Diocese de Bauru declara a excomunhão de Padre Beto: incorreu de livre vontade no gravíssimo delito de heresia e cisma.

Padre Beto está excomungado por heresia e cisma: traiu o compromisso de fidelidade à Igreja em nome da “liberdade de expressão”.

Comunicado ao povo de Deus da Diocese de Bauru

Clique para acessar o original.

Clique para acessar o original.

É de conhecimento público os pronunciamentos e atitudes do Reverendo Pe. Roberto Francisco Daniel que, em nome da “liberdade de expressão” traiu o compromisso de fidelidade à Igreja a qual ele jurou servir no dia de sua ordenação sacerdotal. Estes atos provocaram forte escândalo e feriram a comunhão eclesial. Sua atitude é incompatível com as obrigações do estado sacerdotal que ele deveria amar, pois foi ele quem solicitou da Igreja a Graça da Ordenação. O Bispo Diocesano com a paciência e caridade de pastor, vem tentando há muito tempo diálogo para superar e resolver de modo fraterno e cristão esta situação. Esgotadas todas as iniciativas e tendo em vista o bem do Povo de Deus, o Bispo Diocesano convocou um padre canonista perito em Direito Penal Canônico,  nomeando-o como juiz instrutor para tratar essa questão e aplicar a “Lei da Igreja”, visto que o Pe. Roberto Francisco Daniel recusa qualquer diálogo e colaboração. Mesmo assim, o juiz tentou uma última vez um diálogo com o referido padre que reagiu agressivamente, na Cúria Diocesana, na qual ele recusou qualquer diálogo. Esta tentativa ocorreu na presença de 05 (cinco) membros do Conselho dos Presbíteros.

O referido padre feriu a Igreja com suas declarações consideradas graves contra os dogmas da Fé Católica, contra a moral e pela deliberada recusa de obediência ao seu pastor (obediência esta que prometera no dia de sua ordenação sacerdotal), incorrendo, portanto, no gravíssimo delito de heresia e cisma cuja pena prescrita no cânone 1364, parágrafo primeiro do Código de Direito Canônico é a excomunhão anexa a estes delitos. Nesta grave pena o referido sacerdote incorreu de livre vontade como consequência de seus atos.

A Igreja de Bauru se demonstrou Mãe Paciente quando, por diversas vezes, o chamou fraternalmente ao diálogo para a superação dessa situação por ele criada. Nenhum católico e muito menos um sacerdote pode-se valer do “direito de liberdade de expressão” para atacar a Fé, na qual foi batizado.

Uma das obrigações do Bispo Diocesano é defender a Fé, a Doutrina e a Disciplina da Igreja e, por isso, comunicamos que o padre Roberto Francisco Daniel não pode mais celebrar nenhum ato de culto divino (sacramentos e sacramentais, nem mais receber a Santíssima Eucaristia), pois está excomungado. A partir dessa decisão, o juiz instrutor iniciará os procedimentos para a demissão do estado clerical para enviar a Roma o procedimento penal para sua “demissão de estado clerical”.

Com esta declaração, a Diocese de Bauru entende colocar “um ponto final” nessa dolorosa história.

Rezemos para que o nosso Padroeiro Divino Espírito Santo, “que nos conduz”, ilumine o Pe. Roberto Francisco Daniel para que tenha a coragem da humildade em reconhecer que não é o dono da verdade e se reconcilie com a Igreja, que é “Mãe e Mestra”.

Bauru, 29 de abril de 2013.

Por especial mandado do Bispo Diocesano, assinam os representantes do Conselho Presbiteral Diocesano.

112 Comentários to “Diocese de Bauru declara a excomunhão de Padre Beto: incorreu de livre vontade no gravíssimo delito de heresia e cisma.”

  1. Parabéns, perfeito! Ahhh se essa “moda” de excomungar voltar quão bem isso causará à Santa Igreja a aos fiéis!

  2. As excomunhões justas estão voltando! Deo Gratias!

  3. Noooooosssa, que maravilha, nunca imaginei que veria isso, Deus seja louvado, e que o Pe Beto REFLITA se arrependa e retorne ao seio da Igreja.

  4. Meu Deus, não pensei que fosse ver isto em vida! Que o Bom Deus ajude este padre a recuperar o juízo, a fé, a pertença à Igreja. Mas não existe pena mais educativa do que esta. Educa quem a recebe e ainda serve de exemplo para os indisciplinados que pensaram em seguí-lo.

    Nosso Senhor guarde sobretudo o Bispo diocesano, pois seus pares no episcopado provavelmente vão atacá-lo. Periga receber reprimenda até de Roma, como aconteceu com Dom Sobrinho há pouco tempo. A sã doutrina é insuportável para eles, e ninguém mais, em suas concepções, está autorizado a reafirmá-la.

  5. Can. 1364 — § 1. Apostata a fide, haereticus vel schismaticus in excommunicationem latae sententiae incurrit, firmo praescripto can. 194, § 1, n. 2; clericus praeterea potest poenis, de quibus in can. 1336, § 1, nn. 1, 2 et 3, puniri.

    § 2. Si diuturna contumacia vel scandali gravitas postulet, aliae poenae addi possunt, non excepta dimissione e statu clericali.

    Deo Gratias!!!!!!

    Cân. 1364 — § 1. Sem prejuízo do cân. 194, § 1, n.° 2, o apóstata da fé, o herege e o cismático incorrem em excomunhão latae sententiae; o clérigo pode ainda
    ser punido com as penas referidas no cân. 1336, § 1, ns. l, 2 e 3.
    § 2. Se o exigir a contumácia prolongada ou a gravidade do escândalo, podem
    acrescentar-se outras penas, sem exceptuar a demissão do estado clerical.

  6. Não me alegro com a desgraça alheia. Que isso lhe sirva de lição e que ele se arrependa. Aí sim, farei grande festa.

  7. Nossa, eu fiquei emocionado. Ler um texto realmente Católico escrito por um Bispo que agiu de fato como um Católico contra um sacedorte que caiu em excomunhão e cisma, por não querer agir como um Católico, é de dar louvor à Deus! Deo Gratias!

    Incrível, que tudo isso é porque o herege quis dialogar, mas não com Deus e a Igreja, mas como mundo pagão e perdido. Que ele vá conversar bem longe!

  8. Simplesmente perfeito. Hahahaha

  9. Nossa! fiquei surpresa!

  10. Perfeita a decisão do Senhor Bispo, que Deus o ilumine cada vez mais e rezemos por ele.

  11. Nenhum católico se alegra com a excomunhão de Pe. Beto, isso é motivo de tristeza e oração. A alegria está na preservação da fé católica, a alegria está em ver que a Igreja, sob terrível ataque de um front onde só deveria receber apoio, soube se defender e expulsar de si este câncer, que lhe corroía por dentro.

    Meus parabéns ao senhor bispo!

  12. Que Deus abençoe e proteja o Bispo de Bauru! Por outro lado, rezo também pelo pe. Beto, para que se converta e volte à comunhão da Igreja de Cristo!

  13. As portas do Inferno nunca prevalecerão sobre a Santa Igreja! Graças a Deus um herege a menos. A justiça deve foi feita!

  14. Parabens Dom Caetano!!! Deo gratias!!

  15. Estamos em oração pelo conversão do Padre Beto… Quanto às providências do Bispo Diocesano de Bauru, nossa solidariedade…

  16. Quando age catolicamente temos de elogiar! Parabéns, Sr. Bispo, Vossa Excelência agiu como um bispo católico e testemunhou em favor de Cristo diante dos homens. Deus o ajude!

  17. A excomunhão do sr. Roberto Francisco Daniel é um refrigério para a Igreja no Brasil. D. Frei Caetano Ferrari mostrou que ainda há dignos sucessores dos Apóstolos nesta Terra de Santa Cruz! Deo gratias!

  18. Rezemos, a partir de agora, pela sua conversão, pois a excomunhão também é uma forma de levar o excomungado à reflexão acerca da perda de sua alma. Rezemos para que ele receba a graça do dom do temor de Deus e o dom do amor, para que ele se converta e viva.

    Todos nós, como católicos, temos a obrigação moral de rezarmos pela salvação de sua alma. Rezemos por todos os sacerdotes que estão nesta mesma situação nas nossas orações diárias, pois Deus quer salvar todos eles também.

    Fiquei feliz e triste ao mesmo tempo, pois, como o colega falou acima, o bispo agiu perfeitamente como deveria, aplicou a disciplina como um pai que repreende seu filho, esperando que, um dia, ele retorne à casa do Pai. Pois esta é a finalidade da excomunhão. Agora, se a pessoa pecar contra o Espírito Santo – que é o endurecimento do coração na impenitência, é realmente lamentável. Rezemos por ele. Assusta-me que qualquer alma possa se perder eternamente. É terrível.

