Esclarecimento importante da Diocese de Bauru.

Importante esclarecimento: o juiz instrutor responsável pela excomunhão de Roberto Daniel e pelo processo de demissão do estado clerical, doutor em direito canônico, especialista em direito penal da Igreja Católica e juiz para matérias reservadas à Santa Sé no Brasil não é identificado para manter sua segurança e não atrapalhar investigações, já que resolve casos gravíssimos relacionados a padres, como por exemplo, denúncias de pedofilia; pelo sigilo que processos dessa importância exigem; para as testemunhas se sentirem seguras e para evitar todo tipo de assédio, seja da imprensa (que em algumas situações distorce os fatos), dos envolvidos (que poderiam tentar interferir no caso) e de manifestantes agressivos. Neste caso em especial, seguidores do Beto estão enviando ameaças, xingamentos e ofensas graves a pessoas ligadas à Cúria e ao bispo. Identificar o juiz poderia arriscar a integridade dele e prejudicar o andamento do processo. Esse padre e juiz nada tem de inquisidor; faz um trabalho difícil, importante, sério e cauteloso para tirar da Igreja quem não está em comunhão com ela.

Fonte: Página da Diocese de Bauru no Facebook – destaque nossos.

39 Comentários to “Esclarecimento importante da Diocese de Bauru.”

  1. Não sei do que tão reclamando! O herege já tá até comemorando a expulsão dele, sinal de que já tava mal-intencionado desde o começo.

  2. Aproveitando a deixa, gostaria de deixar uma pergunta relacionada indiretamente ao tema.

    Eu já ouvi alguém dizer que a excomunhão geralmente se aplica a delitos gravíssimos no que tange a doutrina da fé, mas que já não sejam punidos como crimes na esfera civil. Por exemplo, a pedofilia (ainda) é crime em praticamente todo o mundo, mas o aborto, não. Talvez por isso apenas este último é passível de excomunhão. Esta interpretação procede?

    Outra pergunta: na opinião dos senhores, caberia uma revisão do Código de Direito Canônico para incluir a pedofilia (e, eventualmente, o estupro) no rol de delitos passíveis de excomunhão?

  3. O tal Pe. Beto sabe quem é este homem, será que não já vazou a informação para os camaradas?

  4. A simples e gratuita agressividade dos manifestantes é testemunho visível de que a Igreja está no caminho certo. Sempre serão válidas as palavras de Nosso Senhor: “Se o mundo vos odeia, sabei que me odiou a mim antes que a vós. Se fôsseis do mundo, o mundo vos amaria como sendo seus. Como, porém, não sois do mundo, mas do mundo vos escolhi, por isso o mundo vos odeia” (Jo 15, 18-19). Que a graça de Deus fortaleça e acompanhe o juiz instrutor no desempenho fiel de sua missão, console o Sr. Bispo no exercício do seu ministério e infunda no coração do réu uma profunda e sincera conversão.

  5. Respondendo ao Laércio, eu sou da opinião de que algum pecado grave (que atente contra algum dos dez mandamentos) que também seja crime deveria ser punido com afastamento das atividades do sacerdote, e quem sabe também excomunhão. Mas é só minha opinião.

  6. A cada notícia veiculada sobre o Pe Beto só aumentam as minhas preocupações.
    O Decreto da Excomunhão foi publicado no dia 29 de abril, dia de Santa Catarina de Sena, já em seu tempo, “os defeitos do clero exacerbavam os ódios dos leigos. Grande mística e conhecedora profunda da dignidade do sacerdócio defendia os ministros de Deus com unhas e dentes”, escreve um biógrafo. No “Diálogo” S. Catarina: “Por certo, odiareis o pecado presente nos ministros que vivem mal; mas sem vos transformardes em seus juízes. Não o quero. São meus ungidos. Amareis e respeitareis a autoridade que lhes conferi. Se por acaso uma pessoa suja e maltrapilha vos trouxer um tesouro, verdadeira fonte de vida, certamente não a desprezareis, seja por causa do tesouro, seja pela pessoa que a enviou. Preocupados com o benfeitor, tudo fareis para que o mensageiro se lave e troque a roupa”.
    São João Maria Vianey nos ensina rezar pelos sacerdotes; em revelação ao Pe Stefano Gobbi Nossa Senhora pede para NUNCA falarmos mal de um Sacerdote, mesmo que ele caia, antes rezar por ele; no Ano da Fé fomos convidados pelo Papa Bento XVI a rezar pela “transformação interior” dos sacerdotes. Escutemos estes pedidos: REZEMOS, REZEMOS e REZEMOS, pelos nossos sacerdotes.

