da Igreja e que esse espírito é santo.

  18. Que o Senhor tenha misericórdia de sua alma e ilustre sua inteligência para mostrar-lhe seus equivocos.

  19. Está chegando o momento em que se fazem estremamente verdadeiras as palavras do Evangelho: “Quando o Filho do Homem voltar, encontrará Fé sobre a terra?”
    * A propósito: os únicos detritos que eu vejo são aqueles resultantes da “primavera” que promoveram nos últimos 50 anos.
    ** “Para adaptar-se às exigências do momento”: ué, isso não é era o objetivo do tal “aggiornamento” promovido pelo CVII?
    *** “houve profusão de divisórias, escadarias, salas e câmaras”: ué, não foi assim que surgiram as conferências episcopais (CNBB et caterva), comissões disso, pastorais daquilo, ministérios daquilo outro (tem até, aqui no RJ, um tal de “ministério do acolhimento”, com uns sujeitinhos e sujeitinhas ridículos usando um colete de flanelinha na porta das igrejas: são os “flanelinhas de Cristo”), CEBs, conselhos paroquiais, conselhos presbiterais? Então estamos combinados, Sr. Catalamessa: vamos pôr para fora todos esses detritos e voltar à simplicidade antiga, na qual havia uma única liturgia em latim, imutável por 1500 anos – e não uma liturgia self service (que chamo de “self-se quem puder”), que muda todo dia, toda hora, de acordo com a vontade do “presidente” (ditador?) da missa; vamos acabar com as conferências episcopais e deixar apenas o papa mandar na Igreja; vamos acabar com as pastorais e conselhos disso e daquilo e botar os padres para trabalhar duro em prol das almas – eles, que só vivem se envolvendo em questões políticas e sociais e dando aulas (?) nas PUCs.
    Que tal, Sr. Cantalamessa, começarmos por esses detritos que se acumulam há 50 anos e que fizeram com que uma incontável multidão de católicos apostatassem e fossem procurar em igrejolas “evangélicas”- esses açougues da Fé – aquilo que não conseguem mais encontrar na Igreja única e verdadeira?
    Que tal acabarmos com os detritos do “ecumenismo”, que não faz com que os hereges se convertam, e tentar excluir aqueles que nunca estiveram fora da Igreja (FSSPX)?
    Que tal, por fim, SR. Cantalamessa, retirar detritos como sua pregação, que confunde o povo de Deus e o lança ao abismo? E junto com suas pregações, livremo-nos, também, dos sermões lamentáveis dos padres modernistas que se baseiam em e tiram exemplos das novelas da Globo com toda a sua corrupção? Que tal voltarmos à simplicidade do catecismo católico, no qual o fiel se alimentava, junto com o leito materno, de uma doutrina sólida e verdadeira? Que tal acabarmos com detritos como: encontro de jovens, encontro de casais, terço dos homens, rincão disso, showmissa daquilo, Canção Torta etc. etc. etc.?
    É muito detrito para limpar, não é não, Sr. Cantalamessa? Só Deus, porque a Igreja está humanamente destruída, graças a fabricantes de entulho e detrito como o Sr.

  20. Acho uma coisa interessante, todos esses hereges querem “voltar para igreja primitiva”, mas parece que eles nunca estudaram como era a igreja primitiva.
    Lembra bem, que a divina liturgia de são tiago, considerado o mais antigo liturgia que existe, e escrito pelo próprio apóstolo tiago, há 4 horas de duração, nessa liturgia expulsa os não batizados depois da leitura de evangelho (o que nem missa tridentina faz).
    Ou tenho outro exemplo, durante o concílio de calcedonia (ano 451), os bispos ortodoxos proclamavam com muito fervor as anátemas contra dioscoros o herege.
    Por que esses hereges modernistas não querem tudo isso? Já que são coisas antiquíssimas.

  21. Olha que contradição, eles dizem que querem voltar para igreja primitiva, mas no mesmo tempo dizem que igreja deve ser modernizada.

  22. Leiam o n° 11 da humani generis.

    Depois continuem até o n. 13.

    Sim, esse senhor precisa de misericórida. É isso que eu desejo, pois se formos receber tudo o que merecemos, ninguém subsistiria. Mas também precisamos reconhecer que se estivessemos no mesmo recinto que esse sr., e ele pronunciasse tais palavras, seria necessário cobrir o nariz com uma mão e com a outra balança-la um pouco, para que o ar em volta ficasse um pouco mais respirável.

    Não deixem de ler a parte indicada da enciclica de Pio XII.

  23. Só Nosso Senhor pode resolver esta situação que está indo de mal a pior, realmente assustador ler isso…porém creio infinitamente na justiça de Deus e todo homem que quis fazer a sua própria vontade e não a de Nosso Senhor não teve um fim muito bom…

  24. Eles querem demolir o castelo da Igreja, suas muralhas, suas fortalezas, suas torres, seus depósitos… Talvez sobrem os alicerces, conservados por alguns fiéis leigos, religiosos ou do clero semi-exterminado – por isso, são chamados de “conservadores”.