    Como a excomunhão coloca em xeque a salvação da alma, a pessoa, dificilmente, não sentirá nenhum temor. Ajudemos com as nossas orações para que ele tema a perda de sua alma e volte, agora, sinceramente, honestamente, para o seu ministério.

    Deus tudo pode. Eu creio que ele pode se converter. A própria História da nossa Igreja o prova.

  19. Atitude exemplar do Bispo de Bauru, fez o que tinha que ser feito, com relação ao Pe. Beto rezemos para que se arrependa e retorne como um verdadeiro Sacerdote, um outro Cristo

  20. Ainda que justíssima a excomunhão, ainda que por direito eclesiástico, ainda que fruto do poder da Santa Madre Igreja, Mãe da verdade, Mãe da doçura dos sacramentos, não me alegro com ela! Sim, Deo Gratias, mas não sem dor!

    Repugna minha razão ver o deleite com uma alma fora da Igreja, me repugna! Antes a sua conversão, e se alegrar com a excomunhão, é se alegrar com Satanás que venceu sobre esta alma excomungada! A ti Igreja, todo o bem! Que ele se arrependa, para que exista festa no Céu pelo pecador arrependido.

    Fratres, se não quiser publicar isso, compreenderei e como sempre, não reclamarei.

  21. Jesus está triste com a excomunhão, não está pulando no céu de alegria e dizendo “bem feito!”. Mais uma ferida no peito de Jesus, e há quem se deleite com isso! Infelizmente, o meio “tradicionalistas” produz este tipo de fetiche!

  22. Fratres, não há como se alegrar neste mundo com a desgraça de um sacerdote. Rezemos. Tempos difíceis viveremos.

    Alegremo-nos com a justiça da Santa Igreja.

    Pobre padre! Como disseram: que não faleça sem antes se reconciliar com a Santa Madre Igreja.

  23. Enviem e-mail a diocese de Bauru felicitando pela atitude, foi só uma obrigação mas hoje em dia temos que parabenizar.

  24. Pois eu n solto fogos pq tenho medo daquilo. Ele disse disse: no gracias e eu digo DEO GRATIAS.
    Até pra ser herege tem que ter cacife!

  25. Quem está falando aí em desgraça do sacerdote, isso não significa que ele vá para o inferno,excomunhão não é condenação, mas se continuasse na Igreja certamente levaria muitas pessoas junto com ele.

  26. Todo pecado mortal nos tira da graça de Deus, gloriar-se com a excomunhão do Pe. Beto, enquanto manifestação do santíssimo direito da Igreja de imputar o pecado público de alguém para efeitos em toda a Igreja, é pensar em unidade de desígnio com Satanás que deseja a morte da alma.

    Podem me linchar! Mas sejam honestos, pois não critico a excomunhão do Pe. Beto, antes digo para a maior glória de Deus, mas critico sim o deleite!

  27. Eu espero que ele se arrependa, volte a comunhão com a Igreja mas não exercendo o sacerdócio, fique lá no banco dos fiéis, serviria para mostrar que a Igreja perdoa mas não tolera,ele claramente não tem vocação, não é uma coisa de opinião equivocada,é toda a mente dele equivocada.

  28. Vamos para Bauru?
    Assim que chegar em casa mando email para o bispo..
    Viva o Bispo de Bauru!!!!
    Viva a Igreja Católica Apostólica Romana!

    O excomungado disse que n tinha nada a ver com a decisão da diocese e que voltaria quando a Igreja se convertesse. Mas para voltar vai ter que se converter, tomou?????

  29. Não fico feliz pela excomunhão, fico surpreso e feliz pelo Bispo agir como Bispo. É uma medida dura, mas infelizmente necessária.
    Oremos por Dom Ferrari e para que o “Beto” se converta e volte para o seio da Santa Igreja.

  30. Ai ai, ninguém se alegra pela corrupção ou defecção de um Padre (se é que algum dia ele o foi).

    Mas uma vez tendo se afastado de seus ofícios e obrigações, causando escândalo a muitos e os afastando da verdade, é motivo de alegria que um câncer que mata um corpo seja arrancado.

    Eu não me compadeço com o Padre. Compadeço-me com os milhares de miseráveis que foram assistir suas ‘missas’ nesses dois dias em que ele ja havia declarado o abandono da Igreja Católica. Caminharão para o abismo junto com esse falso pastor.

    Que o homem Roberto Francisco Daniel possa se converter e salvar a sua alma.

    Mas que o Padre Beto nunca mais pise na Igreja enquanto Padre.

    Esse sujeito não merece uma segunda chance, pois ao que consta, ele não teve apenas uma ou duas chances, mas milhares…

  31. Meu e-mail para a Diocese e o Sr. Bispo. Vamos mandar e-mails como forma de manifestação de apoio.

    “Salve Maria!

    Gostaria de parabenizar a Diocese de Bauru, na pessoa de seu Bispo, pelo ato corajoso e fiel de fidelidade a Cristo e Sua Igreja, excomungando o sr. Beto.

    Oxalá a Igreja usasse mais desse seu poder sagrado de excomungar, isso não somente é um ato de caridade para com o herege, dando-lhe possibilidade de pensar seus atos e se arrepender, como é um ato de caridade imensa para com as almas dos fiéis leigos, que se sentem assim seguros e firmes na verdadeira Fé.

    Parabéns pela atitude! Deus abençõe sempre mais o Sr. Bispo e a Diocese, que sirva de exemplo para todas as Dioceses do país.

    Atenciosamente”

  32. Obrigado Dom Ferrari por sua coragem e fidelidade a santa Igreja de Deus. Rezemos pelo Pe. Beto!

  33. Confesso que estou surpreso com a determinação de Dom Caetano. Sempre admirei esse grande pastor, e agora admiro ainda mais. Não baixou a cabeça pra gritaria da mídia nacional inteira, que nunca se move para divulgar as perseguições sofridas pelo Frei Tiago, mas tentou dar ares de escândalo a essa palhaçada vitimista do “padre baladeiro”. Haja paciência.

    Não quero tentar impor uma agenda ao site, mas acho que um editorial sobre o assunto cairia muito bem. Sou bauruense e garanto que esse escândalo tomou conta da cidade inteira, ninguém fala de outra coisa! A mídia, obviamente, está do lado do padre e preocupada com um “retorno à Igreja da idade média” (eles consideram isso ruim). É hora de dizer a verdade e impedir que as calúnias contra o bispo se propaguem! Ele teve paciência até demais!

  34. http://www.facebook.com/groups/584511818239474/permalink/586272438063412/

    Nesse link vemos os comentários de leigos, em apoio ao excomungado. Com argumentos incríveis, provavelmente aprendidos na catequese atual, dizem até sentir nojo do Bispo.

  35. Ele mesmo já se havia excomungado, ao defender idéias diametralmente opostas à Igreja. Tudo o que se fez foi oficializar o fato.

  36. A cara-de-pau humana não tem limites… Acabo de ler na internet que o padre declarou que a excomunhão “não muda em nada” a sua vida. Era o caso de perguntar: se pertencer a Igreja e comungar não mudam a vida “em nada”, o que o senhor estava fazendo no sacerdócio esse tempo todo??

  37. Eduardo Gregoriano, faço minhas suas sapientíssimas palavras.

  38. Comp é óbvio , não posso me alegrar com a justa punição que o Exmo.Sr.Bispo de Bauru , que Deus guarde e abençôe , infligiu a este pobre sac3erdote , totalmente perdido e preseverante no erro.Porém , devo cumprimentar Sua Excelência Reverendíssima Dom Frei Caetano Ferrari O.F.M. , pela sua firme atuação como Pastor , Doutor da Fé e Juiz em sua Diocese.Se houvesse mais Bispos como Dom Frei Caetano , as coisas estariam muito melhores !Lamebnto muitíssimo o desvio de um sacwerdote , mas ele faria muito mais mal se continuasse dentro da Santa Igreja do que fora dela.Que outros que , infelizmente , apunhalam a Santa Igreja ” de dentro ” , sigam o seu exemplo e deixem de traí-la

  39. Acho que isso não deve ser motivo de júbilo de ninguém. Ninguém que de fato ama a Igreja deve ficar contente com a excomunhão de um padre. Isso é muito triste. Louvo apenas a atitude firme do bispo em defender a fé, a doutrina.