  7. Senhor, dai sacerdotes à Vossa Igreja;
    Senhor, dai santos sacerdotes à Vossa Igreja;
    Senhor, dai muitos santos sacerdotes à Vossa Igreja.

  8. Luciano, com sua autorização, faço minhas, as suas palavras. Você disse tudo.

  9. Pax Domini.
    “Neste caso em especial, seguidores do Beto estão enviando ameaças, xingamentos e ofensas graves a pessoas ligadas à Cúria e ao bispo”.

    Isso nos mostra que no fundo o “povo do Pe. Beto” deveria REFLETIR se essa é o suposto e evoluído cristianismo que o pastor herege apresentava. Objetivamente essa laia modernista é assim, prega “paz e amor bichu, todu mundo é irmão; Jesus é o Cara”, mas no fundo, a doçura era a farsa da apostasia e da violêcia adormecida.

    Sejamos paciente em Cristo, pois a perseguição deles é causa de santificação e ressalta a verdade dos fatos: Pe Beto está e errado é precisa se converter.

    Rezemos muitos rosários, façamos muitos sacríficios e confiemos que no final o “Imaculado Coração triunfará”.

  10. É lindo quando vemos aqueles que dizem pregar um amor, uma caridade e um poder serviço quando ao mesmo tempo mostram o ódio :“Neste caso em especial, seguidores do Beto estão enviando ameaças, xingamentos e ofensas graves a pessoas ligadas à Cúria e ao bispo”.
    Domini miserere nobis.

  11. Os seguidores do padre beto fazem o seu trabalho de filhos das trevas.

    Se há ameaças da prática de crime (o que não está esclarecido na nota da diocese), a diocese deve procurar as autoridades policiais.

    Vejamos que quando nós atacamos o padre beto jamais afirmamos que iriamos matá-lo ou ferir sua integridade física, mesmo porque nós estaríamos pecando gravemente no quinto mandamento da lei de Deus e cometendo crime previsto na lei penal brasileira. Nós somente denunciamos que sua conduta vai contra a doutrina da Igreja Católica e que homossexualismo é pecado que brada aos céus e a Deus por Vingança e que o adultério é pecado mortal. Dissemos a verdade. Não agredimos ninguém.

    Agora vejam o outro lado, eles com certeza devem estar ameaçando de morte porque a Lei de Deus para estes é algo que deva ser eliminado da face da terra.

  12. é meu caro frei, nota-se que realmente o senhor passa o dia inteiro na internet

  13. Os comentários postados na página da Diocese de Bauru mostram de fato a natureza e a motivação de todas as pessoas que acorrem à nossas Paróquias.

    HILDEBRANDO LANGSDORFF, O.S.B.