    As autoridades dos modernistas não são os santos ou os doutores da Igreja; são Kafka, Nietzsche, Freud, Darwin, Teilhard de Chardin, Boff, Marx, Hegel, Rousseau, Voltaire e tantos outros picaretas.

    O primitivismo (principalmente o mal documentado) é mesmo a bandeira das heresias, como escreveu o Rafael.

    A foto é emblemática: o clero e os religiosos humilhados e de joelhos perante os protestantes mundanos em trajes seculares.

    Lamentável Vaticano II, lamentáveis textos papais pós-conciliares (documentos, novos CDC e catecismo).

  25. Vocês não tem fé… Duvido que publiquem essa minha fala… Mas uma coisa é fato. Vocês DEFINITIVAMENTE não crêem na Igreja e no Espírito que a conduziu pelos séculos nas mãos dos diversos papas… Conduziu-a por Pio V, Pio XII, João Paulo II, Bento XVI e, agora, Francisco… Realmente, vocês, como os hereges de todos os tempos da história da Igreja, NÃO TEM FÉ…

    • Nós, “Padre” Alexsander, como o senhor, seremos julgados por cada palavra dita. Nós o sabemos. O senhor sabe?

      E o que tem a ver uma coisa com a outra? Menos os sedevacantistas, os demais aqui não negam o Papado… mas, de qqr maneira, mesmo que fossemos todos sedevacantistas – e não somos, repito – como isso o levaria a deduzir que não temos Fé? O seu raciocinio é tão obscuro qto a “sua” fé.

      Fazemos uso da razão. Estudamos o Catecismo e a Doutrina da Igreja. Somos fieis à Tradição bimilenar da Igreja. Compreendemos qdo algo não vai bem. E algo não vai bem na Igreja. Vivemos um surrealismo que faz confundir a Roma Eterna (Catolica) com a Roma Apóstata (Conciliar). Mas isso para quem tem olhos para ver e ouvidos para ouvir… não causa confusão alguma!

  26. Queria entender onde esse tipo se escondia durante o reinado do PAPA Bento XVI???????

  27. Reverendíssimo Pe. Alexander, palavras muito duras de quem parece estar pouco entendido do que realmente acontecesse na Igreja e no seio das famílias, sim o Espírito Santo conduz a igreja, mas também Deus permite que o Demônio haja nas pessoas inclusive no clero, acredito também que o Senhor deva saber que o Papa só é infalível quando fala de Fé e Moral diretamente a todos os cristão e também temos vários exemplos disso durante o reinado de muitos Papas, agora eu pergunto será que o senhor sabe realmente o que é Fé? E como garante que não temos fé com tanta propriedade? Com que argumento o senhor afirma isso? Padre com todo o respeito acredito que precise estudar um pouco mais para entender essa grande crise na Igreja e que se intensifica com a chegada do Papa Francisco.

  28. Pe. Alexsander, com todo o respeito,

    ninguém deseja mais o bem da Igreja (daquela Igreja que guarda a Fé, não da “outra”) quanto os tão difamados “tradicionalistas”.
    O resto é conversa de neoconservador/progressista que quer enquadrar tudo numa obediência a uma hierarquia que já não guarda nem defende a Fé em Cristo (CNBB, por exemplo…).

  29. Caríssimo padre Alexsander Cordeiro Lopes, todo batizado se torna profeta, sacerdote e rei. E como profeta, anuncia o Evangelho da Vida e denuncia os Sinais de morte presentes na sociedade (inclusive na Igreja). Acredito piamente que o Espírito Santo conduz a Igreja e que o Espírito sopra onde quer, quando quer e em quem quiser. A Igreja, é santa e pecadora. Aliás, o joio está misturado com o trigo, conf. nos advertiu o próprio Cristo (eu mesmo sou testemunha ocular do pecado interno da Igreja: fui seminarista franciscano de um famigerado seminário ligado à TdL). Sugiro que o Senhor leia atentamente a trilogia de Bento XVI sobre Jesus de Nazará (principalmente, o discurso escatológico de Jesus: fim do Templo), qq semelhança da atual realidade da Igreja é mera coincidência. Encerro com a frase presente no seu blog: Não sou TL, não sou progressista, não sou tradicionalista. Nem esquerda, nem direita, nem centro. SOU CATÓLICO, de JESUS XTO. Detesto os rótulos. Sou eu mesmo.

  30. “Queria entender onde esse tipo se escondia durante o reinado do PAPA Bento XVI???????”

    Marcio Roberto Villa Lobos, esse profeta da desgraça na época de Bento XVI falava abertamente as mesmas heresias e nunca foi repreendido nem por Bento XVI nem por ninguém.