  40. Obrigado Pe. Bruno Costa, OSB. Obrigado!

  41. Alguns estão vendo o ato de excomunhão como um mal…. Ora, esse ato é um bem enorme, não somente para os fiéis, mas para o próprio Sr. Beto. A excomunhão é um ato de extrema graça concedida pela Igreja, que, agindo assim, dá ao herege a oportunidade de rever seus atos e se converter. Logo, Deus está feliz sim com a excomunhão, pois não somente se está salvando o rebanho das mãos de um péssimo pastor, como se está dando a esse péssimo pastor a oportunidade de ele se converter, de mudar de vida. Dizer que Deus não está feliz com a excomunhão é o mesmo que dizer que Deus não se alegra com a justiça…

    A Escritura diz que o “justo se alegra com a justiça”. A justiça é um bem enorme e Deus se alegra com ela. Esse deve ser também o nosso sentimento, de alegria diante de atos justos. E a excomunhão foi um ato justíssimo do Sr. Bispo.

    Enfim, se o sr. Beto quiser, esse ato aparentemente mau (excomunhão) aos olhos do mundão pode se transformar num bem enorme para a sua vida, redundar numa graça enorme, que é a sua conversão e salvação.

    Logo, não há nada a lamentar por esse ato, mas tão somente se alegrar mesmo. Agora cabe ao sr. Beto e sua liberdade. A Santa Igreja concedeu a ele a GRAÇA (excomunhão) da oportunidade de mudar de vida e se salvar.

  42. Gloria a Deus nas Alturas …

  43. De fato Sérgio Roberto, antes um herege fora da Igreja que dentro dela, o dano seria muitíssimo maior se esta situação perdurasse. Sim, obrigado ao Bispo de Bauru, por ter tido a coragem de tomar esta medida tão severa e dolorida para o bem da Igreja. Mas, me alegrar não! Mil vezes não!

    Sim, a excomunhão foi para a maior glória de Deus e salvação das almas. Sim, foi necessária, mas não, mil vezes não posso dizer que ver o pecador se entregou a Satanás é motivo de alegria. Antes chorassemos, antes no exato momento que ficamos sabendo da excomunhão, invés de fogos, derramássemos lágrimas pela alma tão cara a Cristo ter se perdido. Alegrar com isso não é católico!

  44. “Antes chorassemos, antes no exato momento que ficamos sabendo da excomunhão, invés de fogos, derramássemos lágrimas pela alma tão cara a Cristo ter se perdido. Alegrar com isso não é católico!”

    Desculpa, mas sentimentalismo protestante isso aí… Com relação ao ato da excomunhão ser um grande bem, reporto ao meu comentário anterior a fim de evitar tautologia.

    Por fim, parece que não entendeste muito bem o significado do ato. O sr. Beto não está condenado ainda, logo, ele “não se perdeu” como tu disseste. Ao contrário: esse ato de graça pode redundar justamente na sua salvação, na sua conversão. Se a Igreja não tivesse excomungado ele, muito provavelmente ele iria ficar na “ilusão” para o resto de sua vida de que “é membro vivo da Igreja”, o que é falso, já que ele está em heresia pertinaz. É próprio do Diabo criar esse tipo de “ilusão” na mente das pessoas. Graças a Deus a Igreja foi misericordiosa para com ele, alertando-o de sua real situação perante Deus.

    A bem da verdade a Igreja nem precisaria excomungá-lo formalmente, pois, segundo as leis da Igreja, ele já estava excomungado antes dessa declaração. A sentença do Bispo, no caso, é meramente “declaratória”, e não “constitutiva”. O sr. Bispo está simplesmente reconhecendo uma situação de fato já existente.

  45. Esse sujeito não merece uma segunda chance, pois ao que consta, ele não teve apenas uma ou duas chances, mas milhares…

    Ele não merece mesmo uma segunda chance, merece mil, dez mil, cem mil chances. Isso é absurdo! Não me calarei, não me calarei! Vocês são motivo de escândalo para as pessoas mais simples aqui!

    E alguns não estão vendo a excomunhão como um mal, duzentas vezes escrevi que é para o bem, ora!

  46. Perfeito,Diogo!

    Fiquem com Deus.

    Flavio.

  47. Logo, alegrar-se com a excomunhão dele é um ato católico sim. Oxalá esse ato agora redunde em sua conversão, o que vai depender de sua correspondência à graça divina. A graça lhe foi concedida, ele foi excomungado. Cabe a ele agora ser grato para com a Santa Igreja que o alertou de sua real situação perante Deus.

    O que não é católico é aplicar o sentimentalismo protestante na Teologia. Abraços.

  48. Cristo teria morrido 100 milhões de vezes por esse herege! Teria sim!

  49. Bravo!

    Quem queria dialogar só queria monologar – e acusa a Igreja de ser o que é: intolerante, dono da verdade e necessitado de conversão.

    Quem queria refletir e propor reflexões não se propôs pensar um pouco para ver se seus acusadores tinham razão ou não.

    Que sirva de exemplo – também para outros bispos.

    Bravíssimo, D. Caetano!!!

  50. O sr. está confundindo as coisas, Eduardo.

    Primeiro, eu não vi aqui no blog nenhum comentário do tipo que possa ser considerado um fetiche surgido no meio tradicionalista. Há reações de todos os tipos. Exceto as que o sr. vem mencionando.

    Pe. Beto não é um pecador que se entregou a Satanás, mas alguém que conscientemente corrompe o dogma da Santa Igreja e destrói a vida da graça nas almas fieis, ao menos daqueles que o seguem.

    E as reações de alegria foi a de ver um bispo corajoso cumprir suas funções.

    As reações de alegria é de que uma parte doente do corpo não poderá mais contaminar outras partes saudáveis. Pois ela foi arrancada.

    A reação de alegria é que esse sr. jamais poderá ser convidado por qualquer programa de televisão e falar sobre a Igreja Católica como se fosse um especialista. Nele há a pecha de excomungado que muitos que vão na tv falar em nome da Igreja deveriam levar.

    Reservo minha tristeza ao tempo que esse homem ficou no seio da Santa Igreja corrompendo as almas.

    E repito o que eu disse. A defecção de um Padre sempre é motivo de tristeza. Mas a tristeza termina aí. Pelo fato de um sacerdote ter traído seu ministério.

    Que o homem Roberto Francisco Daniel retorne ao seio da Igreja.

    Mas que Pe. Beto nunca mais em sua vida pise nela.

  51. Eu fico imaginando a rodada de baiana que o Pe. Beto deve ter dado na Cúria, quando foi convidado para conversar com o padre canonista, já que não conferia mais àqueles homens nenhuma autoridade sobre si, o que deve ter certamente solidificado a certeza da necessidade da excomunhão.

  52. De fato , caro Eduardo , a excomunhão é uma pena medicinal , mas como seria maravilhoso se ela nunca fosse aplicada , por ser desnecessária !É muitíssimo triste saber que um Sacerdote , um homem ungido para atuar ” in personam Christi ” , que celebra a Santa Missa , possa ter chegado a merecê-la ! Rezemos por ele e por todos os outros maus sacerdotes !

  53. Pessoal, é assim:

    1 – A excomunhão do padre foi justa e o bispo não se omitiu. Isso é um bem. Fiquemos alegres por isso!

    2 – O padre está correndo um grave risco de ir para o Inferno e ainda levar um monte de gente com ele. Isso é um mal. Fiquemos triste com isso.

    O ponto 1 é a novidade do dia, o ponto 2 já era conhecido. a Igreja não faz mal algum quando excomunga um herege justamente. Ao contrário, um grande bem foi feito. Mal seria não fazer nada. Ficar alegre com uma coisa boa não tem nada de mal! Nada mesmo!

    O que deve nos entristecer é o fato de o padre não ter se convertido. Isso sim é um problema!

    NÃO É A EXCOMUNHÃO QUE ESTÁ COLOCANDO A ALMA DO EX-PADRE EM RISCO E SIM A PERSEVERANÇA DELE NO PECADO E NO ERRO!

    A única novidade que a excomunhão pode trazer para o padre é a conversão dele! Não vejo nenhum motivo para me entristecer com ele e gostaria de ver mais excomunhões justas acontecendo aqui no Brasil (sim, eu preferiria conversões, lógico!)

    Vamos rezar pela conversão dos hereges e pela coragem dos pastores.

  54. Concordo planamente com o Eduardo Gregoriano, o Bispo fez o que foi necessário e precisamos rezar pelo Padre Beto, essa é nossa obrigação de leigos.

  55. Então pessoal, falta agora o Padre Fabio de Melo da Canção Nova que também defendeu o casamento civil de homossexuais em entrevista no Jornal Folha de S. Paulo.