  14. Caberia uma revisão do Código de Direito Canônico para incluir a pedofilia (e, eventualmente, o estupro) no rol de delitos passíveis de excomunhão?
    Eu me pergunto o que o Direito Canônico tem a ver com isso? O termo pedofilia diz respeito a uma parafilia que se caracteriza pela atração sexual primária por pré- púberes ou seja, crianças que ainda não alcançaram a puberdade.
    Se o Código de Direito Canônico deve ser mudado para punir com excomunhão qualquer portador de desvios sexuais ou parafilias, então os homossexuais deveriam ser os primeiros a encabeçar a lista, visto que até o momento, pelo menos os pedófilos ainda não saem às ruas exibindo orgulho de molestar crianças ou formando lobby pra destruir a familia e a sociedade.
    E também não é verdade que o que a mídia rotula como pedofilia é crime em praticamente todo o mundo. Em muitos países islâmicos, seguindo o exemplo do falso profeta Maomé que se casou com a jovem Aisha quando ela tinha apenas 6 anos de idade e ele 58 anos, é mais do que comum o casamento de homens velhos com meninas adolescentes e pré-adolescentes.
    Se formos adotar o critério da atualidade pra sair por ai distribuindo rótulo de pedófilo a torto e a direito, até São José seria classificado como pedófilo para os padrões modernos, visto que desposou Nossa Senhora quando ela ainda era uma jovem de 15 anos de idade.
    E o que dizer dos casamentos feitos pela Igreja nos séculos passados em que até meninas de 12 anos se casavam e eram dadas em casamento? Meu avô seria considerado hoje um pedófilo já que se casou com minha avó quando ela tinha apenas 13 anos de idade!
    O abuso sexual seja de maiores ou menores já está elencado como fornicação ou pecado grave contra a castidade e sendo cometido contra inocentes possui uma gravidade ainda maior aos olhos de Deus.
    Aqui vale lembrar as duras palavras de Jesus Cristo acerca de quem faz maldade contra crianças: “Melhor lhe seria que se lhe atasse em volta do pescoço uma pedra de moinho e que fosse lançado ao mar do que fazer o mal a um só destes pequeninos. Tomai cuidado de vós mesmos”. (Lucas 17,2).”
    O fenômeno que estamos vendo a mídia propagar, num esforço claro pra minar a credibilidade moral da Igreja não tem nada a ver com pedofilia, mas sim infiltração homossexual na estrutura da Igreja, prelados homossexuais que usam de sua autoridade, carisma e poder para abusar sexualmente de coroinhas e seminaristas jovens, provocando além de dano moral e escândalo, a própria ruptura com o voto de castidade..
    Não é preciso portanto revisar o Código de Direito Canônico para punir esses energúmenos já que as penas canônicas pra esses casos estão lá bem explícitas. Se não são aplicadas é por negligencia ou conivencia.

  15. Sou cearense e conheço bem a história do Pe. Cícero. ele nunca negou nenhuma doutrina da Igreja. Sua excomunhão foi pela desobediência ao bispo e dar credito a um milagre suspeito que ele apoiou. Pelo menos ele acreditava em milagres. Ele nunca apoiaria atos homossexuais. Adultério e bigamia senhor padre devoto do padre Cícero. E padre Cícero era amigo dos coronéis e nunca foi seguidor da Teologia da Libertação. Era um coronel do sertão tanto quanto os outros só que era padre. Laia o Livro do Roberto Calvo Padre Cícero que é isento de tendência e bem documentado.

  16. seguidores do Beto estão enviando ameaças, xingamentos e ofensas graves a pessoas ligadas à Cúria e ao bispo.
    O excomungado n ensinou para eles a refletir na reflexão alheia? Pensando bem, eles n pensam.

  17. Que bom ler a declaração do Francisco Castro. Fiquei perplexo também com a postagem do vídeo do Frei Petrônio O.C. no tocante ao Padre Cícero. Fala, fala, fala, muito eloquentemente até, mas fica em quê? Parece querer equiparar as duas personalidades: Padre Cícero e Padre Beto, concluindo: ora, um é santo, pelo menos para mim, avisa ele, logo o outro… – e a falsa conclusão se faz nas mentes de ingênuos internautas. O mais interessante e o próprio Frei Petrônio o afirma, embora passe um tanto despercebido: o Padre Cícero era um ardente anticomunista, haja vista que lutou contra a Coluna Prestes, aliando-se, como também recorda Francisco, aos coronéis da região. Qualquer ligação sua com uma espécie de Teologia da Libertação “avant la lettre” é, portanto, absolutamente falsa. Sua excomunhão foi movida por causa disciplinar – suas ligações com a política partidária, principalmente, e não doutrinal, o que não minimiza a sanção, por certo, mas o difere e muito do Padre Beto.