  31. Sr. Pe. Alexsander,

    Interessante o Sr. falar de “hereges”, referindo-se, obviamente, aos que amam a tradição e a verdadeira Igreja. Lanço-lhe aqui um desafio, lanço-o em bem no meio de sua face:
    Vá diante das igrejolas protestantes e repita essas suas palavras, chame-os de hereges, que é o que eles são, e não de irmãozinhos separados (novilíngua dos falsos ecumenistas). Vá e enfrente os verdadeiros inimigos da Igreja, Estude a verdadeira doutrina católica, prepare sermões católicos, com ensinamentos tirados dos Padres da Igreja e dos grandes santos e doutores da Igreja. Ou será que o Sr. é daqueles que baseia seus sermões nas novelas da Globo, nas séries da TV, nos filmes de Hollywood?
    Os fiéis conseguem ver no Sr. um verdadeiro pai espiritual, um outro Cristo? Ou será que o Sr. está dando a seus filhos espirituais escorpiões em vez de pão? Suas palavras são no mínimo fonte de escândalo para os verdadeiros católicos.

  32. Sr. Pe. Alexsander,

    Vou mostrar agora sua falta de maturidade e de coerência, fruto da formação abaixo do lamentável que vem sendo oferecida pelos seminários há algumas décadas.
    O Sr. nos chama de hereges, que são, por definição, inimigos da Fé e da Igreja. Mas em seu bloguinho, o Sr. diz
    :
    E o beato PAPA João XXIII ensinou: “Inimigos da Igreja? A Igreja não tem inimigos”

    Afinal, se a Igreja não tem inimigos, porque o Sr. nos trata como tal? Ou será que isso é mais um blablablá modernista, querendo camuflar um ódio visceral por aqueles que realmente amam a Igreja e que não suportam mais vê-la humilhada e destruída?

    No mesmo post de seu bloguinho, o Sr. diz:

    “São Paulo também: “Toda a amargura, irritação, cólera, gritaria, injúrias, tudo isso deve desaparecer do meio de vós, como toda a espécie de maldade. Sede bons uns para com os outros, sede compassivos; perdoai-vos mutuamente, como Deus vos perdoou por meio de Cristo.”

    Será que sua postagem aqui no Fratres é um espelho de sua citação? Olha primeiro a trave em seus olhos…

    Aliás, Sr. Pe. Alexsander, o que dizer de um outro seu post, tratando de “política”? Ei-lo, para que os leitores possam julgar se o nível de linguagem e o tom são de um sacerdote, um outro Cristo. Alguém consegue ver essas palavras nos lábios de Jesus? Vamos lá:

    “É… O “ministro” Marcelo Crivella deve saber muito de “pesca” sendo sobrinho do Edir Macedo… Se ele trabalhar aqui como imagino ter trabalhado na África (usando os métodos de seus tios Edir Macedo e R.R. Soares – ou seja, extorquindo os pobres e fiéis da sua “igreja”), as coisas vão ficar muito “bem” pra ele. Cambada de safados… É assim que se faz política nesse país? E o cara tem coragem de dizer que não entende nada de pesca… PELAMORDEDEUS DILMA ROUSSEFF!!! Pra que colocar esse cara neste ministério??? Pra (palavras do “ministro”) “homenagear o povo fluminense”??? Porque não homengeia o povo brasileiro colocando alguém de competência num cargo público só pra variar um pouquinho??? Tamo perdido, galera. Se os caras tem coragem de roubar pessoas simples em nome de Deus, o que não farão aos cofres públicos? Edir Macedo tá conseguindo o que queria… E mais uma vez fica provado que quem detém o poder econômico (mesmo que seja às custas da religião do povo simples, desrespeitando claramente a Constituição) manda em nosso país. FUJAM PARA AS COLINAS…”

    Agora nós entendemos sua ira, Sr. Pe. Alexsander. Na verdade, o Sr. está ofendidinho, pois a luta pelo bem da Igreja que tem sido pelejada por vários fiéis atinge diretamente o comportamente, o discurso vazio (ou cheio de absurdos), a inanição doutrinal de padres como o Sr. Mas não se irrite contra nós. Dirija sua santa ira contra os bispos e formadores que, por negligência ou falta de fé, não lhe deram a formação necessária para um verdadeiro sacerdote de Cristo, que transformaram os seminários em cursinhos de protestantismo e de heresia com um grau de ensino e formação tão baixo que nem os protestantes mais furrecas conseguiriam imitar. Enquanto os seminaristas, padres e bispos não querem saber de estudar latim e grego, vários protestantes estão se aplicando a essas disciplinas. Sim, vejam nas universidades quantos alunos de latim (!!!!!!!! língua oficial da Igreja!!!!!!!) e grego são protestantes? Agora compare com o que é “ensinado” dessas línguas nos seminários ditos “católicos”.
    Sim, Sr. Pe. Alexsander, agora nós entendemos sua ira…
    Mas que tal ser mais coerente e não nos tratar como inimigos. Afinal, “o beato PAPA João XXIII ensinou: “Inimigos da Igreja? A Igreja não tem inimigos””.
    Isto é bem a cara do clero modernista, que não acredita mais na existência do inimigo número um da Igreja, o pai da mentira…