    O que me impressionou foi a demissão por heresia e cisma – palavras um tempo atrás que era pecado falar entre os católicos CVII e os carismáticos sem carisma.

    Realmente os ventos sopram para a Direita: é a Virgem Santíssima destruindo as heresias.

  56. Eduardo Gregoriano, faço minhas suas sapientíssimas palavras. [2]

    Só de ler “nem mais receber a Santíssima Eucaristia” minha alma estremece. Como pode alguém se alegrar com isso? Como pode o próprio Padre Roberto não se sentir destruído por estas palavras e buscar com todas as forças de sua alma voltar a plena comunhão com a Santa Mãe Igreja?

  57. Eduardo Gregoriano,

    Concordo com tudo o que você escreveu. Sim, o Bispo fez o que tinha que ser feito e eu o parabenizo por isso. Rezarei por ele, pois teve a coragem que muitos não têm. Quanto ao padre Beto, fiquei muito triste quando anunciou que não se retrataria. Não nos esqueçamos do que está escrito em Lucas 15. Rezemos pela conversão de todos (inclusive pela nossa própria) e, em especial, por todos os sacerdotes.

  58. Como não dizer dizer Deo Gratias?!
    Como também não sentir a dor de Jesus?!
    Em mim há alegria de ver uma Igreja que não se cala diante dos hereges e cismáticos. E a dor do meu doce Jesus, por ver afastado esse pobre homem da Sua Santa Igreja…
    Reconheço agora o Fratres que nos ajudou nessa “empreitada”. Nesse bom combate.
    Peço ao Fratres que nos ajude a divulgar o que também acontece nas nossas Dioceses, nas nossas Paróquias. Aos absurdos que ouvimos, que vemos cotidianamente. Se possível divulgando o email até de Roma se for o caso. Jesus prometeu uma foice para limpar os campos da Sua Igreja. Ele também apieda-se dos que sofrem por ver tanta gente sujando sua Imaculada Esposa!

  59. Por favor, a confusão não faz sentido.

    1) Há sim alegria em ver um bispo agindo como um pastor, caridoso e convicto. Houve 4 anos (4 anos!!) de negociações e conversas com o sacerdote. Sem sucesso. E na infeliz realidade em que vivemos, em que bispos agem em favor de sua carreira (se muito), a novidade é sim motivo de suspiro revigorante. Outrossim, o bispo demonstrou coragem e princípios, propriedades raras no homem contemporâneo — clérigo ou não.

    2) É notório e evidente que entre o grupo tido como “tradicionalistas” se infiltram vários tipos de desequilibrados mentais e pervertidos, cheios de moral farisaica. Os tradicionalistas não tem nada a ver com isso. É algo bem natural até, que um meio de rigorosa reflexão moral e franca adesão a formas conservadoras seja um esconderijo perfeito a esse tipo fácil de figura que ou bem se esconde do mundo ou bem de si mesmo. A Igreja está cheia disso (não só entre tradicionalistas, mas entre carismáticos e Libertação também). Novidade para alguém aqui? Então vá mais à Igreja. Essas pessoas não apenas estão felizes com a atitude do bispo. Elas estão celebrando mesmo, porque para elas é tudo assim, um fla-flu, macabro que seja. Negar a ocorrência dessas pessoas por aqui é tão equivocado como identificá-las como “tradicionalistas”. Prefiro chamar de “tradicionalísticos”.

    3) Rezar pelo Padre é o mínimo, mas talvez seja tarde, afinal ele não participa mais da Comunhão dos Santos. A situação é gravíssima. Pois, como disse o prelado, foi ele quem foi à Igreja pedir ordenação e também foi ele quem jurou deliberadamente a fidelidade em que agora pisa e chuta ao canto. Compreendo que um sacerdote passe não apenas por uma crise de fé, mas até por uma crise vocacional mais profunda. Ele poderia ter procurado seu bispo e pedido um afastamento por tempo indeterminado, ido viajar, retirar-se em meditação, investido em estudo ou numa carreira intelectual buscado, enfim, alguma reorientação pastoral e vocacional. Se ainda assim se decide por abandonar as funções ministeriais e pela demissão do clero, com toda a gravidade do tema certamente seria algo bem menor do a excomunhão que recebeu, incorrendo em pecados gravíssimos (heresia e cisma).

  60. Eduardo Gregoriano, reitero suas palavras sem tirar nem por.

    Nosso Senhor repetidas vezes em revelações particulares pede reparação pelos pecados cometidos pelos pecadores, especialmente pelos que lhe são consagrados, e que a perda de uma alma afunda seu coração em tristeza mortal. Na realidade, nem precisaríamos de revelações particulares para saber disso, mas não deixa de ser um chamado providencial como o foram a S. Margarida Maria do Alacoque, aos pastorinhos de Fátima, a S. Faustina, etc, porque facilmente o esquecemos. Em todos essas ocasiões pede orações e sacrifícios para que não se percam os pecadores.

    Uma coisa é ficar feliz porque a Igreja agiucom clareza sobre a seriedade da heresia e do cisma. Outra, muito muito distante, é se alegrar ou ficar indiferente com a defecção do sacerdote.

    Espero em Deus que todos os que se dispensaram de desejar chances de conversão pro sacerdote não vejam Deus lhes tolher a vida em pecado mortal, julgando suas almas com a medida com que julgaram a do padre.

    Rezemos muito pelos sacerdotes, pelos bons e pelos maus.

    PS: Infelizmente existe sim um fetiche nos meios tradicionalistas. Já fiz, em um blogue famoso por aí, pessoas festejando, por ocasião da morte do ditador, a ida de Hugo Chavez ao inferno. Deus tenha piedade de nós.

  61. Parabéns ao Bispo de Bauru, pela coragem da não omissão. A fé católica é para ser DEFENDIDA, pois não há caridade fora da verdade. Rezemos ainda pela conversão, necessária a todos nós para a salvação.

  62. Gregoriano, por favor, abandone o sentimentalismo.

    Quando eu disse que ele não merece uma segunda chance, pois já teve milhares delas, é claro que eu me refiro ao sujeito retornar ao sacerdócio na Igreja Católica.

    Leia direito e sem preconceitos. Repito, mas só para o sr.
    ______

    Que o homem Roberto Francisco Daniel possa se converter e salvar a sua alma.

    Mas que o Padre Beto nunca mais pise na Igreja enquanto Padre.

    Esse sujeito não merece uma segunda chance, pois ao que consta, ele não teve apenas uma ou duas chances, mas milhares…
    ______

    Entendeu?

    Enquanto pecador todos merecemos a chace do perão, quando verdadeiramente nos arrependemos. Enquanto Padre, que teve milhares de chances de se emendar, não merece retornar para Igreja enquanto Padre.

    O sentimentalismo cega…

  63. E Gregoriano, o sr. construiu um boneco de espantalho e o cobriu de porrada com esse seu discurso sentimental. Nada do que o sr. disse pode se aplicar aos comentaristas do blog. Eu concordo com o essencial do vosso discurso. Mas não vejo como o sr. possa arrancar as vestes de indignação e não se calar, por ver as pessoas mais simples afetadas pelo que aqui se diz.

    Ningué, até agora, pode ser imputado o que o sr. disse.

    Leia novamente os comentários, atendo-se ao verdadeiro sentido do que foi dito, e o sr. verá que não havia motivos para se pronunciar de forma tão melindrosa.

    Fetiche nos meio tradicionalista…

    Não me calarei, não me calarei… vocês são motivos de escândalo…

    Ora, faça-me o favor… Já dizia o Pe. Faber que nada escandaliza mais do que a facilidade en escandalizar-se.

  64. E eu concordo com Diogo. Faço minha as suas palavras.

    E uma precisão: Quando disse que Pe. Beto não era um pecador que se entregara a Satanás, lógico que eu quis dizer que ele se tornou algo para além disso. Visto que corromper o dogma e escandalizar os fieis, arrastando muitos para a própria perdição, é algo muito mais grave do que um pecado pessoal.

    As vezes na pressa a gente acaba cometendo imprecissões. Mas que se mantenha sempre o sentido da doutrina da Igreja.