  18. O livro do Lira Neto que o Frei cita, eu já tive a oportunidade de lê-lo, a bem da verdade moro em Juazeiro do Norte, posso garantir que Padre Cícero colocaria pra correr do Juazeiro qualquer passeata gay que pensassem em fazer aqui.

    O problema do pe. Cicero foi de fato a questão do milagre que foi mal visto pela hierarquia católica da época, contudo se houve embuste no milagre, me parece que sobressai no livro que o Frei cita a total certeza que o pe. Cicero não participou diretamente do embuste.

    De qualquer forma, há outras reservas a pessoa do padre cícero, mas herege como o pe. Beto ele nunca foi, muito ao contrário. Aproveito pra contar uma história que ouvi de uma senhora devota do pe. Cicero e que mora aqui no Juazeiro, segundo ela o pe. Cicero teria dito que chegaria um tempo em que seria melhor se confessar debaixo de um “pé de pau” do que com os sacerdotes que estariam mais a dar maus conselhos que bons, será que ele profetizou sacerdotes com o pe. Beto?

    Informo que acontecerá aqui na nossa Diocese de Crato-CE, em janeiro do ano que vem, o tal 13ª Intereclesial de CEB´s, aliás em julho teremos o chamado “Trezinho” que uma espécie de ensaio-prepara-escândalo, estaremos tentando registrar o evento, em especial os desvios quanto a fé, assim que tivermos alguma coisa enviaremos para divulgação via Fratres in Unum, para nos ajudar a denunciar junto as autoridades este evento herético.

    Inclusive em alguns atos preparatórios pra este evento infernal, já teve padre “casado” de Recife falando heresia quanto a presença real de Nosso Senhor no Santíssimo Sacramento! Rezemos e lutemos, meus caros!

  19. Estão ocorrendo muitos erros,de ambos os lados.Um afastamento teria sido mais louvável,uma ajuda e reorganização dos pensamentos do pe Beto,não uma excomunhão.Se o excomungado tem por infelicidade uma morte súbita em que condição sai sua alma do mundo?Sacerdócio e excomunhão não é brincadeira por que todo sacerdote é um bem de Deus.O Bispo caso tenha exagerado terá que arcar com o erro perante Deu,o que seria ruim para ele também.
    O que mais me chama atenção é que a Igreja não está preparada para lidar com a apostasia.É claro que ela atingiria o clero também obscurecendo a mente e causando dúvidas e reflexões e cabe à Igreja ter um cuidado e tratamento especial com os sacerdotes e não impor a um cego espiritual que ele tenha que enxergar o que ele não está compreendendo.Praticamente o mundo inteiro teria que ser excomungado quando chegar a apostasia em sua plenitude?
    Pelas minhas experiências místicas o sacerdote é muito observado e querido por Deus,por isso perseguido pelo demônio.Com erros bem mais graves dentro da Igreja não houve excomunhão e por um sacerdote desnorteado houve.E a mídia ainda distorce os fatos.E nem de longe creio que excomungar é fazer um bem já que ninguém sabe quando a pessoa vai acordar do erro nem quando é o dia de sua morte.

  20. Méri, o bispo já deixou claro que tem pelo menso QUATRO ANOS que ele vinha admoestando o ex-padre sobre sua postura equivocada. Tamanha persistência no erro, depois de tanto tempo e tantas oportunidades, não pode ser deixada impune.

  21. Mas não falo em impunidade Camilo,um afastamento também não seria uma punição?Uma ordem de ficar afastado revendo seus erros com ajuda e supervisão de alguém?O que foi feito para ajudar uma pessoa que caiu na apostasia além de admoestar?Sei que é difícil a posição do bispo mas a atitude foi radical e sempre defendi os cuidados que se devem ter com os sacerdotes,eu evito ao máximo criticar por que sei que desagrada meu Pai Deus.Sei também que alguns convertidos de padre Beto é da boca pra fora e a gravidade de dizer que ainda bem que não foi queimado em fogueira como em tempos atrás.Isso quer dizer que ficar longe de Jesus é melhor do que ter o corpo queimado?Claro que não, e por esta colocação já se vê o quanto está sem entendimento esta alma e a excomunhão foi um duro golpe.Eu acho que o caminho poderia ter sido outro.