  33. Pe. Alexsander, bem vindo ao comentário deste blogue!

  34. Misericórdia, quero morrerm paz com los fratres kkkk

  35. Sr. Pe. Alexsander, estou chocadissima de ver um padre da Igreja Pós-Conciliar usando o termo HEREGE! Eu realmente pensei que esse termo havia sido banido da Igreja depois do Vaticano II, afinal como o Sr. deve saber, aqueles protestantes que gostam de chutar imagens de Nossa Senhora, que nos acusam de idolatria e chamam o Papa de “A Besta do Apocalipse” e o Vaticano de “A Grande Prostituta”, agora são chamados pelas autoridades eclesiásticas apenas de “nossos irmãos separados”.
    E o que dizer dos judeus que seguem aquela seita talmúdica que não tem absolutamente nada com a fé de Abrãao que se concretizou em Jesus Cristo? Eles agora são apenas “nossos irmãos mais velhos na Fé”.
    Muçulmanos? Segundo o que andam dizendo por aí, adoram o mesmo Deus que se fez carne e habitou entre nós.
    Como pode ver, se já fica mal para o Sr. sair por aí chamando de herege, quem o próprio Papa Francisco chama de “irmãos separados”, irmãos mais velhos…etc, que dirá vir a público pra rotular como herege os seus irmãos batizados que professam o mesmo Credo Niceno que o Sr. tb professa.
    Ou quem sabe não professamos o mesmo Credo?
    Se é esse o caso, lamento-lhe informar que como os modernistas de todos os tempos da história da Igreja, quem NÃO TEM A FÉ que sempre foi professada na Igreja é o Sr.

  36. Amigos, devemos respeitar o sacerdote pela sua dignidade, e não pelo seu saber. Quando alguém é um verdadeiro sacerdote, ele é iluminado por Deus. Qto aos outros, é preciso que se tenha uma caridade sobrenatural e que se reze por eles. Obedecer salva sempre. Ainda quando não é bem perfeito o conselho que se recebe. O respeito ao sacerdote é sempre sinal de boa formação cristã. Ai dos sacerdotes que perdem sua chama apostólica, disse Jesus. Mas ai também de quem acha que lhe é licito desprezá-los. Porque são eles que consagram e distribuem o Pão verdadeiro que desce do Céu. Aquele contato os torna santos como um cálice consagrado, mesmo se não são santos. Eles terão que responder a Deus por isso. Não sejamos mais intransigentes do que o Nosso Senhor, que por ordem deles (sacerdotes) deixa o Céu, e desce para ser elevado por suas mãos. Se eles são cegos, se são surdos, se tem a alma paralítica e o pensamento doente, se são leprosos por muitas culpas em contraste com a sua missão, se são Lázaros em seu sepulcro, vamos clamar a Jesus para que os cure e ressuscite. Salvar uma alma é predestinar a própria alma ao Céu. Mas, salvar uma alma sacerdotal é salvar um grande número de almas, visto que todo sacerdote santo é uma rede que arrasta almas para Deus. E quem cair nessa rede é uma luz que se acrescentará à nossa eterna coroa da justiça. É a minha opinião. Atualmente, devido as minhas críticas construtivas para a Igreja e religiosos, tenho sofrido perseguição, pedidos “caridosos” de não mais enviar mensagens para seus e-mails, dentre outros. Sou uma voz que clama no deserto, a exemplo de S. João Batista.

  37. Não publicaram meu comentário???? Porque? Qual o medo? DOENTES! Ao menos quem escolhe os cometários vai ler isso aqui! Vocês não são católicos, são JANSENISTAS.

    • Pe. Alexsander, claro que vamos aprovar o seu comentário. É preciso que o seu nível fique exposto para todos os nossos leitores. Mais, fecharemos a discussão neste exato momento, para que a sua mensagem seja a última e receba todo destaque possível. O senhor venceu, padre, parabéns. Reze por nós. Pedindo a sua benção, o Editor.

  38. Interessante é perceber gente “chocadíssima” com o que falei, mas não chocada com o ATAQUE ao Concílio, ao Papa e à toda Igreja. prefiro morrer unido à Igreja de Jesus Cristo a romper com ela, como vcs tem feito. Como vcs deetam comentários, ao menos os administradores leiam e ponham a mão nas suas consciências… Convertam-se e creiam no EVANGELHO.