  65. Em outro post critiquei o Sr. Bispo de Bauru por achar que ele tinha demorado em tomar um atitude. Agora, quero parabenizá-lo. E oferecer minhas humildes preces em seu favor…

  66. Eu fico aqui pensando no contraste de duas situações. Quando o Papa Bento XVI anunciou a anulação das excomunhões dos quatro Bispos da SSPX, Bispos europeus ameaçaram Cisma e começaram a levantar motim contra o Papa.
    Quando Dom Marcel Lefebvre e Dom Castro Mayer receberam injustas sentenças por defenderem a Doutrina Permanente da Igreja não vi nenhum modernista rasgando as vestes, muito pelo contrário! As campanhas de difamação correram de vento em popa manchando até a memória desses corajosos defensores da Fé.
    Agora, quando um infiltrado, um lobo em pele de cordeiro, um herege pertinaz é afastado da Igreja pra que não continue a arrastar com ele outras almas para o inferno e causar mais escândalo pra Igreja, há quem venha aqui chorar pitangas por ele, há quem abra página na internet pra prestar solidariedade ao rebelde.
    O castigo que merecíamos caiu sobre nós. Agora da pra entender porque Deus permite que tenhamos maus padres, maus Bispos e até maus Papas. É porque nós merecemos.

  67. Faço as minhas as palavras da Gercione Lima.

  68. Agora, pe. Beto, faça muitas reflexões sobre estas palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo: “Se teu irmão pecar contra ti, vai, e corrige-o entre ti e ele só. Se te ouvir, ganhaste o teu irmão; se, porém, te não ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que “pela boca de duas outras testemunhas se decida toda a questão”. Se os não ouvir, dize-o à Igreja. Se não ouvir a Igreja, considera-o como um gentio e um publicano” (São Mateus XVIII, 15 – 17). Reflita muito diante de Deus! Reflita sobretudo que não é a Igreja que tem obrigação de te ouvir, mas reflita que é você que tem que ouvir a Igreja. “Atendei a vós mesmos e a todo o rebanho, sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para governardes a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o seu próprio sangue” (Atos XX, 28). Excelência Reverendíssima, Sr. D. Caetano Ferrari, parabéns pelo cumprimento da vossa missão!

  69. As palavras desse padre demonstram profundo ódio contra a Igreja. Mesmo agora, após a oficialização da excomunhão, esse ironiza a Igreja (não o bispo, mas a Igreja) reforçando os preconceitos contra a Santa Igreja quando, por exemplo, faz menção à fogueira de outros tempos.

    Em todas as sua manifestações ele critica dura e diretamente a Igreja, ironiza-a e reforça preconceitos contra a Igreja e os católicos em geral (que são seres que não refletem, pois na Igreja Católica não se pode refletir…)

    Para mim está nítido que esse padre provocou essa situação conscientemente, talvez para “queimar” a imagem da Igreja ou, talvez, para ganhar visibilidade nacional e “montar” mais uma igrejinha sentimentalóide-pega-bobo.

    Por isso, fico felicíssimo com essa excomunhão! Deus me perdoe, não deveria julgar, mas está reluzente o ódio desse senhor contra a Igreja e ficaram claríssimas as suas más intenções em relação à Igreja.

    Fico feliz pois um enorme mal foi extirpado da Igreja católica em Bauru.

    Mas, quantos se perderão por conta do padre beto?

  70. Viva D. Caetano pela atitude corajosa e necessária.

    Talvez a pena da excomunhão seja o único remédio, no momento, para que
    abandone os erros e volte ao seio da Igreja.

    Viva a mobilização dos católicos da net !!

  71. Eu fico realmente desconcertado com certos comentários inacreditáveis, acusando um pretenso “deleite” de alguns comentaristas que parabenizam a atitude acertada do bispo ou simplesmente “dão graças a Deus”. O que é que há? Então a justiça não é uma coisa que alegra o coração quando a vemos aplicada? Ou não deveríamos ficar exultantes com o fato de vermos um bispo bom e fiel defender a fé, zelar pela doutrina e cuidar das almas a ele confiadas, combatendo e derrotando um inimigo declarado da Igreja, ainda que padre fosse? É inacreditável!

  72. Por fim, é a imagem de vocês que as pessoas carregam da Tradição. É a imagem de vocês que é um anti-apostolado. Agradeço a Deus porque nunca me ensinaram isso na FSSPX, nunca! Agradeço a Deus, porque os padres da FSSPX que conheço não ensinam a sermos assim.

  73. Padre Beto declara: “Em outros tempos, eu já estaria na fogueira”. Realmente, ele conseguiu o que queria: o Sucesso Fácil e ligeiro. Ele já está nos principais site do país: uol… Caros amigos, já passou da hora da Igreja separar o joio do trigo. Lamentavelmente, existem inúmeros “INFILTRADOS” nos seminários católicos, paróquias, dioceses… verdadeiros lobos em peles de cordeiro. Ao invés de penitenciar-se, ele vem a público (a grande imprensa que defende os valores do mundão) defender atos incompatíveis com a fé cristã.

  74. “Acho que isso não deve ser motivo de júbilo de ninguém. Ninguém que de fato ama a Igreja deve ficar contente com a excomunhão de um padre”.

    O sr. Beto já estava excomungado antes da sentença do sr. Bispo. O que o Bispo fez foi tão somente declarar algo já existente. Em caso de heresia pertinaz, a excomunhão é automática, não necessitando de nenhuma declaração formal por parte da autoridade eclesiástica.

    Logo, com relação à excomunhão propriamente dita o sentimento não mudou em nada. O que estamos comemorando e nos alegrando é com o zelo de um Bispo e com a justiça sendo feita.

    Abraços, meu caro.

  75. Diogo
    29 abril, 2013 às 4:31 pm

    PARABÉNS!
    “Deus está feliz sim com a excomunhão, pois não somente se está salvando o rebanho das mãos de um péssimo pastor, como se está dando a esse péssimo pastor a oportunidade de ele se converter, de mudar de vida. Dizer que Deus não está feliz com a excomunhão é o mesmo que dizer que Deus não se alegra com a justiça…
    A Escritura diz que o “justo se alegra com a justiça”. A justiça é um bem enorme e Deus se alegra com ela. Esse deve ser também o nosso sentimento, de alegria diante de atos justos. E a excomunhão foi um ato justíssimo do Sr. Bispo”.

    Agora digo eu:
    O Beto, segundo o Cód Canônico, não era um pastor de almas; não cuidava do seu rebanho, mas o envenenava e matava; não era, emfim, um padre coisa nenhuma.
    O canonista escolhido pelo bispo O NOMEOU: HEREJE! CISMÁTICO! Atenção: É isto que o tal beto é!
    Então, alegremo-nos, pois o pastor expulsou o lobo e zelou pelas ovelhas!
    A justiça foi feita!
    O lobo foi botado pra correr!
    Que alegria!
    O justo se alegra com a justiça!
    Parabéns ao bispo Dom Ferrari!
    Viva a Igreja Católica romana!
    Deo Gratias!
    Deo Gratias!
    Deo Gratias!

  76. O sr. Beto não é um pecador, é um inimigo de Deus e da Igreja. Pecador sou eu, o Gregoriano, o Pedro Enrique, o Flávio, Gercione etc. Enfim, todos aqui.

    Sr. Beto e cia ltda são inimigos da Igreja e de Deus.

    Não é a toa que Sua Santidade, São Pio X, dizia que não havia pecado maior diante de Deus do que o pecado da heresia. Na Idade Media a heresia era comparada ao delito de lesa majestade, já que é um crime contra a Majestade Divina e Sua autoridade. Santo Tomás de Aquino dizia que a heresia era um pecado mais grave que o ato de “falsificar uma moeda”.

    Sendo assim, segundo a Fé católica, o sr. Beto está cometendo um pecado infinitamente maior que o pecado cometido pelos autores do mensalão. Sim, não estou exagerando em nada. Segundo a Fé católica, os autores do mensalão seriam “santos” perto do sr. Beto. Logo, quem é indulgente assim com o sr. Beto (talvez seja o caso do Gregoriano) deveria ser mais indulgente ainda com os condenados pelo STF.

    Por que ser tão duro com os autores do mensalão, se o crime deles é infinitamente menor que o crime cometido pelo sr. Beto?

  77. Muito me consola que o bispado de Bauru tenha optado por não somar às heresias deste padre o escândalo da impunidade, do silêncio, da conivência.
    O cruzar os braços diante do mal, sem dar o corretivo proporcional à gravidade do delito têm sido fonte de muitos males: escandaliza os fiéis, desencaminha os ignorantes, abala a reputação da Igreja como instituição séria e principalmente, tenta a Deus, incitando-O a sérios castigos.

  78. Pois eu me alegro com um sinal claro de que a Igreja no Brasil não virou um território sem lei. Claro que seria melhor que o pe. se emendasse, mas isso é decisão individual e ele não quis (ainda). Houvessem mais atitudes firmes como essa nossa situação não estaria tão calamitosa, inclusive essa situação do pe. Beto provavelmente não estaria ocorrendo (já que ele se inspira em certos “teólogos” que mereciam uma excomunhão e não receberam; além das políticas duvidosas de seleção nos seminários também decorrentes do modernismo que não foi combatido).