  22. Seguindo o raciocínio da Méri, a Madre Igreja nunca deveria ter excomungado o herege Lutero.

  23. Minha avó paterna é cearense e muito devota do Padre Cícero, possuo alguns livros sobre este homem santo do Juazeiro e muito me entristece quando observo as bárbaras deturpações que fazem de sua história. Padre Cícero jamais foi herege, muito pelo contrário, morreu pregando obediência à Santa Igreja Católica Apostólica Romana e à sua doutrina e jamais se rebelou ou proferiu qualquer palavra contrária à Igreja que amava, mesmo após ser suspenso de ordem. Tenho um livro (voz do Padre Cícero) escrito por uma humilde senhora (Maria da Conceição Lopes Campina) que esteve ao lado do Padre desde que era pequena e o acompanhou por vários anos até a morte do sacerdote. Neste livro Dna. Maria relata as investidas e condenações de Padre Cícero contra os “pagodes e bebedeiras” (como ele os denominava), onde o Padre não poupava esforços para afastar as famílias católicas de tais “antros de pecado e festas do diabo”. Um padre tão severo e inflexível quando o assunto era fé e moral ser comparado ao herege defensor do homossexualismo? Isso é no mínimo desonesto.
    A suspensão de Pe. Cícero se deu após os problemas por conta do possível milagre que se repetia em missas por ele celebradadas e que, caso não seja verdadeiro, certamente não contou com sua cumplicidade. Tentou de todas as formas não ser afastado de seu ministério sacerdotal, chegando a ser recebido em audiência pelo Papa Leão XIII e, quando soube definitivamente qual era a determinação da Igreja, embora não achasse justa, a acatou respeitosamente. Só depois envolveu-se em política, e seu maior desgosto foi ter sido suspenso de ordem, lamento que sempre repetiu até antes de morrer.
    Era anticomunista ferrenho e mesmo após a suspensão sempre defendeu a “Santa Igreja Romana” – como ele costumava dizer – tentando converter a todos os que dela encontravam-se afastados.
    Pretendo escrever um pequeno artigo sobre ele. Logo o farei.
    Se creio ter sido ele um santo? Não sei, embora pense que sim, ainda preciso estudar um pouco mais a fundo sua vida política (pós suspensão) para concluir se poderia te-lo em minhas devoções particulares.
    Se a Santa Igreja um dia o elevará à honra dos altares, também não sei dizer.
    Mas uma coisa é certa, compará-lo ao justamente excomungado padre “Beto” é no mínimo uma grande desonestidade para com a memória do Padre Cícero Romão Batista.

  24. Méri, cuidado: as experiências místicas, segundo S. Inácio de Loyola, podem estar sujeitas a moções do bom espírito [O Espírito Santo ou os anjos de Deus] ou de maus espíritos [demônios ou as próprias misérias]. Discernir faz parte do jogo.

    A omissão de outros bispos em disciplinar seu clero não inocenta o Pe. Beto. 4 anos de advertências são exagero? E as omissões dos outros bispos também serão julgadas por Deus?

    O juiz se condena quando inocenta o culpado.

    Os seguidores do Pe. Beto não aprenderam a caridade ou a misericórdia, tão badaladas pelo herege. Foram enganados por ele. Falsificação da fé gera a impiedade.

  25. “E nem de longe creio que excomungar é fazer um bem já que ninguém sabe quando a pessoa vai acordar do erro nem quando é o dia de sua morte.”

    E se a pessoa morrer no erro, que diferença faz ter sido oficialmente declarada sua excomunhão? Estão tratando declaração de excomunhão da mesma forma que muitos equivocados tratam a indulgência (só que ao contrário), recebeu excomunhão = inferno e recebeu indulgência = Céu. Haja burocracia. Eu entendo que a excomunhão é um aviso – para quem recebe e para os outros – não é um sacramento às avessas. Estou errado?

  26. “Quando o povo não encontra na Igreja, nos sacerdotes, nos educadores da fé ajuda e orientações seguras, procura ‘paliativos’, compensações, formas espiritualistas, ritos que o afastam de Deus. A idolatria é um fenômeno sempre presente e perigoso”.

    “Catecismo da Oração”, Frei Patrício Sciadini, OCD, p. 25, Ed. Loyola, SP, 2a.ed., 2002.

    Eis o resultado da má educação na fé. Padres populistas [hereges ou não] e seus seguidores personalistas sem discernimento também são algumas das idolatrias de hoje.

  27. “…em revelação ao Pe Stefano Gobbi Nossa Senhora pede para NUNCA falarmos mal de um Sacerdote…”

    Sim, mas temos que ver o que Ela quis dizer com isso… Pois denunciar o erro, admoestar, exortar, corrigir… Nada disso pode se confundir com “falar mal”… A intenção é trazer a pessoa de volta à plena Verdade e evitar que ela espalhe seus erros… A intenção é sempre salvar! Tanto a pessoa que se obstina no erro quanto aos demais que podem ser seduzidos. A denúncia é do pecado, não simplesmente do pecador, mas se tal pecador não quiser se converter e se obstina no erro, chegará o momento de declarar que tal pessoa não quer mais ser católica, ou seja, de denunciar que ela se aliou obstinadamente a outra fé, excomungar, na tentativa tanto de fazer a pessoa quem sabe retroagir como também de salvaguardar a Fé íntegra, ou seja, que todos vejam e saibam que tal pessoa não tem mais a fé católica, não a sigam! O que Nossa Senhora deve ter dito com “NUNCA” deve ser com relação ao falar mal vazio, sem reta intenção…

  28. O “falar mal” que Nossa Senhora fala deve ser o falar mal apenas por falar mal… Mas o falar mal porque a pessoa está em maus caminhos e precisa ser avisada e também as outras pessoas precisam saber para não cairem nos mesmos erros, este falar mal, de reta intenção na caridade, considero ser uma obrigação!

  29. Eu acho que o caminho poderia ter sido outro.
    Graças a Deus vc n apita nada.

  30. Nada haver comparar Padre Cícero, com Padre Beto!!
    O assunto aqui é outro…

  31. Eu simplesmente não acredito nessa “Nossa Senhora” que falava ao falecido Padre Gobbi, visto que ela não fazia outra coisa senão enaltecer o Vaticano II, sem falar de umas previsões furadas com datas marcadas para o triunfo do Imaculado Coração. Eu tenho aqui o livrinho azul, já participei dos tais cenáculos e se tem alguma coisa positiva é incentivar o povo a rezar ao rosário.
    Mas ao mesmo tempo, usar da divulgação do rosário nas casas pra passar revelações mentirosas ou mensagens sentimentalóides não tem mesmo assinatura de Nossa Senhora. Ah que falta faz um São Luis Grignon de Montfort!

  32. Seguem alguns conselhos atribuídos ao pe. Cicero, tirem vocês mesmos a conclusão se merece ele ser comparado ao excomungado Pe. Beto:

    “Graças à bondade e misericórdia de Nosso Senhor Jesus Cristo minha fé na doutrina ensinada pela Santa Igreja é viva, inteira e pura, pela qual ajudado na Graça Divina darei, se preciso for, a própria vida.”

    “Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena, sigo tudo que ela manda como a Deus mesmo.”

    “Não quero de forma alguma sustentar nem defender os fatos ocorridos em Juazeiro, quando já declarei e torno a declarar que uma vez que a Suprema congregação do Santo Ofício os condenou e os reprovou, eu os condeno e reprovo, obedecendo sem restrição nem reserva a sua decisão e decretos, como filho submisso e obediente da Santa Igreja.”

    “Dom Bosco sabia o segredo de corrigir sem molestar. O seu saber assombrou os centros mais cultos do mundo.”