    Agora me admira tantos “ohs” e “ais” em alguns comentários só porque outras pessoas ficaram satisfeitas com a decisão firme do bispo. Se contenham. Parece que certas literaturas devocionais – que tanto bem podem fazer nos mostrando o valor do Sacrifício de Cristo – tem lhes deixado muito sentimentais e puritanos.
    Será que pensam que a excomunhão mandou o pe. pro inferno? Em primeiro lugar, ele ainda está vivo e basta ele querer para que essa decisão se reverta; em segundo lugar, com ou sem esse anúncio de excomunhão, sua situação espiritualmente era a mesma, já que ele se colocou fora da Igreja Católica. Se – e queira Deus que seja diferente – ele não se arrepender, é menos pior para ele mesmo que esteja fora da Igreja e das funções de padre do que oficialmente dentro e levando os fiéis junto com ele, provocando escândalo e blasfemando. Isso eu falo para os católicos, pois para os que não o são não tem nem o que falar. Por que se incomodar em estarem excomungados se não acreditam na Igreja?

    Se tem alguém com quem eu me compadeço nessa história é com o bispo, que se viu forçado a entrar nessa situação. Deve ser muito difícil e triste ter que tomar uma atitude como essa.

  79. Vamos refletir na questão fetiche (alegria pela excomunhão do Roberto Francisco Daniel):
    DE fato há no meio dito tradicionalista um fetiche em forma de bom sentimento que eu chamo de hipocrisia pura. Tenho nojo profundo de ler homem escrever que vai ali chorar e já volta. aaaaaaa quanto sentimentalismo! Graças a Deus n tenho filha! Deussss obrigada!!!!!!!!

    Outra coisa que os tradicionalistas sabem é manter uma discussão. Qual foi objetivo das denúncias às autoridades da Igreja? Corrigir o RFD. Foi Corrigido. Mas, quem com o mínimo de QI achou que ele ia aceitar? Só eles: os tradicionalistas sentimentalistas e chorões! Os feticheiros! Nova ‘catiguria”

    Se o bispo n tivesse feito nada, os chorões iam entrar aqui e se debulhar em lágrimas e blablablabla Afinal pq n se alegrar? A Igreja foi defendida, os fiéis preservados, herege corrigido e o bispo fez a obrigação dele.

    Quem permitiu que o excomungado RFD fosse ordenado tem mais culpa que ele, porém, o RFD deve entrar nas orações de TODO Católico, inclusive os tradicionalistas chorões. Desde que esses tradicionalistas tenham hábito de ler o Catecismo de Pio X, pq lá há o que se deve fazer pelos excomungados.

  80. Não acredito que um homem que passou a vida a estudar para se tornar um padre, jogue tudo para o ar e pior se volte contra a igreja, pra tudo existe um motivo e aqui vejo apenas um lado da historia. Vejo alguns comentarios onde o pe. é julgado, quem o julga realmente é catolico?

  81. Foi-se um lobo. Falta a alcateia modernista do CVII. Que São Pio X e o Padre Pio de Pietrelcina intercedam junto a santíssima virgem para que mais exemplos de defesa da ortodoxia católica aconteçam.

  82. Imagino o Coração Imaculado de Maria coroado de espinhos, cravados pela soberba de seus filhos. A Mãe deve chorar lágrimas copiosas!
    Como doi!

  83. O que eu penso é o seguinte. Faz anos que eu sou humilhado, ofendido e ridicularizado pelas pessoas por defender o que o catecismo da Igreja nos ensina. Não sou nenhum idiota e sei muito bem o que falar para agradar as pessoas, mas o meu compromisso é com a verdade. Não me importo, esta é a cruz que os católicos devem carregar.
    Do outro lado temos diversos padres falando heresias, que não assumem nenhum compromisso com a Igreja Católica e querem apenas agradar ao mundo, falando o que o mundo quer ouvir.
    Já estive diversas vezes diante da seguinte situação, eu falo algo que está de acordo com a o que a Igreja ensina e a pessoa me confrontar dizendo “Ah! Mas o que você está me falando está completamente errado. O padre fulano de tal me disse que é assim que funciona”. E aí? Como fica? O padre de qualquer maneira é uma autoridade da Igreja Católica e o que ele diz sempre terá mais embasamento para um leigo ignorante do que o que um outro leigo fala.
    Eu fico feliz com a excomunhão deste padre porque estava arrastando com ele centenas de almas para o Inferno. Talvez agora, se as pessoas que ouviam este padre tiverem o mínimo de vergonha na cara, vão se voltar aos estudos e ter entendimento dos motivos que o levaram à excomunhão.

  84. Pax Domini.
    A justiça e a caridade na verdade foram feitas. Aleluia.
    Rezemos para que algum dia ele encontre a verdade e a liberdade autenticas em Cristo, Nosso Senho, se envergonhe do que fez e faça penitência .
    Rezemos também por nós pois ninguém aqui nasceu com atestado de impecabilidade. Nosso Senhor tem permitido ao inimigo agir entre nós. Estamos em tempos de vigília e temos pouquíssimas razões para festas.

  85. O medo que faz é agora vir alguém da CNBB ou o porta-voz do Vaticano, dizer que excomungou mas que não é bem assim, que tem ver direitinho o que padre disse, etc! Parabéns ao Bispo de Bauru, mais uma vez! E como foram eficazes os emails que partiram aqui do Frates, será que até o Núncio acordou?

  86. Realmente, vocês entenderam tudo! Ser chamado de sentimentalista pelos duros de coração é um privilégio!

  87. Fetiches no meio tradicionalista? E não os há na RCC, na TL, entre os “modernistas”?

    Sempre houve maus cristãos: hipócritas, orgulhosos, presunçosos, impiedosos, etc. Deus cuide deles e das vidas deles.

    Quem inventou isso deve estar assistindo a muitos filmes que denigrem a imagem da Igreja e de seus seguidores. Cultura hollywoodiana é isso aí: nada católica.

    Comecemos a ver aqueles que se esforçam em seguir os ensinamentos da Igreja: há muitos santos heróis, conhecidos e anônimos, entre eles. Lembremo-nos de que o diabo sempre nos chama atenção para os maus exemplos para nos desanimar…mas que Deus quer que sigamos os exemplos de santidade, de virtude e de heroísmo.

    Parabéns ao Bispo! Coragem para continuar seu ministério!

    Quanto ao herege Pe. Beto, que tome o remédio que, hipocritamente, receitou: reflita, dialogue civilizadamente e se converta! Pena merecida!

    Que outros Bispos sigam seu exemplo!

  88. Outra coisa que os tradicionalistas sabem é manter uma discussão

    Sim, alguns poucos na internet e a maioria esmagadora fora dela. O que não inclui a senhora, nem num caso e nem no outro.

  89. Ficou muito bom o pessoal curtindo os comentários, mesmo porque eu pelo menos acabo aprendendo muito com os comentários do amigos leitores e não é porque um comentário não tenha nenhuma curtição que ele seja desmerecido, mas isso dá uma nova dinâmica a este blog.

  90. Ana Maria Nunes (29 abril, 2013 às 9:56 pm), o martelo dos “tradicionalistas sentimentalistas chorões”, aqueles que não se alegram quando vêem o esplendor da Justiça. Faço minhas as suas palavras.
    Dá-lhe!
    Outra coisa: Se levarmos ao limite o critério ‘tradi-sintimentalista-chorão’, acabaremos caindo na besteira de “chorar” a condenação dos réprobos. Ora, a condenação dos réprobos aumenta a Glória de Deus porque faz brilhar a Sua Justiça! Ou agora…não mais?

  91. “E preferível não ter pastor que ter um lobo por pastor”. (Santo Inácio de Loyola)
    O que se faz com o lobo? Ora…
    Parabéns à Sua Excelência Dom Caetano Ferrari!