    “Eu tenho aconselhado sempre a todos que aqui (Juazeiro) vêm que rezem o Santíssimo rosário da Mãe de Deus em sufrágio e salvação das almas do purgatório, para que ela nos tome e nos guarde e nos livre de tão grandes males, e desses pecadores que tantos crimes e males praticam.”

    “O casamento religioso é um sacramento indispensável. O casamento civil é a lei e a segurança da família. Não abençôo quem não casa primeiro no civil. O civil é a lei da Nação, mas é preciso também a união pela Igreja.”

    “Quem bebe obedece a Satanás; e quem obedece a Satanás não se salva, vai para o inferno.”

    “Tenho feito e continuo a fazer uma propaganda, quando me é possível, para que na nova organização do nosso País predominem os ensinamentos da nossa Santa Religião, cujos princípios são os únicos capazes de regenerar a nossa sociedade em processo decadencial.”

    “Como sacerdote cristão, tenho o sagrado dever de prestar meu apoio moral ou ao menos dar um conselho a quem quer que me busque.”

    “Sem educação religiosa perfeita, não há agremiação que progrida e que seja útil a si, à família, à sociedade e à Pátria.” (Padre muito lutou pra trazer os Salesianos para o Juazeiro, tendo doado um grande terreno para onde hoje está construído o colégio salesiano, infelizmente os salesianos não são mais nem vulto do que foram no passado)

    OBS: No casarão do padre Cicero há um belo quadro pintado de São Pio X, por aí vocês tiram a devoção que ele nutria ao Papa tão caro a tantos ligados a Tradição!

  33. Ninguém aqui está falando mal do “padre” Beto. Estamos apenas expondo os seus escândalos que não são poucos.

  34. Meri,você não pode olhar apenas a situação do padre em questão,e esquecer a situação dos fiéis.Já pensastes quantas centenas,milhares de fiéis ficaram expostos as palavras do padre? E quantas milhares mais ficariam se nada fosse feito? Ele,andando de lá para cá,usufruindo da autoridade de um padre da Igreja,para falar tudo que o que falou,e com isso levando ao erro muita gente.

    Não deves esquecer destas milhares de pessoas e o estrago que ele fez esse tempo todo.

    Seria maravilhoso se o padre Beto fosse um padre santo,e ouvissemos falar bem dele aqui no Fratres.Mas infelizmente,a situação real não é essa,Meri.Há que se encarar a realidade,Meri.

    Fique com Deus.

  35. Comparar Pe. Cícero com o Beto?! Bem, considerando que dentro da Igreja já compararam São Francisco com um hippie, Santa Teresa com as feministas e até Jesus Cristo com Chê Guevara…

  36. Por mais que falem o contrário ainda mantenho a posição,tomem cuidado quando falam de padres,eles são pérolas de Deus.Excomunhão é você proibir a presença de Jesus na pessoa,algo difícil.Excomungar não é apenas privar de fazer missas,para isso poderiam ter desligado ele do sacerdócio.E não falo isso apenas para este padre,falo para qualquer pessoa,inclusive se o bispo errar recai sobre ele a culpa estendida a todos que o apoiam,é tudo muito sério e interligado espiritualmente.
    E CPSJB não se preocupe que sou acompanhada por sacerdotes na questão mística e nada escapa dos ensinamentos da Igreja.Minha intimidade com Deus e Nosso Senhor Jesus Cristo é de acordo com nossa doutrina apenas em favor das almas e da Igreja, e contemplativa do Altíssimo.Meu Pai Deus é a menina de meus olhos e Jesus sou consagrada a Ele há muitos anos.
    Padre Beto errou,nunca falei que não,mas o desligamento para mim teria sido a melhor opção.

  37. Tambem sou Cearense e concordo plenamente com vc Francisco castro, sou natural de Barbalha cidade visinha de Juazeiro do norte,nunca soube dessas coisas que o frei falou,prncipalmente esse negócio de TL…nada a ver!!!

  38. A Igreja não excomunga ninguem, é a própria pessoa que, por seus próprios atos, se excomunga.