  92. Se um funcionário da empresa X age contrário as normas, a política e as regras da mesma não poderá depois achar ruim ou ficar magoado se for demitido. O Beto pode falar o que quiser, agir como quiser, falar mal da Igreja Católica, mas não como padre este era o problema. Ele ainda sendo padre pregava contra a Doutrina, a Fé e a Moral da Igreja de Cristo. Defendia coisas contrárias ao ensinamento da Igreja. A Igreja defende a fidelidade no casamento, já o ex-padre defendia casamentos abertos e cada cônjuge também pudesse trair o outro com pessoas do mesmo sexo desde que uma falasse para o outro. Isto é coerente para alguém que se dizia ser padre defender? Ele reivindicava o direito de ser padre mesmo pregando contra os ensinamentos da Igreja, mesmo disseminado heresias, mesmo caindo em cisma. Ora, este senhor disse que a excomunhão não muda em nada a sua vida. Perder a chance de receber o corpo de Cristo é nada para ele! Ele queria a liberdade de espalhar heresias, ensinamentos contrários a sã Doutrina e continuar sendo padre, seus seguidores acham isso correto? Se ele quer continuar espalhando o erro que não seja sendo padre, foi excomungado para o bem dos fiéis, pois alguém na posição em que ele se encontrava causaria muito mal as almas e a fé do povo de Deus. Deus é amor mas também é justiça e o Bispo de Bauru após tentar com o diálogo trazer o sr. Beto a razão e não conseguir agiu de forma correta para o bem dos fiéis. Os que defendem o ex-padre beto que o sigam já que para estes o seu Deus passou a ser o ex-padre beto.

  93. Vocês usam as doces palavras dos santos para esconderem atrás a dureza de seus corações.

    Vocês são geniais, se falo que há fetiches entre os tradicionalistas, vocês interpretam que estou dizendo que não há entre carismásticos e TL’s.

    Se falo que a excomunhão foi um bem, vocês interpretam que eu disse que foi um mal. Se digo que devemos chorar por um alma perdida, dizem: sentimentalista! sentimentalista! romântico! Bebê chorão! Uau! Que apostolado! Aos demais que querem conhecer os meios tradicIonalistas digo: NÃO É ASSIM, ISSO SÓ ACONTECE AQUI NA INTERNET!

    Cristo foi severo e brando, mas só querem a severidade. Pra mim essa discussão acabou, afinal, o martelo dos tradicionalistas disse que os “tradicionalistas” sabem manter uma discussão. Deu pra ver o quanto conseguem!

  94. Olha Ana, muito antes do Vaticano II, aliás muito antes que José Melquior Sarto (São Pio X, quem inventou o termo “tradicionalista”) nascesse já existiam Católicos de todos os naipes: hipócritas, sentimentalóides, escrupulosos…etc.
    Basta dar uma lida no Tratado da Verdadeira Devoção de São Luis de Montfort e você verá a lista do santo. Portanto, seu comentário a respeito dos Católicos que defendem a Tradição da Igreja simplesmente não procede.
    Não dá pra encerrar todos esses Católicos numa “catiguria”, porque quando voce entra numa Igreja onde se celebra a Missa Tradicional você encontra pessoas que estão ali por diferentes motivos.

  95. E dificil acreditar que alguém que reage desta forma a excomunhão, ainda tenha alguma fé.

  96. Justiça feita, caso encerrado!
    Peçamos a Deus a nossa coverssão diária e a do excomugado para que ele REFLITA, e volte ao ceio da Igreja Católica.

  97. Deixa ver se entendi: tem uma pessoa aqui sendo massacrada por se dizer triste porque uma alma se afastou de Deus?
    Olha, uma coisa é ficar feliz por um bispo cumprir seu dever, ficar feliz porque a justiça foi feita. Mas outra muito diferente é ficar feliz pela excomunhão.
    Eu estou radiante pela atitude do bispo de Bauru. Muito feliz pela coragem de comunicar oficialmente a exconunhão deste sacerdote.
    Mas como o Eduardo, estou muito triste pela excomunhão de um católico. Uma alma caminha para a desgraça eterna e tem gente se vangloriando por isso?
    Só pra lembrar, teve um pastor que largou as 99 ovehas que estavam em segurança e foi atrás da perdida. Hoje, infelizmente, tem gente fazendo festa porque a ovelha está se perdendo.

  98. Padre Beto de Bauru deseja que os dogmas da Igreja católica estejam sujeitos à liberdade de reflexão. Por exemplo, o católico adora a um Deus Pessoal, Uno e Trino (a Santíssima Trindade), um Deus transcendente. Com a liberdade de reflexão pode-se admitir um deus imanente, cada um tendo uma idéia diferente de Deus, deus como sendo força ou energia, um arquiteto do universo que apenas organizou matérias e leis pré-existentes. Um deus ao gosto da gnose.
    Esta liberdade de reflexão proposta por Pe. Beto está presente na corrente que propõe que a interpretação dos textos do Concilio Vaticano II esteja em ruptura com o passado da Igreja Católica. “A hermenêutica da descontinuidade arrisca-se a terminar numa ruptura entre a Igreja pré-conciliar e pós-conciliar”. Os textos do Vaticano II não são a expressão do espírito do Concilio, segundo esta hermenêutica. É preciso que se vá para além dos textos, segundo esta corrente. É preciso ser fiel não aos textos do Concilio, mas ao espírito do Concilio. Assim, abre-se uma ampla margem de definição deste espírito e espaços para todo tipo de caprichos. “Um concilio é assim tido como uma espécie de assembléia constituinte que elimina uma constituição antiga e cria uma nova”. Numa assembléia constituinte o mandatário é o povo, mas no Concilio os Padres Conciliares não são mandatários, pois a constituição essencial da Igreja vem do Senhor e foi dada aos Padres para alcançar a vida eterna. As reflexões deste parágrafo foram extraídas e interpretadas de: (Bento XVI, Una giusta ermeneutica, cit., pp. 1024-1025. In: DE MATTEI, Roberto, O Concilio Vaticano II, Uma História Nunca Escrita, Ed. Caminhos Romanos- Unipessoal, Lda. Porto. 2012. Pp 14-15).
    Na visão do Papa Emérito Bento XVI, os textos do Concilio Vaticano II devem ser lidos em continuidade com os documentos que o precederam, ou seja, “a luz da Tradição”.
    Indo além na leitura de Bento XVI, observamos que o reconhecimento do “casal homo afetivo” como unidade familiar, reconhecido pelo STF, em desacordo com o texto constitucional, se deve à leitura feita em acordo com o “espírito da Constituição”, quando os juristas criaram um novo princípio, o “principio da mutação”, para ajustar o “principio fundamental” da unidade familiar da Constituição Federal, a uma nova exigência da opinião publica. E como quem atua na opinião pública majoritariamente católica é a Igreja, a disseminação de mentalidades de tantos outros “padres betos” constrói uma opinião publica adequada ao gosto do mundo que por sua vez pressiona o STF a ajustar a Constituição a este mundo. Encontra-se nas mãos da Igreja Católica o poder de mudar a opinião publica católica, mudar a opinião do país, mudar a percepção dos princípios constitucionais feitas pelo STF. Basta que afaste tantos outros “padres betos” disseminados pelas várias paróquias do Brasil e coloque no lugar deles padres que atuam em acordo com os princípios enunciados por Papa Emérito Bento XV, acima citado.
    Jesus Cristo diz de Si que “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (João14: 6), e “Eu sou a luz do mundo; quem me segue, de modo nenhum andará nas trevas, pelo contrário terá a luz da vida.” (João 8:12). Por outro lado, como a Igreja Católica é “Corpo Místico de Cristo”, conforme magistralmente exposto por S. Paulo em várias Epístolas (1Cor 12, 12); (Cl 1, 18); (Ef 5, 23); (Rm 12, 4-5); etc, e em S. João, no capítulo 15, deduz que é a Igreja que modela o mundo e não o contrário.

  99. Deo gratias

  100. Não é motivo de alegria a excomunhão, mas a igreja precisa mesmo tomar decisões que prol de sua comunidade, uma pessoa que pensa como ele não pode ficar na posição que ocupa um padre, que conhece a palavra de Deus e orienta o seu povo. A palavra de Deus diz que devemos acolher nosso próximo, perdoar, mas não diz para fazermos apologia ao que nos leva ao pecado, mas o contrário: a busca caminho de retidão, isso que a igreja defende.

  101. eu parabenizo ao bispo de bauru Dom Caetano está certissimo ,mais respeito com nossa igreja catolica apostolica romana paz e bem !!!!

  102. Os comentários antes eram: “Herege! Tem que ser excomungado! Medidas necessitam ser tomadas!”
    Aí agora que tudo se concretizou, ficam querendo atirar pedras naqueles que defenderam A Esposa de Cristo?!
    Ah tenha dó! A verdade é que ele nunca foi C-Á-T-Ó-L-I-C-O! Basta olhar pra ele, o corpo, as roupas, o olhar, as palavras, as atitudes…
    Repito as palavras de Pe. Paulo Ricardo: “A Igreja precisa de excomunhões e não de conversões!”
    Então que venham mais excomunhões! Que se retirem os hereges, os cismáticos e tudo mais que mancham a Igreja Católica Apostólica Romana.

  103. É muito gratificante vermos um Bispo usar os poderes que a ele foram conferidos, para agir de maneira necessária e precisa frente a um “sacerdote” que pelas declarações do Bispo vinha não só contrariando os ensinamentos da Igreja, mas partindo para um confronto aberto desafiando outros padres e a maior autoridade da Diocese. Infelizmente a maioria dos Bispos não agem assim, lamentavelmente , desgraçadamente……….
    Pertenço a Diocese de Campinas e na cidade em que moro, Indaiatuba, temos um exemplo claro de um “sacerdote” que em TUDO contraria os ensinamentos da Santa Igreja. Já recorremos a três Bispos diferentes (Dom Gilberto, Dom Alberto Gamberini e atualmente a Dom Airton) para colocarmos a ele a situação do referido padre, infelizmente eles, todos eles, preferiram o silencio, que no meu modo de ver não é uma atitude de coragem como a do Bispo de Bauru. Eles preferem relevar , “deixar pra lá” , acolher o padre, etc,etc,etc………enquanto isso ele coloca a Fé dos fiéis em risco pois ataca o Celibato Sacerdotal, coloca a Santa Igreja Católica como mais uma “religião” que em suas palavras foi criada pelo homem, já a “verdadeira igreja” está acima de todas as religiões, prega o velho “chavão” dos hereges protestantes de que quem deu origem ao catolicismo foi Constantino(pode???), prega contra o batismo de criança e só o faz porque se sente “obrigado”, a “mesa” da “eucaristia” é conhecida na cidade como Selv Service pois ali está a hóstia e o vinho(consagrado? será que ele acredita nisso??) cada fiel que se sirva….O Papa para ele é uma “Rainha da Inglaterra”, o que vale mesmo é o colegiado dos Bispos.Missa para ele é apenas um “preceito” que o povo carrega o que vale mesmo é a “comunidade” ,ahhhh a “comunidade” se eu não pertencer á “comunidade” não posso ser salvo…….poderia ficar aqui por mais tempo pois as barbaridades do “sacerdote” não tem fim, mas vou terminar com o slogan da paróquia que é “Santuário ECOLÓGICO Santa Rita de Cassia”, saudades que tenho das Igreja que eram SANTUARIOS EUCARISTICOS. Nada contra a Ecologia, mas transformar a paróquia em um jardim, esconder as imagens, esconder o sacrário????com todo respeito , hoje em dia nossas Igrejas mais parecem salões protestantes.

  104. Realmente, Pe. Beto merece ser tão discutido assim?. Viremos a página, já discutimos muito sobre quem não merece tanto.

  105. Vamos ser justos com a sra. Ana. Quando ela disse:

    “Outra coisa que os tradicionalistas sabem é manter uma discussão. Qual foi objetivo das denúncias às autoridades da Igreja? Corrigir o RFD. Foi Corrigido.”

    É evidente que o significado dessa passagem não se refere ao que está ocorrendo aqui no blog, nem o que pode ocorrer fora dele.

    Na minha interpretação é que uma coisa que os católicos tradicionais sabem é manter-se na prática perseverante do bem pelo triunfo da Santa Igreja. E isso é que se conclui quando ela se refere ao objetivo das denúncias as autoridades da Igreja.

    Sejamos justos. Doces e brandos… com os inocentes, com as pessoas simples.

    Aos inimigos abertamente declarados como tais e objetivamente reconhecidos, sejamos duros e combativos. Mas atenção e repito: aos inimigos abertamente declarados e objetivamente reconhecidos.

  106. É sério mesmo que se está gastando tanto tempo e energia para discutir uma questão destas? Pessoal, o homem se excomungou da Igreja, o bispo teve a decência de confirmar isso, e um assunto como esses conseguiu virar antagonismo? Rezemos por ele e pelos pecadores em geral e não percamos mais tempo. Tempo aliás é o que este herege – e nós – vemos correr a cada segundo em direção à eternidade. A cada minuto que passa a vida natural se esvai para todos. Deixemo-lo entregue a Deus, e cuidemos de nossas vidas.

  107. Deixa eu abusar da boa vontade do blog e do moderador e fazer mais um comentário.

    Kleber Santos, só agora li seu comentário. Ao fazer a leitura dos comentários mais cedo, o seu acabou passando desapercebido. Permita-me fazer algumas correções.

    Não há, absolutamente, ninguém sendo massacrado aqui no blog. Ainda mais por se dizer triste que uma alma se afastou de Deus. Por essa razão todos nós nos entristecemos.

    E também não há ninguém se vangloriando pelo fato de uma alma caminhar para a desgraça eterna. E ninguém aqui está feliz pela excomunhão de um católico, já que católico Pe. Beto não era há tempos.

    O que há aqui, como já disse no comentário para o Gregoriano, é um falso raciocinio e por consequência uma falsa imputação.

    Veja: Pe. Beto incorreu em heresia e em grave desobediência a seus superiores.
    Pe. Beto deve ser excomungado como foi.
    Logo, quem se alegra pela excomunhão, se alegra pelo fato de um padre incorrer em heresia e se privar da graça em decorrência disso.

    Eu denunciei essa falsidade no texto em que me dirigi ao sr. Gregoriano. Entre a apostasia desse senhor e sua excomunhão passou um tempo enorme. Ele já não era católico a tempos e só utilizava-se da Santa Igreja para instrumentalizá-la e vomitar as suas heresias.

    Portanto a excomunhão é motivo de alegria em si mesmo. Não foi um católico o excomungado. Mas um inimigo da Santa Igreja.

    E ainda afirmei que era Satanás que se entristecera pela excomunhão. Pois como Padre não excomungado, ele ainda poderia emprestar alguma verossimilhança a suas atividades, enganando as pessoas mais simples, como por ex. indo em programas de tv se passando por especialista da Igreja.

    Entre algum suposto momento da perda da Graça enquanto este senhor exercia o sacerdócio (se é que não perdeu antes) e o momento da excomunhão, existiu um tempo enorme em que claramente esse padre optou por deixar de ser católico e vomitar as suas heresias na Santa Igreja, corrompendo o dogma e destruindo a vida da graça na alma dos fieis.

    Quem dera, nós, fetichistas, também fossemos objetos de tamanho compacimento que esse Padre teve, onde “Cristo teria morrido 100 milhões de vezes por esse herege! Teria sim!”

    A nós, cabe apenas o deleite por ter havido uma ferida no Coração de Nosso Senhor.

  108. Toda pena eclesiástica justa, inclusive a excomunhão, visa a reordenação das coisas e a salvação das almas. Deste modo, sua aplicação, quando justa, é motivo de alegria para a Igreja. A excomunhão assim aplicada é em si mesma algo bom e o fato de que ela seja assim aplicada só pode ser bom, louvável e motivo de alegria, ainda que a ocasião de sua aplicação seja sempre um mal e que deve ser deplorado. Certamente que um dos grandes bens da excomunhão é a preservação e defesa da Igreja e dos homens que nela estão. Portanto, cuidado com as censuras a que manifestou alegria por esta excomunhão.

  109. Sinceramente, fico triste. Todavia parece ter sido necessária a atitude do Sr Bispo. Por estar longe de Bauru não tenho conhecimento do conte´do da homilias do padre em questão. Portanto, caso queiram repassar-me algumas das sua declarações ( afirmações) ficarei grato. A partir de hoje ( 1 de maio) ele fará parte nas minhas orações diárias.

  110. Pedro Henrique
    30 abril, 2013 às 8:58 pm
    Estamos falando a mesma língua? Oooooooooooooooooooohhhh!!!!!!
    Vou cantar pra vc uma musiquinha é rccista mas vale: o impossível Ele pode realizaaaaaar, sim o impossível …… kkkkkkk ´

  111. sou atéia, mas por favor alguém que tenha o dom de explicar as coisas para uma leiga em assuntos religiosos como eu sou, pode me dizer porque uma pessoa que não esta disposta a defencer os preceitos e dógmas de uma igreja tão secular qto a católica, resolve virar padre ? Porque até agora esse padre beto me parece que só fez bater de frente com os seus pares e superiores dentro de uma igreja que ele escolheu estar. Se for trauma de infância qdo o pai diz : filho não pode fazer. Ai a criança vai lá e faz . Ele precisa urgentemente de um psicólogo. Ou esta fazendo gracinha para aparecer. Até eu que sou atéia sei que se pretendo ser parte de alguma instituição é claro que sou eu que tenho que me enquadrar e não a instituição se enquadrar a mim.